Como se constitui uma seguradora 499

Em um setor altamente regulado, como é o de seguros no Brasil, tentar vender apólices sem autorização definitiva é como aplicar o golpe do bilhete premiado

Como acontece no mundo, o setor de seguros brasileiro é altamente regulado. Afinal, o setor lida com recursos de terceiros em totais muito elevados. No Brasil, atualmente, as reservas a cargo das seguradoras ultrapassam R$ 750 bilhões, caminhando para, no final do ano que vem, atingirem um R$ 1 trilhão.

Apenas esta ordem de grandeza seria suficiente para justificar o forte controle exercido pelo Estado. Mas outras razões importantes somam para que a regulação se dê em sintonia com que há de mais moderno, como os parâmetros de Basileia 2, adotados na Europa para garantir a solvência das seguradoras.

A base legal para o funcionamento do setor é uma das boas leis redigidas no país, o Decreto-lei 73/66, elevado à condição de Lei Complementar pela Constituição de 1988. Em vigor desde 1966, o Decreto-lei 73/66 é a lei que regulamenta o Sistema Nacional de Seguros Privados, no bojo do qual nasceu a Superintendência de Seguros Privados (Susep) para ser a xerife do mercado.

Se nas primeiras décadas a Susep não teve grande interferência nos destinos da atividade, a partir de meados da década de 1980, graças aos esforços de João Régis Ricardo dos Santos e Jorge Hilário Gouveia Vieira, a autarquia começou a ganhar musculatura, se profissionalizar e assumir tarefas até então a cargo do Instituto do Resseguros do Brasil (IRB), além de incrementar as atividades já a seu cargo.

Daí para frente, a Susep foi adquirindo importância como a reguladora e fiscalizadora do setor, nos exatos termos dispostos pelo Decreto-lei 73/66. Hoje, a Susep é uma autarquia federal razoavelmente aparelhada, com corpo técnico qualificado e capaz de exercer sua missão legal de forma competente, ainda que padecendo de algumas deficiências que atrasam principalmente o desenvolvimento de novos seguros importantes para o país.

Já no campo da fiscalização e do controle das empresas sob sua responsabilidade, a Superintendência de Seguros Privados atua com eficiência, tanto que nos últimos anos não aconteceu a liquidação de nenhuma seguradora mais expressiva, ao passo que o movimento de criação de novas companhias e de fusões e aquisições cresceu significativamente.

Para abrir uma seguradora, o interessado deve solicitar, inicialmente, uma autorização provisória para a Susep.

No pedido são expostos em linhas gerais os acionistas, o plano estratégico, ramos de atuação, capital social, plano de negócios, prazos e outras informações fundamentais para a Susep fazer a análise do projeto. Deferida a autorização provisória, os interessados implementam as providências necessárias para a constituição e o registro de uma sociedade anônima.

Feito isso, a Susep analisa os acionistas, origem, qualidade e aplicação dos recursos, capital mínimo, plano de negócios, idoneidade dos gestores, etc., podendo exigir mais informações ou providências. Só depois da conclusão destes trâmites ela autoriza ou não o funcionamento da nova seguradora. E este processo não é rápido.

Importante salientar que, enquanto a companhia em constituição não receber a autorização definitiva de funcionamento, ela não pode operar. Sem estar de posse dela a companhia não pode desenvolver planos de cobertura, nem registrar as notas técnicas e planos atuarias na Susep; não pode vender seguros, não pode assumir riscos, não pode contratar resseguros ou aceitar cosseguros, nem pode constituir reservas. Legalmente, ela ainda não é uma seguradora.

É uma disposição impositiva e, para ficar mais forte, foi criada inclusive a figura de crime contra a economia popular e de crime contra as relações de consumo para quem não respeitar as regras do jogo.

Assim, alguém que, ainda que tendo a autorização provisória, tente vender apólices de seguros antes da autorização definitiva se equipara às quadrilhas que aplicam o golpe do seguro, do bilhete premiado ou erguem as pirâmides financeiras, que há muito tempo esbulham cidadãos de boa-fé que acreditam na lábia dos golpistas.

*O texto acima foi originalmente publicado no Estadão.

Sincor-RS convoca corretores de seguros 578

Sincor-RS convoca corretores de seguros

Em artigo, presidente Ricardo Pansera fala sobre a Contribuição Sindical

A visão que o Sindicato das Empresas Corretoras de Seguros e dos Profissionais Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS) busca consagrar é o vínculo das empresas corretoras e profissionais corretores com seu sistema de representação, que fortalece a valorização do setor.

“Com Corretor de Seguros é muito mais seguro!”. A força dessa representação vem da participação ativa das empresas corretoras e dos profissionais corretores que, por sua vez, usufruem dos serviços oferecidos pelo sindicato, bem como a intermediação pela entidade sindical de seus interesses às autoridades, a fim de tornar mais efetiva e expressiva a categoria.

A sustentação econômica para manter a estrutura funcional da entidade depende das contribuições de seus representados. Desse modo, a Contribuição Sindical é um das principais fontes de custeio do Sindicato, que trabalha transformando os recursos obtidos com a contribuição em serviços e benefícios, gerando resultados importantes para toda a categoria.

Ao realizar o pagamento da Contribuição Sindical você contribui com a manutenção do Sindicato e o fortalecimento de sua representatividade junto às esferas governamentais, nas negociações coletivas de trabalho, em defesa de um ambiente de negócios favoráveis às empresas corretoras e aos profissionais corretores, principalmente nas áreas tributária, trabalhista, ações judiciais, negociações coletivas, manutenção de comissões de trabalho e de assessorias técnicas, palestras, cursos, eventos e, ainda, ações políticas que levam a conquistas importantes para o setor.

Para continuarmos atuando em defesa e em prol de nossa categoria, contamos com sua contribuição. Sim, ela é facultativa, não mais obrigatória. Por isso a importância da conscientização de cada um.

O Departamento de Cadastro e a Secretaria do Sincor-RS ficam à sua inteira disposição para esclarecimentos através do telefone (51) 3225-7726, no WhatsApp corporativo (51) 999-734-594 ou ainda pelo e-mail cadastro@sincorrs.com.

Lembre-se: Juntos somos muito mais fortes!

Um grande abraço de Ricardo Pansera, Presidente do Sincor-RS.

Familiares e executivos da HDI Seguros participam do Verão Super Seguro 345

Familiares e executivos da HDI Seguros participam do Verão Super Seguro

QG do JRS segue com encontros especiais aos finais de semana, no Rio Grande do Sul

A ação especial Verão Super Seguro está com tudo. Acompanhados de familiares, Rubens Oliboni, Diretor Regional da HDI Seguros, e os executivos Giovani Menger e Edson Oliveira, participaram das gravações dos programas de litoral do Seguro Sem Mistério. O programa é apresentado diariamente no Bah!TV, com edição inédita aos domingos, a partir das 11h30min.

Não poderia faltar o tradicional churrasco à moda gaúcha para abrilhantar uma conversa diferenciada sobre política, economia e o futuro do Brasil e seu contexto na América Latina. Os importantes avanços da HDI Seguros e seus processos digitais também foram enfatizados pelos convidados ao anfitrião e apresentador Jota Carvalho.

AIG promove a 2ª edição do Prêmio Crescer Juntos em reconhecimento às assessorias parceiras 361

Divulgação

Canal teve um crescimento de 81% em produção no ano passado

Um canal que cresceu 81% em produção em 2018 em relação ao ano anterior, e que deve continuar ocupando um lugar de destaque entre os canais de distribuição da AIG Seguros neste ano. Essa é a importância das assessorias para companhia, pois são parceiros comerciais que representam a empresa e seus produtos em contato com corretores de todo o Brasil.

Para reconhecer o desempenho e parceria das assessorias, a AIG realizou, nesta quarta-feira (06), a 2ª edição do Prêmio Crescer Juntos. Profissionais de diferentes estados – Rio de Janeiro, Santa Catarina, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Sul e São Paulo – prestigiaram o evento em São Paulo.

“As assessorias são aliadas importantes em nossa estratégia comercial. Por meio delas, levamos nosso portfólio diversificado a corretores de todo o Brasil”, explica Rodrigo Valadares, Gerente de Middle Market.

Melhores desempenhos em 2018

A assessoria Repgen, de Salvador (BA), foi, pelo segundo ano consecutivo, a grande vencedora, com o melhor desempenho ao longo de 2018. A segunda posição ficou com a Selletiva e o terceiro lugar com a HMF, ambas de São Paulo.

Verão Super Seguro entrega kit verão da Previsul Seguradora 204

Verão Super Seguro entrega kit verão da Previsul Seguradora

Vencedor conheceu a Redação de JRS

O vencedor da promoção Verão Super Seguro, Thiago Marros, retirou ontem, na Redação JRS, seu kit especial. Realizada em parceria com a Previsul Seguradora, a promoção sorteou cadeira de praia, squeeze e um mini cooler personalizado pela companhia.

Fique ligado, em breve a equipe de JRS deve preparar novos sorteios.

Affinity traça panorama sobre a demanda de seguro viagem no Brasil 438

Affinity traça panorama sobre a demanda de seguro viagem no Brasil

São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro lideram vendas

Com mais de 500.000 bilhetes de seguro viagem emitidos em 2018 e atuação entre os principais players no mercado brasileiro, a Affinity Seguro Viagem usou os dados do último ano para traçar um perfil da venda e demanda pelo serviço no País.

“As viagens entraram de vez na cesta de consumo do brasileiro. Mesmo em momentos de crise, percebemos que as pessoas não deixam de viajar, mas adaptam seus gastos e roteiros. E a aquisição do seguro passou a fazer parte da rotina tanto daqueles que deixam o país quanto dos turistas nacionais. Contudo, apesar dos grandes avanços já alcançados, ainda há muito trabalho no que diz respeito à ampliação da informação sobre o seguro viagem e seus benefícios. Sem contar a obrigatoriedade, já que a cada ano novos países anunciam essa exigência para admitir a entrada dos visitantes”, avalia o diretor geral da Affinity, José Carlos Menezes.

Veja, abaixo, os principais resultados do levantamento da Affinity:

Cidades que mais emitiram o seguro viagem em 2018

*Cada caso é avaliado individualmente, portanto os valores citados levam em consideração a média de preços praticados nesses destinos.