Workshop debate prevenção às fraudes 384

Golpes correspondem a quase 2% do total de sinistros

Entre 2013 e 2015, o valor relativo às fraudes comprovadas no setor de seguros (excluindo Previdência Complementar Aberta, Saúde Suplementar e Capitalização) praticamente dobrou. O avanço de 0,3% em relação ao total de sinistros ocorridos pode parecer pouco significativo, mas as fraudes representam 1,8% dos acionamentos, um valor estimado em mais de R$ 600 milhões. Os dados são da Confederação Nacional de Seguros, a CNseg. “Este assunto toma uma dimensão nacional. É um tema bastante intenso, porque necessitamos tomar todas as medidas, e as seguradoras estão avançando neste sentido, para proteção deste fundo mútuo com medidas preventivas, afinal, isto acaba afetando todo o equilíbrio de riscos destas empresas e o acesso de demais camadas da sociedade aos planos de seguros”, detalha ao ponderar que a atuação da Confederação é de inteligência, com enfoque no mapeamento e rápida detecção de possíveis fraudes.

O assunto foi tema do tradicional Workshop do Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg-RS). Na oportunidade, Guacir de Llano Bueno, presidente da entidade, destacou os 10 anos da ação que aceita sugestões de temas pelos operadores do mercado.

“O crime não compensa. A melhor forma de combate-lo é com ações penais”, acredita o palestrante Ricardo Tavares Pereira, gerente da área de prevenção e combate à fraude da CNseg. Pereira ainda é gerente operacional da Porto Seguro e do TI da Superintendência de Seguros Privados, a Susep. Fraudes são dividias em dois grupos: oportunistas, aquelas com grande frequência, mas sem valores muito elevados, e premeditadas, que são o foco da prevenção contra grupos especializados em fraudes que atingem o mercado como um todo.

De acordo com o Código de Ética da Confederação, “qualquer ato intencional destinado ao recebimento de indenização ou benefício a que de outro modo não se teria direito, praticado na contratação ou no curso do evento previsto no contrato, e mesmo após sua ocorrência” é considerado fraude. “A perda de valores morais, éticos e sociais, além da impunidade, insuficiência de sistema de controles e crises econômicas são as principais razões para o crescimento dos golpes, que afetam diretamente o equilíbrio do gerenciamento dos riscos assumidos pelas seguradoras e geram um custo injusto para segurados honestos”, conta o gerente.

O gerente de relacionamento da CNseg, Eduardo Ruas Justo, explicou ao público atento as principais funções da Central de Servições e Proteção ao Seguro, a Ceser. São 17 anos de atuação, com disponibilidade 24 horas diárias e mais de 40 soluções disponíveis para mais de 5 mil usuários conectados por dia. Ao todo, mais de 91 milhões de consultas anuais e mais de 1 bilhão de registros são armazenados pelo centro, que, proporciona múltiplas soluções em dados, serviços e ferramentas. “O cruzamento inicial de dados é fundamental para a efetivação de uma boa carteira de clientes, que reflete em maior qualidade e acessibilidade aos produtos oferecidos pelo setor de seguros”, certifica.

Ricardo Pereira concluiu sua explanação demonstrando a importância de denúncias de fraudes, visto que todo ocorrido no mutualismo afeta todos os seus participantes. Ou seja, reflete no bolso do segurado. “Principal fator na redução à fraude é a prevenção”, disse ao enaltecer a integração de dados e utilização de novas tecnologias. “Pode ser um crime sem sangue, mas não sem vítimas”, concluiu.

Confira todas as imagens deste Workshop no Flickr do JRS, ou em nosso Facebook:
Workshop debate prevenção às fraudes

SulAmérica patrocina 2ª Corrida Segura Sincor-RN 246

SulAmérica patrocina 2ª Corrida Segura Sincor-RN

Companhia reforça relacionamento com a região em corrida que terá percursos de 5 e 10 km nas ruas da capital potiguar

A SulAmérica é uma das empresas patrocinadoras da 2ª Corrida Segura Sincor-RN, evento que ocorre neste sábado (23), em Natal. Com trajetos de cinco e dez quilômetros, a ação tem como objetivo incentivar práticas saudáveis e o bem-estar entre os corretores de seguros e demais públicos participantes. Além disso, o momento também será de amplo relacionamento entre a seguradora e seus parceiros de negócios – estima-se que cerca de 1,5 mil pessoas participem da corrida.

“Temos em nosso histórico a contribuição a uma série de ações de incentivo voltadas à prática de atividades físicas, de modo a estimular a população a desenvolver hábitos saudáveis. Também identificamos nossa participação na Corrida Sincor-RN como uma excelente oportunidade de estarmos ainda mais próximos do sindicato local e dos corretores da região”, afirma José Henrique Pimentel, diretor Comercial da SulAmérica para as regiões Norte e Nordeste.

Tanto o trajeto de cinco quanto o de dez quilômetros terão largada na Praça Cívica, próxima ao centro da capital potiguar, a partir das 6h30. Todos os participantes receberão medalhas, enquanto os vencedores de cada prova também ganharão troféus.

VP da SulAmérica é eleito ‘executivo de TI do ano’ do setor de seguros 370

VP da SulAmérica é eleito 'executivo de TI do ano' do setor de seguros

Cristiano Barbieri foi reconhecido pela atuação de destaque em projetos de Inovação e Inteligência Artificial na seguradora

Pela segunda vez, o Vice-Presidente de Estratégia Digital, Advanced Analytics, Inovação e TI da SulAmérica, Cristiano Barbieri, foi eleito o executivo de TI de maior destaque do ano no mercado de seguros, pelo case “Inovação Digital”. A premiação tem como objetivo homenagear líderes da área de Tecnologia da Informação que tenham desenvolvido, ao longo do ano anterior, estratégias inovadoras nas empresas em que atuam.

Promovida pelo Grupo IT Mídia, esta foi a 18° edição do prêmio em 22 anos de história. O comitê julgador da indústria de TI, em parceria com a consultoria Korn Ferry, avaliou cerca de 300 cases para selecionar os três melhores. A cerimônia de premiação foi realizada na noite da última quarta-feira (20), em São Paulo.

Cristiano Barbieri foi responsável pela expansão da área de inovação na SulAmérica, conhecida como “Garagem de Inovação”. Lançado há três anos, o projeto tem como objetivo desenvolver tecnologia de forma inédita no mercado, experimentando novas tecnologias na melhora contínua e real da Experiência dos nossos clientes e corretores.

“Há pelo menos dois anos, a SulAmérica vem fazendo uso de ferramentas de inteligência artificial (AI) em nossos projetos de Inovação. Soluções analíticas avançadas são o core do nosso negócio. Eu destacaria ainda, como outro diferencial da companhia na área de Inovação, os nossos times multidisciplinares, o que chamamos de squads, que atuam com o objetivo de entregar nossos projetos com uso de métodos ágeis, que usam técnicas da metodologia Lean eDesign Thinking. Isso, de fato, entrega a melhor experiência digital”,  afirma o executivo.

Entre os destaques da área no último ano estão o Reembolso Digital no aplicativo SulAmérica, permitindo a identificação de pedidos por meio de uma foto e encaminhando a solicitação para análise de forma rápida e segura; o Médico em Casa, que permite agendar atendimento médico em domicílio para crianças de até 12 anos em até 40 minutos; além de diversas novidades na área de seguro para automóveis por meio do aplicativo Auto.Vc.

Entender necessidades dos clientes é o presente e futuro do seguro 854

Lideranças estiveram reunidos em Convenção da Lojacorr

O presidente do Grupo Bradesco Seguros, Vinicius Albernaz.

As companhias de seguros buscam entender seus clientes em conjunto com os corretores. Essa preocupação ficou clara durante talkshow promovido pela 6ª Convenção Nacional da Rede Lojacorr, na quinta-feira (21) na Capital paranaense.

De acordo com o presidente do Grupo Bradesco Seguros, Vinicius Albernaz, a nova realidade em que a sociedade está inserida mostra que as empresas precisam focar na necessidade do cliente de maneira completa. “Precisamos entender que ele precisa de proteção dos riscos ao qual ele está exposto e que esses riscos mudam ao longo da vida”, comentou.

O CEO da Liberty Seguros, Carlos Magnarelli.

Albernaz ainda acredita que o desafio está em entender essa nova situação em conjunto com o mercado como um todo. A exemplo disso está o seguro saúde têm a tendência de personalização no mundo como um todo, sendo um objeto de desejo da população. “O cliente mudou, ele é muito mais informado e está querendo soluções rápidas e adequadas e o nosso grande desafio é encantar esse cliente”, opinou.

Sobre personalização, o CEO da Liberty Seguros, Carlos Magnarelli, confia que “cada cliente quer um serviço único para ele e personalizado a sua realidade”. E que, além disso, o público está mais consciente, conhece as empresas e os produtos ofertados. “Por isso temos que entender o consumidor, qual a sua jornada e escutá-lo, pois ele vai nos indicar o que temos que entregar”, confiou.

O vice presidente da Mitsui Sumitomo Seguros, Helio Kinoshita.

Na discussão que envolve a realidade do cliente, a revolução digital entra como um relevante elemento desta equação. “A transformação está nas pessoas e eu diria que temos cinco grandes desafios e um deles é a mudança da estrutura hierárquica para um processo em que todos trabalham em prol do mesmo objetivo, numa discussão mais horizontal dos processos”, detalha o vice presidente da Mitsui Sumitomo Seguros, Helio Kinoshita. “Assim poderemos andar Mais rápidos sendo mais assertivos nas inovações”, complementou.

Por outro lado, a Sancor, companhia argentina que completará 6 anos de atuação no Brasil, tem buscado oferecer meios para que o corretor de seguros consiga entender cada vez mais o seu cliente. “Estamos indo no caminho de disponibilizar ferramentas para que os corretores possam ofertar os produtos certos, pois ele também tem e quer estar preparado para esse novo consumidor”, explicou o diretor geral da Sancor no Brasil, Leandro Poretti.

O diretor geral da Sancor no Brasil, Leandro Poretti.

Além disso, o CEO da HDI Seguros, Murilo Riedel, acrescenta outro ponto interessante à discussão: a especialidade das companhias. “No passado, sempre foi um diferencial, mas se tornou algo negativo para uma seguradora”, afirmou. Ele explica que, na empresa que preside, 95% das operações advém do produto automóvel e que ela é afetada com a queda da faixa de veículos altamente seguráveis (de 0 a 5 anos) de 2014 para 2018. “Essa frota que alimenta o mercado tinha 17 milhões de veículos em 2014 e hoje tem 12 milhões, ou seja, 5 milhões desapareceram e saíram dessa classificação”, comentou.

Resultado disso, é a mudança de visão da HDI, passando do auto para uma seguradora da mobilidade. “A mobilidade é sair de um ponto a outro e chegar em algum lugar e o bem que te leva é apenas um

O CEO da HDI Seguros, Murilo Riedel.

componente de uma experiência que te leva”, disse. “O entendimento das seguradoras mudou sobre aquilo que significa mobilidade e oferecer produtos que compõe essa experiência virou algo mandatório”, salientou.

Conforme esse raciocínio, a companhia passa de fazer o seguro do bem para o seguro da experiência como um todo. “Temos uma visão de que buscar parcerias com seguradoras especializadas, como a nossa parceria com a Icatu, faz com que conjuntamente ofereçamos produtos que compõe essa experiência ampla de mobilidade”, finalizou.

Imagens: Filipe Tedesco/JRS

Lojacorr defende corretagem empreendedora 1089

Lojacorr defende rede de corretores empreendedores

Convenção Nacional da empresa reúne mais de 1.200 participantes em Curitiba

O CEO da Rede Lojacorr, Diogo Arndt Silva.

A inovação e maneiras de entender o novo consumidor tem sido temas fortemente debatidos no mercado de seguros nos últimos anos. Essa também é uma preocupação constante da Rede Lojacorr, conforme ficou evidenciado na cerimônia de abertura da sua 6ª Convenção Anual, que ocorre 21 e 22 de março em Curitiba (PR) e reúne 1.200 participantes entre corretores de seguros e parceiros.

Desde a última convenção, que aconteceu em 2017, a Lojacorr cresceu quatro vezes mais, segundo o CEO Diogo Arndt Silva. “É tempo de transformação e a Lojacorr supera diariamente as nossas expectativas”, destacou. “Nosso objetivo no início era alcançar 100 corretores em Curitiba e região e hoje temos mais de 1.100 corretores em 21 Estados e em 51 unidades espalhadas pelo Brasil”, detalhou.

De acordo ele, a missão dos corretores de seguros de levar proteção ao brasileiro é nobre. “A transformação não está na tecnologia, está nas pessoas, em suas atitudes, e o nosso maior papel como líderes de mercado é encorajar as pessoas a experimentarem, a verem novas formas de consumo”, comentou. Enxergar a figura do corretor de seguros como empreendedor seria fundamental para essa prática. “A maior parte dos projetos e das pessoas não fracassam, elas desistem. E a persistência tem que estar imbuído nos nossos objetivos”, disse.

Em 2017, a empresa que Diogo preside reuniu uma equipe multidisciplinar para realinhar seu planejamento estratégico tendo em vista que se transformou em uma rede de empreendedores. “Quando percebemos que somos novos líderes e empreendedores, pensamos em como criaríamos um ecossistema de soluções para auxiliar cada vez mais a distribuição de seguros através dos corretores”, explicou.

O momento reforça a crença de grandes líderes de mercado de que somente os corretores podem levar efetivamente as melhores proteções aos clientes. “Por intermédio de relações humanas, seremos capazes de levar proteção à parcela da sociedade que ainda não tem acesso, pois muito mais do que vender apólices, queremos proteger as pessoas”, comentou. Valores como transparência seriam fundamentais. “Sabemos que ainda existe um caminho muito grande a percorrer, mas seguimos caminhando, buscando inovar e crentes nos nossos valores, como transparência, que gera colaboração e, com ela, inovação”, afirmou.

A primeira palestra da Convenção ficou a cargo do administrador Max Gehringer.

Para o administrador Max Gehringer, que comandou a primeira palestra da Convenção, a grande profissão até o século XIX era a de agricultor, do século XX empregado e a do século XXI é empreendedor. “O que nós fazemos em nossa carreira é continuar correndo atrás do que vai nos diferenciar e vejo aqui uma plateia de empreendedores”, disse. “O que precisa para ser empreendedor, primeiramente, é não tomar a decisão de ser empreendedor pelo motivo errado, um bom motivo é enxergar uma oportunidade e um futuro”, defendeu.

Neste sentido, empresas como a Lojacorr estão a frente, uma vez que busca inovar sem perder a essência humana. “Não dá para conseguir confiança através da tecnologia, nós olhamos no olho de outra pessoa e conversamos com ela pessoalmente”, alertou. “O empreendedor brasileiro é um teimoso, pois a lei e a burocracia não ajudam, e mesmo assim ele não só insiste, como persiste com as suas ideias”, frisou.

6ª Convenção Nacional Lojacorr – Imagens do primeiro dia

Fundo da Seguros Unimed ultrapassa R$ 1 bilhão em recursos 287

Fundo da Seguros Unimed ultrapassa R$ 1 bilhão em recursos

Fundo de Pensão Multipatrocinado das cooperativas brasileiras, administrado pela seguradora do Sistema Unimed, está entre os melhores planos instituídos do país

Especialista em cuidar da saúde financeira das pessoas e das instituições há quase 30 anos, a Seguros Unimed atinge a marca de R$1 bilhão em recursos no Fundo de Pensão Multipatrocinado sob sua administração, o Multicoop. A solução de investimento garante condições e serviços diferenciados para as cooperativas brasileiras, em relação as demais opções disponíveis no mercado. No total, a seguradora administra um patrimônio líquido de R$2,2 bilhões nos fundos de previdência (aberta e fechada) e uma carteira de investimentos na ordem de R$3,8 bilhões.

Considerado um dos maiores planos do país na modalidade instituída, com 37% de participação no mercado, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), o Multicoop oferece rentabilidade competitiva destacada pela imprensa especializada; opções para diferentes perfis de investidor (Conservador, Moderado, Arrojado); contribuição mínima em valor acessível; flexibilidade para o participante definir o momento da aposentadoria; coberturas adicionais nos casos de invalidez total e permanente e morte; isenção de taxa de carregamento; e um dos menores custos do mercado, com taxas de 0,3% ao ano. Esse pacote de vantagens e a expertise da seguradora no segmento levou a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) a selecionar o Multicoop para desenvolver o fundo de pensão das cooperativas do Brasil.

As carteiras de investimento do Fundo de Pensão Multipatrocinado contam com parceiros do porte do BNP Paribas. Além disso, a gestão profissionalizada dos ativos preserva os interesses dos cooperados, sem que a reserva se confunda com as finanças das cooperativas. “O Multicoop garante a segurança do investimento e permite proteção no futuro para os médicos e para as cooperativas”, destaca o diretor-presidente da Seguros Unimed, Helton Freitas.

A seguradora conta com 85 mil participantes nos planos de previdência (aberta e fechada), sendo mais de 8 mil no Fundo de Pensão Multipatrocinado que administra desde 2013.

Segurança para o futuro

O planejamento financeiro tem o propósito de prevenir situações adversas no futuro, tornando-se cada dia mais importante ter uma reserva financeira segura e rentável. Prezar pela educação financeira é uma opção inteligente, que pode ser feita por meio de investimentos, sem abrir mão de ganhos no presente.

As vantagens de investir cada vez mais cedo são diversas, principalmente se a opção for por investimentos flexíveis e alinhado com o perfil financeiro do investidor. A iniciativa a longo prazo trará mais segurança para um futuro tranquilo com qualidade de vida.

Confira os principais benefícios para um investimento de longo prazo:

  •  Visão de futuro: disciplina para poupança de longo prazo.
  • Incentivo fiscal: dedução do Imposto de Renda da Pessoa Física, até 12% da renda bruta anual tributável.
  • Planejamento sucessório: pagamento aos beneficiários, com rapidez e sem burocracia, sem ITCMD cobrado em vários Estados.
  • Coberturas de risco: opcionais para ampliar a proteção.
  • Portabilidade: transferência dos recursos sem custos.