Resseguro cedido por seguradoras brasileiras cresce 15% em 2017 2513

73% deste total foi colocado em resseguradoras locais, aponta relatório da Terra Brasis

Relatório da Resseguradora Terra Brasis aponta que, no período de janeiro a setembro de 2017, o volume de resseguro cedido pelas seguradoras brasileiras (bruto de comissão) foi de R$ 8,46 bilhões, 15% superior ao do mesmo período de 2016.

Perto de 73% deste total (R$ 6,19 bilhões) foi colocado em resseguradoras locais, um crescimento de 16%. Adicionalmente, no mesmo período, as resseguradoras locais aceitaram do exterior um volume de resseguros (bruto de comissão) estimado em R$ 1,70 bilhão, um crescimento de 55% em relação ao mesmo período de
2016.

No conjunto, o resseguro emitido pelas resseguradoras locais no período de janeiro a setembro de 2017 (bruto de comissão) foi de R$ 7,89 bilhões, um crescimento de 23% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Durante este período, a sinistralidade bruta das resseguradoras locais ficou em 63% contra 76% do mesmo período do ano anterior. O Combined Ratio ficou em 95%, uma melhora em comparação aos 101% apresentados no mesmo período de 2016.

No ano de 2017, até setembro, as resseguradoras locais apresentaram, ainda, um lucro de R$ 918 milhões (IRB com R$ 676 milhões e demais locais com R$ 242 milhões), superior em 38% aos R$ 663 milhões apresentados no mesmo período do ano anterior.

AIG conclui aquisição da Glatfelter 748

AIG

Transação recebeu todas as permissões regulamentares

A American International Group, Inc. (AIG) anunciou, nesta terça-feira (6), a conclusão da aquisição do Grupo de Seguros Glatfelter (“Glatfelter”). A transação, que foi anunciada pela primeira vez em 21 de setembro de 2018, foi finalizada após receber todas as permissões regulamentares e atender todas as condições.

Como parte da AIG, a Glatfelter agrega ao negócio programas especializados de alta qualidade, um histórico comprovado de fortes resultados de subscrição e um programa próprio de tecnologia de gestão que deve acelerar o posicionamento estratégico da área de Seguros Gerais da AIG.

“A forte cultura de subscrição da Glatfelter e a equipe de gerenciamento altamente experiente, especializada em programas norte-americanos, nos ajudarão a oferecer produtos sustentáveis e crescimento rentável, para que possamos continuar a criar valor para os nossos acionistas”, disse Brian Duperreault, presidente e CEO da AIG. “Estamos muito felizes em receber a Glatfelter como parte da AIG”.

Para o CEO de Seguros Gerais da AIG, Peter Zaffino, “a aquisição da Glatfelter é uma excelente adequação estratégica para nós. Estamos ansiosos para trabalhar com Tony Campisi e sua equipe para expandir nossos planos de negócio e entregar valor diferenciado aos nossos clientes e parceiros”.

SulAmérica promove o Dia da Cidadania, no Rio de Janeiro 546

Dia da Cidadania

Foram oferecidos exames e atendimentos médicos gratuitos

A SulAmérica realizou, no dia 10 de novembro, o Dia da Cidadania. A praça da estação do metrô Estácio, no bairro da Cidade Nova, onde está localizada a matriz da seguradora no Rio de Janeiro, foi o palco das atrações do dia, que incluem serviços gratuitos de saúde, cultura e lazer. Estima-se que cerca 3 mil pessoas tenham comparecido ao local. O momento conta com o apoio de aproximadamente 30 parceiros, incluindo prestadores médicos da rede referenciada e fornecedores da companhia, organizações sociais locais, órgãos públicos e funcionários voluntários da companhia.

Das 8h às 14h, ficaram à disposição da população do entorno, serviços gratuitos de orientação médica, alinhados com o programa SulAmérica Saúde Ativa, conjunto de iniciativas para estimular a qualidade de vida e a prevenção de doenças, além de oftalmologistas para realização de exames e confecção de óculos a preços populares àqueles que precisarem; otorrinos, nutricionistas dentistas; clínicos gerais para aferição de pressão e glicose. Também houve distribuição de preservativos e orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST). A ação ofereceu serviços de cidadania como auxilio para emissão de documentos, apoio jurídico e orientações para o consumidor.

“O acesso à saúde e ao bem-estar norteia nossa estratégia de responsabilidade social e temos uma enorme satisfação em promover esta iniciativa. Desde a primeira edição do Dia Da Cidadania, vemos o número de participantes crescer, percebendo a importância dos atendimentos para a população que vive no entorno de nossa sede”, declara Patrícia Coimbra, diretora de Capital Humano e Sustentabilidade da seguradora.

A ação contou com o apoio da Organização Social Aliança Resgate (ARONG), que desde o ano de 2000 atua com promoção da cultura na região do Rio Comprido e contou ainda barbeiros/cabeleireiras, designers de sobrancelhas, instrutores de ioga e massagistas. Houve espaço para muita diversão para toda família, especialmente para os pequeninos com atividades de pintura no rosto, esculturas com bexigas, contação de histórias e pula-pula.

O atendimento à população começou a partir das 8h e as apresentações artísticas, às 09h. Exibições de ballet, de capoeira, de hip hop, de bandas e até mesmo dos cães da Guarda Municipal fizeram parte das atrações. Outra surpresa para 2018 foi o show de talentos realizado pelos funcionários da SulAmérica, com música e dança, para que todos pudessem aproveitar esse dia ao máximo.

Destaques da programação:

  • Oftalmologista (com exames e parceria para fornecer óculos);
  • Otorrino;
  • Nutricionista;
  • Dentista;
  • Clínico geral;
  • Barbeiro/cabeleireira;
  • Designer de sobrancelhas;
  • Orientação sobre DST;
  • Aferição de pressão, batimentos cardíacos;
  • Orientação para confecção de documentos;
  • Atendimento jurídico;
  • Orientação profissional (Jovem Aprendiz);
  • Shiatsu;
  • Ioga;
  • Apresentações de dança e música;
  • Diversas atividades infantis, como contação de histórias, pintura de rosto, escultura em bola, pula-pula.

Lucro da SulAmérica cresce 55% e chega a R$ 234,6 milhões no terceiro trimestre 1048

Receitas aumentam 10,8% e atingem R$ 5,3 bilhões no mesmo período

A SulAmérica (B3: SULA11), maior seguradora independente do País, registrou aumento de 55% em seu lucro líquido no terceiro trimestre de 2018 quando comparado ao mesmo período de 2017, chegando a R$ 234,6 milhões. No acumulado do ano, o lucro foi de R$ 511,4 milhões, 41,8% superior ao alcançado nos primeiros nove meses do ano anterior. As receitas totais no trimestre cresceram 10,8%, chegando a R$ 5,3 bilhões, frente ao registrado no mesmo período de 2017. O acumulado do ano foi de R$ 15,2 bilhões, 13,1% superior no comparativo com igual período do ano anterior.

“A SulAmérica provou mais uma vez sua força e capacidade de continuar crescendo com rentabilidade neste terceiro trimestre de 2018. Continuamos totalmente focados em melhorar o nível de serviço para nossos segurados, investindo em novas tecnologias e aprimorando nossos processos. Continuamos também com um rígido controle de despesas, com o índice de despesas administrativas permanecendo em patamar estável, apesar do investimento permanente no lançamento de novos serviços e produtos, na melhoria da experiência do cliente e em iniciativas de inovação e digitalização”, afirma o presidente da SulAmérica, Gabriel Portella.

O segmento de seguro saúde e odontológico foi um dos responsáveis por impulsionar os resultados do período. A base de segurados em planos coletivos teve aumento de 12,7% neste terceiro trimestre quando comparado com o mesmo trimestre do ano passado, e chegou a 3,2 milhões de membros – um aumento líquido de 363 mil vidas. As receitas operacionais do segmento seguiram na mesma direção e alcançaram R$ 4 bilhões no trimestre, 12,4% superior no comparativo com o terceiro trimestre de 2017. As carteiras de planos coletivos tiveram bom desempenho, com crescimento em todas as modalidades: odontológico (30,8%), PME (22,8%) e empresarial/adesão (9,3%). Houve expansão de 41% na margem bruta em relação ao mesmo período de 2017, explicado pelo aumento de receitas e controle da sinistralidade, cujo índice ficou em 78,9%, melhora de 1,9 p.p. em relação ao mesmo trimestre do ano passado. Já no acumulado do ano, a sinistralidade ficou em 80,9%, representando índice 1,2 p.p. melhor que no acumulado de 2017, levando a um crescimento da margem bruta de 28,5% em relação aos nove primeiros meses de 2017, chegando a R$ 1,1 bilhão.

O sucesso no controle da sinistralidade nos últimos períodos é resultado, principalmente, de um trabalho focado na excelência em gestão de sinistros e promoção de saúde e bem-estar. Além disso, a companhia também tem investido em iniciativas de coordenação de cuidado que consistem em prestação de assistência ao segurado e na colaboração entre todos os participantes da cadeia de saúde suplementar para obter resultados assistenciais mais seguros e eficazes, com maior satisfação dos beneficiários.

O segmento de seguro de automóveis manteve o ótimo desempenho dos trimestres anteriores e registrou receitas operacionais de R$ 905,9 milhões no terceiro trimestre de 2018, 7,1% superior ao mesmo período do ano passado. A margem bruta alcançou R$ 166,7 milhões, um crescimento importante de 59,5% no comparativo com o mesmo período do ano anterior. No acumulado do ano, o crescimento da margem bruta de automóveis foi de 107,4% em relação aos nove primeiros meses de 2017, chegando a R$ 423,3 milhões. Esses resultados positivos podem ser explicados pelas melhorias contínuas dos processos e das ferramentas de subscrição somadas à adequação dos níveis de exposição a riscos e de um ambiente mais positivo, seja no aspecto da inflação, como da segurança pública em algumas regiões.

A frota segurada manteve o caminho de recuperação neste terceiro trimestre, tendo crescido 2,2% em relação ao trimestre anterior e 8% no comparativo com o terceiro trimestre do ano anterior, alcançando 1,6 milhão de veículos. Essa trajetória reforça a recuperação da frota segurada, em resposta aos esforços comerciais em parceria com os corretores parceiros. No acumulado dos primeiros nove meses do ano, a SulAmérica detinha a 4ª posição com 9,7% de market share do total de prêmios emitidos, de acordo com dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

As receitas operacionais de vida e acidentes pessoais apresentaram crescimento pelo segundo trimestre consecutivo, atingindo R$ 126,1 milhões no trimestre, aumento de 9,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. A sinistralidade do segmento foi de 45,7%, 1,6 p.p. menor do que no mesmo período comparativo do ano passado. O crescimento de receitas e os ganhos nas linhas de despesas levaram a uma expansão significativa da margem bruta, que totalizou R$ 15,6 milhões, mais de quatro vezes superior em relação ao apresentado no terceiro trimestre do ano passado. As reservas de previdência privada tiveram um crescimento de 12,4% na comparação com o terceiro trimestre de 2017, alcançando R$ 6,9 bilhões. Já as receitas operacionais tiveram aumento de 3,1% no trimestre, tendo sido conduzidas nesse caminho principalmente pelo crescimento no produto VGBL, que compensou a queda nas contribuições do segmento tradicional.

O segmento de capitalização registrou receitas de R$ 13,3 milhões no terceiro trimestre deste ano, aumento de 6,5% com relação ao mesmo período do ano passado. A margem bruta teve um crescimento de 17,3%, atingindo R$ 6,2 milhões.

Com R$ 38 bilhões em ativos sob sua gestão ao final do terceiro trimestre deste ano, a SulAmérica Investimentos registrou um aumento de 3,2% quando comparado a igual período de 2017, ajudado pelo maior volume de ativos próprios da seguradora (10,5%) e de reservas de previdência privada (12,4%). O crescimento das receitas com taxa de administração (23,4%) impulsionou o crescimento de 25,6% nas receitas operacionais. A margem bruta do segmento acompanhou o ritmo e apresentou ganho de 29,2% quando comparado com o terceiro trimestre de 2017, chegando a R$ 11,1 milhões.

Zurich aposta em gamificação para aprimorar atendimento 482

Gameficação

Plataforma digital Robbyson foi adotada pela seguradora como uma forma lúdica de controle de qualidade de serviço

A Zurich, seguradora global com mais de 70 anos de atuação no mercado brasileiro, adotou em 2018 a plataforma digital de gestão gamificada Robbyson. A inovação faz uso do formato de jogo, através de pontuações individuais, para auxiliar no controle de qualidade da Central de Atendimento da empresa.

A implementação da plataforma gerou melhorias nos indicadores de produtividade logo nos primeiros meses. Manuel Rodrigues, COO da Zurich, explica que “entre junho e agosto de 2018, observamos que a média de ausência do operador no posto de trabalho caiu 1,24%, enquanto o tempo de permanência no posto teve crescimento de 4,73%”.

Os ganhos com a nova aquisição também puderam ser medidas no trato com o cliente, que recebe atendimento até 14% mais rápido do que aqueles registrados em outros períodos. A satisfação interna na companhia também teve saldo positivo. Em uma escala de 0 a 4 pontos, foi percebido um salto de 3,15 em junho, para 3,23 em agosto.

“A Zurich entende que essa nova ferramenta é uma das chaves para gerar um movimento de melhorias de forma gradual, com impacto direto na satisfação do cliente e, na outra ponta, no clima organizacional na área de atendimento”, completa Manuel.

A ferramenta, que foi desenvolvida pela AeC, permite que os operadores acessem de forma divertida e simplificada seus índices de desempenho e vejam quantos pontos ganharam com eles em relação às metas estabelecidas pela companhia. Os pontos gerados pelo bom desempenho podem ser trocados por prêmios, que vão de mochilas a dias de folga.

Suhai Seguradora lista principais motivos de roubo e furto de motocicletas 434

Suhai Seguradora

Mais de 25 milhões de motos rodam sem seguro no País, entenda os principais motivos que impedem a redução desse número

A Suhai Seguradora, empresa do Grupo Suhai, líder no segmento de segurança pessoal há mais de 25 anos, foi criada para atender clientes que não tinham acesso ao seguro, fosse pelo preço alto ou falta de aceitação das companhias tradicionais. De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), há cerca de 26 milhões de motocicletas rodando pelo Brasil. Deste total, segundo estimativas da Suhai Seguradora, só 2%, algo em torno de 520 mil motos, rodam com algum tipo de seguro em todo o país. Só em São Paulo, de acordo com o Detran-SP, são quase sete milhões rodando em todo o Estado.

“Nossas pesquisas indicam que a maior preocupação dos proprietários de veículos é com roubo e furto, já que não é possível ter controle sobre esse risco. No caso dos motociclistas, especialmente os que usam o veículo para trabalhar, essa preocupação é ainda maior. “A Suhai possui hoje, com certeza, uma das maiores carteiras de motos seguradas do País”, explica Robson Tricarico, diretor Comercial da Suhai Seguradora.

Os clientes da Suhai Seguradora contam com uma série de serviços adicionais como: chaveiro, reboque para a oficina mais próxima do local em caso de pane mecânica, troca de pneus e transporte domiciliar. “Mas, além de oferecermos essas vantagens aos nossos clientes, a maior preocupação da Suhai é garantir o bem-estar e a segurança do cliente que teve seu bem roubado ou furtado. Assim que somos acionados, prestamos todo auxilio necessário para que o cliente se sinta acolhido e cuidado em um momento tão delicado como esse”, conclui Tricarico. De acordo com números da Suhai, mais de 100 motos são roubadas por dia só no estado de São Paulo.

A Suhai elenca os principais motivos que tornam as motocicletas as mais roubadas ou furtadas, o que dificulta a aceitação da categoria pelas seguradoras tradicionais.

  • As motos usadas por motoboys e entregadores que têm esses veículos para fins profissionais, estão mais expostas aos riscos. Por isso, esses veículos exigem ainda mais cuidado. Se forem roubados ou furtados, por exemplo, o impacto recai diretamente na renda desses motofretistas. Dentro deste cenário, os modelos city e street equipados com motores de 125 cm³, 150/160 cm³ são os mais visados.
  • As motos que lideram o ranking de vendas também encontram dificuldades para ser seguradas. Pois as mais vendidas geram demanda maior por peças de reposição que, em algumas situações, acaba estimulando o roubo e furto desses modelos para abastecimento do mercado ilegal.
  • Já os modelos esportivos de alta cilindrada são visados para serem usados em outros assaltos em função das altas velocidades que atingem e por serem mais ágeis em caso de fuga. Esses modelos também têm bons valores de revenda, especialmente em regiões de fronteira.

Serviço:

A primeira atitude que o motociclista deve tomar ao ser furtado ou roubado é entrar em contato com a central de sinistro da sua seguradora para comunicar o evento e logo em seguida acionar a polícia pelo 190 e preencher um boletim de ocorrência (BO). O registro pode ser feito pela internet, no site da delegacia eletrônica, que pode mudar de endereço de acordo com o estado onde ocorreu o sinistro. Esse documento é fundamental para seja dada entrada no pedido de indenização junto à seguradora. Nessas horas, toda informação é valiosa.

Lembre-se de detalhes como o horário em que estacionou o veículo; presença de possíveis testemunhas; placa; modelo; cor; adesivo que caracterize a moto.