Salve os ovos de páscoa 45642

Jogue os melhores games de páscoa grátis

Divirta-se com o nosso Especial Páscoa: os melhores jogos no site do JRS!

Ajude o coelho a salvar os ovos das galinhas. As setas direcionais do teclado controlam o jogo.

Conheça as vantagens e benefícios de vender online 990

Conheça as vantagens e benefícios de vender online

Veja as possibilidades que essa iniciativa proporciona aos negócios

Já faz um tempo que a venda online vingou no Brasil e muitos empreendedores viram os benefícios de colocar os seus produtos e serviços disponíveis no ambiente digital para compras.

Mas para quem ainda não tem tanta afinidade com o tema, conhece pouco ou quase nada sobre venda online, neste artigo, queremos te mostrar as possibilidades que essa ação proporciona aos negócios, independentemente do segmento.

Alcance maior

Começando por um dos pontos que são bem interessantes e que atraem muitas pessoas às vendas online. O alcance que a loja tem, é muito grande. 

É possível realizar vendas para o Brasil inteiro e muitas vezes, para outros países também, e tudo isso, sem nenhum custo a mais. O valor do frete para entrega do produto, é pago pelo consumidor. 

Vendendo 24/7

As vendas online, diferente das vendas presenciais, por exemplo, acontecem a qualquer horário e em qualquer dia da semana. Ou seja, o cliente só consegue fazer uma compra no domingo à noite? A loja online vai estar lá, “aberta” para ele.

Isso promove uma independência ao consumidor, tudo o que se busca nos dias de hoje em meio a correria do dia a dia e a falta de horários. 

E isso também ocorre com produtos industriais, que também podem ser vendidos via ecommerce e a qualquer momento.

Se você precisa de um baú refrigerado, por exemplo, vai conseguir encontrar nos sites de empresas que realizam esse tipo de serviço. Assim como um alarme residencial ou então produtos para lavanderia industrial.

Sim, os produtos presentes em indústrias também podem ser encontrados online, facilitando a vida tanto do consumidor final como também do lojista que precisa desse tipo de equipamento na empresa.

Comodidade

E ao poder realizar suas compras em qualquer dia da semana a qualquer horário do dia, a comodidade é o que mais predomina.

O que é melhor do que poder comprar algo no conforto de casa ou de lugares mais tranquilos? Poder decidir pelo tempo que quiser, qual o melhor produto, qual cor, tamanho ou modelo você quer. Isso é o que a venda online proporciona.

Além disso, evitar trânsitos, filas, poder pesquisar pelos melhores preços, as lojas que são do seu agrado, os produtos que fazem real sentido para você, são pontos que também são levados em conta.

Visibilidade maior

Com a loja online, é possível colocar disponível todos os produtos presentes na loja. Uma grande vitrine online, atrai muito mais clientes. 

Os itens são encontrados com mais facilidade, isso por conta de recursos que ajudam na busca dos produtos e os meios para encontrar são:

  • página por produto;
  • ferramenta de busca;
  • filtro por categoria;
  • filtro por preço.

Um ponto que diferencia a loja online das redes sociais, por exemplo, é a organização. É claro que as duas são muito importantes e precisam trabalhar em união, mas existem algumas diferenças quando o assunto é vendas.

As postagens nas redes sociais podem se perder em meio ao fluxo de conteúdo. Já na loja virtual é possível encontrar o que se busca, sem o risco de perder. A fácil navegação e a organização dos produtos promove mais visibilidade e bons resultados.

Integração de ferramentas

Que as vendas online são cheias de benefícios e fazem muita diferença no dia a dia do consumidor, já sabemos, mas ainda tem mais para destacar.

Os e-commerces contam com algumas plataformas que são integradas e auxiliam tanto lojistas como clientes, isso porque, é possível ter meios de pagamento já na loja online, meios de entrega e tudo isso pode ser ligado às redes sociais também.

Marketing que faz a diferença

Quando você entende a importância de utilizar o marketing digital no seu negócio e de fato usa, é muito perceptível como os resultados aparecem e você consegue vender mais. Portanto, comece a investir em tudo o que o universo online pode proporcionar.

*Este artigo foi escrito por Fernanda Silva, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

Utilize canais de divulgação online e aumente as vendas do seu e-commerce 1286

Utilize canais de divulgação online e aumente as vendas do seu e-commerce

Faturamento dos e-commerces foi de R$ 52,2 bilhões no ano passado

Os canais de divulgação são ferramentas importantes do marketing digital, pois são capazes de atrair um número maior de potenciais clientes e conquistar sua atenção. Seu foco é atrair a atenção de potenciais clientes e com isso vender mais!

A internet é a grande responsável por um espaço comercial que só se expande com o passar do tempo. No ano de 2018, o faturamento dos e-commerces foi de R$ 52,2 bilhões, sendo uma alta de 12% em comparação a 2017, segundo a Ebit/Nielsen.

Assim como construtoras e lojas físicas utilizam tendas para eventos, banners e panfletos para atrair a atenção, os canais de divulgação podem ser comparados a essas ações, sendo diferentes pois são realizados em meios digitais.

Considerando isso, preparamos este conteúdo explicando o que são esses canais e como utilizar alguns deles para aumentar a visibilidade do seu e-commerce e alavancar as vendas. Confira!

Conheça os canais de divulgação

Os conhecidos canais de divulgação são plataformas online que se usadas adequadamente são capazes de aumentar a notoriedade do seu e-commerce. O seu objetivo é atingir o maior número de pessoas e assim, ter mais potenciais clientes.

Cada canal funciona de uma forma diferente, e embora todos se relacionem com a expansão da marca, são diferentes na linguagem, alcance, velocidade, perfil de público-alvo e etc. De modo geral, alguns dos canais digitais mais utilizados são:

Sites

O contato inicial do cliente com a empresa geralmente vem do site. Por isso, as informações contidas nele devem ser objetivas e claras. Claro que o link para o site pode ter sido adquirido em outra plataforma, mas a questão é que no site não existe limite de espaço ou caracteres.

É indispensável que seu site seja responsivo! Essa responsividade de um site é a sua adaptação aos diferentes dispositivos, como smartphones e tablets.

Ela é importante pois atualmente, 92% dos brasileiros usam smartphone, segundo pesquisa apresentada pela Deloitte.

Isso nos mostra que um site feito apenas para desktop (computador de mesa), tem grandes chances de perder potenciais clientes. Por isso, existe a necessidade da responsividade.

Blogs

Por mais que a fama seja para uso pessoal, o blog também pode ser um ótimo canal de divulgação para as empresas. Nele é possível publicar conteúdos para os potenciais clientes, com informações relevantes.

Isso significa que, ao invés de vender ou anunciar o seu produto diretamente, esse é um caminho para o público obter instruções e direcionamentos para a compra. Essa é uma forma diferente, mas que ajuda muito o processo de como vender mais pela internet.

Então, se um cliente seu pesquisar por “resina epóxi”, o blog é uma forma de explicar mais sobre, apresentar conteúdos diferentes do assunto e dar um ponto de vista diferente so assunto para o usuário.

Redes sociais

As redes sociais são os mais populares atualmente, e mesmo que sejam muito usadas para entretenimento pelos usuários, também funcionam para alcançar e engajar seu público de uma jeito mais informal.

Isso significa que, utilizar gifs ou vídeos curtos, por exemplo, pode ser uma boa estratégia para a imagem da sua empresa. Fazendo com que ela seja vista com mais naturalidade, e assim, aproximar o público da sua marca.

Mesmo uma lavanderia industrial, que trabalha com um público segmentado e composto geralmente por hotéis, hospitais e etc, pode usar as redes sociais. O linkedin, por exemplo, é uma rede focada nos negócios, sendo mais séria que as outras.

E-mail

Os e-mails, por mais que pareçam ultrapassados, também são um importante canal de divulgação responsável por impulsionar as vendas.

Imagine que a persona (perfil de cliente ideal para a sua empresa) do seu negócio seja alguém que não navega nas redes sociais frequentemente, não lê blogs e não tem o costume de navegar na internet.

Por mais que seja alguém que não gaste muito tempo na internet, para estar presente em algumas redes sociais a pessoa precisa de um e-mail para se cadastrar. É esse um dos pontos em que o e-mail pode ser mais eficiente. Passa a ser o único caminho para alcançar esse perfil específico.

Aumente as vendas dos eu e-commerce

Como vimos ao longo deste conteúdo, entender o poder e forma de atuação dos canais de divulgação serve para atrair e captar mais clientes, sendo um grande recurso para impulsionar as vendas.

Os canais de divulgação, como os sites, blogs, redes sociais e e-mails são formas de captar clientes e conseguir engajar os potenciais consumidores, resultando em vendas mais assertivas.

Com uma boa estratégia é possível conseguir mais clientes para o seu e-commerce, bastando uma boa estratégia de divulgação para conseguir os resultados.

Para que seja bem elaborada, é importante conhecer as diferenças nas plataformas de divulgação e canais de vendas, para um contato eficiente com o seu público-alvo.

Essa eficiência melhora a imagem da sua empresa e, consequentemente, aumenta os seus lucros! Mas e você? Qual canal combina mais com o perfil do seu e-commerce?

*Este artigo foi escrito por André de Angelo, produtor de conteúdo do Soluções Industriais.

Grupo MBM lança ferramenta para comunicação de sinistro totalmente online 1295

Grupo MBM lança ferramenta para comunicação de sinistro totalmente online

Segurado pode anexar cópias digitais de documentos necessários

O comunicado de sinistro nada mais é que a abertura do processo, onde a seguradora solicita documentos para iniciar a análise do ocorrido para indenizar o segurado ou seu beneficiário. Este processo deve ser feito pelo próprio segurado/beneficiário, mas pode contar com o apoio do corretor de seguros.

O novo site do Grupo MBM conta com uma ferramenta onde a comunicação de sinistro poderá ser realizado totalmente online, de forma muito simples e rápida. Assim, em caso de evento, o segurado/beneficiário poderá anexar cópias digitais dos documentos necessários para comunicar a sinistralidade.

Essa ferramenta agilizará o prazo de regulação dos sinistros, acarretando o pagamento das indenizações aos segurados/beneficiários MBM de forma mais ágil. “No momento do sinistro, onde a família está fragilizada, nós do MBM temos a preocupação em facilitar o atendimento e agilizar a tramitação dos processos, assegurando a proteção dos nossos clientes de maneira rápida e simples” comenta Gislane Rodrigues, Gerente de Regulação. “É durante o sinistro que o cliente avalia a qualidade da seguradora contratada. Nós, Grupo MBM, estamos no rumo certo.”, complementa Luiz Eduardo Dilli Gonçalves, diretor comercial do Grupo MBM.

Especialistas em Riscos Cibernéticos da AIG participam da Conferência Seguros na Prática 2019 1569

Evento online reúne grandes nomes do mercado de seguros

Trata-se de uma semana com conteúdos exclusivos e gratuitos

Uma semana inteira de conteúdos exclusivos, 100% gratuitos e com a participação de grandes especialistas do mercado de seguros aguarda os corretores de seguros brasileiros no maior evento online do país voltado à categoria. Promovida pela Educa Seguros em parceria com a Segfy, a Conferência Seguros na Prática 2019 acontecerá entre os dias 9 e 13 de setembro, e poderá ser acessada no ‘Seguros Na Prática’, portal desenvolvido para fomentar a evolução do corretor de seguros por meio de capacitação, relacionamento e soluções para o mercado.

Serão mais de 40 palestras com temas diversas, entre elas, uma conversa ao vivo (live) com Tiago Lino, Especialista em Riscos Cibernéticos da AIG, para esclarecer dúvidas dos corretores, além de um treinamento completo sobre Sinistros em Responsabilidade Cibernética, ministrado por Victor Perego, também Especialista da AIG.

Vendas, competitividade, gestão e crescimento do negócio serão outros temas abordados pelos palestrantes. Entre eles estão o fundador do CQCS, Gustavo Doria; o fundador da Treinaseg, André Santos; o CEO da Q+ Consultoria e Capacitação, Richard Hessler Furk; e o presidente do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ), Fabio Izoton.

A conferência é uma evolução da Semana do Corretor de Seguros, realizada em 2018, que contou com mais de 20 horas de conteúdo ao vivo. Com o novo formato, a expectativa é de que haja cerca de 15 mil participantes inscritos em 2019.

“O objetivo do evento é incentivar o corretor de seguros a superar desafios, inovar e desenvolver o seu negócio neste momento de transformação digital, buscando o crescimento, sem deixar de lado todo o ecossistema de distribuição de seguros que está à sua volta”, afirma o fundador da Educa Seguros, Anderson Ojope, que também está na lista de palestrantes.

“Nossa presença como correalizadora e patrocinadora reforça a proximidade da Segfy com as corretoras de seguros, que são nossas maiores parceiras de negócios. Queremos fortalecer ainda mais o relacionamento e o engajamento com os corretores, por isso vamos ajudá-los a melhorar realmente os seus resultados na conferência”, completa o diretor da Segfy, Dielson Haffner.

Pela primeira vez, além das palestras tradicionais, serão realizadas entrevistas para gerar insights e inspirar os corretores de seguros por meio da trajetória de profissionais de sucesso. Uma série de workshops também vai mostrar como conteúdos técnicos e de produtos podem ser aplicados no dia a dia.

Poderão participar do evento corretores de seguros, gestores, líderes e responsáveis técnicos, comerciais, calculistas, analistas de sinistros e financeiro, profissionais de atendimento, pós-venda, produtores de seguros e todos os profissionais que atuam nas mais diversas etapas da comercialização de produtos do setor.

O evento online conta com apoio do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) e patrocínio da AIG, Baeta, MegaLuzz Negócios, Ping Seguro, Profee, Ragaz, Seguralta e VitalCard.

Confira algumas das palestras que farão parte da programação:

  • “Como as tendências comportamentais impactarão no mercado de seguros” – Richard Furck, da Q+ Consultoria Capacitação.
  • “Sinistros em Responsabilidade Cibernética” – Victor Perego, Especialista da AIG
  • “Direto ao ponto: desafios e oportunidades para o corretor de seguros” – Gustavo Doria Filho, fundador do CQCS.
  • “Cláusula de rateio do seguro empresarial” – Lovani Zerwes Silva, professora da Escola Nacional de Seguros, diretora e consultora especialista da Piúva Corretora de Seguros.
  • Live sobre Riscos Cibernéticos – Tiago Lino, Especialista da AIG
  • “Outbound Marketing – Prospecção de vendas” – Davi Oliveira, especialista no assunto da Educa Seguros.
  • “Os hábitos de consumo das novas gerações” – Marina Zanco, gerente de projetos da Educa Seguros.
  • “Criando relacionamento e gerando oportunidades de vendas através de conteúdos que educam” – Anderson Ojope, fundador da Educa Seguros.

Inscrições e os detalhes completos da programação podem ser conferidos no site do evento.

Entenda sobre o crescimento do mercado online no Brasil 1751

Entenda sobre o crescimento do mercado online no Brasil

E-commerce ganha cada vez mais espaço como forma de expansão de diversas empresas

O mercado está propenso a sofrer alterações significativas de acordo com o cenário econômico, político e da comunicação. Através da popularização da web, o e-commerce, ou comércio eletrônico, ganha cada vez mais espaço como forma de expansão de diversas empresas.

Sendo uma modalidade que permite explorar os mais variados recursos digitais, a influência e a dinâmica são evidentes em relação aos consumidores e, consequentemente, no mercado.

Os anos 2000 marcam o crescimento do comércio eletrônico em território brasileiro, pois, embora tenha surgido por cerca de 1990, foi neste período em que a criação e o uso do comércio eletrônico foram intensificados, assim como fusões e aquisições entre diversas empresas do mercado nos anos seguintes.

De acordo com a 38° edição do relatório Webshoppers, da empresa Ebit/Nielsen, em 2018, a alta do faturamento em comércio eletrônico marcou 12% comparado ao ano anterior. A expectativa é que a curva de crescimento seja mantida.

Além disso, a líder comercial da empresa, Ana Szasz, aponta que nos últimos anos o crescimento tem destaque de itens não duráveis, que se referem a perfumaria e cosméticos. Isso se deve ao fato de apresentarem mais promoções e, devido aos preços oferecidos, contribui com que os usuários apostem na compra eletrônica.

Outro fator decisivo para o crescimento é o crédito facilitado, que foi significativamente expandido nos últimos anos e, hoje em dia, é amplamente utilizado como um meio de pagamento em diversos comércios eletrônicos.

Conheça os tipos de comércio eletrônico

Sem dúvidas, as possibilidades que podem ser exploradas no e-commerce também contribuem com a expansão desse modelo de negócios. Os principais tipos de acordo com os integrantes das transações são:

Business-to-business (B2B)

Nesse tipo de e-commerce, as transações contam com pessoas jurídicas, como é o caso de uma empresa que comercializa máquina para contar dinheiro para lojistas. Devido a natureza dos negócios, a exigência referente aos valores e prazos podem ser maiores.

É muito comum que as marcas que atuam desta forma tenham que lidar com um volume maior de itens por pedido, o que também pode estar relacionado com quesitos como uma quantia ou quantidade mínima por aquisição.

Outro exemplo é a comercialização de tacógrafo eletrônico para empreendimentos que atuam no setor veicular, uma vez que corresponde a um dispositivo que têm como principal funcionalidade monitorar fatores cruciais como a distância percorrida e velocidade.

Business-to-consumer (B2C)

Diferentemente do modelo citado acima, o B2C consiste em transações efetuadas de pessoas jurídicas para físicas. As modalidades não são restritivas, os empreendimentos podem atuar em somente uma ou nas duas vertentes do mercado.

Como exemplificação, uma empresa que tem um e-commerce que atende oficinas e comercializa itens como óleo de câmbio automático, também pode apresentar uma seção para que os proprietários possam obter acessórios e itens para cuidados com o veículo.

Customer-to-business (C2B)

Por mais que os modelos anteriores sejam de grande destaque, a modalidade C2B também vem ganhando um espaço significativo. Nesse caso, há uma troca de papéis em relação ao anterior, onde a pessoa física é provedora dos serviços ou produtos e atende a pessoa jurídica.

Um exemplo deste caso são bancos de imagens, onde é possível enviar materiais e as empresas podem adquirir fotos para uso variado, por exemplo, em conteúdos elaborados para um blog.

O que é S-commerce e M-commerce?

São vertentes do e-commerce que são cada vez mais exploradas ao longo do tempo e que apresentam um aumento significativo nos últimos anos. Em relação às alternativas anteriores, as divergências que M-commerce e o S-commerce apresentam estão associadas com o canal de atuação.

O primeiro caso corresponde ao mobile commerce, ou seja, modos de vendas próprios para dispositivos móveis, o que vai além de garantir que a loja virtual tenha um design responsivo, uma vez que muitas marcas hoje em dia investem em aplicativos próprios devido a popularização dessa modalidade e do uso evidente dos aparelhos no dia a dia.

No setor veicular, por exemplo, acessórios são muito requisitados e nesse caso, uma marca pode criar um aplicativo com as opções disponibilizadas, como aparelho para injeção eletrônica, além de dicas e onde encontrar suporte.

Já no caso do S-commerce, trata-se de uma alternativa que abrange as redes sociais. A respeito deste ponto, para compreender a importância e a relação com o crescimento do comércio eletrônico, é válido citar que diversas opções de atuais contam com recursos propícios para vendas.

Há possibilidade tanto de apostar na inserção de links quanto para conduzir os usuários para o e-commerce da marca, para a plataforma de pagamento ou aplicativo.

Além disso, de acordo com o Sebrae, em uma pesquisa quantitativa realizada em 2016, com relação aos canais cruciais para concretização das vendas online, as redes sociais apresentaram os números mais altos, marcando 72%.

Quais são as vantagens de abrir um e-commerce?

Há benefícios significativos na abertura de um e-commerce, seja com foco apenas nesse meio ou como uma forma de expandir os negócios. Afinal, com as informações abordadas, é possível observar o número de possibilidades que cada vez mais esse tipo de negócio apresenta, assim como suas vertentes.

Entre os benefícios de maior destaque estão:

Redução de custos

A redução de custos também é um fator a ser observado, uma vez que para estruturar um e-commerce, há um menor investimento envolvido, principalmente em relação aos fatores físicos, como mobília e lojas.

Não significa necessariamente que o investimento em um e-commerce seja baixo, mas certamente os aspectos que exigem investimento são significativamente distintos. 

Dependendo da organização do empreendedor em relação a escolha de plataforma, otimizações, equipe, logística e outros fatores, há grandes possibilidades de economia.

Mercado mais diversificado

Há mais chances de explorar modelos diferenciados de negócios. Por exemplo, uma empresa que comercializa papel de parede para quarto pode ir além em prol de estratégias para alavancar as vendas, como apostar nos produtos digitais, por exemplo, e-books sobre decoração, dicas sobre preservação e instalação.

Amplificação temporal e geográfica

Por intermédio do e-commerce, certas barreiras que existem nas lojas físicas são ultrapassadas. Pode-se citar como exemplificação um cliente de uma oficina mecânica completa, que frequentemente adquire produtos para seu veículo, além de solicitar reparos e manutenções.

Naturalmente, caso a oficina não conte com um e-commerce com seus produtos, o cliente terá que esperar determinado horário para ir ao local para adquirir o que almeja. No entanto, na existência de um e-commerce, seria mais prático identificar os valores, descrições e demais informações a respeito dos produtos, como de um som automotivo interno.

Em qualquer segmento, até mesmo em momentos em que a loja física está fechada, dados relevantes para os consumidores podem ser transmitidos pela plataforma digital, o que contribui com a comodidade dos clientes.

Suporte na decisão de compra

De uma certa maneira, os fatores apresentados anteriormente a respeito das informações disponibilizadas também contribuem com a decisão de compra. Isso se deve ao fato de que há grandes chances de tornar a experiência dos usuários mais rica.

O acesso é mais fácil às informações e essa questão deve ser averiguada nas estratégias, uma vez que o usuário pode buscar não apenas no site da marca em si, como em plataformas de avaliação e comentários em redes sociais sobre determinado produto ou serviço.

Dicas para um e-commerce de sucesso

Em meio ao crescimento apresentado, inclusive com tamanha diversidade, é preciso que os empreendedores tenham uma maior atenção em diversos pontos que naturalmente não seriam relevantes no caso de uma loja física, tais como:

  • Tipo de plataforma;
  • Disposição de informações;
  • Conteúdos de qualidade;
  • Confiabilidade.

Por exemplo, ao procurar por um purificador de agua gelada em uma loja, o consumidor em potencial pode tocar o produto e ter uma noção mais fiel de suas características. Por esse motivo, determinadas adaptações são cruciais ao se tratar do comércio eletrônico.

A confiabilidade deve ser transmitida e, por isso, é preciso apresentar não apenas informações e imagens de qualidade em relação aos itens vendidos ou serviços prestados como também um design satisfatório.

É por meio do design que o cliente em potencial pode ter maior interesse de explorar as páginas, comparar preços e, certamente, de concretizar a contratação do serviço ou a compra.

Investimentos em marketing digital, como em conteúdo e automação, podem contribuir de maneira significativa para a atração de consumidores em potencial, preservação da qualidade, produtividade e, consequentemente, o fortalecimento da marca.

O crescimento do e-commerce acompanha as modificações de diversos cenários, principalmente em relação ao acesso do público as redes digitais. Dessa maneira, não apenas no modelo a ser selecionado, como também nas estratégias aplicadas, é interessante que existam análises precisas.

Embora o crescimento seja notável devido às possibilidades que podem ser exploradas, há necessidade de que os empreendedores tenham cautela devido a competitividade e dificuldades que podem ser encontradas para a inserção de empresas novas no mercado.

*Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.