“Não importa se você é de direita ou de esquerda, política econômica boa é uma só”, analisa Victoria Werneck 584

Economista-Chefe da Icatu Seguros participou de almoço ao lado do cientista político Francisco Ferraz

Almoço reuniu público seleto na sede da Federasul, em Porto Alegre (RS). William Anthony/JRS
Almoço reuniu público seleto na sede da Federasul, em Porto Alegre (RS).

A população brasileira continua sem perspectivas de solução para o atual momento de crise vivido pelo País há aproximadamente dois anos. A afirmação fica reforçada pela última pesquisa divulgada pelo Ibope nesta quarta-feira. O levantamento realizado com 2.002 pessoas em 142 municípios aponta que apenas 10% da população aprova o Governo Dilma, ante 69% de avaliações negativas. Com esta premissa, o almoço “Tá na Mesa”, realizado semanalmente na sede da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul), abordou os próximos capítulos de nossa história política e econômica. “E agora Brasil?”, foi a principal questão emitida a Francisco Ferraz, professor e cientista político, e Victoria Werneck, economista-chefe da Icatu Seguros.

O lala
O cientista político Francisco Ferraz.

Em uma análise da atual conjuntura política, Ferraz atentou que a democracia brasileira não é consolidada. “Nosso sistema político sofre mudanças a cada cinco anos, em média. Nossos problemas não serão resolvidos com mais uma reforma política”, disse. Durante coletiva de imprensa, 0 cientista político demonstrou como diversos países consolidaram instituições e regimes. “Precisamos de estadistas que lembrem do ontem, pensem no hoje e também no amanhã”, explicou.

O professor também reitera o famoso “toma lá, da cá” político. Onde uma votação para o impedimento de um Presidente da República acaba “de forma escancarada” em troca de cargos. “Qualquer ação deste governo com o Congresso sempre envolve alguma transação e não enxergo que isso vá mudar”, apontou. Francisco Ferraz alerta que ainda não é o momento para se realizar análises de um provável governo do Vice-Presidente Michel Temer. “O quadro é bem maior do que a simpatia do povo por um líder político”, complementou ao lembrar da tentativa do Governo Federal em nomear o ex-presidente Lula como Ministro de Estado.

O mercado segurador se fez presente durante o encontro. Na imagem Rodrigo Pelaipe, diretor executivo da Emergency Corretora; Guacir Bueno, presidente-eleito do SindSeg-RS; Odete Dias, executiva da Emergency Corretora; Jota Carvalho, editor-chefe do JRS e Ricardo Rezende, diretor comercial da PlaniLife.
O mercado segurador se fez presente durante o encontro. Na imagem Rodrigo Pelaipe, diretor executivo da Emergency Corretora; Guacir Bueno, presidente-eleito do SindSeg-RS; Odete Dias, executiva da Emergency Corretora; Jota Carvalho, editor-chefe do JRS e Ricardo Rezende, diretor comercial da PlaniLife.
Victória Werneck, economista-chefe da Icatu Seguros.
Victoria Werneck, economista-chefe da Icatu Seguros.

“Independentemente de quem esteja governando haverá uma grande queda no Produto Interno Bruto do Brasil este ano. A inflação ficará acima do teto da meta, que é de 6,5%. E, no próximo ano, teremos um crescimento muito baixo”, contou Victoria Werneck. Ela ainda previu que “teremos quatro ou cinco anos de queda do PIB per-capta. A sensação de que você rema, rema e rema sem sair do lugar. No cenário internacional, o Brasil é um dos poucos países que está indo para trás”, argumentou.

A chefe de economia da Icatu Seguros também reitera que urgentemente o Brasil precisa deixar este momento de estagnação. Tomar um rumo é fundamental para sair da crise, segundo Victoria. Ela lembrou de erros sistemáticos, como as chamadas “pedaladas fiscais”, e o desrespeito ao famoso conceito do tripé macroeconômico. “Não importa se você é de direita ou de esquerda, política econômica boa é uma só”, lembrou a economista quando questionada sobre o sucesso de Lula no campo econômico em seu primeiro mandato.

 

Assista novamente a participação de Victoria Werneck no Seguros Sem Mistério em 2014:

Confira todas as imagens:

“Não importa se você é de direita ou de esquerda, política econômica boa é uma só”, analisa Victória Werneck

Corretor de Seguros possibilita a melhor escolha de coberturas para o segurado 842

Esse é o pensamento que norteia o executivo Renato Pedroso, presidente da Previsul Seguradora

Considerada como a “seguradora digital do corretor de seguros”, a Previsul Seguradora participou do Congresso Nacional dos Corretores de Seguros (Conec) pela 4ª edição consecutiva, em 2018. O presidente da seguradora, Renato Pedroso, afirmou em entrevista ao apresentador Jota Carvalho que “naturalmente a companhia participou desse evento, que resulta em benefícios para o profissional da corretagem de seguros”.

“O profissional de seguros, o corretor, tem de ter sua autonomia para escolher para seu cliente a melhor cobertura, a melhor taxa e a melhor conveniência dentro do que ele precisa. Esse é o objetivo da Previsul: ser a seguradora digital do corretor para que possamos, através dessas ferramentas, entregar para este profissional aquilo que ele precisa para conseguir chegar nessa decisão, que envolve qual a melhor cobertura, qual o leque de assistências ou de produtos que estarão englobados em uma apólice securitária”, explicou Pedroso ao programa Seguro Sem Mistério na TV.

A rapidez com que o desenvolvimento das soluções digitais da companhia vem sendo aprimoradas também foi destaque na fala de Pedroso. “Além disso, prezamos pela qualidade. Temos grandes exemplos, como o cotador da Previsul, os produtos de grupo, como o Vida em Grupo (VG), Acidentes Pessoais (AP) Coletivo, AP Eventos, além do seguro voltado às PMEs, que contempla todas as faixas de capital. Outro produto é o Renda por Incapacidade Temporária (RIT) por Acidente Pessoal, que é individual”, explica. “Lançamos também o Previsul Odonto, voltado para PMEs com 4 tipos de produtos que oferecem comissionamento padrão para o corretor. Através de uma ferramenta é possível estimar o prêmio do cliente, fazer a cotação e até mesmo enviar a apólice digital para assinatura. Ou seja, a Previsul está inovando para que o corretor tenha, até mesmo, menos despesa. Se a Previsul tem que emitir o papel ela terá o custo de processar esse papel, que é redirecionado proporcionalmente também para o corretor”, justifica.

Para Renato Pedroso, a dinâmica do setor de seguros é “procurar a digitalização do relacionamento e não puramente entregar ferramentas ‘à torto e à direita’ para o nosso principal canal de distribuição”. Ou seja, é “procurar que essa facilidade consiga conferir a autonomia profissional à esse corretor”, finaliza.

Resiliência do seguro garante o futuro de pessoas e famílias 384

É o que pensa o CEO da MAPFRE no Brasil, Luis Gutiérrez Mateo

A resiliência do mercado de seguros foi enaltecida pelo CEO da MAPFRE no Brasil, Luis Gutiérrez Mateo. Em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério na TV, o executivo disse que o mercado “acompanha quando a economia vai bem, mas também quando a economia cai, pois garantimos o futuro das pessoas”. “Representamos uma parte fundamental do Produto Interno Bruto (PIB) do País”, justificou.

Ainda na entrevista, gravada durante o último Congresso Estadual de Corretores de Seguros (Conec), Gutiérrez demonstrou que o portfólio de produtos não é o fundamental. “A parte fundamental é continuar tendo o maior portfólio de produtos, continuar melhorando e adaptando às características do consumidor e do mercado, além de inventar, pensar fora da caixa, fazer de outro jeito e, sobretudo, escutar os corretores – que são a voz e a cara da companhia”, afirmou ao ressaltar a importância de ouvir o que o mercado, como um todo, precisa para o desenvolvimento de novas soluções.

“A  verdade é que a companhia é feita por pessoas. Pessoas que acreditam no sucesso de uma empresa”, prosseguiu. “Tenho o privilégio de que os corretores conhecem e também aproveitam o melhor time de seguro do País, assim como também temos o melhor time de seguro do mundo. Estou super honrado e orgulhoso desse time que representa a MAPFRE”, finalizou.

Bolsonaro aproveitará reforma da Previdência apresentada por Temer 339

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), nomeado para a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho - Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Secretario Especial de Previdência disse que vai usar bom-senso

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), nomeado para a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do novo governo, afirmou hoje (2) que a reforma nas regras da aposentadoria vai levar em consideração o que foi apresentado pelo governo de Michel Temer, ainda em 2017. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, que tramita na Câmara dos Deputados, não chegou a ser votada em plenário na última gestão, e o desafio de mexer no setor ficou para o atual governo.

“Vamos usar o bom senso, e usar o bom senso significa economia processual. Evidente que a proposta que aí está não é a ideal, então há necessidade de ajustes e eles serão feitos ao longo de janeiro”, informou Marinho durante a transmissão de cargo do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Segundo Marinho, o texto “mais definitivo” da proposta de reforma da Previdência será construído ao longo desse mês para poder ser apresentado a partir da próxima legislatura. “Já houve todo um processo de discussão que antecedeu [o momento atual], acho que o próprio país espera com ansiedade o desfecho dessa situação, teremos êxito. É uma necessidade para o próprio país. Esse assunto já decantou, ficou maduro”, acrescentou.

Em seu pronunciamento, o ministro Paulo Guedes defendeu enfaticamente a necessidade de aprovação da reforma da Previdência, que estaria condicionada à garantia de crescimento da economia do país. Ele ainda projetou a discussão do tema para os próximos dois ou três meses.

“Essa primeira grande despesa [a da Previdência] é o primeiro e maior desafio a ser enfrentado. Se for bem-sucedido, a dois meses, três meses à nossa frente, temos 10 anos de crescimento sustentável à nossa frente [garantidos]”, afirmou.

Combate a fraudes

Rogério Marinho também informou que o governo deverá editar uma norma, já nas próximas semanas, para combater fraudes na concessão de benefícios previdenciários e assistenciais. “Isso será atacado independentemente da reforma da Previdência”, disse, ao confirmar que mais detalhes sobre o assunto poderão ser apresentados na próxima sexta-feira (4). Segundo o próprio ministro Paulo Guedes, o combate a fraudes no setor poderia impactar numa economia anual entre R$ 17 bilhões e R$ 30 bilhões para os cofres públicos.

Detalhes consagram comemoração de final de ano da Neo Executiva 1227

Empresa dobrou faturamento e número de clientes em 2018, além de chegar a todos os estados do Brasil

“Quando estamos cheios de bons pensamentos, parece-nos que o mundo está repleto de oportunidades”, diria o sábio. Em grande estilo e repleta de convidados especiais, a Neo Executiva Corretora de Seguros comemorou diversas realizações em mais um ano, no último dia 14 de dezembro, no Iate Clube Guaíba, em Porto Alegre (RS).

Os detalhes tornaram os momentos inesquecíveis aos presentes e também foram lembrados pela executiva Júlia Fetter. “Foi tudo muito emocionante. Pensamos em cada momento para comemorar um ano glorioso. Aqui estão as pessoas mais queridas de nossa vida, que é nossa equipe principais parceiros, amigos e familiares mais íntimos. Tudo foi feito com muito carinho”, disse.

O executivo Zênio Costa também demonstrou toda sua emoção ao enaltecer todos que estiveram ao lado da empresa, desde os primeiros passos. “É uma grande honra para nós recebermos as pessoas que estão conosco desde o princípio. Temos seguradoras aqui que acompanharam nossos processos desde quando éramos bem pequenos. Graças a Deus, depois de muitos anos de trabalho sério, acabamos conquistando nosso espaço e hoje estamos sendo prestigiados mais uma vez”, ressaltou. Trata-se no 9º encontro promovido pela Neo Executiva.

Já Luís Henrique Bueno revelou o segredo para tanto sucesso nos negócios. “Tudo acontece quando se tem união e cuidado com os parceiros e funcionários, que são excepcionais. Atendemos o Brasil todo e eles merecem essa grande comemoração”, enaltece ao lembrar que a corretora de seguros agora atua em todos os estados da federação.

“É uma correria, são muitas viagens e muito pé na estada. Apesar de estamos em todo o Brasil sempre prezamos pela prestação de um atendimento de qualidade. Levamos um pedacinho de casa para todo o País. Essa característica de intimidade, do olho no olho e do atendimento pessoal com o nosso cliente não se perde em nenhuma outra região. Podemos dizer que muitos clientes tornaram-se e são nossos amigos. Esse é o relacionamento que buscamos com nosso trabalho”, lembrou Júlia Fetter ao enfatizar as mudanças nas relações sociais na era digital. “O que realmente é importante? Quais os benefícios realmente farão diferença para essa família?”, foram questões levantadas por Júlia para destacar o fundamental papel da presença de um corretor profissional de seguros.

A executiva ainda revelou para a reportagem de JRS grandes novidades para o próximo ano. Com fortes relações com o setor jurídico de todo o Brasil, a Neo Executiva deve avançar não apenas nas esferas estaduais. “Estamos fechando negócios com outras entidades que também atendem o funcionalismo público. São servidores que receberão o mesmo benefício e atendimento ímpar que oferecemos. Atenderemos outras esferas, como professores e policiais”, disse ao enfatizar as boas relações com a Fojebra (Federação dos Oficiais de Justiça Estaduais do Brasil), um dos grandes pilares do sucesso das operações da Neo Executiva.

Zênio Costa ainda informou que a empresa dobrou o faturamento e o número de cliente em 2018. “Já estamos batendo os 30 mil clientes. Tivemos uma boa média de sinistralidade, que se manteve muito baixa. Então, nossos resultados diante das companhias de seguros está muito positivo. Uma equipe bem motivada e que gosta do que faz, com muita dedicação, sempre dá seu máximo e não deixa a peteca cair. Resiliência nesse setor é fundamental para atingir algum lugar”, destacou Costa. “Acredite na ideia, pense em um bom nicho para trabalhar e vá com tudo, vá com fé, que funciona”, aconselhou.

“Queremos levar o seguro para todo o Brasil e seguimos avançando. Nosso foco está em continuar atendendo nossos segurados com maior atenção, de forma a atingir cada vez mais resultados na promoção de atendimento e soluções rápidas”, finalizou Luis Henrique Bueno em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério na TV.

Confira todas as imagens – Confraternização de Final de Ano da Neo Executiva:

CVG/RS divulga diretrizes e calendário de ações para 2019 666

Entidade visa agregar valor e benefícios aos associados

O Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG/RS) realizou, nesta terça-feira (18), uma confraternização com membros da diretoria da entidade. A comemoração foi realizada no Restaurante Casa do Marquês, em Porto Alegre (RS) e foi marcada por momentos especiais.

Além da apresentação das diretrizes do Clube para o próximo ano, o CVG/RS ainda divulgou seu calendário de atividades para 2019. As atividades da entidade começam a partir do dia 15 de março, quando está prevista a realização do tradicional Café do CVG/RS.

CVG/RS divulga diretrizes e calendário de ações para 2019
CVG/RS divulga diretrizes e calendário de ações para 2019

A presidente do CVG/RS, Andréia Araújo, destaca o foco no quadro de associados para o próximo ano. “Quando pensamos e falamos sobre seguros Brasil afora o Rio Grande do Sul é referendado como precursor de muitas coisas. Temos uma história muito bonita no mercado e o CVG/RS faz parte disso”, diz ao ressaltar a missão de agregar valor aos participantes do Clube, bem como uma série de benefícios.

Andréia, que também é Diretora de Negócios e Marketing da Previsul Seguradora, lembra ainda que o mercado está passando por um momento de grandes transformações. “É o momento de fortalecer ainda mais nossa entidade. Nossa função é gerar valor, conteúdo, informação e qualificação de nosso mercado”, explica.

Confira todas as imagens – Confraternização de Final de Ano CVG/RS