Seguro de vida custa menos do que as pessoas pensam 880

Proteção pode equivaler a menos de 10% do valor gasto anualmente em apólices automotivas

Matéria assinada pela jornalista Júlia Lewgoy, da Revista Exame, expõe, mais uma vez, a importância do seguro de vida e a falta de conhecimento geral da população sobre o assunto. Normalmente, as pessoas gastam aproximadamente 2 mil reais por ano (o valor varia) com o seguro do carro, mas não gastariam 10% deste valor para proteger a família se algo inesperado acontecer. Está na hora de pensar no seguro de vida como um item básico de planejamento financeiro, e não como mais um produto das seguradoras que você nunca vai usar.

“É difícil pensar com frieza que todos nós vamos morrer, que isso pode acontecer a qualquer momento e que sua família precisará respirar quando você morrer. Esse não é um dinheiro jogado pela janela”, esclarece o educador financeiro José Vignoli, do SPC Brasil.

O seguro de vida paga uma indenização a quem você escolher logo após a sua morte, reduzindo o impacto no padrão de vida das pessoas que dependem financeiramente de você por um período. Alguns também pagam os custos do funeral.

Você também pode receber esse dinheiro em caso de invalidez ou doença grave. As apólices podem incluir uma infinidade de outras coberturas.

O pagamento da indenização é isento de Imposto de Renda e, em caso de morte, é feito independentemente do inventário ou da partilha de bens entre os herdeiros, que podem demorar.

“A morte de alguém é um momento sensível, em que a vida parece travar, mas as despesas continuam”, lembra a educadora financeira Cássia D’Aquino.

Mas afinal, quanto custa um seguro de vida?

Para incentivar que os consumidores façam seguro de vida, a Proteste (associação dos consumidores) realizou um levantamento do preço de coberturas nas maiores seguradoras do país, segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Na avaliação da associação, uma cobertura básica precisa incluir, no mínimo, indenização por morte natural, por morte acidental e por invalidez permanente por acidente. Algumas das coberturas básicas das seguradoras pesquisadas já incluem coberturas adicionais no preço.

Os valores foram calculados para um consumidor com o seguinte perfil: homem, administrador de empresas, com 35 anos, 70 quilos, 1,70 metro de altura, casado, não fumante e não obeso.

A seguir, você confere quanto custa, por ano, um seguro de vida nas três seguradoras que oferecem essa cobertura básica, para esse perfil de consumidor, com o melhor custo benefício, segundo avaliação da associação:

Seguradora Indenização de R$ 50 mil Indenização de R$ 75 mil Indenização de R$ 100 mil
SulAmérica* R$ 135,00 R$ 198,96 R$ 266,28
Mapfre** R$ 149,17 R$ 511,70 R$ 681,79
Allianz*** R$ 127,54 R$ 191,31 R$ 255,09

SulAmérica*: Seguro Vida Individual, que, além da cobertura básica, inclui cobertura adicional em caso de morte do cônjuge (50% da indenização), invalidez por doença funcional e doenças graves (50% da indenização).
Mapfre**: Seguro Mapfre Vida Você Multiplex, que, além da cobertura básica, inclui cobertura adicional em caso de morte do cônjuge, invalidez total por acidente do cônjuge, invalidez por doença funcional e doenças graves (100% da indenização em todos os casos)
Allianz***: Seguro Vida Individual, que, além da cobertura básica, inclui cobertura adicional em caso de morte do cônjuge, invalidez por doença funcional.

Como é calculado o preço?

Quanto mais jovem e saudável você é, mais barato é o seguro de vida. Ao contratar uma apólice, é preciso fornecer informações verdadeiras sobre o seu estilo de vida e estado de saúde. Para calcular o preço, a seguradora considera a probabilidade do consumidor morrer durante o período de vigência do produto, normalmente de um ano.

“Calcular o preço é complexo. Pode ser muito barato ou muito caro, dependendo do valor de indenização que você quer receber e dos acessórios que incluir na cobertura”, explica Aura Rebelo, diretora de marketing e canais da Icatu Seguros.

O seguro de vida é mais caro para mulheres, por causa da expectativa de vida maior. Lembre que o preço do seu seguro de vida será reajustado a cada ano, pela sua idade e por um índice de correção monetária que acompanha a inflação, determinado no contrato.

Muitas pessoas superestimam o preço do seguro de vida, como mostrou um levantamento da Icatu Seguros. A pesquisa perguntou a 300 consumidores que não são clientes da seguradora quanto eles acham que custa um seguro de vida, de acordo com a sua idade e condições de saúde. Os entrevistados atribuíram um preço até 2,5 vezes acima do valor real.

Um seguro de vida tradicional para um homem de 30 anos, com boas condições de saúde, por exemplo, custa 75 reais por ano nesta seguradora. A cobertura inclui indenizações em caso de morte (200 mil reais), invalidez (300 mil reais) e assistência funeral (5.500 reais). No entanto, 30% dos entrevistados estimaram um custo 150% maior, de 187 reais.

“Esse não é um produto anunciado na televisão. Um carro, por exemplo, é um sonho de consumo, e o seguro de vida não é, o que distancia ele das pessoas”, analisa Aura.

Como saber o valor da indenização que você precisa?

Não existe uma fórmula para fazer essa conta. Comece calculando todos os gastos que você tem na vida e quanto eles custam por mês, para manter todas as pessoas que dependem de você financeiramente.

Então, estime por quanto tempo sua família precisaria desse dinheiro para se manter sem você, até se reestruturar. Você pode escolher, por exemplo, que quer ter uma indenização que pague a educação dos seus filhos até o fim da faculdade.

Se não tem tanto dinheiro assim para bancar um seguro com uma indenização tão alta, invista em um produto que pague, pelo menos, um ano de despesas, como sugere o educador financeiro José Vignoli, do SPC Brasil.

Lembre de incluir na conta sua renda investida em aplicações financeiras, se tiver, e suas dívidas que ficarão para a sua família pagar. Se achar muito difícil fazer essa conta sozinho, o corretor de seguros ou um planejador financeiro podem ajudar.

Faça uma revisão a cada cinco anos para entender se a cobertura contratada continua adequada para a sua necessidade, como recomenda o presidente da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), Edson Franco.

O tamanho da indenização que você precisa pode aumentar ou diminuir com o tempo, conforme o que acontecer na sua vida. Quando os seus filhos se tornarem independentes financeiramente, por exemplo, você poderá pagar um seguro mais barato, com uma indenização menor.

Que cuidados é preciso ter ao contratar o seguro?

É importante que você saiba exatamente que pacote de coberturas está contratando, pois eles podem ser muito diferentes um do outro. “Converse com um corretor de seguros, alguém que possa auxiliar você a entender o que precisa”, orienta o presidente da FenaPrevi, Edson Franco.

O corretor de seguros apresentará a você produtos de diferentes seguradoras. Essa pesquisa de mercado é essencial para comparar preços e coberturas, como destaca a técnica da Proteste Gisele Rodrigues.

No contrato, observe as exclusões, que são todos aqueles riscos que não serão cobertos pelo seguro que você escolheu. Algumas apólices possuem carência, um período em que não se pode usar o seguro, mesmo estando em dia com o pagamento.

Ao preencher o documento com todas as informações sobre a sua condição de saúde, seja o mais sincero possível, mesmo que corra o risco do seu seguro ficar mais caro. Em caso de má-fé, a seguradora pode recusar o pagamento da indenização.

Grupo Generali tem lucro líquido de € 1,8 bilhão 258

Philippe Donnet, CEO do Grupo Generali / Divulgação

Resultados do 1º semestre foram destaques nos segmentos de Vida e P&C

O Grupo Generali terminou o primeiro semestre de 2019 confirmando sua efetiva e disciplinada implementação do plano estratégico trienal “Generali 2021” em todos os segmentos dos negócios da seguradora. Esses resultados mostram a capacidade do Grupo em gerar valor financeiro e industrial sustentável para todos os stakeholders.

Os resultados apresentados destacaram o desempenho da seguradora em termos de rentabilidade e posição de capital, alinhados à estratégia do Grupo:

  • O resultado operacional cresceu 7,6%, para € 2.724 milhões (€ 2.532 milhões no 1S 2018), graças ao desenvolvimento positivo em todos os segmentos de negócios.
  • O lucro líquido do Grupo foi de € 1,8 bilhão (+ 34,6%), incluindo também o resultado de operações descontinuadas. O lucro líquido ajustado subiu para € 1,3 bilhão (+ 6,4%).
  • As entradas líquidas de seguros de vida aumentaram para € 7,4 bilhões (+ 29,5%) e as reservas técnicas atingiram € 358 bilhões (+ 4,3%). Os prêmios brutos emitidos totalizaram € 35,7 bilhões (+ 1,8%), devido ao desempenho positivo dos segmentos Vida e P&C.
  • As melhorias nos segmentos Vida e P&C ocorreram principalmente devido à excelente rentabilidade técnica, confirmada pelo coeficiente combinado em 91,8% (- 0,2 p.p.) e pela Margem de Novos Negócios em 4,40% (- 0,18 p.p.).
  • O lucro líquido da Gestão de Ativos foi de € 133 milhões (+ 22%), devido ao crescimento dos ativos sob gestão e à consolidação das receitas das novas pequenas empresas especializadas em gestão de ativos.
  • O Índice de Solvência Regulatória Preliminar se mantém sólido em 209% (217% no exercício financeiro de 2018; – 8 p.p.).

“O primeiro semestre do ano confirma a implementação efetiva e disciplinada do plano estratégico trienal “Generali 2021” em todos os segmentos de negócios. A Generali hoje é um grupo de seguros e gestão de ativos cada vez mais global, com excelência técnica nos segmentos de Vida e P&C e especialização diferenciada em gestão de ativos, o que nos possibilita superar os desafios competitivos do setor para nos tornarmos parceiros dos nossos clientes para toda vida”, explica Philippe Donnet, CEO do Grupo Generali.

Os resultados completos do Grupo Generali estão disponíveis neste endereço.

Suhai Seguradora é indicada ao Prêmio ReclameAqui® 2019 363

Suhai Seguradora é indicada ao Prêmio ReclameAqui® 2019

Companhia está concorrendo ao Oscar de Melhor Atendimento Brasileiro

Exemplos de telas do autovistoria da Suhai Seguradora / Divulgação
Exemplos de telas do autovistoria da Suhai Seguradora / Divulgação

A Suhai, única seguradora especializada no seguro de Furto e Roubo com assistência 24h em todo Brasil, foi indicada ao Prêmio ReclameAqui® na categoria Seguradoras. O prêmio homenageia as empresas de diferentes setores com a melhor reputação em atendimento do Brasil. A Suhai Seguradora, foi criada para atender clientes que não tinham acesso ao seguro de automóveis, fosse pelo preço alto ou falta de aceitação das companhias tradicionais. Segundo estimativas da própria Suhai, existe ainda um mercado composto por mais de 75% de carros, 86% de caminhões e 98% de motos rodando sem seguro em todo Brasil.

“Após pesquisas, identificamos que, a maioria das pessoas ainda desprotegidas, e que não podem pagar por um seguro completo, optam, entre todas as opções de um seguro automotivo, por aquela cobertura que não é previsível, ou seja, pelo Furto e Roubo, afinal, uma colisão é possível evitar, quase que sempre, dirigindo com prudência e responsabilidade. Este é o propósito da Suhai, atender essa demanda do mercado, com motos, carros e caminhões, principalmente os mais antigos (acima de 10 anos de uso), que estão marginalizados sem acesso ao seguro, que permita estes perfis de clientes, garantirem, muitas vezes, o único patrimônio da família”, explica Robson Tricarico, diretor comercial da Suhai Seguradora.

É válido lembrar que algumas outras seguradoras já oferecem esta cobertura, mas a Suhai é a única especialista no seguro de furto e roubo em todo Brasil, e por este motivo, possui condições de preço e aceitação que nenhuma outra consegue oferecer, uma vez que já são líderes de mercado neste segmento.

Selo RA 1000

A Suhai Seguradora já é detentora do selo RA1000, concedido às empresas que possuem excelentes índices de atendimento no portal Reclame Aqui. “Construir uma base de relacionamento com o cliente e moldar, aos poucos, sua confiança é um trabalho que exige muito: exige se colocar no lugar dele e sentir o que ele precisa. As coisas passam a fazer sentido se você, de repente, é o cliente. Esse é um exercício diário e necessário. Somente assim conseguimos atender o cliente como ele deve ser servido: com atenção aos detalhes, com carinho ao seu caso e com a certeza do compromisso para garantir que o cliente se sinta cuidado e tranquilo”, explica Eliane Percino, diretora de operações da Suhai Seguradora.

O cliente Suhai pode fazer contato com a seguradora pelo canal que preferir. Pode ser pela central de atendimento, pelo chat do site, pela nossa atendente virtual “Su”, WhatsApp, Facebook, Instagram, por onde o segurado desejar.Outro cuidado para descomplicar ainda mais a vida do cliente está na vistoria. Ele recebe um link por SMS que o direciona ao sistema para Autovistoria, o cliente clica e segue as instruções, fotografar o veículo com o celular ou tablet e enviar as imagens para análise. Vistoria feita de maneira simples, rápida e cômoda sem interferências na rotina. Em pouco tempo, o segurado receberá uma mensagem no seu celular quando o veículo for aprovado. “A ideia é evitar que haja a necessidade dos deslocamentos até um posto de atendimento físico, destes quais muitas vezes, atrapalham a logística e a agilidade na cobertura do seguro”, reforça a executiva da companhia.

Os clientes da Suhai também tem à disposição uma biblioteca virtual com e-books sobre seguros que podem ser baixados gratuitamente e alertas via SMS, WhatsApp ou e-mails sobre locais com maior risco de assalto, e com a inclusão de dicas de rotas de fuga ou ação preventiva, elaboradas por uma área que coleta e trabalha apenas com esse tipo de informações, para tornar a vida do cliente mais segura.

“Acredito que é nossa responsabilidade servir de forma descomplicada, sem preconceito de marca, ano ou modelo do veículo e sem burocracia. O reflexo de oferecer um seguro sem complicação e totalmente focado tornou a Suhai uma empresa com experiências positivas”, destaca Eliane.

Indicação ao Oscar de Melhor Atendimento Brasileiro

O conjunto de ações diferenciadas em prol da excelência no atendimento colocou a Suhai Seguradora entre as finalistas da edição 2019 do Prêmio Época Negócios ReclameAqui®. “Hoje, temos muito orgulho de estar concorrendo ao Oscar de Melhor Atendimento Brasileiro, a indicação reforça o voto de confiança do nosso cliente e essa recompensa tenho certeza que já ganhamos. Posso me orgulhar do que somos hoje na Suhai Seguradora e me orgulhar de ter uma equipe que sabe que servir e atender andam de mãos dadas”, finaliza Eliane.

Para votar na Suhai Seguradora no Prêmio Reclame Aqui, acesse este endereço.

BB Seguridade é a empresa mais valiosa do setor 336

Desempenho da BB Seguridade deve ser revisado para cima

Seguradoras e operadoras de saúde foram avaliadas em pesquisa realizada pela consultoria de marketing Dom Strategy Partners

A BB Seguridade, holding voltada para os negócios de seguros do Banco do Brasil, lidera o ranking das seguradoras e operadoras de saúde que mais entregam valor produzido para o público. A companhia foi eleita por um grupo de stakeholders formados por acionistas, clientes, colaboradores e fornecedores. A pesquisa Mais Valor Produzido (MVP) é resultado de um estudo realizado pela consultoria de marketing Dom Strategy Partners.

Além da BB Seguridade, neste ano, a Sulamerica, assume o segundo lugar com a nota 7,99. A Bradesco Seguros, primeira colocada em 2017, hoje ocupa a terceira colocação, conquistando 7,98 pontos. Na quarta faixa no ranking, com 7,96, está a IRB Brasil. A Amil fecha a lista com 7,92 na quinta posição.

O ranking Mais Valor Produzido revela ao mercado a capacidade das empresas do segmento em gerarem e protegerem valor para si e também para seus clientes, consumidores, acionistas, funcionários e sociedade.

O levantamento ouviu as maiores empresas do segmento segundo recortes dos anuários das revistas Exame e Valor 1000, e avaliou atributos como eficácia da estratégia corporativa, resultados gerados, crescimento evolutivo, valor das marcas, qualidade de relacionamento com clientes, governança corporativa, sustentabilidade, gestão de talentos, cultura corporativa, inovação, conhecimento, grau de transformação e uso das tecnologias digitais.

Veja a tabela de classificação

MVP Seguradoras e Operadoras de Saúde 6ª edição

Nota

BB Seguridade 8,01
Sulamerica 7,99
Bradesco Seguros 7,98
IRB Brasil 7,96
Amil/UH 7,92

Deputado Jerônimo Goergen comenta como MP da Liberdade Econômica pode afetar mercado de seguros 738

Ele também falou sobre a retirada das associações de proteção veicular do texto

A Medida Provisória 881/2019, que dispõe sobre a liberdade econômica, visa garantir livre mercado. O relatório final ficou a cargo do deputado Jerônimo Goergen (PP/RS), que recebeu convidados nesta segunda-feira (19) na sede da Câmara de Indústria e Comércio e Serviços de Canoas (CICS) para abordar o assunto.

Ele falou com exclusividade ao programa Seguro Sem Mistério e Revista JRS como esse texto impacta pequenos e médios negócios e pode afetar o setor de seguros. “A vantagem que o mercado terá é justamente o desaparecimento da burocracia para a abertura de empresa. Claro que cumprindo todas as regras e leis, mas para abrir efetivamente terá toda a flexibilização”, comentou.

Além disso, o relator retirou as associações de proteção veicular do Projeto. “Tivemos uma discussão importante que envolvia a possibilidade de outros segmentos que não tivessem a regulamentação que as segurados tem de comercializar o seguro. Tinham emendas de deputados e senadores que possibilitavam essa atividade em outros segmentos. Eu como relator pude interpretar a insegurança que isso ia gerar ao consumidor do seguro e obviamente mantivemos o sistema como ele está”, explicou. “O debate foi importante e fortaleceu os corretores e as seguradoras. Eu espero que tenhamos cada vez mais condições de oferecer os produtos de seguro com segurança jurídica, que foi exatamente o que mantivemos na lei”, acrescentou.

As lideranças do mercado de seguros foram os responsáveis por fornecer as informações necessárias a Goergen neste sentido. “Eu preciso reconhecer o papel dos líderes do mercado nessa operação, pois eles nos trouxeram todas as informações da maneira mais adequada para que tomássemos a decisão mais acertada e não trouxesse prejuízos ao final ao consumidor de seguro”, disse.

A importância dessa matéria para os corretores de seguros ficou evidenciada pelo vice-presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), André Thozeski. “É fundamental, pois havia uma expectativa das associações de proteção veicular que com essa medida provisória de facilitação da atividade empresarial de que eles iriam aproveitar essa oportunidade para colocar a proteção veicular dentro desse Projeto de Lei. O deputado se deu conta do erro que seria isso e tirou isso”, destacou. “Precisamos entender que há uma diferença fundamental entre seguro e proteção veicular. Quando se contrata uma apólice de seguro, se paga o seguro e passa o risco do negócio para a seguradora. Quando é uma associação de proteção veicular, quem paga o risco são os próprios associados, como se fosse num condomínio. As pessoas compram proteção veicular pensando que estão comprando seguro, mas na verdade não é seguro”, complementou.

TEx lança solução em inteligência de mercado para setor de seguros 377

Omar Ajame é CEO da TEx Tecnologia / Arquivo JRS

Plataforma concede visão abrangente e confiável sobre o mercado de seguros

A TEx, startup especializada em soluções para o mercado segurador, amplia seu leque de soluções e apresenta o TEx Analytics, uma plataforma de inteligência direcionada às seguradoras para auxiliar na precificação dos seguros para veículos. Com dados resultantes de uma base de cinco milhões de cálculos, a plataforma torna-se fundamental para as seguradoras ao conceder uma visão abrangente e confiável do mercado de seguros.

De acordo com Emir Zanatto, COO da TEx, o TEx Analytics nasceu a partir de estudos realizados pela startup para levar mais conhecimento ao mercado de seguros, permitindo a ampliação da produtividade e da competitividade entre as empresas seguradoras e os segurados. “Com o TEx Analytics é possível tomar decisões mais precisas, com base em informações em tempo real. Isto ajuda no desenvolvimento e na competitividade do setor” explica Emir Zanatto COO da TEx.

“Antes, as seguradoras contratavam estudos que mostravam, com uma pequena amostra, o retrato do mercado 15 ou 30 dias depois do ocorrido. No TEx Analytics o filme é com uma amostra extremamente grande e em tempo real. Alem de que são casos reais, e não simulações”, ressalta Emir.

Segundo Emir Zanatto, o TEx Analytics contribui para o desenvolvimento pois possibilita análise precisa do mercado. “Nossa solução permite que companhias tradicionais e novos entrantes sejam mais competitivos ao oferecer seus produtos. O que traz vantagens para o consumidor final”.

Customização – A solução foi desenvolvida para atender as seguradoras de todo país de forma ampla e irrestrita, atendendo as especificações de cada empresa. “Desenhamos o produto de forma que é aderente a todas as companhias, mas realizamos ajustes customizados para que elas (seguradoras) possam ajustá-los às suas regras, estudos e ações específicas”, destaca o executivo da TEx.

Vale ressaltar que o TEx Analytics respeita da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), pois todas as informações abarcadas na plataforma são conjuntas, anônimas e indistintas. “Respeitando todas as normas Brasileiras e Europeias para proteção de dados, criamos a ferramenta que está permitindo que as Seguradoras vejam como estão posicionadas frente ao mercado e dê a eles dados que permitam serem mais competitivos de forma extremamente ágil. O que era um sonho há alguns meses, hoje é realidade para o setor.”, explica Zanatto.

Em breve a TEx lançará soluções analíticas para as montadoras e para as corretoras de seguros.