Giro do Mercado: BTG vende controle da Pan Seguros 502

BTG vende controle da Pan Seguros e Corretora

Reprodução
Reprodução

O BTG Pactual anunciou acordo para vender sua participação de 51% na Pan Seguros e na Pan Corretora para a francesa CNP Assurances, por R$ 700 milhões. A venda está sujeita a ajustes vinculados ao desempenho das companhias até a data de conclusão da operação. O banco estava em negociações exclusivas com a CNP Assurances desde janeiro, depois que o grupo francês superou ofertas de seguradoras que incluíam AXA e MetLife.

O BTG, que tinha assumido o controle da Pan Seguros no ano passado, está vendendo ativos desde a prisão de seu fundador André Esteves, no ano passado. Esteves deixou a penitenciária de Bangu 8, no Rio, em 18 de dezembro para cumprir prisão domiciliar. O restante da Pan Seguros é detido pela Caixapar, braço de investimentos da Caixa, que é sócia da CNP Assurances na Caixa Seguradora.

Escola Nacional de Seguros recebe prêmio por referência em formação profissional 

Stock Images
Stock Images

A Escola Nacional de Seguros recebeu o prêmio Segurador Brasil, na categoria “Referência na Formação Profissional Segmentada”, pelos 45 anos de atuação em prol do desenvolvimento dos profissionais de seguros. A Instituição foi representada na cerimônia de entrega, realizada no dia 14 de abril, pelos dirigentes Renato Campos (diretor executivo), Claudio Contador (diretor do Centro de Pesquisa e Economia do Seguro – CPES) e Carla Pieroni (superintendente de Comunicação e Marketing).

Bradesco Seguros incentiva cotações com reconhecimento

Getty Images
Getty Images

A Sucursal Porto Alegre reconhecerá, no início do mês de maio, os 25 melhores corretores em volume de Cotação X Conversão do Seguro Auto Bradesco do mês de abril. Participam todos os corretores cadastrados na Sucursal Porto Alegre. São elegíveis os corretores que atingirem no mínimo 50 cotações de Auto no mês de abril. No início de maio, os 25 corretores com melhor índice % de conversão de negócios (mínimo de 50 cotações), serão convidados para um delicioso jantar. Os corretores presentes estarão representando seus funcionários que fazem a cotação na corretora. “No jantar serão sorteados prêmios para os funcionários das corretoras e faremos as entregas pessoalmente”, afirma a nota divulgada. O acompanhamento da campanha pode ser feito através do relatório de Cotações On-line (COL), que mede o número de cotações e conversões realizado pelo corretor, consulte sua assessoria ou seu gerente comercial.

Painel sobre Responsabilidade Civil é destaque do Seminário de Seguros, realizado em Santa Maria

William Anthony/JRS
William Anthony/JRS

Realizado no dia 7 de abril, em Santa Maria, o 1º Seminário Regional do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul foi aprovado pela imensa maioria dos participantes. Todos foram convidados para avaliar o evento e opinar sobre os temas. A grande maioria destinou elogios à organização, pelo alto nível de conhecimento dos painelistas e aos assuntos escolhidos, com destaque para a “Responsabilidade Civil”.

Recebemos várias sugestões de temas para a próxima edição do Seminário Regional, que acontecerá em Caxias em junho, como esta: “abordar os riscos de baixa aceitação das seguradoras, riscos restritos, frente as oportunidades de negócio, como o seguro rural e máquinas agrícolas, por conta da realidade dos estados do Sul que tem um histórico econômico baseado na agricultura e pecuária”. “As avaliações e sugestões serão analisadas e levadas em conta para o próximo seminário regional, marcado para o mês de junho em Caxias do Sul. Vamos nos esforçar em produzir um evento mais completo ainda”, conta Ricardo Pansera, presidente da entidade.

KLP Soluções em Seguros abre novo escritório na capital paulista

Reprodução
Reprodução

Na onda do crescimento do setor, a KLP Soluções em Seguros inaugura neste mês seu novo escritório no  coração de São Paulo, na Avenida Paulista. A expansão marca o aniversário de três anos de operação da corretora, oriunda de Santos (SP) e responsável pela administração de 40 mil vidas. Com investimento de R$ 1 milhão até o final de 2016, o CEO da KLP, Keyton Pedreira, pretende aumentar em 25% as vendas deste ano, alcançando R$ 70 milhões em prêmios.

*Com informações de G1, VTN e das respectivas assessorias de imprensa das empresas citadas.

Indra lança solução pioneira para gerenciar o tráfego de drones 284

Indra lança solução pioneira para gerenciar o tráfego de drones

Empresa deve construir espaços altamente digitalizados e automatizados para que os drones voem com segurança nos próximos anos

A Indra apresenta a Air Drones, um conjunto de soluções avançadas para gerenciar o tráfego aéreo de drones em baixa altitude. Trata-se da primeira solução global, capaz de oferecer a flexibilidade e a capacidade de adaptação necessária para gerenciar o tráfego em qualquer nível: local, regional ou de um território completo. A estrutura foi pensada para garantir a segurança das operações aéreas dos aviões não tripulados em regiões urbanas, rurais e de aeroportos, onde as normas de segurança são mais exigentes.

O novo sistema UTM (Unmanned Traffic Management) da Indra será a peça encarregada de organizar todo este tráfego, identificar cada aeronave e controlar seu acesso e movimentações de forma segura. A plataforma foi pensada para integrar soluções de detecção e neutralização de drones, complementando a capacidade de gerenciamento do tráfego aéreo.

Além disso, conta com uma solução UTM Hub, que vai automatizar o fornecimento de serviços centralizados de coordenação para todos os setores, no qual estarão envolvidos: operadores, fornecedores de informação e autoridades.

Por fim, a Indra Air Drones oferecerá um serviço inteligente, altamente digitalizado e automatizado. Dessa forma, será possível facilitar o acesso rápido e simples a qualquer usuário que queira operar seu drone ou sua frota de drones com total garantia de segurança. A liderança da Indra como fornecedora de sistemas de tráfego aéreo torna a companhia capacitada para configurar um espaço UTM deste tipo, com os níveis de segurança necessários.

A solução tem em vista o aumento do fluxo aéreo nos próximos anos, em que a companhia projeta um aumento exponencial no número de aeronaves, com drones de baixo custo junto a outros de caráter profissional muito mais sofisticados, helicópteros, aviões convencionais.

AIG discute os bastidores da regulação de sinistros em Responsabilidade Civil 459

AIG discute os bastidores da regulação de sinistros em Responsabilidade Civil

Dimensão da cobertura da apólice, impacto do sinistro no negócio e sobre terceiros e planejamento em prevenção são os principais pontos que devem ser levantados por corretores

Com casos práticos de diferentes acidentes e imprevistos que exigem a responsabilização de empresários – de acidentes de trabalho a erros na linha de produção e prejuízos a terceiros por graves danos – a AIG promoveu o evento O Sinistro da Vez: Responsabilidade Civil, na última sexta-feira (15), em São Paulo. Na ocasião, mais de 100 corretores acompanharam o painel formado por especialistas da AIG nas áreas de Sinistros, Jurídico e Produto, ao lado do executivo da CooperBrothers, empresa de Regulação de Sinistros.

“A partir de dúvidas e questionamentos dos corretores, organizamos este encontro como mais uma forma de capacitar nossos parceiros nas coberturas e especificidades dos Seguros Responsabilidade Civil Geral (Empregador, Produtos e Operações). A partir de exemplos e da experiência da AIG, buscamos mostrar as principais exposições a riscos, o funcionamento das coberturas e a importância de atividades de gestão e prevenção”, explica Nathália Gallinari, Gerente de Responsabilidade Civil e Ambiental da AIG.

Durante o painel, Daniel Santos, Gerente de Sinistros de RC e Linhas Financeiras da AIG, explicou que “quando negociam a apólice, muitas empresas ficam preocupadas com apenas dois pontos: a cobertura e o limite. Ou seja, acreditam que, no máximo, a seguradora irá arcar com os custos de indenização. Porém, é importante ressaltar que a AIG faz muito mais que isso: toda a investigação do sinistro permite à empresa entender os motivos que levaram ao eventual incidente e ajuda na prevenção. São serviços que, independente da cobertura do sinistro, estarão à disposição do segurado”.

Para Nathália Gallinari, também parte do painel, há inúmeros recursos técnicos utilizados pela seguradora que auxiliam na apuração e regulação de sinistros. “Trabalhos multidisciplinares, que inclusive envolvem perícias, auxiliam na solução de uma série de questões, como, por exemplo, verificar se o produto questionado poderia ou não apresentar um determinado problema, ou causar certo dano”, diz.

A importância dos primeiros passos da apuração

Eduardo Lima, Diretor da Cooper Brother, trouxe para o debate o conhecimento do ‘outro lado do balcão’ e destacou que cada segurado possui particularidades, por isso é importante entender com detalhes as questões técnicas de seu ramo de atuação.

O profissional destacou que “os primeiros passos são fundamentais para avaliar eventuais falhas de segurança. São apuradas quais foram as ações imediatas tomadas pelo segurado para controlar aquela situação, se os equipamentos de proteção individual (EPIs) foram utilizados corretamente, se o programa de manutenção foi cumprido e se o colaborador possuía treinamento e certificados necessários para operar aquela determinada máquina”.

Segurado deve se precaver mesmo quando o sinistro é encerrado

Alguns profissionais acreditam que os problemas se encerram quando o sinistro é finalizado. Porém, Katiuscia Brandão, Especialista de Sinistros de Responsabilidade Civil da AIG, destaca que reclamações podem surgir, em alguns casos, até alguns anos após o encerramento.

“É fundamental manter registros, perícias e documentos que comprovem que o evento não prejudicou, por exemplo, empresas parceiras, fornecedores ou vizinhos do empreendimento”, lembra Katiuscia.

O impacto à cadeia de valor e a terceiros

Entre os exemplos citados pelos especialistas foi o de uma manufatura de pequeno porte, fornecedora de grandes indústrias no setor de bebidas. Com uma apólice de Responsabilidade Civil Produtos, o sinistro teve grande impacto na cadeia produtiva, a ponto de exigir um descarte antes de os materiais chegarem ao varejo. “O corretor deve conhecer o negócio do seu cliente e qual o seu alcance para auxiliá-lo na dimensão do risco”, explicou Katiuscia. Outro ponto é o caso de incêndio ou outros acidentes em estabelecimentos, com danos a terceiros próximos. “Pela extenção dos estragos, um pequeno comércio terá de arcar com os seus prejuízos e com o de terceiros. A falta de planejamento para esses casos pode levar ao fim do negócio”, completa.

Orquestra Ouro Preto anuncia temporada 2019 e projeto de formação de músicos 194

Orquestra Ouro Preto anuncia temporada 2019 e projeto de formação de músicos

Criada com o objetivo de fomentar a música de concerto no país, Academia conta com apoio da SulAmérica

Nesta quarta-feira (20/03), a Orquestra Ouro Preto anuncia sua temporada artística de 2019 e o lançamento da Academia Orquestra Ouro Preto, que conta com o patrocínio da SulAmérica, maior seguradora independente do país. O projeto social tem o objetivo de aperfeiçoar a técnica de jovens entre 18 e 28 anos de idade, que têm em comum a paixão pela música. No total, 22 musicistas foram selecionados para uma série de atividades ao longo do ano.

A SulAmérica já patrocina a Orquestra de Ouro Preto por meio do Circuito SulAmérica de Música e Movimento, que almeja fomentar a cultura pelo País, e agora anuncia seu apoio ao projeto social de formação de músicos.

“Para a companhia, associar-se amais este projeto é motivo de orgulho. O apoio à arte e a projetos culturais faz parte da nossa história. O Circuito SulAmérica de Música e Movimento, que existe há 11 anos, já patrocinou espetáculos que foram sucesso em todo o Brasil, e agora podemos ir além, contribuindo para a formação das próximas gerações de músicos do nosso país”, afirma Zeca Vieira, diretor de Marketing Corporativo da SulAmérica.

“A Academia é a materialização de um sonho antigo e mais um passo importante na história da Orquestra Ouro Preto. Queremos apresentar a esses jovens a experiência da música como modo de vida possível, criando oportunidades de inserção no mercado profissional, através de um trabalho prático e, sobretudo, humano”, comenta Rodrigo Toffolo, diretor artístico, regente titular da Orquestra Ouro Preto e idealizador da Academia Toffolo.

Turnês e parcerias

A presença da Orquestra Ouro Preto em diversas cidades do Brasil é mais do que uma realidade. Com público estabelecido fora do Estado, a Orquestra promove concertos em Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP), além da capital mineira. O interior de Minas também será contemplado com apresentações em diferentes regiões. A temporada 2019 promete ser ainda mais surpreendente, marcada por apresentações, novos projetos sociais e parcerias musicais.

Trump diz que vai apoiar entrada do Brasil na OCDE 1051

URGENTE: Trump diz que vai apoiar entrada do Brasil na OCDE

Pleito é visto pelo governo Bolsonaro como um selo de confiança internacional e tem sido defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira, 19, que irá apoiar a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), um pleito brasileiro. “Eu estou apoiando o Brasil para entrar na OCDE”, disse, no Salão Oval da Casa Branca, onde recebeu o presidente Jair Bolsonaro. O pleito é visto pelo Brasil como um selo de confiança internacional e tem sido defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Questionado sobre facilitação de vistos a brasileiros, Trump afirmou que essa possibilidade é cogitada, mas rapidamente mudou de assunto para criticar o nível de comércio entre os dois países. “Pensando muitas coisas em diferentes opções, também estamos pensando facilitar os vistos, mas o comércio que temos com o Brasil não é tão bom como deveria ser. Temos que trabalhar para que seja o melhor possível”, afirmou o americano.

Os dois presidentes trocaram camisetas de futebol. Trump presenteou Bolsonaro com uma camiseta de um time americano, com nome do Bolsonaro escrito atrás. Já Bolsonaro deu uma camisa da seleção brasileira com o número 10, do Pelé, e o escrito “Trump” nas costas. Bolsonaro estava acompanhado do filho mais novo, o deputado Eduardo Bolsonaro.

Mais cedo, o ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou que o Representante Comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer pediu que o Brasil deixe a lista de países de tratamento especial e diferenciado da Organização Mundial do Comércio (OMC) em troca do apoio norte-americano à entrada na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Segundo o ministro, essa foi a solicitação de Lighthizer. “Eu fiz o meu pedido: quero entrar na primeira divisão. Ele falou: então me ajuda a limpar a segunda divisão”.

Brasilseg lança programa de capacitação para profissionais ligados ao agronegócio 385

Brasilseg lança programa de capacitação para profissionais ligados ao agronegócio

Inédita no mercado segurador, plataforma online de cursos leva conhecimento técnico e comportamental para a formação de peritos, reguladores de sinistros, auditores e prestadores de serviços

Para contribuir com a formação de seus prestadores de serviços e parceiros a Brasilseg, empresa da BB Seguros, criou a Academia Rural, uma escola de formação virtual, de ensino a distância, com foco em seguros para o agronegócio.

Inédita no mercado de seguros, a plataforma reunirá um importante acervo digital de cursos técnicos e comportamentais fundamentais para quem deseja atuar com excelência nesse ramo de seguros.

O primeiro módulo, “Máquinas e construções rurais”, teve o seu conteúdo produzido em parceria com a Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia e já está aberto para inscrições dos peritos e reguladores credenciados pela Brasilseg. Universidades e outras instituições devem colaborar para a construção dos demais, relacionados aos seguros nas modalidades agrícola e pecuário, que devem ser lançados em breve.

De acordo com Paulo Hora, superintendente técnico de seguros rurais da seguradora, há 2 anos a empresa se prepara para o lançamento da plataforma de ensino que, embora esteja voltada aos peritos e técnicos credenciados pela seguradora neste momento, tem o intuito de ser acessada por qualquer pessoa interessada no assunto, a partir da definição de perfis de acesso ao conteúdo. Até o momento, já foram investidos mais de R$ 1 milhão em tecnologia e desenvolvimento de conteúdo.

“Por meio da Academia Rural, a Brasilseg pretende contribuir com a formação de profissionais para atuação nesse ramo, que ainda é carente de programas de formação estruturados. Nossa intenção é que, além da formação mínima necessária para atuação com seguros rurais, os profissionais de diversas áreas como Agronomia, Engenharia Agrícola, Mecânica, Florestal, Veterinária e outras, possam ter em nosso ambiente mais uma opção de capacitação específica, concebida a partir da nossa experiência de anos nesse segmento combinada ao melhor da academia. ”, comenta Hora.

A Brasilseg está realizando um projeto piloto com os peritos, que executam vistorias de máquinas e equipamentos agrícolas para, na sequência, segundo o executivo, expandir para aqueles que atendem o seguro agrícola em diversas culturas.

“Em pouco tempo, além do ensino a distância, incluiremos alguns módulos presenciais, em parceria com instituições, e ampliaremos o público com módulos para os times das redes comerciais, analistas e, por que não, para nossos clientes, produtores rurais, que serão os principais beneficiados por essa iniciativa. ”

Todo o material disponível na plataforma será utilizado para a formação de novos prestadores de serviços em prol do seguro agrícola no Brasil e para constante ampliação da capacitação de profissionais que prestam serviços à seguradora. Os cursos são gratuitos e podem ser acessados por meio deste endereço.