Maioria dos consumidores conectados já fez compras pela internet 408

É o que diz uma pesquisa do SPC Brasil e do CNDL

Mais da metade dos consumidores brasileiros com acesso à internet (59%) já utilizou algum aplicativo em dispositivos móveis para comprar algo, sendo que 27% fazem isso cotidianamente, revela a pesquisa Consumo por meio de Aplicativos, feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Reprodução

O levantamento estima que os aplicativos serão cada vez mais utilizados para compras e não apenas para a comunicação, pesquisa e comparação de preços durante o processo de compra. Foram ouvidos 673 internautas das 27 capitais que fizeram compras pela internet no último ano.

Segundo os dados, os aplicativos mais utilizados são aqueles relacionados à compra e venda de produtos usados, como o Mercado Livre, Enjoei, OLX e outros (46%), seguidos dos serviços de motorista particular ou táxi (45%), lojas varejistas nacionais (42%) , aplicativos de ofertas e descontos, como Peixe Urbano e Groupon (31%), serviços de streaming, como o Netflix, Spotify (31%), lojas varejistas internacionais (30%) e compras de comidas com entrega em casa (29%) .

O estudo também mostrou que 94% dos entrevistados utilizam os aplicativos para fazer operações e consultas bancárias (68%), geolocalização ou GPS, como Waze e Google Maps (67%, aumentando para 79% nas classes A e B), comparar preços (49%) e organizar as finanças (20%). Ao justificar as compras feitas através de aplicativos, 35% mencionam a facilidade de acesso, enquanto 27% julgam ser mais prático e 14% argumentam que, deste modo, encontram os melhores preços e ofertas do mercado.

“O mobile já é visto como tendência irreversível no consumo. É preciso, portanto, desenvolver experiências que cativem os consumidores e facilitem o engajamento, pensando ainda no uso das redes sociais. Tudo mostra que a consolidação dos dispositivos móveis será o caminho a seguir no comércio eletrônico nos próximos anos”, disse o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro.

WhatsApp

Segundo o levantamento do SPC Brasil e da CNDL, 39% dos internautas já utilizaram o WhatsApp para se comunicar com a loja ou vendedor no processo de compras.

Cinco em cada dez (52%) consumidores que usam WhatsApp para compras foram respondidos todas as vezes que entraram em contato com uma loja ou vendedor pelo aplicativo e 59% já realizaram algum tipo de compra pelo aplicativo. Entre eles, 15% disseram ter feito a compra principalmente por se sentirem mais seguros ao entrar em contato com o vendedor; 15% fizeram por não precisar sair de casa e 14% porque podem receber imagens e vídeos dos produtos antes da compra.

Os produtos mais comprados com auxílio do aplicativo são: comida entregue em casa (23%), roupas, calçados e acessórios (22%) e cosméticos e perfumes (15%) .

“A essência do aplicativo é facilitar a comunicação entre as pessoas e isso acabou por se estender ao ambiente profissional. É natural que varejistas e prestadores de serviços tenham percebido o potencial da ferramenta para abordar e ser abordado por clientes, sanar dúvidas, divulgar novidades, gerar interesse e, consequentemente, concretizar mais vendas”, afirmou o presidente do SPC Brasil.

A pesquisa apontou ainda que entre os 61% que nunca utilizaram o WhatsApp para compras, 40% disseram que o principal motivo é a falta de oferta deste canal de comunicação por parte das lojas e vendedores, seguido da resolução no site ou aplicativo da empresa (32 %) . A disponibilização do aplicativo como meio de comunicação no processo de compra foi citada por 42% e o aplicativo foi classificado como o favorito entre o consumidor e o vendedor por 45% dos entrevistados.

Para Pellizzaro, a lógica básica das relações de consumo não mudou, embora a tecnologia exija capacidade de adaptação.

“Ninguém gosta de ser mal atendido, ficar sem resposta ou ter dúvidas e não ter a quem perguntar quando está em busca de um produto ou serviço. Portanto, dependendo do segmento de atuação, ignorar as pessoas que desejam comunicar-se por essa ferramenta é perder a oportunidade de fidelizar clientes, vender mais ou aprimorar o processo de pós- venda, por exemplo”, afirmou.

Pellizzaro ressaltou ainda que o lojista ou vendedor precisa preparar-se para prestar o serviço adequadamente, por meio de treinamento e acompanhamento constante. “Do contrário, terá de lidar com clientes insatisfeitos e comentários negativos sobre a empresa, o que pode ser desastroso para qualquer negócio”.

Comissão da Mulher do CCS-RJ promove evento 165

Comissão da Mulher do CCS-RJ promove evento

Tudo acontece nesta terça-feira, 19

A Comissão da Mulher do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) vai promover, nesta terça-feira, dia 19 de março, um evento para registrar o Dia Internacional da Mulher. As corretoras associadas vão se encontrar na sede da entidade para um café da manhã, bate papo sobre bem estar no ambiente de trabalho e um curso de automassagem para alívio do estresse com a terapeuta Shanti Braga.

Confira a programação completa:

9h café

9h30 Palestra de abertura: Inteligência emocional – Como lidar com as emoções no trabalho, com Sonia Marra

10 às 11h30 Curso de Automassagem para alívio do estresse, com a terapeuta Shanti Braga

Objetivos

  1. Promover a saúde e bem estar da mulher
  2. Guia para realização da automassagem
  3. Brindes: kit de cristais para harmonia

Reforma da Previdência é tema de palestra 165

Reforma da Previdência é tema de palestra

Evento será conduzido por Carlos Heitor Campani e Fábio Garrido, pesquisadores da Escola e do Coppead-UFRJ

Na próxima quinta-feira, 21 de março, a Escola Nacional de Seguros promoverá, no Rio de Janeiro (RJ), a palestra “Reforma da Previdência em Detalhes e seus Desdobramentos no Mercado de Previdência Complementar”. O evento será conduzido por Carlos Heitor Campani e Fábio Garrido, pesquisadores da Escola e do Coppead-UFRJ.

O encontro contará ainda com a participação do presidente da Comissão de Produtos da FenaPrevi, João Batista Mendes Angelo. Os especialistas explicarão os principais pontos da proposta do Governo para a Reforma da Previdência, com foco no Regime Geral (RGPS), mostrarão os possíveis impactos da reforma e indicarão as melhores opções para os brasileiros que visam garantir uma aposentadoria tranquila.

A palestra terá início às 19h e, para mais informações, os interessados devem acessar este site, onde também podem ser feitas inscrições gratuitas. As vagas são limitadas. A palestra também será transmitida ao vivo, por meio deste link.

Pós-graduação

A previdência será um dos temas de maior destaque neste ano no mercado e na Escola. Em São Paulo (SP), a Instituição ministrará a pós-graduação Previdência Complementar Aberta, que terá início dia 20 de maio e visa apresentar informações sobre o funcionamento, aspectos jurídicos, operações e riscos do mercado de previdência privada.

O investimento é de 5 parcelas de R$ 772,65 e, para participar, é necessário graduação completa ou incompleta, desde que haja experiência comprovada no mercado de seguros, a ser avaliada por análise curricular e entrevista com a coordenação do curso.

As matrículas devem ser efetuadas neste site, onde outros detalhes estão disponíveis.

Vice-governador apresenta detalhes do plano RS Seguro 177

Vice-governador apresenta detalhes do plano RS Seguro

Ranolfo Vieira Jr. também é Secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul

Está tudo pronto para o primeiro almoço promovido pelo Sindicato das Seguradoras do Estado do Rio Grande do Sul (Sindseg/RS), que recebe o vice-governador e secretário de Segurança Pública na próxima quinta-feira. Ranolfo Vieira Jr. apresenta detalhes do Plano RS Seguro aos profissionais do setor em almoço especial, no Clube do Comércio de Porto Alegre (RS).

O valor para participar do encontro é R$ 70. As confirmações de presença devem acontecer até o dia 20 de março, no e-mail margareth.souza@sindsegrs.org.br. Informações adicionais podem ser obtidas pelos telefones (51) 3221-4433 e (51) 3221-4960.

Programa Seguro Sem Mistério estampa nova ação do JRS em Porto Alegre 362

Atração de TV chega a mais de 21 cidades do RS; Campanha reforça presença do JRS no Estado

Programa Seguro Sem Mistério estampa nova ação do JRS em Porto Alegre
Programa Seguro Sem Mistério estampa nova ação do JRS em Porto Alegre

Em um percurso de mais de 200km diário será divulgada a marca do programa Seguro Sem Mistério nas ruas do Rio Grande do Sul. Em ação especial, JRS reforça presença no Estado, divulgando a atração veiculada em mais de 21 cidades do Rio Grande do Sul, através dos canais 520 e 526 da NET.

A apresentadora e editora-chefe da agência de comunicação, Júlia Senna, estampa a nova peça publicitária. O programa Seguro Sem Mistério na TV vai ao ar em edição inédita todos os domingos, a partir das 11h30min. Nas segundas e terças, o programa vai ao ar a partir das 13h30min. Já nas quintas, o SSM é apresentado a partir das 16h30min. Às sextas, a atração vai ao ar a partir das 9h e aos sábados, a partir das 14h.

Com quase 15 anos no ar, o programa traz diversas entrevistas em conteúdos especiais produzidos pelos jornalistas do JRS. No verão, uma campanha especial chamou a atenção dos veranistas e reuniu diversos players e especialistas do setor de seguros durante toda a temporada. Com direção geral de Jota Carvalho, apresentação de Júlia Senna, reportagens de William Anthony, imagens de Matheus Pé e edição de Filipe Tedesco, o programa é referência nacional em informações sobre o mercado de seguros, previdência e capitalização.

Além dos horários especiais de apresentação na televisão, o Seguro Sem Mistério conta com edições na íntegra no canal do JRS no YouTube e na seção de vídeos da página oficial do JRS no Facebook.

Principais dúvidas sobre a declaração do Imposto de Renda 289

Principais dúvidas sobre a declaração do Imposto de Renda

Agora é possível corrigir questões em até 24h após submissão de formulário

Até o dia 30 de abril, os contribuintes devem informar à Receita Federal seus rendimentos referentes ao exercício de 2018. Qualquer erro ou omissão de informações pode fazer com que o declarante caia na malha fina. Além disso, a multa para aqueles que não fizerem a declaração ou entregá-la fora do prazo será de, no mínimo, R$ 165,74.

Entre as novidades deste ano, está a obrigatoriedade de declaração do CPF de dependentes e a possibilidade de saber se o formulário enviado entrou na malha fina em cerca de 24 horas e, posteriormente, corrigi-lo. Com o objetivo de auxiliar no processo de declaração do Imposto de Renda, Davidson Souza, professor de Ciências Contábeis do Centro Universitário FMU, integrante da rede internacional de universidades Laureate, esclarece as principais dúvidas sobre o tema.

  1. Quais documentos preciso ter para fazer a declaração?

Informes de rendimentos de instituições financeiras, inclusive corretora de valores; informes de rendimentos de salários, pró labore, distribuição de lucros, aposentadoria, pensão etc.; informes de rendimentos de aluguéis de bens móveis e imóveis recebidos de instituições jurídicas; informações e documentos de outras rendas recebidas no exercício, tais como rendimento de pensão alimentícia, doações, heranças recebida no ano, dentre outras; – resumo mensal do livro caixa com memória de cálculo do carnê-leão; – DARFs (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) do carnê-leão.

  1. Perdi o recibo da última declaração. O que eu faço?

É possível gerar um código de acesso junto ao Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal da FMU, ou comparecer em uma das unidades da Receita Federal, ou ainda, por meio de certificado digital.

  1. Quem paga aluguel pode abater imposto?

Os valores declarados a título de aluguel não serão dedutíveis, apenas compõem o hall de possibilidades de pagamentos a serem informados à Receita Federal.

  1. Devo declarar a herança que recebi?

Todo o acréscimo patrimonial acima de R$ 300.000,00 deve obrigatoriamente ser informado, embora sejam incentivados a declaração de bens em valores inferiores.

  1. Peguei um empréstimo no banco o ano passado, devo declarar essa quantia?

Todo e qualquer empréstimo deve ser lançado em aba própria como dívidas e ônus reais, respeitado o código interno do programa do imposto de renda

  1. Tenho que pagar Imposto de Renda na venda de imóvel?

Depende. Deve ser apurado primeiramente se houve ou não ganho de capital, sendo este a diferença positiva entre o valor que comprou e que alienou determinado bem. Para tanto, recomenda-se a utilização de programa da RFB denominado de Ganho de Capital para, posteriormente, ser importado para o programa de ajuste anual.

  1. Quem pode ser meu dependente?

Basicamente, filhos e enteados, esposa ou companheira no qual conviva há mais de 5 anos ou com quem tenha filhos. Também enteados e filhos com até 24 anos, desde que frequentem o ensino superior, dentre outros casos previstos na lei.

  1. Quais gastos abatem Imposto de Renda?

Aqueles relativos à saúde (médico, dentista, etc.), desde que comprovados documentalmente, gastos com educação (ensino fundamental 1, 2, médio e curso de graduação e pós-graduação), entre outros.

  1. Onde informo meu financiamento?

Na aba dívidas e ônus reais.

  1. Posso atualizar o valor do meu imóvel?

Não. Deve ser mantido o valor de aquisição, sendo permitido apenas a integração de outros valores desembolsados relativos ao mesmo bem. Por exemplo: algum bem financiado.

  1. Estou morando fora do Brasil, preciso fazer a declaração?

Deve fazer a declaração de saída definitiva, respeitando as particularidades da legislação.

  1. Como faz para declarar carro e moto?

Ambos são informados como bens e direitos, em código próprio.

  1. Fui desligado da empresa, preciso declarar o valor da rescisão?

A rescisão deve ser declarada de acordo com o informe. Constitui um rendimento isento.

  1. Sou casado (a). Preciso fazer declaração conjunta?

Depende. O programa permite que faça tanto apartado quanto de forma conjunta. É recomendável que o contribuinte simule a forma mais benéfica.

Entre 18 de março e 26 de abril, estudantes do curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário FMU auxiliarão o público gratuitamente no preenchimento e envio da declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física de 2019.  Os atendimentos acontecerão com a supervisão de professores e apoio técnico de profissionais da Receita Federal do Brasil. O serviço é gratuito e aos interessados solicita-se apenas a doação de 2 kg de alimento não perecível, que serão doados a entidades assistenciais.

Orientação gratuita para a declaração de Imposto de Renda

Centro Universitário FMU
Data: entre 18 de março e 26 de abril
Horário: das 16h30min às 18h30min
Campus: Avenida da Liberdade, 749 – Térreo –  Global Office / NAF
Contribuição: 2 kg de alimento não perecível (exceto sal e açúcar)