Cofins: Valor pode ser restituído 482

Esta e outras manchetes no Giro do Mercado

Pexels
Pexels

No final do mês de março de 2016, a Receita Federal do Brasil, após reiteradas decisões do Superior Tribunal de Justiça, editou portaria que beneficia as empresas corretoras de seguros, retirando do enquadramento de empresas financeiras para fins de cálculo da COFINS, alterando a alíquota de 4% para 3%. O Sindicato dos Corretores da Bahia, por exemplo, para assessorar seu associado a ingressar com a ação para reaver seus créditos dos recolhimentos indevidos nos últimos 5 (cinco) anos, firmou convênio com a Fernando Moreira Advogados, escritório com vasta experiência em advocacia empresarial e tributária, com êxito em diversas ações de redução e/ou restituição de impostos pagos indevidamente. Mais informações podem ser obtidos no telefone (71) 3241-1762.

SulAmérica marca presença no Ciab FEBRABAN 2016

VejaSP
VejaSP

A SulAmérica participará da edição 2016 do Ciab FEBRABAN, maior evento de tecnologia para o setor financeiro da América Latina. A conferência será realizada de 21 a 23 de junho no Transamérica Expo Center, em São Paulo, e terá como tema a transformação da sociedade por meio da cultura digital. No dia 22, das 15h30 às 16h45, o diretor de Tecnologia da SulAmérica, Cristiano Barbieri, será moderador do debate “Seguradoras – Alavancando Produtividade em Backoffices”, focado em experiências de sucesso no mercado segurador de aprimoramento das estruturas de suporte ao negócio.

AIG expõe carteira diversificada aos associados do CCS-RJ

Reprodução
Reprodução

Em primeiro almoço do novo mandato da diretoria do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro, realizado na semana passada, os convidados foram o superintendente de corretores da AIG no Brasil, Ronaldo Barreto, e os representantes da área comercial da seguradora no Rio de Janeiro, Marcela Medici e Eduardo Andrade da Silva. Atuando hoje em parceria com cerca de 600 corretores só no estado, a companhia conta com uma vasta carteira de produtos, que movimentam no país R$ 459 milhões em prêmios e garantem receita global de R$ 64,4 bilhões. “Trabalhamos com seguros voltados a pessoas e empresas, e em todos eles temos alto grau de especialização”, afirmou o superintendente da AIG.

Na prateleira da seguradora, estão os seguros de acidentes pessoais, automóveis, residencial e vida em grupo, mas também os de linhas financeiras, como responsabilidade civil e riscos cibernéticos, o ambiental e o de aviação, por exemplo. De acordo com o executivo, a companhia é líder no mercado mundial, atua em mais de cem países e, no Brasil, em São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte além do Rio. Barreto frisou que os R$ 364 bilhões em prêmios alcançados pela companhia foram graças aos corretores, já que são os responsáveis pela distribuição dos produtos. “Por isso, é fundamental a promoção de eventos como o de hoje, em que há troca de ideias e informações, em especial neste momento de crise econômica, que pode ser convertido a oportunidades”, disse.

O sócio Gilberto Vilela também apontou, após a apresentação do executivo, a importância do encontro, por promover o contato direto entre seguradores e corretores. “Ontem mesmo encontrei dificuldade na busca por um produto, e acabo de descobrir, durante este almoço, que a AIG o disponibiliza”, contou. Já o presidente do CCS-RJ, Jayme Torres, manifestou interesse em retomar uma antiga parceria do Clube com a seguradora, que oferecia aos corretores o seguro de RC profissional.

A diretoria aproveitou ainda para homenagear o associado Claudio Aboim com o certificado de sócio número 2 da entidade, por seu apoio à reativação do Clube em 2009. Por fim, foi entregue placa de agradecimento ao superintendente da AIG pela sua participação no almoço.

CSP-Bahia realiza IIº Encontro de ex-alunos da Escola Nacional de Seguros

Pexels
Pexels

O Clube de Seguros de Pessoas e Benefícios do Estado da Bahia (CSP-Bahia) promove, no próximo dia 29, a segunda edição do Encontro de ex-alunos da Escola Nacional de Seguros (Funenseg), a partir das 16h, na sede da escola no estado. O evento será aberto aos alunos que se graduaram na unidade baiana e seguirá modelo adotado pelo CSP-Bahia, agregando com Oficina de Benefícios,  Formação de Estatísticas e muito mais. As inscrições podem ser realizadas neste site.

Para o presidente do clube, Solon Barretto, esse novo evento terá um único objetivo em comum com tantos outros encontros de ex-alunos. “A celebração do reencontro de pessoas que se conheceram no passado com o mesmo propósito, que por si só é ótimo, pois terá uma pauta inovadora e que pode agregar muito para os participantes e para o mercado baiano”, acredita.

Grupo NotreDame Intermédica entrega mais um prêmio de R$ 10 mil para corretora

A vencedora Luiza Veiga recebendo o prêmio de R$10 mil. Divulgação
A vencedora Luiza Veiga recebendo o prêmio de R$10 mil. Divulgação

O Grupo NotreDame Intermédica anunciou na tarde da última terça-feira, dia 14 de junho, em evento realizado na Corretora Inova Planos, a segunda vencedora do PME Premiado, que faz parte do Programa Interligados. Das mãos da equipe comercial da Intermédica, a corretora Luiza Veiga, da Inova, recebeu o prêmio de R$ 10 mil. “Não tenho como descrever tamanha felicidade. Agradeço a NotreDame Intermédica e a Corretora Inova pela oportunidade”, comemorou. O primeiro prêmio de R$ 10 mil foi entregue no dia 19 de maio, para Lurdes Luiza Mendes, da Estilo Corretora.

O Programa Interligados foi lançado em fevereiro e tem como objetivo estreitar o relacionamento do grupo com os corretores, e é composto por cinco pilares: eventos, treinamentos, serviços, recompensa e campanha de vendas. O programa foi formatado para reunir e organizar as ações com corretores e estimular o aumento das vendas que superaram a marca de 1 milhão de novas vidas no ano passado.

*Com informações de É IDeia, VTN e CDI Comunicação.

Cofins para corretoras de seguros deve ser 3%, ao invés de 4% 298

Cofins para corretoras de seguros deve ser 3%, ao invés de 4%

Com medida judicial, há como pedir devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos

Andrea Giugliani é sócia-diretora da Giugliani Advogados / Reprodução

O Superior Tribunal de Justiça, em recentíssima decisão, firmou entendimento de que as empresas corretoras de seguro não devem ser equiparadas a sociedades corretoras ou a agentes autônomos de seguros privados e, desse modo, devem recolher a COFINS apenas sob alíquota de 3%, e não de 4% conforme vem sendo praticado por inúmeras instituições.

Para que a empresa possa se beneficiar e volte a contribuir com 3%, torna-se necessário o ajuizamento de uma medida judicial — eis que não se aplica de imediato referida decisão —, podendo até mesmo pedir a devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos.

CSLL das corretoras de seguros deve ser 9%, e não 15%

As corretoras de seguros, meras intermediárias da captação de eventuais segurados, não podem ser equiparadas às sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores. Foi nesse sentido que o Superior Tribunal de Justiça concluiu decidindo pela impossibilidade da majoração da alíquota da CSLL, ou seja, a cobrança da CSLL das sociedades corretoras de seguro deve ser 9%, e não a alíquota de 15%, porque esta deve ser aplicável somente às instituições financeiras, aos estabelecimentos a elas equiparados e aos agentes autônomos de seguros privados.

Caso a empresa venha recolhendo a CSLL com aplicação da alíquota de 15%, para que possa voltar a recolher com a alíquota de 9%, torna-se necessário o ajuizamento de uma medida judicial — eis que não se aplica de imediato referida decisão —, podendo até mesmo pedir a devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos.

INSS das corretoras de seguros deve ser 20%, e não 22,5%

As corretoras de seguros, meras intermediárias da captação de eventuais segurados, não podem ser equiparadas às sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores.

Com a decisão judicial pacificada dos tribunais superiores e administrativos a respeito da forma de apuração da COFINS de sociedade corretora de seguros (diminuição da alíquota de 4% para 3%), além do julgamento da matéria em si, também fora analisada a questão da inclusão ou não de corretoras de seguros para fins de outros tratamentos tributários e previdenciários, entre os quais a alíquota adicional de 2,5% destinada ao INSS.

Isso porque as corretoras de seguros possuem uma cota patronal de 22,5%, ao passo que as demais empresas comerciais possuem uma alíquota de 20%, ambos incidentes sobre folha de salários e valores pagos a contribuintes individuais.

Em razão desse julgamento, é importante destacar que não só aos olhos dos tribunais superiores, mas também da própria Procuradoria, as sociedades corretoras de seguros não deveriam ter pago este adicional de 2,5% por não estarem enquadradas no conceito de “sociedades corretoras” — termo válido para corretoras de valores e títulos e instituições financeiras —, tampouco no conceito de “agentes autônomos de seguros”.

Em virtude disso, é possível ingressar com medidas para que as corretoras de seguros tenham a devolução dos valores pagos a esse título (2,5% a mais de cota patronal) nos últimos cinco anos, corrigidos pela taxa SELIC.

*Por Andrea Giugliani, sócia-diretora da Giugliani Advogados

SulAmérica participa da 6ª Semana Nacional de Educação Financeira 236

Patricia Coimbra é vice-presidente de Capital Humano, Administrativo e Sustentabilidade da SulAmérica / Divulgação

Seguradora promove ciclo de palestras com o intuito de esclarecer dúvidas dos colaboradores sobre saúde financeira

A SulAmérica participa, de 20 a 24 de maio, da Semana Nacional de Educação Financeira, iniciativa promovida pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (CONEF) há seis anos. Com o objetivo de contribuir para que seus colaboradores estabeleçam uma relação mais saudável com o dinheiro, no longo prazo, a companhia preparou um ciclo de workshops e palestras.

Palestrantes como Denise Damiani, autora do livro “Ganhar, Gastar, Investir: O livro do dinheiro para mulheres”, e Lúcia Stradiotti, criadora do portal Mãe por Inteiro, a equipe de Metodologia Lean da companhia, Débora Melo e Serasa Experian, fazem parte da programação que a seguradora preparou para mostrar a importância da educação financeira desde a infância, a administração do dinheiro com foco nas mulheres, independência financeira, score de crédito e cuidados para manter o nome limpo.

“A SulAmérica entende que o bem estar dos colaboradores depende da qualidade de vida e a saúde financeira faz parte desse conjunto. Promover o conhecimento e auxiliá-los em uma relação mais saudável no longo prazo com suas finanças, causa impactos positivos para todos”, afirma a vice-presidente de Capital Humano, Administrativo e Sustentabilidade, Patricia Coimbra.

Com palestras e workshops presenciais na sede de São Paulo e Rio de Janeiro, além de transmissões ao vivo, a expectativa da companhia é ter um público com mais de 1.500 participantes nessa edição.

AIG Seguros é destaque pelo 2º ano consecutivo em lista mundial de empresas com diversidade 760

AIG Seguros é destaque pelo 2º ano consecutivo em lista de empresas com diversidade

Companhia, que tem a diversidade e a inclusão como pilares de seus valores empresariais, também garantiu posição de destaque na lista de Melhores Empresas para Mulheres Executivas

A AIG Seguros, uma das organizações líderes no mercado securitário internacional e com forte presença no Brasil, é destaque pelo 2º ano consecutivo na lista das Melhores Empresas para a Diversidade da DiversityInc, que publica anualmente a lista das 50 melhores empresas em práticas de diversidade e inclusão.

A companhia possui 136 grupos (Employee Resource Groups) formados voluntariamente por funcionários com o objetivo de promover um ambiente de trabalho mais inclusivo. Ao todo, reúnem cerca de 10 mil membros em 36 países e representam 13 dimensões de diversidade, como por exemplo, profissionais negros, veteranos, LGBTI, mulheres, jovens, orientais, entre outros. Os grupos promovem programas voltados para o desenvolvimento profissional, conscientização de funcionários e respeito às diferenças. Um dos focos dos grupos é trabalhar com o apoio de aliados, pessoas da empresa que não necessariamente façam parte de uma das dimensões de diversidade abordadas, mas que se identifiquem com a causa e contribuam com seu tempo e conhecimento.

Durante a cerimônia de premiação, ocorrida em Nova York (EUA), a AIG também foi incluída na lista de Melhores Empresas para Mulheres Executivas, ocupando a 9ª posição. O levantamento contou com mais de 1.800 empresas.

“Para nós da AIG Seguros, é um grande reconhecimento estar na lista das melhores empresas para a diversidade. Sabemos da relevância deste tema para uma sociedade mais igualitária, por isso acreditamos que, como companhia, podemos contribuir apoiando o desenvolvimento de ações que permitam a discussão franca do assunto. A diversidade faz parte  do nosso DNA”, explica Fabio Protásio Oliveira, CEO da AIG Seguros no Brasil.

Liberty Seguros lança expansão das coberturas de seus principais produtos de Vida 319

Liberty Seguros lança expansão das coberturas de seus principais produtos de Vida

Novidade vale para os produtos Liberty Vida Especial e Vida Perfil e é mais um investimento da seguradora no segmento

Com o objetivo de tornar seus produtos ainda mais completos e atender às necessidades de seus clientes, a Liberty Seguros anuncia a ampliação de dois dos seus principais produtos do segmento: o Liberty Vida Perfil e o Liberty Vida Especial. Com a expansão, os produtos passarão a oferecer novas coberturas focadas na saúde e no bem-estar dos segurados, além de mais insumos para os corretores no momento de negociar as vendas das apólices.

Essa mudança, dentre outras iniciativas da seguradora, faz parte do constante investimento da companhia no setor de Vida – no qual a Liberty já se destacou em 2018, crescendo 16,2% em comparação a 2017.

Liberty Vida Perfil

A partir dessa atualização, o produto Vida Perfil passará a contar com um novo limite de capital de até R$ 3,5 milhões. Além disso, o cliente poderá optar entre três diferentes planos com coberturas para Doenças Graves – com combos de 10, 20 ou tipos de 24 doenças. Com elas, o segurado tem apoio para tratamentos como Transplantes de Órgãos, Implante de Marcapasso e doenças como Alzheimer, Embolia Pulmonar e Câncer.

Liberty Vida Especial

Na nova versão deste produto, os segurados podem contar com uma cobertura de Diárias de Incapacidade Temporária (DIT) de até R$1.300,00, além de duas coberturas exclusivas: LER e DORT e de Hérnia. O Vida Especial também oferece coberturas de Doenças Graves, nos combos de 10 e 20 tipos de doenças, e um novo limite capital de R$ 2,5 milhões.

Além disso, os produtos contam com o uso da telessubscrição, que dispensa a entrega da proposta física assinada pelo cliente. Com esse formato, a contratação se torna mais simples e ágil tanto para corretores quanto segurados.

Vantagens para os corretores

Além das novidades na cobertura dos produtos, a campanha Feliz da Vida da Liberty já impactou mais de 1.500 corretores com treinamentos sobre Vida e está realizando uma campanha de incentivo que vai até junho e irá beneficiar parceiros que se destacarem nas vendas de produtos do setor com prêmios catalogados e uma experiência em um festival de música. Nesta fase, parceiros que comercializarem o Liberty Vida Especial participarão de 4 sorteios mensais no valor de R$5 mil.

Os corretores e segurados ainda podem aproveitar todos os benefícios do Club Liberty Momentos, com descontos exclusivos em Diversão, Gastronomia, Viagens, Compras e Presentes, entre outros serviços.

Para mais informações sobre os produtos e os benefícios em vendê-los, basta acessar este endereço.

Chubb estimula seguros para Festas Juninas em todo o Brasil 355

Chubb estimula seguros para Festas Juninas em todo o Brasil

Apólices disponibilizam coberturas para diversos imprevistos que podem acontecer

A Chubb, uma das maiores seguradoras do mundo, diz que, a exemplo do carnaval, as festas juninas estão demandando proteções securitárias de modo crescente em todo o Brasil. As apólices cobrem riscos como ferimentos por fogos de artifício, quedas de estruturas retráteis, choques elétricos, danos corporais por conta de tumultos, intoxicação com alimentos e bebidas, danos a equipamentos, incêndio e vários outros episódios que podem ocorrer ao longo de eventos organizados em recintos abertos e fechados.

“As ameaças presentes nas festas juninas não são menores em relação ao carnaval, pois as festividades hoje chegam a durar mais de 30 dias, dentro de uma programação bastante intensa de brincadeiras com diferentes graus de risco”, diz Juliana Santos, Responsável pela área de seguros de Entretenimento da Chubb. De acordo com a executiva, as festas são tradicionalmente organizadas por milhares de instituições de todo o Brasil, considerando entidades públicas, associações, empresas, escolas, igrejas e outras.

Juliana Santos observa que, nos últimos anos, diversas prefeituras do país assumiram a realização dos eventos. “Em algumas localidades, a festa evoluiu muito com o passar dos anos e hoje já atrai um grande fluxo de pessoas de cidades vizinhas e outros estados, além de turistas estrangeiros”, observa. Segundo ela, na região nordeste, em especial, os eventos do período junino passaram a movimentar de forma expressiva a economia de várias cidades pequenas, médias e grandes.

Conforme Juliana, o investimento de um pequeno valor em uma apólice de seguros pode evitar prejuízos que poderiam significar o fechamento do negócio do promotor de um evento junino, tais como perdas ocasionadas por incêndios, cancelamentos e acidentes com vítimas fatais. “O mercado se encontra cada vez mais consciente disso e, por essa razão, a Chubb está estimulando os corretores de seguros a contatarem o quanto antes os organizadores dessas festas”, conta. Como as oportunidades vão surgir até a véspera do período junino, ela destaca que a seguradora dispõe de um sistema que emite boleto, certificado e apólice em até 24 horas antes do inicio da montagem do evento.

“Estamos levando para nossos parceiros uma experiência de mais de 50 anos em seguros de Entretenimento no mundo, bem como os conhecimentos adquiridos a partir de uma atuação pioneira no Brasil”, conclui.