Sucesso em seguros massificados 382

Confira a edição 191 da Revista JRS

AXA aposta em middle market e nos seguros empresariais para PMEs 291

AXA aposta em middle market e nos seguros empresariais para PMEs

Modelo vai estimular o relacionamento e a aproximação entre parceiros e corretores e a seguradora

A AXA no Brasil conta com uma nova estrutura de relacionamento com o corretor, com atendimento personalizado e foco em middle market e seguros empresariais para PMEs: a Filial Digital, dedicada aos corretores que possuem pouco ou nenhum relacionamento com a AXA. O objetivo é trabalhar em parceria para que o corretor possa chegar a um novo patamar de negócio e se desenvolver, incentivando seu crescimento. Para isso, a companhia realiza ofertas focadas no tamanho e nas necessidades específicas e realiza treinamentos para potencializar a captação de leads, aprimorar a gestão e fazer o melhor uso das ferramentas digitais.

“Queremos ser um parceiro e facilitador, através do relacionamento e oferta de soluções que sejam perfeitas para cada ciclo de vida do corretor na AXA. Nós vamos atendê-lo em suas necessidades reais, potencializando seus acertos e construindo um ambiente para atuarmos em parceria. Para isso, criamos a Filial Digital, que tem a satisfação e encantamento como essência para construção do relacionamento com o corretor. Também atuamos na governança de projetos e do relacionamento com assessorias”, afirma Karine Brandão, Diretora comercial RJ e ES e Filial Digital.

Essa reformulação é parte das iniciativas do programa de relacionamento com corretores, o AXA Experience Club, que contempla cinco segmentos: Exclusive, Premium, Blue, Red e White. O objetivo do programa é atuar como uma ponte para ampliar e aprofundar parcerias com estes segmentos.

Rio Grande Seguros e Os Fagundes propagam cultura gaúcha 185

Rio Grande Seguros e Os Fagundes propagam cultura gaúcha

Próximo show acontece na Fenamilho Internacional em Santo Ângelo

O palco montado na tradicional Feira Internacional do Milho, em Santo Ângelo, receberá Os Fagundes no dia 3 de maio. A apresentação faz parte da série de projetos culturais fruto da parceria entre Rio Grande Seguros e Previdência e Os Fagundes.

“Nos identificamos com uma família que, junta, canta o tradicionalismo e carrega por onde passa a cultura e a identidade do nosso Estado. Nossa missão maior é proteger as famílias dos gaúchos em todos os cantos do Estado”, afirma Cassio Hennes, gerente comercial da Rio Grande Seguros.

Divulgação

A banda deve marcar presença também no Parque Maurício Sirotski Sobrinho durante os Festejos da Semana Farroupilha e fazer parte da programação da Expointer. Além disso, a seguradora patrocinou shows gratuitos na beira-mar de Atlântida durante todos os finais de semana de janeiro e fevereiro.

Arrecadação do mercado de seguros avança dois dígitos até fevereiro 271

Arrecadação do mercado de seguros avança dois dígitos até fevereiro

Receita atinge R$ 39,4 bilhões e sobe 12,7% no período

A arrecadação do mercado de seguros manteve a trajetória positiva no acumulado do ano até fevereiro. No primeiro bimestre, a alta foi na casa de dois dígitos – de 12,7% (sem DPVAT e sem saúde suplementar) – sobre o mesmo período do ano passado, alcançando a cifra de R$ 39,4 bilhões (ou R$ 40,1 bilhões com DPVAT), informa a nova edição da publicação Conjuntura CNseg. “O comportamento positivo de todos os ramos contribuiu para fevereiro apresentar uma taxa de crescimento bastante promissora, na comparação com o acumulado no mesmo período do ano passado”, destacou Marcio Coriolano, presidente da CNseg, a Confederação das Seguradoras.

Vale lembrar que o desempenho positivo do setor segurador é importante no plano macroeconômico, não só pela sua participação de mercado – de 6,5% do PIB-, mas também pela sua condição de grande investidor institucional – as seguradoras mantêm mais de R$1,2 trilhão em ativos, ou seja, 25% da dívida pública.

O resultado deveu-se ao crescimento de todos os ramos de seguros no período. Destaque para os Planos de Acumulação VGBL, que subiram 17,8% nos dois meses primeiros meses do ano. Outras contribuições importantes, no acumulado do ano, partiram dos seguros Patrimoniais (19,5%), do Seguro Rural (13,1%), dos seguros de Crédito e Garantias (10%) e dos títulos de Capitalização (9,6%). Já os seguros de Automóveis tiveram discreto aumento de arrecadação, de 1,3% no bimestre.

Na série de dados anualizada (março/18 a fev/19 – sem Saúde Suplementar), o crescimento é mais discreto- 2%-, indicando, porém, uma recuperação paulatina, já que houve uma sequência de quatro períodos anualizados de taxas negativas (considerando-se as séries de 12 meses móveis de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2018).

Proseg está com nova sede em Porto Alegre e contrata executivo 437

Raul Lopardo agora integra equipe da empresa

A Proseg Administradora e Corretora de Seguros, com mais de 30 anos de especialidade no mercado de seguros brasileiro, com soluções de agilidade em propor tranquilidade aos seus clientes, através de seus produtos pessoais e patrimoniais, segue inovando em soluções. A empresa com sede em Brasília, filiais em São Paulo e Salvador, agrega novidades para a filial Porto Alegre.

O novo endereço da Proseg conta com amplo espaço para atendimento de clientes segurados e parceiros, e fica situado na Rua Felicíssimo de Azevedo, 744 – Bairro Higienópolis. Além disso, o executivo com mais de 25 anos de experiência em seguridade nacional, Raul Lopardo, soma-se à equipe da empresa para desenvolvimento de projetos inovadores.

Chubb aponta crescimento do seguro de vida no setor audiovisual 244

Chubb aponta crescimento do seguro de vida no setor audiovisual

Lançamento de filmes brasileiros mais que dobrou entre 2009 e 2018

A Chubb diz que a demanda por seguros de vida específicos para o setor audiovisual cresceu nos últimos anos, tendo em vista a expansão desse segmento no Brasil. De acordo com o Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA), o número de lançamentos de filmes brasileiros entre 2009 e 2018 mais do que dobrou, ao pular de 84 para 171. Conforme o último levantamento da entidade sobre o assunto, a participação da produção brasileira independente nos canais da TV paga passou de 10,7% para 13,8% entre 2013 e 2017.

Segundo Dennys Rosini, Diretor de Vida da Chubb Brasil, o seguro de vida da seguradora está chamando a atenção das empresas de audiovisual porque, entre outras razões, a apólice customizada concede proteção a todos os participantes da produção, observando custos reconhecidamente acessíveis. Assim, as coberturas do produto, denominado VG Filmagens, contemplam técnicos, atores, diretores, figurantes e modelos, além de outras pessoas ligadas diretamente aos processos de desenvolvimento, criação e filmagem. As indenizações são concedidas em caso de morte, invalidez permanente em função de acidente e ainda por conta de despesas médicas, hospitalares e odontológicas.

De acordo com o Diretor, os riscos mais frequentes nesse setor são os acidentes que podem ocorrer em gravações de seriados, propagandas, novelas e filmagens. Para atender as necessidades do segmento, ele diz que a Chubb montou uma equipe especializada e que “que fala a mesma língua” dos profissionais do ramo durante as etapas de subscrição, gerenciamento de riscos e atendimento a sinistros. “Além disso, a companhia desenvolveu ferramentas que possibilitam a contratação do seguro de forma 100% online”, destaca. Ele reitera que esse último recurso permite que o seguro seja adquirido em grande velocidade, atendendo uma necessidade importante das produções, que geralmente atuam com cronogramas apertados.

Dennys Rosini lembra que a indústria audiovisual continuou crescendo nos últimos anos, a despeito da crise econômica vivenciada no país. Essa observação é também respaldada pelos dados do OCA, que dão conta que a quantidade de filmes brasileiros lançados por ano subiu 32% entre 2014 e 2018. Segundo a mesma entidade, o número de certificados de produto brasileiro de obras independentes aumentou 60% entre 2013 e 2017. Ao destacar esse aspecto do setor, que denota força e resiliência, ele afirma que o seguro de vida para a indústria audiovisual merece especial atenção dos corretores de seguros que desejam ampliar os seus rendimentos por meio da diversificação de produtos. “Estamos preparados para dar todo o suporte necessário a esses parceiros”, conclui.