Fala corretor: A maior mentira que os segurados contam 612

Muitos corretores, se não todos, já ouviram de um cliente a seguinte frase: “Pago seguro há muitos anos e nunca usei!”

Esta é, de longe, a maior mentira que os segurados contam para seus corretores e, principalmente, para eles mesmos. Todos aqueles que adquirem qualquer produto do ramo de seguros o usa todos os dias!

Usar o seguro não significa receber indenização, usar o seguro significa ter a garantia de que sua estabilidade financeira está protegida. Usar o seguro é saber que aquele sonho, construído com muito suor e esforço não irá lhe escapar por entre os dedos. Usar o seguro é ter paz. Seguro não é indenização, seguro é tranquilidade.

Ter um seguro significa que você pode buscar bens maiores do que sua capacidade de absorver prejuízo. Simplificando, sem um seguro você não conseguiria ter o que você tem, ou pior, você poderia ter um bem, perdê-lo e ainda ficar com um talão de boletos para pagar.

O seguro possibilita que você entre em uma concessionária, compre um carro financiado e saia de lá sem medo de que na próxima esquina seu carro seja roubado, ou sofra uma colisão. Ter um seguro significa que uma instituição bancária permita que você compre um imóvel, que você não teria patrimônio pra comprar sozinho, e parcele seu pagamento. Para os empresários, ter um seguro significa poder investir na expansão do seu negócio, sem o risco de ter que arcar com o prejuízo caso alguma acidente ocorra no meio do caminho.

Uma boa cobertura securitária permite que um transportador assuma o risco de entregar, na porta da sua casa, aquela encomenda que você pediu pela internet.

Isso tudo sem receber um centavo de indenização.

E para testar se você têm usado o seguro durante todos esses anos é simples: deixe de fazê-lo.

Sem o seguro do seu carro uma viagem pode se tornar um risco enorme. Pensamentos como: será que terei como consertar meu carro caso alguém bata nele? Será que essa pessoa assumirá o risco? Será que a rodovia possui um serviço adequado de assistência caso meu carro sofra uma pane? Será que eles me trarão até em casa? E minha família, terei que colocar em um taxi? Quanto custará esse taxi?

E uma visita à um amigo para jantar, será que você usa o seguro nesta ocasião? Se você não renovar seu seguro será que você ficará tranquilo deixando seu carro na rua? E se a rua for mal iluminada, seu jantar será agradável e descontraído ou você terá que ir checar na janela a cada dez minutos se seu carro ainda está lá?

Se você achou que são pensamentos que não passam pela sua cabeça, é por uma única razão, hoje você tem um bom seguro e não precisa se preocupar com isso pois sua cabeça já acostumou a contar com essa proteção.

Seguro não é um mal necessário, seguro é tranquilidade.

*Gostou deste artigo? Confira a publicação original.

Thinkseg aborda o futuro do mercado de trabalho em webinar 357

Thinkseg aborda o futuro do mercado de trabalho em webinar

Fundador da Teya, rede de iniciativas de aprendizagem, é o convidado da próxima edição

O mundo está mudando tão rápido que um profissional que antes estava preparado para exercer sua função aos 25 anos não está mais aos 45. Esta é apenas uma das ideias defendidas por Conrado Schlochauer, fundador da Teya, rede de iniciativas inovadoras em aprendizagem, e o convidado para a sexta edição do Webinar do Grupo Thinkseg, que será realizado amanhã, às 16h.

Ao lado de Andre Gregori, ex-BTG Pactual e CEO do Grupo Thinkseg, o especialista em learning tech abordará o futuro do mercado de trabalho e a crescente necessidade dos profissionais aprenderem continuamente para não ficarem para trás. Além de fundador da Teya, Schlochauer foi um dos criadores da Afferolab, considerada a maior empresa de Aprendizagem Corporativa do Brasil. Nos últimos 20 anos, auxiliou em pesquisas, inovação e desenvolvimento de programas de Liderança, Jovens Talentos e Transformação Digital para mais de 300 das mais renomadas empresas no Brasil.

Com inscrições gratuitas, o Webinar Thinkseg é realizado mensalmente com o objetivo de promover a troca de ideias e experiências sobre diferentes assuntos, que vão desde inovação e tecnologia até empreendedorismo e o mercado de seguros. Toda edição conta com a presença de convidados especiais que possam contribuir com as temáticas discutidas.

Serviço

Webinar: Prepare-se para o futuro do mercado de trabalho
Data: 25 de junho de 2019
Horário: 16h
Inscrições gratuitas: neste endereço.

Prêmios Longevidade Bradesco Seguros com novidades na 9ª edição 637

Prêmios Longevidade Bradesco Seguros com novidades na 9ª edição

Jornalismo e Histórias de Vida receberam novas categorias, com o objetivo de ampliar o alcance e a diversidade da iniciativa

Um em cada quatro brasileiros terá mais de 65 anos em 2060, segundo projeções do IBGE. Pode parecer um cenário distante, mas o envelhecimento dos brasileiros é um fato que, a cada ano, transforma a estrutura etária da população e demanda, de diversos setores, ações para lidar com essa nova realidade. Especialmente no campo da saúde, avanços vêm contribuindo para a melhoria da qualidade de vida das pessoas com mais idade e, consequentemente, para o prolongamento de sua vida produtiva, o que modifica o perfil da força de trabalho e o modo como o envelhecimento é visto pela sociedade.

Desde 2011, o Grupo Bradesco Seguros promove os Prêmios Longevidade Bradesco Seguros, consolidados como uma das mais relevantes iniciativas voltadas à reflexão, difusão e discussão do tema em âmbito nacional. Em 2019, o Prêmio chega à sua nona edição com duas grandes novidades que pretendem ampliar o espectro de visibilidade e engajar uma quantidade cada vez maior e mais diversa de participantes. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas até 6/9/2019 neste portal.

Este ano, o Prêmio Jornalismo aumenta para cinco as duas categorias anteriores – Impresso e Eletrônico –, que foram desdobradas em Jornal Impresso, Revista Impressa, TV, Rádio e Web. Já o Prêmio Histórias de Vida aposta na força da imagem e acrescenta, à categoria Texto, a Fotografia, dirigida a todos os públicos. Voltado à comunidade acadêmica, o Prêmio Pesquisa em Longevidade mantém as categorias Geriatria e Gerontologia.

– A evolução da discussão sobre o tema nos motivou a realizar mudanças para estimular, de maneira ainda mais consistente, a produção de trabalhos que reflitam a importância e os impactos da longevidade nas diferentes esferas da vida – destaca Alexandre Nogueira, Diretor do Grupo Bradesco Seguros.

Desde a primeira edição, os Prêmios Longevidade Bradesco Seguros contam com a consultoria do médico e pesquisador em saúde pública Alexandre Kalache, ex-diretor do Departamento de Envelhecimento e Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS) e uma das maiores autoridades internacionais em gerontologia.

Os dois primeiros colocados em cada uma das categorias dos três Prêmios Longevidade receberão a premiação, além de troféus e certificados. A cerimônia de entrega ocorrerá durante o XIV Fórum da Longevidade Bradesco Seguros, que reunirá especialistas e convidados nacionais e internacionais em 12 de novembro de 2019, na cidade de São Paulo.

Os Prêmios Longevidade fazem parte de um conjunto de ações mais abrangentes desenvolvidas pelo Grupo Bradesco Seguros desde 2006, com o intuito de difundir a importância de conquistar um envelhecimento ativo e saudável.

Além do Fórum da Longevidade, as iniciativas incluem o Circuito da Longevidade, que já reuniu, desde 2007, mais de 450 mil participantes, em corridas e caminhadas nas principais cidades do país; o Programa Porteiro Amigo do Idoso, lançado em 2010 para capacitar porteiros a oferecer melhores serviços aos idosos, e que já treinou mais de 3,5 mil profissionais em bairros de Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo; o movimento Conviva, que visa a incentivar a convivência harmoniosa entre ciclistas, motociclistas, motoristas e pedestres, englobando, entre outras ações, a Ciclo Faixa de Lazer de São Paulo; e o Programa Juntos pela Saúde, conjunto de ações lançado em 2006 com o objetivo de estimular ações de promoção da saúde.

Prêmios e Categorias

Prêmio Longevidade de Jornalismo

Em reconhecimento à importância da imprensa como formadora de opinião e difusora de conhecimento, a premiação busca estimular a elaboração de trabalhos jornalísticos que tratem o tema da longevidade com criatividade, contemplando cinco categorias: “Jornal Impresso”, “Revista Impressa”, “TV”, “Rádio” e “Web”. Estão habilitados a concorrer matérias, artigos ou outros trabalhos de cunho jornalístico veiculados no período de 9/10/2018 a 6/9/2019. Os vencedores em primeiro e segundo lugares de cada categoria receberão troféus, certificados e prêmios nos valores de R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente (a serem pagos mediante carga inicial e única em cartão de débito nominal ao premiado, sem função de saque, para aquisição de produtos ou serviços).

Prêmio Longevidade Histórias de Vida

Aberto à participação de maiores de 18 anos de idade, tem como principal objetivo reconhecer e estimular a transmissão de conhecimento entre gerações, incentivando o relato de histórias e a produção de imagens que, de alguma forma, contribuam para sensibilizar as pessoas e disseminar o conceito de longevidade com qualidade de vida e bem-estar. Este ano, apostando na força da imagem, foi incluída a categoria Fotografia. O primeiro e o segundo lugares de cada categoria receberão troféus, certificados e prêmios nos valores de R$ 5 mil e R$ 3 mil, respectivamente (a serem pagos mediante carga inicial e única em cartão de débito nominal ao premiado, sem função de saque, para aquisição de produtos ou serviços).

Prêmio Pesquisa em Longevidade

Direcionado à comunidade acadêmica, é composto pelas modalidades “Geriatria” e “Gerontologia”. Somente estão habilitados a concorrer projetos de pesquisa desenvolvidos no âmbito acadêmico e aprovados no período de 31/8/2009 a 6/9/2019 e que remetam ao tema longevidade no sentido amplo. Os vencedores em primeiro e segundo lugares de cada categoria receberão troféus, certificados e prêmios nos valores de R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente (a serem pagos mediante carga inicial e única em cartão de débito nominal ao premiado, sem função de saque, para aquisição de produtos ou serviços).

Grupo Pentagonal inaugura unidade na região Centro-Oeste 865

Grupo Pentagonal inaugura unidade na região Centro-Oeste

Ao todo são 71 pontos de venda em todo o Brasil

Em continuidade ao processo de abertura de novas Unidades Franqueadas, o Grupo Pentagonal Seguros inaugura no mês de junho mais uma franquia, Pentagonal Guarantã do Norte, no Mato Grosso. É a 41ª unidade do Grupo, que já possui 71 pontos de venda pelo País. Os novos franqueados são Luiz Fogaça, empresário que atua no ramo de bebidas, distribuidor autorizado Coca-Cola na região, acionista do Grupo Refritã desde 1994 e Carine Huber, que foi executiva de sucesso do Sicredi. A primeira franqueadora do país na área de seguros possui modelo inédito no mercado e está presente em todas as regiões brasileiras. A Região Centro-Oeste já contava com as unidades Cuiabá, Cuiabá II e Rondonópolis.

O Mato Grosso tem um PIB de R$ 123 bilhões, é o terceiro maior do país e tem uma economia baseada na venda de grãos para outros estados, sendo um dos maiores produtores do país. Bernard Biolchini, CEO do Grupo Pentagonal Seguros, enxerga uma oportunidade de negócio nesse estado como a mola propulsora de expansão na região. “A Pentagonal já tem três franquias dentro do Mato Grosso e agora inaugura mais um espaço em Guarantã do Norte. O trabalho de expansão requer planejamento não só de vendas, mas da verificação de todos os detalhes quando falamos na abertura de uma unidade, onde a padronização da marca também é um detalhe importante. Os nossos modelos possuem uma política a ser seguida durante a implantação, desde o primeiro contato que requer avaliação ate a assinatura do contrato. Com o Mato Grosso sendo um estado que se destaca no PIB e na produção de grãos, temos excelentes expectativas em relação a nossa presença na região”, explicou.

O trabalho na prática pode gerar dúvidas para os gestores das franquias e no início da unidade, estão incluídos materiais de apoio para todos os ciclos de abertura e condução do negócio. “Seguir a cartilha e as orientações é essencial para o retorno financeiro esperado por cada investidor das franchisings do nosso grupo. É preciso ter um diferencial nesse empreendimento, porque o mercado de seguros comercializa um contrato de apólice que requer constante acompanhamento, e não um produto de prateleira no qual vendeu, onde não há mais necessidade de pós venda. Conhecimento sobre os produtos e expertise na área comercial são fundamentais para obter êxitos nessa empreitada. O mais importante de tudo isso é que sejamos cada vez menos um negócio apenas, e cada vez mais uma transformadora de vidas, mostrando que é possível sim agregar lucratividade e qualidade de vida no mesmo lugar”, concluiu.

Biolchini encerra com um convite aos corretores do mercado com mais de cinco anos de atuação: “Venha vestir a camisa da Pentagonal e aumentar substancialmente suas vendas e lucros. Juntos, somos muito mais fortes”.

Exame para Habilitação de Corretores até abril 217

Provas acontecerão entre 8 e 11 de maio, em 14 cidades

Está chegando ao fim o prazo para inscrições no Exame para Habilitação de Corretores de Seguros, aplicado pela Escola Nacional de Seguros. A prova é uma das opções para obter o registro profissional de corretor, fornecido pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Os Exames serão realizados entre os dias 8 e 11 de maio, em 14 cidades: Belo Horizonte (MG), Blumenau (SC), Brasília (DF), Campinas (SP), Curitiba (PR), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Santos (SP), São Paulo (SP) e Vitória (ES). O investimento varia entre R$ 365,00 a R$ 1.400,00, dependendo da modalidade escolhida.

Os pré-requisitos são ensino médio completo e maioridade. Os interessados podem se inscrever até 7 de abril, pelo www.funenseg.org.br.

Preparatório a distância

Os candidatos poderão se preparar para as provas pelos cursos da modalidade a distância, oferecidos pela Escola Nacional de Seguros. O ambiente de aprendizagem on-line permite que o aluno estude em seu próprio ritmo e não perca tempo com deslocamentos.

O curso também oferece material didático, tutoria, diálogo com a coordenação do curso e certificado.

Quem fizer algum dos cursos preparatórios terá direito a 50% de desconto sobre o valor integral da taxa de inscrição, desde que seja na mesma modalidade escolhida para o Exame.

Informações e inscrições estão disponíveis no www.funenseg.org.br/ead.

Licitações públicas para micro e pequenas empresas: confira principais benefícios 901

Licitações públicas para micro e pequenas empresas: confira principais benefícios

Existem diversas vantagens para empresas que desejam firmar contratos com a Administração Pública

Em 2018 o Governo Federal abriu cerca de 39 mil processos de licitação, desse total, pelo menos 19 mil contaram com a participação de pequenas e médias empresas (PME´s). Segundo o Portal do Empreendedor, no Brasil, existem mais de 6 milhões de ME´s (Microempresas) e EPP´s (Empresas de Pequeno Porte). As micro e pequenas empresas possuem preferência em relação aos processos licitatórios, porém, ainda são minoria na hora de garantir o contrato com a Administração Pública. Em 2018, por exemplo, apenas pouco mais de 5 mil micro e pequenas empresas venceram licitações com a Administração Pública.

Para ser considerada microempresa, a receita bruta anual precisa ser igual ou inferior a R$ 360 mil. No caso de empresas de pequeno porte, enquadram-se aquelas que possuem receita bruta anual superior a R$ 360 mil e igual ou inferior a R$ 3 mi e 600 mil. Existem inúmeros benefícios para empresas ao firmarem contratos com o Poder Público. Vender produtos e serviços para o Estado pode representar uma oportunidade eficiente, especialmente para ME´s e EPP´s que estão em processo de crescimento no mercado.

Na maioria das licitações, as micro e pequenas empresas concorrem com grandes empresas, que já possuem experiência no mercado. A falta de infraestrutura e de recursos pode representar outro grande problema. Com o objetivo de incentivar a abertura e bom funcionamento de micro e pequenas empresas, o Congresso Nacional aprovou a criação da Lei Complementar n° 123 de 2006, conhecida como Estatuto Nacional da Microempresa e Empresas de Pequeno Porte. No entanto, somente com a vigência do decreto 8.538 de 2015 é que os benefícios às ME´s e EPP´s foram realmente aplicados. O decreto estabeleceu certo equilíbrio durante a concorrência, e as ME´s e EPP´s tiveram suas obrigações administrativas, tributárias e previdenciárias simplificadas. Entre os principais benefícios:

  • O Estatuto define processos licitatórios exclusivos para micro e pequenas empresas. Neste caso, os valores dos contratos não podem ultrapassar o valor de R$ 80 mil;
  • É possível que médias e grandes empresas vencedoras de processos licitatórios subcontratem micro e pequenas empresas. Para esta categoria, a principal exigência é que a subcontratação não ultrapasse 30% do valor total do contrato;
  • Outra vantagem é que ME´s e EPP´s, ao participarem de licitações para o fornecimento de bens para pronta entrega ou para locação de matérias, não sejam obrigadas a apresentarem o balanço patrimonial do último exercício social;
  • Caso uma micro ou pequena empresa apresente uma proposta de 5% a 10% com valor maior que as outras empresas participantes do processo licitatório, a situação é considerada empate fictício. Se isso acontecer, é apresentado a ME ou EPP as propostas das concorrentes, o que possibilita às micro e pequenas empresas cobrirem a oferta;
  • Durante o processo licitatório, as empresas participantes devem comprovar a inexistência de débitos por meio de certidões negativas, ou seja, comprovar a regularidade fiscal, para só então serem habilitadas a participar do processo, porém, para micro e pequenas empresas, essa regularidade pode ser atestada somente após a fase da habilitação, garantindo assim mais tempo caso a ME ou EPP possua alguma irregularidade. O prazo para a regularização é de cinco dias, caso vença a licitação.

Além destes, existem outros benefícios para aquelas ME´s e EPP´s que desejam firmar contratos públicos. Apesar do Estatuto e do Decreto estarem relacionados à Administração Pública Federal, estados e municípios podem usar tal legislação para criar maneiras mais eficientes e democráticas que possam beneficiar microempresários e empresas que estão iniciando no mercado regional ou nacional. Uma forma de estimular a economia do município, além de aumentar a competitividade.

Como superar os desafios?

Para Alfredo Dezolt, diretor executivo da UGP Brasil, empresa especializada em licitações e contratos públicos, um dos principais obstáculos apontados para as ME´s e EPP´s na participação em processos licitatórios é o fato de a maioria dessas empresas não possuírem profissionais qualificados e que tenham a capacidade de interpretar os editais licitatórios. “Para que uma organização, independentemente do porte ou estrutura societária, possa executar contratos administrativos firmados com instituições públicas, a qualificação profissional dos seus funcionários é imprescindível. Haja vista que a maioria das ME´s e EPP´s não dispõe de recursos financeiros para esses fins, a terceirização desses serviços pode ser uma opção viável para uma efetiva participação em processos licitatórios”.

O Diretor Executivo explica que a falta de capacidade técnica das empresas resulta em diversas oportunidades perdidas. Ele aponta que a partir de 15 de julho, a UGP Brasil irá conduzir o curso básico sobre licitações públicas. O conteúdo foi pensado, segundo Dezolt, para suprir a falta de pessoas que sejam capacitadas para formular propostas licitatórias eficientes, especialmente num mercado que vem crescendo e que possui diversos benefícios para as empresas participantes.