“O que vale é a idade biológica”, argumenta Sérgio Rangel em Workshop 529

Rangel e a também atuária Fernanda Chaves falaram sobre as novas técnicas de precificação para o risco de longevidade no encontro promovido pelo SindSeg-RS

Os profissionais gaúchos do ramo de seguros acordaram cedo na manhã desta quarta-feira (23) para ouvir os atuários Sérgio Rangel e Fernanda Chaves falarem sobre as novas técnicas de precificação para o risco de longevidade. O encontro, que marcou o primeiro workshop de 2016 promovido pelo Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, contou com auditório lotado. “Todos sempre serão muito bem vindos sempre aqui em nosso Sindicato”, disse o presidente eleito da entidade, que assumirá no dia 1º de abril, Guacir Bueno.

Fernanda e Rangel esclareceram que existem muitas variáveis significativas na hora de precificar, tornando modelos preditivos muito mais importantes que a idade cronológica. “Sexo e data de nascimento não são suficiente, existem muitos pontos que devemos considerar”, pontuaram. O estudo da genética é uma grande oportunidade para descobrir se há predisposição a patologias e fazer um estudo sobre os indivíduos. “Para nós atuários, o que vale é a idade biológica e não a cronológica”, complementa o atuário ao dizer que geneticamente as mulheres têm a propensão de viverem mais em relação aos homens e que estas questões são responsáveis por 25% da expectativa de vida, sendo o resto dependente do estilo de vida de cada um.

Segundo Rangel, quem possui renda econômica mais alta, vive mais. “Quem tem acesso à plano de saúde e diversas outros privilégios tem uma qualidade de vida melhor e acaba tendo oportunidade de viver mais, por mais cuidadoso em relação à sua saúde com exames preventivos e outros”, explica. Ele ainda destaca que, nesta área, é preciso sempre estar atento aos avanços:

“Temos que reavaliar as nossas estratégias para conseguimos resultados diferentes”.

Fernanda ainda esclareceu que, quando se estuda esta questão, a preocupação é em responder às perguntas: “Vamos parar de morrer de outras causas que não a velhice? E até quando conseguiremos viver?”. E que, por isso, torna-se tão importante analisar hábitos, doenças, dados históricos populacionais, buscar populações específicas e outros pontos.

Entender necessidades dos clientes é o presente e futuro do seguro 900

Lideranças estiveram reunidos em Convenção da Lojacorr

O presidente do Grupo Bradesco Seguros, Vinicius Albernaz.

As companhias de seguros buscam entender seus clientes em conjunto com os corretores. Essa preocupação ficou clara durante talkshow promovido pela 6ª Convenção Nacional da Rede Lojacorr, na quinta-feira (21) na Capital paranaense.

De acordo com o presidente do Grupo Bradesco Seguros, Vinicius Albernaz, a nova realidade em que a sociedade está inserida mostra que as empresas precisam focar na necessidade do cliente de maneira completa. “Precisamos entender que ele precisa de proteção dos riscos ao qual ele está exposto e que esses riscos mudam ao longo da vida”, comentou.

O CEO da Liberty Seguros, Carlos Magnarelli.

Albernaz ainda acredita que o desafio está em entender essa nova situação em conjunto com o mercado como um todo. A exemplo disso está o seguro saúde têm a tendência de personalização no mundo como um todo, sendo um objeto de desejo da população. “O cliente mudou, ele é muito mais informado e está querendo soluções rápidas e adequadas e o nosso grande desafio é encantar esse cliente”, opinou.

Sobre personalização, o CEO da Liberty Seguros, Carlos Magnarelli, confia que “cada cliente quer um serviço único para ele e personalizado a sua realidade”. E que, além disso, o público está mais consciente, conhece as empresas e os produtos ofertados. “Por isso temos que entender o consumidor, qual a sua jornada e escutá-lo, pois ele vai nos indicar o que temos que entregar”, confiou.

O vice presidente da Mitsui Sumitomo Seguros, Helio Kinoshita.

Na discussão que envolve a realidade do cliente, a revolução digital entra como um relevante elemento desta equação. “A transformação está nas pessoas e eu diria que temos cinco grandes desafios e um deles é a mudança da estrutura hierárquica para um processo em que todos trabalham em prol do mesmo objetivo, numa discussão mais horizontal dos processos”, detalha o vice presidente da Mitsui Sumitomo Seguros, Helio Kinoshita. “Assim poderemos andar Mais rápidos sendo mais assertivos nas inovações”, complementou.

Por outro lado, a Sancor, companhia argentina que completará 6 anos de atuação no Brasil, tem buscado oferecer meios para que o corretor de seguros consiga entender cada vez mais o seu cliente. “Estamos indo no caminho de disponibilizar ferramentas para que os corretores possam ofertar os produtos certos, pois ele também tem e quer estar preparado para esse novo consumidor”, explicou o diretor geral da Sancor no Brasil, Leandro Poretti.

O diretor geral da Sancor no Brasil, Leandro Poretti.

Além disso, o CEO da HDI Seguros, Murilo Riedel, acrescenta outro ponto interessante à discussão: a especialidade das companhias. “No passado, sempre foi um diferencial, mas se tornou algo negativo para uma seguradora”, afirmou. Ele explica que, na empresa que preside, 95% das operações advém do produto automóvel e que ela é afetada com a queda da faixa de veículos altamente seguráveis (de 0 a 5 anos) de 2014 para 2018. “Essa frota que alimenta o mercado tinha 17 milhões de veículos em 2014 e hoje tem 12 milhões, ou seja, 5 milhões desapareceram e saíram dessa classificação”, comentou.

Resultado disso, é a mudança de visão da HDI, passando do auto para uma seguradora da mobilidade. “A mobilidade é sair de um ponto a outro e chegar em algum lugar e o bem que te leva é apenas um

O CEO da HDI Seguros, Murilo Riedel.

componente de uma experiência que te leva”, disse. “O entendimento das seguradoras mudou sobre aquilo que significa mobilidade e oferecer produtos que compõe essa experiência virou algo mandatório”, salientou.

Conforme esse raciocínio, a companhia passa de fazer o seguro do bem para o seguro da experiência como um todo. “Temos uma visão de que buscar parcerias com seguradoras especializadas, como a nossa parceria com a Icatu, faz com que conjuntamente ofereçamos produtos que compõe essa experiência ampla de mobilidade”, finalizou.

Imagens: Filipe Tedesco/JRS

Lojacorr defende corretagem empreendedora 1133

Lojacorr defende rede de corretores empreendedores

Convenção Nacional da empresa reúne mais de 1.200 participantes em Curitiba

O CEO da Rede Lojacorr, Diogo Arndt Silva.

A inovação e maneiras de entender o novo consumidor tem sido temas fortemente debatidos no mercado de seguros nos últimos anos. Essa também é uma preocupação constante da Rede Lojacorr, conforme ficou evidenciado na cerimônia de abertura da sua 6ª Convenção Anual, que ocorre 21 e 22 de março em Curitiba (PR) e reúne 1.200 participantes entre corretores de seguros e parceiros.

Desde a última convenção, que aconteceu em 2017, a Lojacorr cresceu quatro vezes mais, segundo o CEO Diogo Arndt Silva. “É tempo de transformação e a Lojacorr supera diariamente as nossas expectativas”, destacou. “Nosso objetivo no início era alcançar 100 corretores em Curitiba e região e hoje temos mais de 1.100 corretores em 21 Estados e em 51 unidades espalhadas pelo Brasil”, detalhou.

De acordo ele, a missão dos corretores de seguros de levar proteção ao brasileiro é nobre. “A transformação não está na tecnologia, está nas pessoas, em suas atitudes, e o nosso maior papel como líderes de mercado é encorajar as pessoas a experimentarem, a verem novas formas de consumo”, comentou. Enxergar a figura do corretor de seguros como empreendedor seria fundamental para essa prática. “A maior parte dos projetos e das pessoas não fracassam, elas desistem. E a persistência tem que estar imbuído nos nossos objetivos”, disse.

Em 2017, a empresa que Diogo preside reuniu uma equipe multidisciplinar para realinhar seu planejamento estratégico tendo em vista que se transformou em uma rede de empreendedores. “Quando percebemos que somos novos líderes e empreendedores, pensamos em como criaríamos um ecossistema de soluções para auxiliar cada vez mais a distribuição de seguros através dos corretores”, explicou.

O momento reforça a crença de grandes líderes de mercado de que somente os corretores podem levar efetivamente as melhores proteções aos clientes. “Por intermédio de relações humanas, seremos capazes de levar proteção à parcela da sociedade que ainda não tem acesso, pois muito mais do que vender apólices, queremos proteger as pessoas”, comentou. Valores como transparência seriam fundamentais. “Sabemos que ainda existe um caminho muito grande a percorrer, mas seguimos caminhando, buscando inovar e crentes nos nossos valores, como transparência, que gera colaboração e, com ela, inovação”, afirmou.

A primeira palestra da Convenção ficou a cargo do administrador Max Gehringer.

Para o administrador Max Gehringer, que comandou a primeira palestra da Convenção, a grande profissão até o século XIX era a de agricultor, do século XX empregado e a do século XXI é empreendedor. “O que nós fazemos em nossa carreira é continuar correndo atrás do que vai nos diferenciar e vejo aqui uma plateia de empreendedores”, disse. “O que precisa para ser empreendedor, primeiramente, é não tomar a decisão de ser empreendedor pelo motivo errado, um bom motivo é enxergar uma oportunidade e um futuro”, defendeu.

Neste sentido, empresas como a Lojacorr estão a frente, uma vez que busca inovar sem perder a essência humana. “Não dá para conseguir confiança através da tecnologia, nós olhamos no olho de outra pessoa e conversamos com ela pessoalmente”, alertou. “O empreendedor brasileiro é um teimoso, pois a lei e a burocracia não ajudam, e mesmo assim ele não só insiste, como persiste com as suas ideias”, frisou.

6ª Convenção Nacional Lojacorr – Imagens do primeiro dia

Top Consumidor premia marcas de destaque; Icatu é reconhecida entre seguradoras 382

Top Consumidor premia marcas de destaque; Icatu é reconhecida entre seguradoras

Cerimônia foi realizada na última quarta-feira, em Porto Alegre (RS)

A premiação Top Consumidor 2019 certificou as principais “Marcas de Respeito”, na última quarta-feira (20). Tudo aconteceu em um jantar, no Centro de Eventos do Barra Shopping Sul, em Porto Alegre (RS). O evento teve promoção do Instituto Nacional de Educação do Consumidor e do Cidadão e da Revista Consumidor.

José Luiz da Silva, presidente do INEC e publisher da revista, disse que é necessário destacar empresas, marcas e serviços que primam por uma conduta ética, de qualidade e com compromisso. Os agraciados foram escolhidos por 35 representantes de entidades e 20 consumidores.

Premiados do Top Consumidor "Marcas de Respeito" / Imagem: Jornal O Sul
Premiados do Top Consumidor “Marcas de Respeito” / Imagem: Jornal O Sul

A Icatu Seguros recebeu o certificado na categoria Seguradora – Vida e Previdência.

“Ficamos muito felizes em receber essa premiação voltada às relações de consumo. O respeito e a atenção às demandas dos clientes norteiam todas as ações da empresa”, afirmou a superintendente da Icatu Seguros Josiana Schneider. A seguradora já havia sido destaque no prêmio Ouvidorias Brasil 2018, realizado pela Associação Brasileira das Relações Empresa Cliente. A Ouvidoria da seguradora foi pioneira no mercado e há 20 anos funciona como um espaço de confiança e de credibilidade no relacionamento da empresa com o cliente.

Segurança foi o grande tema do primeiro almoço mercado segurador gaúcho em 2019 326

Segurança foi o grande tema do primeiro almoço mercado segurador gaúcho em 2019

Encontro foi realizado nesta quinta-feira, em Porto Alegre (RS)

As similaridades entre a segurança pública e o mercado de seguros, no que tange a proteção de vida e patrimônio, dão ênfase à importância de alinhamento entre o Governo do Rio Grande do Sul e o Sindicato das Seguradoras do Estado (Sindseg/RS). Neste sentido, o primeiro almoço das seguradoras de 2019 recebeu Marcelo Gomes Frota, secretário adjunto da pasta, para representar o vice-governador e secretário de segurança, Randolfo Vieira Junior. Tudo aconteceu na quinta-feira, no Clube do Comércio, na Capital gaúcha.

Frota destacou a segurança como prioridade do governo de Eduardo Leite. “A ação reflete em outros setores. Sem investimentos em segurança pública não existe a garantia e confiabilidade necessárias para o setor privado investir”, explicou. “O ciclo da economia fica vinculado à isso e os demais setores são prejudicados no Estado”, comentou o secretário adjunto.

O almoço do Sindseg/RS é promovido há mais de 70 anos e trata-se de uma das tradições mais marcantes do mercado gaúcho de seguros.

Confira todas as imagens – Almoço do Mercado Segurador Gaúcho:

Confraternização dá início às atividades do Sincor-RS no Vale do Sinos 419

Confraternização dá início às atividades do Sincor-RS no Vale do Sinos

Reunião aconteceu ontem, na sede do Sindilojas

Palestra em NH deu início às atividades da Delegacia Regional do Sincor-RS
Palestra em NH deu início às atividades da Delegacia Regional do Sincor-RS

A Delegacia Regional Vale do Sinos do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS) realizou nesta terça-feira, 12, uma confraternização que deu o ponta pé nas atividades de 2019 na região. Foram recebidos profissionais da corretagem associados à entidade, além de executivos de companhias seguradoras com operação na localidade. Tudo aconteceu na sede do Sindicato do Comércio Varejista de Novo Hamburgo (Sindilojas/NH).

A palestra de abertura ficou a cargo de Charles Poltronieri, que atua no mercado desde 1985 e também é fundador e CEO da Infocap Tecnologia da Informação. Além disso, Poltronieri é professor da Escola Nacional de Seguros nas disciplinas de Gestão Empresarial para Corretores de Seguros e Noções de Informática.

A apresentação abordou o cenário do profissional da corretagem diante do mundo tecnológico, além de como foi, como é e também como será a vida do corretor de seguros. Assuntos como o ecossistema do seguro, as novas e velhas “figuras” do mercado, a posição do cliente neste cenário, a venda automatizada e humanizada, economia da experiência, encantamento do cliente e ferramentas tecnológicas para viver melhor e dedicar-se à venda abriram os trabalhos na região em 2019.

Além do delegado regional Cesar Blauth, o momento contou com presença do presidente do Sincor-RS, Ricardo Pansera.

Início das atividades do Sincor-NH em 2019 – Todas as imagens