“A mulher, quando é focada e tem objetivos, busca forças para ultrapassar todas as barreiras”, conta Mari Rosa 913

Nos próximos dias, iremos destacar algumas executivas do mercado que possuem, além do trabalho, outra profissão muito importante: a de ser mãe!

Mariângela Rosa, ou Mari como prefere ser chamada, é casada com o chairman e fundador do Grupo Life Brasil, Alberto de Souza Júnior. Juntos, eles possuem duas filhas, Carolina e Sofia. Mari é uma das grandes administradoras das empresas do Grupo e revela qual o seu segredo para ser uma mãe dedicada e uma empreendedora de sucesso: ser feliz.

No século passado e ainda na atualidade existem tabus com relação a mulher deslocar-se de família e maternidade. Isso ainda persiste?

Na minha concepção, não. A mulher vem buscando espaço no mercado de trabalho com muita excelência, graças a Deus hoje elas já fazem parte de uma grande maioria de profissionais de sucesso. A mulher só não cresce profissionalmente se ela não quiser, pois com dedicação, comprometimento, responsabilidade, determinação e vontade elas vão longe.

De que forma você concilia família, casamento, filhos, casa e atividade profissional? Conte-nos uma experiência pela qual você já passou envolvendo estas partes, se possível.

Conciliar trabalho, casa, marido e filhos… Confesso que não é uma tarefa nada fácil, mas é preciso. A mulher, quando é focada e tem objetivos, busca forças para ultrapassar todas as barreiras. Sou casada, tenho duas filhas e administro todas as empresas que estão abaixo do Grupo Life Brasil e hoje concilio tudo em cima de um único objetivo, que é ser feliz! Para mim, o significado de ser feliz é: proporcionar um futuro sólido para as minhas filhas, então eu trabalho cada vez mais por causa delas; que elas tenham uma educação com princípios, então procuro estar presente em cada fase ou momento da vida delas e mostro em cada situação o que é certo e o que é errado; amar e ser amada, então tento ser a melhor esposa, melhor companheira, melhor amiga que o meu marido poderia ter; que a minha casa seja um lar perfeito para se construir e consolidar uma família, então assim cuido com muito carinho cada cantinho dela; e, por fim, ser uma excelente profissional, por isso tento dar o melhor de mim no meu trabalho. Parece simples, mas não é. Por isso tenho foco e determinação.

Na antiga e tradicional competição com o homem, precisa mudar o quê?

Acredito que hoje o mercado está aberto para todos, o que precisa mudar é a confiança em si. Com potencial todos nascem, agora basta saber se você está disposto a explorá-lo o seu melhor em busca do sucesso e da felicidade.

As mulheres, através de sua competência, estão provando ao mercado seus diferenciais em posto de comando. Como você vê isso?

A mulher tem o mesmo potencial que o homem, basta que ela saiba usar e vá em busca de seus objetivos.

A mulher empreendedora é o caminho para as diversas tarefas atribuídas à ela para o sucesso a ser buscado?

Hoje a mulher está mais determinada e focada. Em resposta a isso temos os inúmeros sucessos de mulheres empreendedoras, principalmente no marketing multinível.

Que mensagem você gostaria de passar as mamães que estão em busca do sucesso profissional?

Não desistam, não é fácil, mas também não é impossível quando se quer e se tem foco, disciplina e determinação!

Sindseg-SC disponibiliza novo Portfólio 668

Material contém as principais ações da entidade

O Sindicato das Seguradoras de Santa  Catarina (Sindseg-SC), divulgou nesta segunda-feira (25), um novo portifólio com diversas informações. No material é possível encontrar informações sobre os Grupos de Trabalho, Quadro Associativo, Estrutura, Qualificação, Trabalho Social, Newsletter, Informativo, Revista, Portal de Informações, Cartilhas, Teatro, Painel, entre outros.

O presidente do Sindicato das Seguradoras de Santa Catarina – Waldecyr Schilling, afirma que o portfólio de forma resumida, apresenta ações e ferramentas disponibilizadas para o mercado de seguros e sociedade. “A força que gera segurança e grandes valores para uma sociedade, começa numa entidade de classe como o Sindseg-SC”, afirmou Schilling.

Para conhecer na integra, visualize aqui ou acesse www.sindsesc.org.br no menu SindsegSC.

Sindseg MG/GO/MT/DF discute os impactos da pandemia no setor 694

Debate virtual foi promovido pela ACMinas

O Coronavírus mudou a dinâmica dos mais diversos setores da economia em todo o mundo. E para falar dos impactos da pandemia no segmento de seguros, o presidente do SindSeg MG/GO/MT/DF, Marco Antônio Neves, e o presidente da Comissão Especial de Assuntos Jurídicos e Fiscais e também vice-presidente do Conselho Empresarial de Seguros da Associação Comercial e Empresarial de Minas Gerais (ACMinas), Landulfo Ferreira Júnior, participaram de debate virtual promovido no dia 17 pela associação. “Neste momento de superação, o papel da ACMinas é ainda mais importante para contribuir para o desenvolvimento das empresas”, ressaltou o presidente da entidade, Aguinaldo Diniz.

Além dos representantes do sindicato, também estiveram presentes dirigentes de várias empresas, a exemplo do executivo da Pif Paf Alimentos, Guilherme Alvarenga. Marco Antônio destaca que o setor de seguros se adaptou com agilidade ao novo cenário imposto pelo Coronavírus. “Os profissionais continuaram atuando por home office, sem que isso acarretasse prejuízos aos atendimentos e às suas rotinas”. Ele também defendeu que a implantação de medidas como a proibição de reajustes nos valores dos prêmios de seguros, a ampliação do prazo de pagamento das faturas pelos segurados, o incentivo à telemedicina e a reedição da Resolução Normativa 451 – que regulamenta as operadoras de saúde – foram fundamentais para proteger o setor de seguros.

Segundo Landulfo, dentre as modalidades de seguros que mais podem ser afetadas pela pandemia estão as de Pessoas (vida); Empresarial, em função da paralisação de muitas organizações; Responsabilidade Civil e Riscos Cibernéticos. “Ainda é cedo pra flexibilizar ou alterar as apólices destes tipos de seguros, já que não há nada estruturado no momento. Por isso, o recomendado é manter as condições do contrato previamente firmado e ter cautela nas decisões que envolvem as relações jurídicas e contratuais para equilibrar o interesse de todas as partes”, recomendou.

Na ocasião, Landulfo ainda destacou o papel social do seguro para minimizar os riscos em qualquer situação, incluindo o enfrentamento de uma pandemia nunca antes vivenciada. “O princípio de mutualismo que sustenta a atividade seguradora, é, certamente, o maior exemplo de solidariedade, já que a partir de uma contribuição pequena e individual é possível contribuir para minimizar os efeitos danosos de um sinistro de um grupo de pessoas”, explicou.

Mag Seguros debate situação do Brasil e transformação pela inovação 515

Evento abordou os contextos político e econômico do Brasil

A Mag Seguros, seguradora especializada em seguro de vida e previdência com 185 anos de atuação, promoveu nesta quinta-feira (21), mais um webinar. Durante a live, que contou com nomes relevantes do cenário nacional, foram debatidos temas como os contextos político e econômico do Brasil, além de painel que discutiu sobre as transformações por meio da inovação.

No primeiro painel, o professor da PUC-RJ e membro do Conselho Consultivo da Mag Seguros, Luiz Roberto Cunha, contou que o mundo vinha em crescimento desde os anos 50 em razão da globalização. O estudioso acrescentou, ainda, que, para 2020, no Brasil, as projeções eram otimistas, tendo em vista a agenda de reformas e um modelo de economia mais liberal.

Cunha apontou saídas para a crise econômica atual na qual o país passa, algumas medidas, como o ajuste fiscal com redução de despesas, reformas estruturais e utilização de reservas. No mesmo painel, o também membro do Conselho Consultivo e cientista político, Paulo Delgado, reforçou a necessidade do governo em atuar na solução da crise sanitária e desenvolver ações que visam a proteção do emprego e do caixa das empresas.

O painel contou com a moderação de Nilton Molina, presidente do Conselho de Administração da Mag Seguros e do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon. O executivo contou que acompanhou diversas crises no país por guerra, política e terrorismo, e reforçou duas características desta pandemia. “Esta crise atual em que estamos vivendo é democrática. Atinge ricos e pobres; empresas grandes, médias e pequenas. Também é a única que estou vendo que fará nascer um novo comportamento”, explica Nilton Molina.

Na sequência, Helder Molina, CEO da Mag Seguros; Murilo Gun, Professor de criatividade e fundador da Keep Learning School; e Gustavo Doria Filho, fundador do CQCS, discutiram sobre como a inovação é uma aliada às transformações sociais.

“Nós temos propósito e inovação. Isso que faz a nossa companhia ser tão diferente. Também investimos bastante em tecnologia nos últimos anos, o que certamente nos deixou preparados para um momento como este”, comenta Helder.

Os painelistas destacaram, ainda, durante o bate-papo, a importância sobre o olhar para si e para o outro, reforçando o conceito de empatia, fundamental para os dias atuais. Murilo reforçou que vamos passar de pessoas “sábias” para pessoas mais “conscientes”, no mundo após o coronavírus.

15 anos do Clube da Pedrinha RS: Competência marca gestão de Ana Maria Pinto e diretoria 2429

Ações de auxílio profissional, solidariedade e encontros reforçaram missão da entidade

Diretoria do Clube da Pedrinha (RS)
Ana Maria Pinto, presidente do Clube da Pedrinha RS, recebe os cumprimentos de Clovis Della Flora, executivo do Grupo Autosul e integrante da entidade, em 2018. Arquivo JRS

O Clube da Pedrinha do Rio Grande do Sul completa nesta terça-feira, 19, 15 anos de sua criação. A entidade se destaca por reunir e integrar profissionais da área de seguros, previdência e capitalização, além de gestores de entidades parceiras. Mais do que isso, os pedrinhas são especialistas qualificados e super envolvidos com o mercado em que atuam.

À frente da entidade nas gestões de 2018-2020, a presidente Ana Maria Pinto e sua diretoria marcaram o grupo por uma administração competente e comprometida. Sob a liderança da executiva, que também é Superintendente de Marketing do GBOEX, formada em administração de empresas e pós-graduada em marketing digital, o Clube realizou seus tradicionais encontros mensais, que proporcionaram orientações e atualizações de diferentes palestrantes e a troca entre os integrantes. “A sensação é de missão cumprida, de satisfação de ver o carinho dos integrantes do Clube conosco, do reconhecimento do nosso trabalho por parte de todos”, relata a presidente Ana, que conta com 26 anos de mercado de seguros.

Um dos destaques entre as ações realizadas ao longo da gestão é o Banco de Currículos, disponível no site do Clube. Com o apoio do Sindicato das Seguradoras do Estado (SindSeg RS), este espaço aberto ao público em geral e às empresas, auxilia profissionais a se recolocarem no mercado de trabalho. “Com o apoio da diretoria, realizamos um trabalho com muito comprometimento e seriedade. Exige dedicação por parte de todos, como tudo na nossa vida. E isto nós tivemos, Pedrinhas comprometidos e dedicados em prol das atividades e das relações que fortalecem o Clube da Pedrinha RS”, reforça.

O apoio jurídico, afim de auxiliar os sócios em qualquer dúvida, também é criação da gestão 2018-2020. Além disso, no período, R$ 3.244 foram arrecadados pelos pedrinhas e doado à Confrasol e outras instituições de solidariedade ao próximo, bem como outras ações sociais, como doação de lenços, acessórios de cabeça e cabelos para o Instituto da Mama (IMAMA) e arrecadação de alimentos, foram realizados.

A presidente salienta que o carinho e respeito com que todos são tratados entre os pedrinhas fez a diferença para uma atuação comprometida. “[Agradeço] aos Pedrinhas, aos Diretores que sem eles não seria possível esta gestão, cada um, em sua respectiva pasta, realizou um excelente trabalho. Agradecer as empresas e as entidades que nos apoiaram em nossas ações; agradecer a nossa imprensa, sempre muito atuante, destacando o Clube e suas atividades: a todos, fica o meu muito obrigada”, afirma.

Ana Maria entrega a presidência a advogada Suellen Farias, sócia da CJosias e Ferrer Advogados Associados, mas segue atuante na diretoria do Clube. “De curto prazo, conduzirei a realização das comemorações dos 15 anos do Clube durante todo o dia 19 de maio, bem como realizar a transmissão de posse para a nova presidente e sua diretoria, da qual também farei parte, junto ao Conselho de Ex-Presidentes, promovendo a integração do grupo. Clube permanecerá contando com um time muito bom de profissionais”, ressalta sobre seus planos futuros.

Ela ainda deixa mensagem especial para marcar os 15 anos. “Ao nosso Clube da Pedrinha desejamos muito mais anos de existência, sempre fiel a sua missão. Vida Longa a todos! Vida Longa Clube da Pedrinha RS! Parabéns! Que venham outros aniversários! Muito obrigada a todos, cada mensagem recebida ficará guardada em nossas memórias, como uma passagem muito linda frente ao Clube. Quem é Pedrinha sempre será Pedrinha”, finaliza.

KPMG destaca tendências e desafios para o setor de seguros  520

Pandemia trouxe desafios adicionais para as seguradoras manterem suas operações

Uma pesquisa realizada pela KPMG faz um raio-x do atual cenário para o setor de seguros frente à pandemia causada pela Covid-19. O documento aponta as principais tendências e desafios do segmento e ainda mostra os caminhos para a retomada das seguradoras como queda na liquidez, modelo operacionais e relação com o cliente.

“O setor de seguro tem uma complexidade intrínseca uma vez que envolve desde a precificação de riscos até o gerenciamento dos passivos oriundos dos contratos de seguros, além da alta interação com toda a cadeira, passando pelos segurados, beneficiários, corretores, rede credenciada de hospitais e laboratórios, entre outros. Nesse ambiente, a pandemia, causada pelo Covid-19, traz desafios adicionais para as seguradoras manterem suas operações à medida que as formas normais de trabalho foram severamente interrompidas, exigindo assim uma aceleração do processo de automação e digitalização. Além disto, tem-se uma tendência de aumento dos sinistros aliada a uma volatilidade do mercado financeiro que faz com que os ativos reduzam, o que provoca uma necessidade primordial em busca de eficiência operacional para responder, de forma positiva, aos impactos da pandemia”, analisa a sócia da KPMG, Erika Ramos.

Desafios para o setor de seguros:

– Reestruturação/ ampliação dos canais de distribuição, com foco no digital e sustentação dos processos operacionais, em especial a aceitação de riscos e gestão dos sinistros.

– Gestão de Balanço / Solvência com aumento de percepção de riscos, desencaixe financeiros para pagamento de sinistros e redução do valor dos ativos.

– Ajustes de modelo de negócios (ex: massificados).

– Como viabilizar atendimento virtual.

Tendências para o setor de seguros:

– Novos modelos de relacionamento com clientes.

– Ampliação / ajustes de ofertas.

– Desenho e implementação de novos modelos operacionais mais automatizados / digitais.

– Desaceleração de ofertas pagar por uso.

– Crescimento de seguro fiança / garantia.