Precisamos falar sobre previdência 401

Confira a edição 189 da Revista JRS

Aos poucos, avançam as discussões sobre previdência no Brasil. Antes de entrarmos no tema é muito importante entender que nosso País segue uma tendência econômica de endividamento do Estado para incentivar o crédito e o consumo. Isso gera uma taxa de juros mais alta, inflação e potencializa o efeito de crises econômicas. A maioria das pessoas segue a mesma receita, principalmente com a facilidade para obtenção de crédito registrada nos últimos anos. As dívidas crescem, enquanto as reservas para o futuro não.

O que está em discussão, principalmente após a posse interina de Michel Temer na Presidência da República, é a reforma da Previdência Social Pública. Com base atuarial e legislação desatualizadas e desconsiderando a maior longevidade do brasileiro, o atual regime está fadado à falência. A informalidade, dada a alta carga tributária para os pequenos e médios empresários do Brasil, é um dos principais obstáculos para a sobrevivência do Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS.

Previdência complementar amplia interesse de servidores pelo planejamento financeiro 426

Previdência complementar amplia interesse de servidores pelo planejamento financeiro

O raio-x das finanças no Ano Novo inclui previsões de investimentos de longo prazo para aposentadoria

A previdência complementar entrou na lista de prioridades dos servidores públicos. Neste novo quadro, o planejamento das finanças pessoais começa a englobar, além da busca por descontos sazonais no pagamento de impostos como IPVA, IPTU, matrículas e material escolar, a programação de investimentos de longo prazo para a aposentadoria.

Os indicadores de longevidade revelam que a expectativa de vida do brasileiro aumentou. No campo previdenciário a previsão é que, ao atingir os 65 anos, ele terá pela frente, pelo menos, 18,5 anos adicionais. Para o vice-presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Jusivaldo Almeida, garantir uma aposentadoria tranquila e um padrão de vida sustentável requer uma mudança de comportamento.

“Cuide bem do seu dinheiro, pois um dia ele cuidará de você. Lembre-se de que poderá viver até os 100 anos”, alerta Jusivaldo, consultor especializado em educação financeira dedicado a orientar famílias e profissionais de diversas organizações sobre a melhor maneira de gastar, poupar e investir bem os recursos. Segundo o consultor, o servidor deve aproveitar todas as oportunidades de preservar seu capital e reduzir despesas. Os investimentos em previdência complementar, por exemplo, trazem um benefício fiscal embutido pois permitem diminuir a base de cálculo do Imposto de Renda, se utilizar a modelo da declaração completa.

Na avaliação do vice-presidente da entidade, “é muito importante fazer um raio-X das finanças inserindo as previsões de gastos do primeiro trimestre do Ano Novo”. Isto inclui aproveitar todos os descontos disponíveis no pagamento à vista da escola e material escolar e tributos relacionados ao veículo e imóvel.

Para o consultor, as dívidas, se houver, devem ser analisadas com serenidade para uma administração equilibrada das contas pessoais. Os compromissos com garantia real, como prestação de imóveis, por exemplo, vêm em primeiro lugar, seguidos de itens essenciais, como serviços públicos de energia, telefonia, transporte, entre outros.

As despesas controladas, que estão dentro do vencimento e previstas no orçamento anual, como prestações de carro, faculdade e aluguel, por serem de médio e longo prazos, não precisam necessariamente ser antecipadas a não ser que tenha poupado para isto, assinala.

“O importante é não ser pego de surpresa em emergências e ter de recorrer a bancos e cartões de crédito”, afirma Jusivaldo. Sua recomendação é represar parte de entradas extras como 13º salário, adicionais de férias e eventuais bonificações, para montar uma reserva estratégica com o objetivo de assegurar recursos para enfrentar as situações inesperadas que surgem durante o ano. Desta forma, é possível fechar as contas do mês de forma equilibrada sem alterar os planos pessoais e familiares.

Educação financeira

Com o objetivo de conscientizar sobre a importância do planejamento como instrumento para atingir as metas e alcançar o equilíbrio financeiro, a Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo desenvolveu uma ação específica voltada para os servidores estaduais e participantes. A iniciativa, que integra o programa Conta Comigo da Fundação, foi organizada em parceria com a DSOP Educação Financeira.

As primeiras palestras com educadores da DSOP foram realizadas no final do ano passado em órgãos públicos da Capital, Campinas, São José do Rio Preto. Em 2019, estes encontros serão intensificados.

Paulo Guedes deve apresentar proposta de reforma da Previdência até o dia 7 460

Paulo Guedes deve apresentar proposta de reforma da Previdência até o dia 7

Reunião ministerial na próxima terça vai debater este e outros temas

O ministro da Economia, Paulo Guedes, vai apresentar até a próxima segunda-feira (7) a proposta de reforma da Previdência que deverá ser sugerida pelo governo do presidente Jair Bolsonaro e submetida ao Congresso Nacional. A disposição é que os parlamentares analisem a proposta assim que retornarem do recesso em fevereiro.

A informação foi confirmada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, logo depois da primeira reunião ministerial da gestão Bolsonaro com a presença de todo primeiro escalão. “[Paulo] Guedes vai apresentar a proposta até o início da próxima semana. Nós vamos fazer a reforma.”

A equipe do governo tem admitido diversas possibilidades sobre o tema, inclusive o aproveitamento de itens do texto que havia sido submetido ao Legislativo pelo ex-presidente Michel Temer. O esforço, segundo ministros de Bolsonaro, é para que as mudanças na legislação avancem.

Nova reunião

Na próxima terça-feira (8) há uma nova reunião do presidente da República com os ministros. Nela, será feita a apresentação do texto da reforma da Previdência e cada ministro vai expor as medidas que pretendem adotar este mês.

O encontro, que ocorrerá no mesmo horário da reunião realizada hoje (9h), vai se repetir semanalmente ao longo dos 100 primeiros dias de governo.

Cautela

A relação do Executivo com o Legislativo é tratada com cautela pelo governo. Onyx reiterou que Bolsonaro não vai interferir na campanha pela presidência da Câmara e do Senado. A decisão é justamente para suavizar as negociações entre os dois Poderes.

“Todo o governo com alto grau de intervenção [nas questões do comando do Congresso] erraram. O presidente Bolsonaro é um homem de muito diálogo”, afirmou.

MAPFRE recebe o ‘Prêmio Espro Melhores Escolhas’ 214

Premiação reconhece as companhias que se destacam nas áreas de Responsabilidade Social e Programa de Socioaprendizagem

Divulgação
Divulgação

A MAPFRE foi reconhecida no ‘Prêmio Espro Melhores Escolhas’ como uma das empresas que melhor promovem a inclusão do jovem aprendiz no mercado de trabalho. Os vencedores foram conhecidos recentemente, em evento realizado na cidade de São Paulo.

Organizado pelo Ensino Social Profissionalizante (Espro), organização sem fins lucrativos que se dedica à capacitação e inserção de jovens no mercado de trabalho, o prêmio está em sua segunda edição e tem o objetivo de reconhecer companhias parceiras que se destacam nas áreas de Responsabilidade Social e Programa de Socioaprendizagem.

Neste ano, a premiação contou com a participação de cerca de 2.500 empresas e reconheceu 22 companhias, divididas em cinco categorias: ‘Educa’, companhias que se diferenciaram em aspectos de treinamento, capacitação e atividades teóricas; ‘Transforma’, para empresas que obtiveram a melhor nota na pesquisa de satisfação; ‘Inclui’, destinada às instituições que se destacaram em critérios de vulnerabilidade social e diversidade; ‘Melhores Escolhas’, parceiros da entidade que tiveram o melhor engajamento com a inclusão e o compromisso com a responsabilidade social; e ‘Educa, Transforma, Inclui’, que destacou as empresas que se sobressaíram pelo conjunto de ações realizadas levando-se em conta todos os conceitos analisados.

A MAPFRE foi reconhecida na categoria ‘Inclui’. “Acreditamos que a consolidação de uma empresa forte, com crescimento sustentável, passa por um quadro de colaboradores diverso, que agregue à empresa com diferentes visões e experiências”, destaca Jisley Bontempo, gerente executiva de Experiência do Colaborador da MAPFRE.

“Além disso, temos consciência da nossa responsabilidade social, como uma das líderes dos setores de seguros, assistência e serviços financeiros, de abrir espaço para jovens que estão ingressando no mercado de trabalho e buscando o seu primeiro emprego”, comenta.

A executiva salienta que a empresa conta hoje com colaboradores em cargos de liderança que ingressaram na companhia como jovem aprendiz. “Em todo o país, possuímos atualmente cerca de 130 colaboradores que participam do programa. Eles recebem treinamento para que possam se desenvolver profissionalmente e, se desejarem, seguirem atuando em uma das diversas áreas da nossa empresa”.

Bolsonaro aproveitará reforma da Previdência apresentada por Temer 339

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), nomeado para a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho - Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Secretario Especial de Previdência disse que vai usar bom-senso

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), nomeado para a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do novo governo, afirmou hoje (2) que a reforma nas regras da aposentadoria vai levar em consideração o que foi apresentado pelo governo de Michel Temer, ainda em 2017. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, que tramita na Câmara dos Deputados, não chegou a ser votada em plenário na última gestão, e o desafio de mexer no setor ficou para o atual governo.

“Vamos usar o bom senso, e usar o bom senso significa economia processual. Evidente que a proposta que aí está não é a ideal, então há necessidade de ajustes e eles serão feitos ao longo de janeiro”, informou Marinho durante a transmissão de cargo do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Segundo Marinho, o texto “mais definitivo” da proposta de reforma da Previdência será construído ao longo desse mês para poder ser apresentado a partir da próxima legislatura. “Já houve todo um processo de discussão que antecedeu [o momento atual], acho que o próprio país espera com ansiedade o desfecho dessa situação, teremos êxito. É uma necessidade para o próprio país. Esse assunto já decantou, ficou maduro”, acrescentou.

Em seu pronunciamento, o ministro Paulo Guedes defendeu enfaticamente a necessidade de aprovação da reforma da Previdência, que estaria condicionada à garantia de crescimento da economia do país. Ele ainda projetou a discussão do tema para os próximos dois ou três meses.

“Essa primeira grande despesa [a da Previdência] é o primeiro e maior desafio a ser enfrentado. Se for bem-sucedido, a dois meses, três meses à nossa frente, temos 10 anos de crescimento sustentável à nossa frente [garantidos]”, afirmou.

Combate a fraudes

Rogério Marinho também informou que o governo deverá editar uma norma, já nas próximas semanas, para combater fraudes na concessão de benefícios previdenciários e assistenciais. “Isso será atacado independentemente da reforma da Previdência”, disse, ao confirmar que mais detalhes sobre o assunto poderão ser apresentados na próxima sexta-feira (4). Segundo o próprio ministro Paulo Guedes, o combate a fraudes no setor poderia impactar numa economia anual entre R$ 17 bilhões e R$ 30 bilhões para os cofres públicos.

Brasil atrai olhares de investidores e movimenta o setor de Seguro Garantia 2773

“Nasce um novo Brasil”, confira a última edição da Revista JRS em 2018!

O fim da disputa eleitoral através de um processo democrático também deu fim a uma série de incertezas sobre os rumos do Brasil para os próximos anos. Economistas, empresários e demais operadores do mercado financeiro demonstram otimismo em relação à retomada econômica brasileira, no entanto, o movimento ainda carece de questões fundamentais, como a reforma previdenciária, por exemplo. Outro desafio ocorre pelas opiniões pontuais que divergem entre o novo chefe do executivo, Jair Bolsonaro e o ministro da Fazenda, Paulo Guedes, que demonstra a intenção de adotar uma política econômica mais liberal. O Presidente da República, no entanto, vê a questão com ressalvas.

Confira mais detalhes sobre o assunto além de entrevistas e falas de especialistas na reportagem principal da última edição da Revista JRS. Chegamos ao ano 19 com uma expectativa muito boa para a economia brasileira, além de grandes movimentações no setor de seguros e finanças.