Inflação em São Paulo fecha 2017 em 2,27% contra 6,54% de 2016 2566

Índice de Preços ao Consumidor é aferido pela Fipe

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), na cidade de São Paulo, encerrou 2017 com alta de 2,27%, variação bem abaixo da registrada em 2016 quando apresentou acréscimo de 6,54%. Dois dos sete grupos pesquisados tiveram recuo no acumulado de janeiro a dezembro: alimentos (-2,01%) e vestuário (-1,18%).

A maior elevação no ano foi constatada em saúde (8,55%), seguida de Educação (7,94%); Transporte (4,43%); Despesas Pessoais (3,41%) e Habitação (3,18%).

Números comparativos

Na comparação de dezembro último com novembro, o índice ganhou força ao passar de 0,29% para 0,55%, puxado, principalmente, pelos grupos Habitação (de 0,34% para 0,73%) e Alimentação (de -0,68% para 0,31%) e ainda sob o expressivo impacto dos reajustes no grupo Transporte com alta de 0,76%, mas em ritmo de desaceleração já que, em novembro, o aumento tinha sido ainda significativo (0,89%).

Nos demais grupos houve as seguintes oscilações: Despesas Pessoais (de 1,3% para 0,70%); Saúde (de 0,42% para 0,45%); Vestuário (de 0,23% 0,11%) e Educação (de 0,10% para 0,08%).

72% das empresas brasileiras valorizam acordos de livre-comércio 134

Negócios

É o que aponta uma pesquisa do HSBC

Cerca de nove entre dez empresários brasileiros (88%) acreditam que o clima para o comércio internacional é positivo, de acordo com o “Navigator: Agora, como e futuramente nos negócios”, pesquisa global feita pelo HSBC em parceria com a Kantar TNS realizada em 34 mercados. De acordo com o recorte brasileiro, o otimismo é significativamente maior que a média global (78%). De fato, empresas brasileiras mostram-se favoráveis em relação a acordos de livre-comércio. Praticamente três quartos (72%) dos respondentes esperam fechar acordos relevantes para o sucesso dos negócios, acima da média global (52%).

Os respondentes mostraram-se positivos sobre a adoção de novas tecnologias, com 38% identificando o fato como ponto principal do otimismo. Os parceiros comerciais tradicionais do Brasil — Estado Unidos, Canadá e Argentina — foram frequentemente identificados como os mercados em que os empreendedores estão pensando em expandir os negócios, 33% nos Estados Unidos, 18% no Canadá e 16% na Argentina.

Como uma das economias mais fechadas do G20, mas um país com um déficit comercial significativo com os EUA, o Brasil até agora escapou da recente onda de protecionismo comercial relativamente ileso. De fato, o fortalecimento das exportações ajudou a emergir a maior economia da América Latina.

Avanços na área de tecnologia também proporcionaram oportunidades e promoveram novos cargos, plataformas e aparelhos mundialmente. Hoje, 87% das companhias brasileiras já usam data analytics para otimização e, consequentemente, crescimento. Esse número caí para 75% globalmente. Outro dado interessante mapeado é que o termo “internet das coisas” é enxergado como uma grande oportunidade para 74% dos respondentes.

No setor, as áreas mais exploradas no Brasil são, operacional (52%), dados de mercado (45%), voltado para tendências e concorrência, mídias sociais (39%), dados de sensores (37%), coletados de aparelhos usados no dia a dia, dados transacionais e de venda (35%), dados de internet (33%), como SEO e Google Analytics e dados pessoais de usuário (30%).

Sustentabilidade é o foco das empresas

Somente 8% dos respondentes de bens e 3% dos de serviços afirmam que sustentabilidade não é o foco nas companhias. Ainda, o número de projetos nesse campo tem aumentado consideravelmente, com o Brasil a frente (32%), em comparação com a média global (18%) na área de supply chain.

SAS abre inscrições para programa de Trainee Editorial 179

Trainee SAS

É a primeira edição do projeto, que procura formar jovens talentos com capacidade técnica aliada à gestão

O SAS Plataforma de Educação está com as inscrições abertas para a primeira edição do seu programa de Trainee Editorial. A empresa busca talentos de todo o Brasil que apostem na construção de carreira sólida no meio editorial voltado para a educação em uma companhia que é referência em soluções educacionais. As inscrições podem ser feitas até 12 de dezembro neste site.

Para participar é preciso ser graduado em Pedagogia ou nos cursos de Licenciatura e Comunicação há no máximo quatro anos e possuir experiência na área editorial e/ou educacional. Possuir experiência em sala de aula é um diferencial. “O programa foi criado porque queremos transformar Fortaleza em um polo de referência em produção editorial voltada para o mundo da educação. Nada melhor do que começar isso dentro do SAS, uma plataforma que está presente em mais de 700 escolas do país com um material didático completo e de ótima qualidade”, conta Carla Araújo, trainee responsável pelo projeto.

O programa tem duração de um ano e seis meses e a expectativa é de que sejam contratados quatro trainees para trabalhar em Fortaleza (CE).

O processo seletivo consiste em quatro etapas:

  1. Teste on-line – gramática e interpretação textual;
  2. Dinâmica em grupo e teste prático presenciais*;
  3. Entrevista on-line com líderes do SAS;
  4. Dia SAS – Experiência para conhecer a matriz da empresa, em Fortaleza, e participar de um desafio final**.

Carla explica que o programa busca pessoas de todo o Brasil capazes de aliar um perfil técnico à capacidade de gestão e liderança de equipes. “O trainee será dono de projetos que impactarão diretamente a produção editorial do SAS, cujos materiais didáticos estão em constante evolução”, afirma.

Atualmente, Carla também faz parte de um programa de trainee do SAS. Com a ajuda do time de Gente e Gestão da empresa, criou o programa de Trainee Editorial para atrair jovens talentos que estejam dispostos a liderar o desenvolvimento e o crescimento do departamento editorial da empresa. “Ser responsável por esse projeto é um grande desafio e, ao mesmo tempo, uma oportunidade incrível de aprender ao mesmo tempo em que possibilito essa experiência para outras pessoas”, completa.

*Localidades confirmadas: SP e CE / Localidades a serem confirmadas: RJ, MG e PR.
**O SAS custeará passagem e hospedagem para a etapa Dia SAS.

Serviço:

Programa de Trainee Editorial do SAS
Critérios: Graduação em Pedagogia ou nas áreas de Licenciatura e Comunicação há no máximo quatro anos e possuir experiência com produção editorial ou de material didático. Experiência em sala de aula é diferencial.
Localização: Fortaleza (CE).
Inscrições: Até o dia 12 de dezembro.
Benefícios: Salário compatível com o mercado; plano de saúde e odontológico; almoço no SAS; desconto em passagem aérea e na mensalidade de universidades.

Porto Seguro promove encontro com Corretores no Rio de Janeiro 210

Porto Seguro reúne Corretores de Seguros do Rio de Janeiro

Evento vai reunir cerca de 800 profissionais de várias regiões do Estado

Nesta quinta-feira, 22 de novembro, a Porto Seguro realiza encontro para Corretores, no MAM Rio (Museu de Arte Moderna), com foco nos desafios e nas oportunidades para o mercado de seguros no Rio de Janeiro. O evento, que irá reunir cerca de 800 profissionais de várias regiões do Estado do Rio de Janeiro, vai celebrar também parcerias de sucesso e apresentar novidades em produtos e serviços. Estarão presentes o presidente da Porto Seguro, Roberto Santos, o diretor-geral, Rivaldo Leite, e o diretor comercial do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Norte e Nordeste, Marcos Silva.

Com 71 anos de presença no Rio de Janeiro, a Porto Seguro expande seus serviços no estado. Recentemente, a companhia inaugurou mais um Centro Automotivo na Capital, somando 25 endereços distribuídos em diversas regiões, como Niterói, Duque de Caxias e outras. A abertura reforça a estratégia de ampliação e consolidação de atuação no estado.

“O mercado vem passando por um momento de transformação nos últimos anos. Com isso, podemos identificar novas oportunidades nos diversos segmentos de seguros e não seguros. Nosso objetivo é oferecer aos clientes um serviço de qualidade e inovar em nossos produtos. Somos responsáveis pelos Corretores de seguros. Eles são nossos clientes e precisamos apoiá-los em suas demandas”, afirma Marcos Silva, diretor comercial do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Norte e Nordeste da Porto Seguro.

Allianz gera eficiência ao simplificar cotação do Seguro de Vida Individual 246

Allianz

Processo de cotação do seguro leva aproximadamente 30 segundos

Oferecer diferenciais de coberturas e assistências aos segurados com facilidades para o corretor cotar e emitir apólices são os principais objetivos da Allianz Seguros ao implementar novidades no seu Vida Individual. O produto, assim como o Allianz Auto Instituto Ayrton Senna e o Allianz Residência, está inserido no novo modelo de negócio da seguradora fundamentado em simplicidade, conectividade, eficiência e proximidade.

O Vida Individual da Allianz tem várias opções de coberturas, entre a básica e as adicionais, incluindo, indenização por acidente, invalidez por acidente ou doença e diagnóstico de câncer. As diferentes combinações entre elas resultam em quatro planos, dando a possibilidade de o consumidor adquirir aquele mais compatível com o seu perfil e que garantirá os seus beneficiários – já na tela de cotação, o sistema sugere a opção que melhor se encaixa às necessidades do segurado. Dentre os diferenciais do seguro estão o capital máximo segurado de 1 milhão de reais; vigência da apólice de cinco anos; e a novidade, questionário de saúde totalmente online.

“Ao corretor colocar um apontamento na declaração pessoal de saúde do cliente, tal informação vai automaticamente para a área médica. Com esse processo, mais rápido e enxuto, o tempo de análise para aceitação da proposta reduziu 70%, explica David Beatham, diretor de Massificados e Vida da Allianz Seguros.

Outro fator que favorece a comercialização do produto é o aumento da presença de automação no sistema de cotação. “Agora, aqui na Allianz, solicitamos que sejam respondidas apenas quatro questões para cotar o Vida Individual, levando menos de 30 segundos para o processo”, conta Rodrigo Cezareto, superintendente de Vida. A agilidade ocorre, pois a seguradora passou a colher informações eletronicamente, em base internas e externas.

Novo executivo da Sompo dará suporte a projetos de infraestrutura de TI e Transformação Digital 280

Paulo Cesar Parcesepe é o novo superintendente de Infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI)

Contratação é parte dos investimentos da segurado em capital humano especializado

A Sompo Seguros S.A, empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo, acaba de contratar Paulo Cesar Parcesepe como novo superintendente de Infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI). O executivo, que conta com quase 40 anos de experiência na área de serviços de TI para o setor financeiro, chega para contribuir na gestão de projetos que integram os investimentos da companhia em incremento das soluções de tecnologia e transformação digital.

“Chego com desafio de contribuir com o provimento de uma infraestrutura de TI que suporte o crescimento de negócios da Sompo de acordo com a demanda, bem como a implementação da transformação digital de nossos serviços”, afirma Parcesepe. “Nossos projetos levam em conta sempre o que há de mais moderno em termos de tecnologia. Com isso, vamos conseguir trazer mais agilidade, alta disponibilidade, desempenho, segurança das informações e custo x benefício adequado”, considera.

Paulo Cesar Parcesepe é formado em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP) e conta com dois MBAs, um deles em Conhecimento, Tecnologia e Inovação e o outro em Informática e Tecnologia Internet, ambos pela Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA/USP). Conta com quase 40 anos de experiência na área de serviços de TI voltados ao setor financeiro, tanto em empresas quanto em consultorias e fornecedores de serviços integrados de tecnologia. Nesse período, desenvolveu projetos de gestão nas áreas de Infraestrutura de TI, Telecomunicações, Segurança da Informação, Sistemas de Aplicação e Gerenciamento de Projetos. Atuou em bancos e grandes seguradoras, entre as quais, a Marítima Seguros, uma das marcas que deram origem à Sompo no Brasil, quando liderou a implementação da área de segurança da informação, além de projetos de Planejamento de Continuidade de Negócios, entre outros.

“A Sompo estabeleceu um plano de desenvolvimento e implementação de novos recursos de inovação e tecnologia que vai dar suporte às estratégias de crescimento. Além disso, vamos trazer mais ferramentas para interação com corretores de seguros e segurados, o que vai melhorar substancialmente a experiência do cliente, a eficiência e eficácia da companhia”, lembra Guilherme Muniz, diretor de TI da Sompo. “O investimento em capital humano é uma parte importante dessa estratégia e o Paulo vai agregar, além do amplo conhecimento acumulado em décadas de experiência, sua capacidade de liderar e gerir projetos de alta sofisticação tecnológica que pretendemos implementar nos próximos anos”, conclui.