Giro: Dilma vai renunciar, diz jornal 375

Confira as notícias desta segunda-feira

Dilma Rousseff quer antecipar eleição presidencial para outubro

Paulo Pinto
Dilma em evento referente ao Dia do Trabalho. Foto: Paulo Pinto

A semana decisiva antes que o Senado analise o pedido de impeachment não terminará sem medidas drásticas. Matéria publicada por O Globo afirma que chegou ao bunker de Michel Temer a informação de que a presidente faria, na próxima sexta, um pronunciamento, em cadeia de rádio e TV, lançando a proposta de eleição direta. Ela renunciaria ao cargo e pediria a Temer que fizesse o mesmo. A publicação é assinada pelos jornalistas Jorge Moreno, Maiá Menezes e Cristiane Jungblut. A reação do vice é taxativa: a chance de ele aceitar é nula. A ala governista admite que não possui apoio suficiente para emplacar uma Proposta de Emenda à Constituição.

Santander e Hyundai se unem para constituir banco e corretora de seguros

Divulgação
Divulgação

O Santander Brasil firmou acordo para formar uma parceria com a Hyundai a fim de constituir o Banco Hyundai Capital Brasil e uma corretora de seguros, informou em comunicado na sexta-­feira (29). Subsidiária do Santander, a Aymoré Crédito, Financiamento e Investimento terá 50% da joint venture, enquanto a Hyundai Capital terá 25% e a Hyundai Motor Brasil terá os 25% restantes. A corretora de seguros fornecerá produtos e serviços financeiros para o financiamento de automóveis e de corretagem de seguros para os consumidores e concessionárias da Hyundai no Brasil. A conclusão da operação está sujeita à obtenção de autorização de reguladores.

Filial do MBM de SP tem novo gerente e promove encontro com corretores

Release SP
Divulgação

Na manhã de 28 de abril, a Filial de São Paulo do MBM Seguro de Pessoas promoveu um encontro para corretores no bairro República, na Capital. O evento teve como pauta a apresentação do novo gerente da Filial, César Augusto Cordeiro, e do novo seguro, o Clube Vida MBM. César Augusto Cordeiro possui mais de 26 anos de experiência no mercado de seguros e assume com o objetivo de fortalecer ainda mais a marca do MBM no estado de São Paulo e ampliar os negócios da seguradora. Durante o encontro, os profissionais esclareceram dúvidas sobre o produto que permite ao segurado participar de um clube de vantagens, com descontos em compras em diversos estabelecimentos do País. O diretor comercial, Luiz Eduardo Dilli Gonçalves, e o gerente nacional, Alexsander Kaufmann, também estavam presentes no evento e interagiram com os corretores. A filial está localizada na rua Dr. Bráulio Gomes, 25, conjunto 1106 (próximo ao metrô Anhangabaú). Os telefones são (11) 3231-1223 e (11) 3231-1691

‘Atrasados’ podem declarar o Imposto de Renda a partir de hoje

Agência Estado/Reprodução
Agência Estado/Reprodução

A Receita Federal começa a receber nesta segunda-feira (2), a partir das 8h, as declarações de Imposto de Renda (IR) dos contribuintes “atrasados”, que perderam o prazo oficial para entregar o documento até as 23h59 de sexta-feira (29). Também começam a ser recebidas nesta segunda as declarações retificadoras, de pessoas que enviaram o documento, mas precisaram fazer alguma correção. Quem estava obrigado a apresentar a declaração e deixou de fazê-lo deve se preparar para mandar o documento à Receita o quanto antes, pois a multa é calculada conforme o tempo de atraso. A multa mínima por atraso é de R$ 165,74, mas pode atingir até 20% do imposto devido.

Governo sobe para 1,1% IOF para compra de dólar em espécie

Stock Images
Stock Images

Comprar dólar em espécie, e outras moedas estrangeiras, nos bancos terá uma tributação maior. Decreto presidencial eleva de 0,38% para 1,1% a alíquota do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) cobrado na aquisição de moeda norte-americana. A medida foi publicada no “Diário Oficial da União” desta segunda-feira (2). Até o momento, o governo federal não explicou porque elevou a alíquota do IOF para compra de dólar, e de outras moedas estrangeiras em espécie, e também não informou quanto pretende arrecadar com a medida.

*Com informações de G1, Reuters e respectivas assessorias de imprensa das empresas citadas.

Cofins para corretoras de seguros deve ser 3%, ao invés de 4% 298

Cofins para corretoras de seguros deve ser 3%, ao invés de 4%

Com medida judicial, há como pedir devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos

Andrea Giugliani é sócia-diretora da Giugliani Advogados / Reprodução

O Superior Tribunal de Justiça, em recentíssima decisão, firmou entendimento de que as empresas corretoras de seguro não devem ser equiparadas a sociedades corretoras ou a agentes autônomos de seguros privados e, desse modo, devem recolher a COFINS apenas sob alíquota de 3%, e não de 4% conforme vem sendo praticado por inúmeras instituições.

Para que a empresa possa se beneficiar e volte a contribuir com 3%, torna-se necessário o ajuizamento de uma medida judicial — eis que não se aplica de imediato referida decisão —, podendo até mesmo pedir a devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos.

CSLL das corretoras de seguros deve ser 9%, e não 15%

As corretoras de seguros, meras intermediárias da captação de eventuais segurados, não podem ser equiparadas às sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores. Foi nesse sentido que o Superior Tribunal de Justiça concluiu decidindo pela impossibilidade da majoração da alíquota da CSLL, ou seja, a cobrança da CSLL das sociedades corretoras de seguro deve ser 9%, e não a alíquota de 15%, porque esta deve ser aplicável somente às instituições financeiras, aos estabelecimentos a elas equiparados e aos agentes autônomos de seguros privados.

Caso a empresa venha recolhendo a CSLL com aplicação da alíquota de 15%, para que possa voltar a recolher com a alíquota de 9%, torna-se necessário o ajuizamento de uma medida judicial — eis que não se aplica de imediato referida decisão —, podendo até mesmo pedir a devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos.

INSS das corretoras de seguros deve ser 20%, e não 22,5%

As corretoras de seguros, meras intermediárias da captação de eventuais segurados, não podem ser equiparadas às sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores.

Com a decisão judicial pacificada dos tribunais superiores e administrativos a respeito da forma de apuração da COFINS de sociedade corretora de seguros (diminuição da alíquota de 4% para 3%), além do julgamento da matéria em si, também fora analisada a questão da inclusão ou não de corretoras de seguros para fins de outros tratamentos tributários e previdenciários, entre os quais a alíquota adicional de 2,5% destinada ao INSS.

Isso porque as corretoras de seguros possuem uma cota patronal de 22,5%, ao passo que as demais empresas comerciais possuem uma alíquota de 20%, ambos incidentes sobre folha de salários e valores pagos a contribuintes individuais.

Em razão desse julgamento, é importante destacar que não só aos olhos dos tribunais superiores, mas também da própria Procuradoria, as sociedades corretoras de seguros não deveriam ter pago este adicional de 2,5% por não estarem enquadradas no conceito de “sociedades corretoras” — termo válido para corretoras de valores e títulos e instituições financeiras —, tampouco no conceito de “agentes autônomos de seguros”.

Em virtude disso, é possível ingressar com medidas para que as corretoras de seguros tenham a devolução dos valores pagos a esse título (2,5% a mais de cota patronal) nos últimos cinco anos, corrigidos pela taxa SELIC.

*Por Andrea Giugliani, sócia-diretora da Giugliani Advogados

AIG Seguros é destaque pelo 2º ano consecutivo em lista mundial de empresas com diversidade 760

AIG Seguros é destaque pelo 2º ano consecutivo em lista de empresas com diversidade

Companhia, que tem a diversidade e a inclusão como pilares de seus valores empresariais, também garantiu posição de destaque na lista de Melhores Empresas para Mulheres Executivas

A AIG Seguros, uma das organizações líderes no mercado securitário internacional e com forte presença no Brasil, é destaque pelo 2º ano consecutivo na lista das Melhores Empresas para a Diversidade da DiversityInc, que publica anualmente a lista das 50 melhores empresas em práticas de diversidade e inclusão.

A companhia possui 136 grupos (Employee Resource Groups) formados voluntariamente por funcionários com o objetivo de promover um ambiente de trabalho mais inclusivo. Ao todo, reúnem cerca de 10 mil membros em 36 países e representam 13 dimensões de diversidade, como por exemplo, profissionais negros, veteranos, LGBTI, mulheres, jovens, orientais, entre outros. Os grupos promovem programas voltados para o desenvolvimento profissional, conscientização de funcionários e respeito às diferenças. Um dos focos dos grupos é trabalhar com o apoio de aliados, pessoas da empresa que não necessariamente façam parte de uma das dimensões de diversidade abordadas, mas que se identifiquem com a causa e contribuam com seu tempo e conhecimento.

Durante a cerimônia de premiação, ocorrida em Nova York (EUA), a AIG também foi incluída na lista de Melhores Empresas para Mulheres Executivas, ocupando a 9ª posição. O levantamento contou com mais de 1.800 empresas.

“Para nós da AIG Seguros, é um grande reconhecimento estar na lista das melhores empresas para a diversidade. Sabemos da relevância deste tema para uma sociedade mais igualitária, por isso acreditamos que, como companhia, podemos contribuir apoiando o desenvolvimento de ações que permitam a discussão franca do assunto. A diversidade faz parte  do nosso DNA”, explica Fabio Protásio Oliveira, CEO da AIG Seguros no Brasil.

Liberty Seguros lança expansão das coberturas de seus principais produtos de Vida 319

Liberty Seguros lança expansão das coberturas de seus principais produtos de Vida

Novidade vale para os produtos Liberty Vida Especial e Vida Perfil e é mais um investimento da seguradora no segmento

Com o objetivo de tornar seus produtos ainda mais completos e atender às necessidades de seus clientes, a Liberty Seguros anuncia a ampliação de dois dos seus principais produtos do segmento: o Liberty Vida Perfil e o Liberty Vida Especial. Com a expansão, os produtos passarão a oferecer novas coberturas focadas na saúde e no bem-estar dos segurados, além de mais insumos para os corretores no momento de negociar as vendas das apólices.

Essa mudança, dentre outras iniciativas da seguradora, faz parte do constante investimento da companhia no setor de Vida – no qual a Liberty já se destacou em 2018, crescendo 16,2% em comparação a 2017.

Liberty Vida Perfil

A partir dessa atualização, o produto Vida Perfil passará a contar com um novo limite de capital de até R$ 3,5 milhões. Além disso, o cliente poderá optar entre três diferentes planos com coberturas para Doenças Graves – com combos de 10, 20 ou tipos de 24 doenças. Com elas, o segurado tem apoio para tratamentos como Transplantes de Órgãos, Implante de Marcapasso e doenças como Alzheimer, Embolia Pulmonar e Câncer.

Liberty Vida Especial

Na nova versão deste produto, os segurados podem contar com uma cobertura de Diárias de Incapacidade Temporária (DIT) de até R$1.300,00, além de duas coberturas exclusivas: LER e DORT e de Hérnia. O Vida Especial também oferece coberturas de Doenças Graves, nos combos de 10 e 20 tipos de doenças, e um novo limite capital de R$ 2,5 milhões.

Além disso, os produtos contam com o uso da telessubscrição, que dispensa a entrega da proposta física assinada pelo cliente. Com esse formato, a contratação se torna mais simples e ágil tanto para corretores quanto segurados.

Vantagens para os corretores

Além das novidades na cobertura dos produtos, a campanha Feliz da Vida da Liberty já impactou mais de 1.500 corretores com treinamentos sobre Vida e está realizando uma campanha de incentivo que vai até junho e irá beneficiar parceiros que se destacarem nas vendas de produtos do setor com prêmios catalogados e uma experiência em um festival de música. Nesta fase, parceiros que comercializarem o Liberty Vida Especial participarão de 4 sorteios mensais no valor de R$5 mil.

Os corretores e segurados ainda podem aproveitar todos os benefícios do Club Liberty Momentos, com descontos exclusivos em Diversão, Gastronomia, Viagens, Compras e Presentes, entre outros serviços.

Para mais informações sobre os produtos e os benefícios em vendê-los, basta acessar este endereço.

Chubb estimula seguros para Festas Juninas em todo o Brasil 355

Chubb estimula seguros para Festas Juninas em todo o Brasil

Apólices disponibilizam coberturas para diversos imprevistos que podem acontecer

A Chubb, uma das maiores seguradoras do mundo, diz que, a exemplo do carnaval, as festas juninas estão demandando proteções securitárias de modo crescente em todo o Brasil. As apólices cobrem riscos como ferimentos por fogos de artifício, quedas de estruturas retráteis, choques elétricos, danos corporais por conta de tumultos, intoxicação com alimentos e bebidas, danos a equipamentos, incêndio e vários outros episódios que podem ocorrer ao longo de eventos organizados em recintos abertos e fechados.

“As ameaças presentes nas festas juninas não são menores em relação ao carnaval, pois as festividades hoje chegam a durar mais de 30 dias, dentro de uma programação bastante intensa de brincadeiras com diferentes graus de risco”, diz Juliana Santos, Responsável pela área de seguros de Entretenimento da Chubb. De acordo com a executiva, as festas são tradicionalmente organizadas por milhares de instituições de todo o Brasil, considerando entidades públicas, associações, empresas, escolas, igrejas e outras.

Juliana Santos observa que, nos últimos anos, diversas prefeituras do país assumiram a realização dos eventos. “Em algumas localidades, a festa evoluiu muito com o passar dos anos e hoje já atrai um grande fluxo de pessoas de cidades vizinhas e outros estados, além de turistas estrangeiros”, observa. Segundo ela, na região nordeste, em especial, os eventos do período junino passaram a movimentar de forma expressiva a economia de várias cidades pequenas, médias e grandes.

Conforme Juliana, o investimento de um pequeno valor em uma apólice de seguros pode evitar prejuízos que poderiam significar o fechamento do negócio do promotor de um evento junino, tais como perdas ocasionadas por incêndios, cancelamentos e acidentes com vítimas fatais. “O mercado se encontra cada vez mais consciente disso e, por essa razão, a Chubb está estimulando os corretores de seguros a contatarem o quanto antes os organizadores dessas festas”, conta. Como as oportunidades vão surgir até a véspera do período junino, ela destaca que a seguradora dispõe de um sistema que emite boleto, certificado e apólice em até 24 horas antes do inicio da montagem do evento.

“Estamos levando para nossos parceiros uma experiência de mais de 50 anos em seguros de Entretenimento no mundo, bem como os conhecimentos adquiridos a partir de uma atuação pioneira no Brasil”, conclui.

Como soluções de seguros podem alavancar o crédito corporativo? 317

Como soluções de seguros podem alavancar o crédito corporativo?

Palestra do economista Ricardo Amorim sobre as expectativas da economia brasileira contribuirá para o debate a respeito da importância do mercado de seguros na criação de ferramentas alternativas para alavancagem de crédito corporativo

A Lockton, uma das maiores corretoras de seguros do mundo, promoverá no próximo dia 23, quinta-feira, no Hotel Grand Hyatt São Paulo, o Lockton Financial Lines Day. O evento mediado pela jornalista Carla Vilhena, debaterá o uso de ferramentas disponíveis no mercado de seguros para alavancagem de crédito corporativo, aumento de financiabilidade e operações estruturadas.

“Será uma grande satisfação para a Lockton reunir os principais especialistas do mercado para debater soluções customizadas de seguros de crédito e garantia, tendo como foco a otimização do capital e fluxo de caixa de nossos clientes”, exalta Marcelo Elias, Diretor Executivo de Risk Solutions da empresa.

A agenda será marcada por três painéis, sendo o primeiro pautado pelo tema “O mercado de seguros como ferramenta para operações estruturadas, financiamentos e alavancagem de crédito corporativo”. Este debate trará diferentes visões a respeito do atual cenário de crédito do mercado e como a utilização estratégica de seguros pode auxiliar as empresas na melhoria de seu perfil de risco. Representando a Lockton, Franklin Nogueira, Head de Seguro de Crédito e Riscos Políticos, e Thais Ferreira, Head de Seguro Garantia, dividirão o palco com Daniel Nobre, CEO da Atradius, Roque Mello, Vice-Presidente da Junto Seguros, e Fabricio Bonadio, Superintendente da Fator Seguradora.

O tema “Evolução do seguro garantia judicial no Brasil e perspectivas de mercado” será abordado por João Di Girolamo, Diretor da Swiss Re Corporate Solutions, Fernanda Felício, advogada da Pottencial Seguradora, Cassio Amaral, sócio da Mattos Filho Advogados, e Cristina Tseimatzidis, Head de Financial Lines da Lockton. Este painel promete debater as tendências do mercado de Seguro Garantia, traçando um paralelo entre o desenvolvimento do produto como principal proteção de passivos judiciais das empresas, as mudanças do ambiente legislativo do país e a disponibilidade de capacidade do mercado.

O encerramento do evento ficará a cargo do economista e consultor, Ricardo Amorim. Sua palestra será norteada por dois temas centrais, que abordarão as perspectivas e oportunidades da economia brasileira: “Compreendendo os ciclos econômicos: a chave para o sucesso dos negócios e dos investimentos financeiros.”; e “Por que a economia deve melhorar e crescer mais do que você imagina nos próximos anos? Como aproveitar as oportunidades?”.

Lockton Financial Lines Day tem vagas limitadas e é direcionado principalmente aos executivos das áreas Financeira,  Jurídica, e Riscos. As inscrições podem ser feitas neste link.

Serviço: 

Evento: Lockton Financial Lines Day
Data: 23 de maio de 2019, das 08h30 às 13h.
Local: Hotel Grand Hyatt São Paulo
Inscrições: http://evento.lockton.com.br/evento-lockton-global-de-linhas-financeiras