Compliance: desafios e mudanças na cultura empresarial 9394

Revista JRS destaca um dos assuntos mais abordados pelo mercado em 2018

A edição 210 da Revista JRS destaca os principais desafios existentes na implantação de um programa de compliance. Você não sabe o que é? Então não deixe de ler nossa publicação, afinal, este tipo de programa é cada vez mais comum nas empresas brasileiras e diversas companhias passaram a exigir uma série de normas e condutas de seus fornecedores.

Este mês ainda destacamos como o Seguro contra Incêndios é um forte aliado nos negócios. A publicação do JRS ainda mostra como atingir objetivos e conquistar a solidez financeira neste novo ano, além, claro, de muitas outras reportagens relevantes para o ramo de seguros, previdência complementar e capitalização. Boa leitura!

Omnichannel: empodere o seu cliente e aumente as vendas 281

Omnichannel: empodere o seu cliente e aumente as vendas

Confira artigo de Rafael Reolon, diretor de expansão da SetaDigital

No final de abril, o Magazine Luiza, conhecido também por Magalu, anunciou a compra da Netshoes em uma negociação estimada em 62 milhões de dólares. É fato que a gigante do comércio eletrônico de esportes e moda acumula anos de prejuízos, dificuldades para controlar seus custos e nenhum sinal de reação a partir do seu único canal de vendas, o site de suas marcas. Em contrapartida, nos últimos três anos, o Magazine Luiza apresentou uma valorização de quase 17.000% no valor de suas ações, crescimento esse que pode ser creditado ao sucesso obtido em sua missão de criar um varejo no modelo omnichannel, com uma forte presença por meio de sua rede de 900 lojas aliada à eficiência logística e uma estratégia digital inovadora, que é aplicada a partir de seu e-commerce e de outros canais tecnológicos.

Há alguns anos, muito especula-se sobre o fim do varejo tradicional como conhecíamos antes do advento das conexões de internet velozes e dos smartphones. Gurus mais apocalípticos arriscaram até um palpite sobre o fim das lojas físicas. Porém, esse movimento da Magalu acaba por decretar, de uma vez por todas, que presença local e relacionamento continuam sendo fatores de sucesso, inclusive, passamos por um momento em que se coloca em xeque a viabilidade de varejos exclusivamente digitais, que dificultam o contato e a experiência do cliente.

O cliente já é omnichannel. Esta frase tem sido repetida como um mantra nas reuniões estratégicas de todas as empresas que discutem o futuro dos seus negócios. Para simplificar, o termo em inglês poderia ser facilmente substituído, resumindo a sentença em: o cliente quer ter o poder de decidir o que é melhor para ele.

Nos últimos anos, o varejo vem enfrentando uma série de mudanças significativas, entre elas, a redução de fluxo de clientes nas lojas, o maior acesso à informação pelo consumidor para tomada de decisão da compra, o aumento da exigência de nível de serviço, o crescimento da disponibilidade de marcas e produtos e a competição entre canais de venda físicos e digitais.

Tudo indica que a melhor solução para as empresas enfrentarem este cenário é otimizar o aproveitamento dos seus canais, utilizando o que cada um oferece de melhor. O acesso à informação e a disponibilidade entregues pelos canais digitais podem caminhar de mãos dadas com o relacionamento e experiência presencial proporcionados pelos canais físicos.

Dentro deste contexto, as lojas físicas deixam de cumprir apenas com o papel de ser um ponto de venda, mas recebem as atribuições de ponto de logística, compartilhando seus estoques com a rede e disponibilizando espaços para troca e retirada de produtos. Tornam-se também o ponto de relacionamento, onde o cliente pode tirar dúvidas, experimentar e ter contato com produtos e serviços que poderão ser entregues pelo e-commerce ou, até mesmo, por outras lojas.

Além dos benefícios relacionados à melhoria da experiência do cliente, as empresas que obtiverem sucesso ao desenvolver uma sinergia entre seus canais, consequentemente se beneficiarão também de uma melhoria no giro de seus estoques, assim como do aumento nas vendas e da otimização da utilização dos recursos de marketing e logística.

Para obter sucesso nesse desafio, é importante observar cuidadosamente as peculiaridades relacionadas aos pilares que envolvem pessoas, processos e tecnologias existentes em cada um dos canais. As lojas físicas, provavelmente, terão dificuldades ao encarar os desafios de marketing digital e termos como SEO, inbound marketing, rede de display, SAC, entre outros. Em contrapartida, para as lojas virtuais, gerenciar PDV, TEF, visual merchandising, aluguel percentual de shopping e metas de vendas poderão ser novidades difíceis de digerir inicialmente.

Além disso, ainda existe a dificuldade tecnológica de integrar os diversos sistemas que as empresas utilizam com a finalidade de automatizar os processos entre os canais e promover consistência na experiência do consumidor.

O futuro do varejo está nas mãos das empresas que conseguirem encontrar o equilíbrio e serem mais eficientes com os seus canais, pois nesta nova realidade de mercado, o cliente ganha, e muito. E com o leque de possibilidades que se abre, as lojas também ganham.

*Rafael Reolon é diretor de expansão da SetaDigital, empresa desenvolvedora de sistemas especialistas em lojas de calçados. O executivo apresenta, no dia 22 de maio, a partir das 13h, uma palestra sobre o tema durante a SICC (Salão Internacional do Couro e do Calçado), evento do setor de calçados que acontece em Gramado, no Rio Grande do Sul.

Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC)

Quando: De 20 a 22 de maio de 2018.
Horário: das 9h às 19h.
Local: Serra Park.
Endereço: Rua Viação Férrea, 100 – Três Pinheiros, Gramado – RS.
Mais informações: neste endereço.

Diretor comercial do Grupo MBM assume mandato na FenaPrevi 217

Diretor comercial do Grupo MBM assume mandato na FenaPrevi

Luiz Eduardo Dilli Gonçalves integra o Conselho Fiscal até 2022

O diretor comercial do Grupo MBM, Luiz Eduardo Dilli Gonçalves, integra o Conselho Fiscal da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), entidade que reúne 67 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no País.

O evento de posse da CNseg e Federações (Fenseg, FenaPrevi, FenaSaúde e FenaCap) para o triênio 2019-2022 reuniu cerca de 400 participantes em confraternização do setor, em São Paulo, no dia 09 de maio. “Posso afirmar que estou muito feliz com essa oportunidade e garanto que eu, juntamente com o MBM, contribuirei para que o setor se fortaleça ainda nos próximos anos”, comenta Dilli.

A FenaPrevi é uma associação civil sem fins lucrativos, afiliada à Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg).

Empresas otimizam gastos com saúde e oferecem qualidade de vida aos colaboradores 184

Empresas otimizam gastos com saúde e oferecem qualidade de vida aos colaboradores

Impactos são sentidos dentro e fora do ambiente de trabalho

A otimização dos gastos das empresas com planos de saúde caminha de mãos dadas com os cuidados com o bem-estar dos colaboradores e com o uso eficiente da assistência médica. Atualmente, as despesas das corporações brasileiras com planos de saúde consomem de 12% a 20% do orçamento da área de recursos humanos, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH). O valor empenhado com a assistência só fica atrás dos gastos com a folha de pagamento de salários, de acordo com o estudo.

Como os planos fazem um reajuste de 20% a 30%, índice, no mínimo, quatro vezes maior do que a inflação no país, é importante incentivar o uso consciente da assistência médica. A utilização adequada dos planos de saúde pode promover acompanhamento preventivo, reduzindo internações e uso excessivo de atendimentos de emergência. Mas, principalmente, pode contribuir para o aumento do bem-estar dos colaboradores e sua qualidade de vida, dentro e fora do ambiente de trabalho.

“Todas as ações que promovem o uso consciente do plano de saúde trazem bem-estar para os funcionários, reduzem o absenteísmo e garantem a presença de um colaborador disposto para as atividades na empresa, assim como uma pessoa que terá condições de aproveitar melhor seu tempo em família”, explica o VP de Riscos e Gestão de Portfólios da JLT Brasil, Marcos Mello.

Soluções para otimizar o uso da assistência médica

O primeiro passo para otimizar o uso do plano de saúde pelas empresas é fazer um diagnóstico de como a assistência médica tem sido utilizada pelos colaboradores.  Uma das ferramentas que podem ajudar nessa tarefa é o Meu BI, oferecida pela JLT. A plataforma recebe e organiza dados das operadoras de saúde das empresas por meio de Inteligência Artificial. Em seguida, uma equipe da corretora analisa o cruzamento desses dados para detectar riscos e propor programas e ações para as empresas. Com isso, as companhias podem elaborar campanhas internas para a melhoria da qualidade de vida dos colaboradores, o que vai influenciar diretamente na produtividade e bem-estar.

“Em um dos clientes, foi feito um acompanhamento das gestantes e incentivo ao pré-natal. Com isso, o número de partos nos quais houve necessidade de UTI neonatal para os recém-nascidos caiu de 9% para 4%, respeitando o índice de 5% recomendado pelos médicos”, exemplifica Mello.

A plataforma Meu BI também auxilia na identificação do uso do pronto-socorro em situações que não são de emergência. “É importante incentivar as consultas de rotina e o acompanhamento de doenças crônicas para que o colaborador cuide da sua saúde de maneira preventiva O atendimento de urgência deve ser usado apenas casos emergenciais”, esclarece Mello. Segundo o profissional, com campanhas específicas de esclarecimento, é possível reduzir pela metade o uso do pronto-socorro.

Uma outra solução implantada com sucesso em clientes é a oferta de um serviço de atendimento telefônico voltado para a orientação dos colaboradores em relação à assistência médica contratada pela empresa. Do outro lado da linha, médicos e enfermeiras fornecem informações para que os funcionários saibam como proceder em uma situação de doença ou mal-estar e quais são as melhores opções disponíveis.

“Todas essas soluções auxiliam a empresa a reduzir custos com assistência médica e a cuidar da saúde dos colaboradores que necessitam de acompanhamento de doenças crônicas. Assim é possível evitar procedimentos como internações e cirurgias, que, além de desgastantes, podem ser evitados com cuidados preventivos frequentes”, reforça Mello.

Panambra Seguros participa da 33ª Franchising Fair 308

Panambra Seguros participa da 33ª Franchising Fair / Arquivo JRS

Feira acontece até o próximo domingo, no Shopping Bourbon Wallig, em Porto Alegre (RS)

Quem faz um seguro com a Panambra Corretora de Seguros nunca fica sozinho. “Se algum imprevisto acontecer, nós estaremos aqui. Porque um seguro feito através da Panambra Corretora é como um verdadeiro amigo: está sempre por perto em todos os momentos da vida”, com este lema a empresa é especialista na corretagem de seguros para automóveis, caminhões, previdência privada, pessoas, acidentes pessoais, empresarial, condominial, residencial, RC geral e outras modalidades.

Com opção atrativa no segmento de franquias, a Panambra Seguros participa da 33ª Franchising Fair, que acontece de hoje até o próximo domingo, no Shopping Bourbon Wallig, em Porto Alegre (RS). O estande da corretora apresenta todas as modalidades para franqueados.

Mais informações podem ser obtidas no telefone (51) 3218-1950, pelo e-mail franquias@panambraseguros.com.br ou ainda neste website.

Icatu Seguros integra o time campeão do Troféu JRS 2019 951

Equipe da Icatu Seguros no Troféu JRS do ano de 2017 / Arquivo JRS

Maior seguradora independente de Vida e Previdência do Brasil participa da grande festa do seguro

A Icatu Seguros, maior seguradora independente de Vida e Previdência do Brasil, marca presença na 17ª edição do Troféu JRS. Especialista em oferecer as melhores soluções para o planejamento do futuro, proteção do presente e realização de projetos em cada fase da vida, a companhia participa da iniciativa do JRS desde a primeira edição do evento.

A grande noite do seguro reúne mais de 1 mil nomes do mercado brasileiro de seguros. Entre os reconhecidos, os grandes especialistas dos setores de seguros, previdência, capitalização e demais entidades e agentes de um dos nichos mais promissores da economia brasileira.

Com R$ 39 bilhões sob gestão, a Icatu Seguros está presente em todo o Brasil e possui parcerias como algo intrínseco ao seu DNA. Recentemente, a seguradora adquiriu a totalidade da carteira de Capitalização da SulAmérica, o que fez com que a Icatu Seguros saltasse para uma das 4 maiores atuantes deste segmento no País.