Icatu Seguros discute cenário de investimentos em Encontro com Gestores 14086

“Melhorar é o que vai acontecer”, disse César Saut

Cerca de 400 gestores de recursos nacionais e internacionais participaram ontem do ‘Encontro com Gestores’, promovido pela Icatu Seguros no Instituto Ling, em Porto Alegre (RS).

Em pauta, o cenário de investimentos no Brasil. Participaram dos painéis o Head de Renda Fixa da Vanguarda, Bernardo Schneider, e o sócio da AZ Quest Caio Colombo, responsáveis pelo debate sobre renda fixa. No painel de renda variável, participaram Fabio Spindola, CIO, CEO e sócio da Apex Capital e Dyana Oliveira, Head RI da Black Rock. Para finalizar os debates, o Painel Multimercado contou com Pedro Sales, CFA e Gestor da Estratégia de Ações Brasil da Verde Asset Management e André Salgado, sócio-fundador da Adam Capital. A mediação foi realizada por Leonardo Fernandes, economista e gestor de riscos corporativos do Grupo Icatu Seguros.

“O Brasil tem uma dimensão geográfica que daqui a 50 anos ainda seremos uma potência econômica no agronegócio. O agro está impulsionando o Brasil neste momento, e fez o Produto Interno Bruto (PIB) crescer, mas o Brasil pode crescer sim, em todos os segmentos”, disse Saut em entrevista ao Seguro Sem Mistério.

Saut traça duas formas de olhar: “pensar que não temos crescido ou ver tudo que temos para crescer“. “Acho que estamos entrando em uma era de transparência, de mais repeito ao consumidor, de mais seriedade, acho que estamos em uma era de transição política. De um modelo que foi criado no passado, não é suficiente para sustentar o presente, quiçá sustentar o futuro. O Brasil, no meu ponto de vista, é muito atrativo – mesmo com o rebaixamento do grau de investimento. Melhorar não é uma tendência, melhorar é o que vai acontecer“, explicou.

Confira todas as imagens:

JLT analisa impacto de lesões em jogadores da Premier League 330

JLT analisa impacto de lesões em jogadores da Premier League

Em média, foram 24 lesões e 634 dias de afastamento por time

Relatório da JLT (Jardine Lloyd Thompson) revela que as lesões em jogadores durante a primeira metade da temporada 2018/19 da Premier League, principal competição do futebol inglês, custaram aos clubes 130 milhões de libras, o equivalente a 620 milhões de reais. Em média, foram 24 lesões e 634 dias de afastamento por time.

O Machester City foi o clube que mais pagou pelos jogadores lesionados: 17 milhões de libras em 30 lesões. Em segundo lugar, aparece o Manchester United, com 14 milhões de libras em 40 lesões. De acordo com a pesquisa, os joelhos são as partes do corpo mais afetadas (75 lesões).

Copa do Mundo

A pesquisa ainda mostrou aumento no número de lesões sofridas por jogadores que participaram da Copa do Mundo 2018, realizada na Rússia. De acordo com a pesquisa, a quantidade de lesões subiu de 78 em 2017/18 para 112 em 2018/2019, um crescimento de 44%.

Divulgação
Divulgação

Todo ano a JLT examina como as contusões impactam os 20 clubes da Premier League. O objetivo do estudo é entender o impacto financeiro das contusões dos jogadores e avaliar a extensão dos riscos de lesões.

A pesquisa, realizada entre 1º de julho de 2018 e 23 de janeiro de 2019, considerou os jogos de cada time da Premier League. Só foram contabilizadas as lesões que levaram os jogadores a perder pelo menos um jogo.

Seguros SURA e Previsul prestigiam ação de verão do JRS 393

Equipe da Previsul Seguradora no QG do JRS

O verão fica muito mais seguro com os programas especiais no litoral gaúcho

Milhões de veranistas acompanham as ações do JRS na temporada 2019. O sábado e o domingo foram intensos no QG do JRS no Litoral Gaúcho, na Praia de Rainha do Mar, em Xangri-lá (RS).

A equipe da Seguros SURA no QG do JRS
A equipe da Seguros SURA no QG do JRS

No dia 16 foi a vez da Seguros SURA, capitaneada pela executiva principal do Rio Grande do Sul, Fabiana Mello. Na oportunidade, Fabiana e seus convidados destacaram as ações da companhia, bem como a estratégia que prioriza o corretor de seguros, propiciando produtos únicos para distribuição aos consumidores do setor.

Equipe da Previsul Seguradora no QG do JRS
Equipe da Previsul Seguradora no QG do JRS

Já no domingo, Andreia Araújo, diretora de Negócios e Marketing da Previsul Seguradora, e a executiva Virginia Mâncio e o gestor Fábio Figueiró, confraternizaram em um almoço especial. Andreia reforçou, em entrevista ao programa Seguro Sem Mistério, a importância da campanha de vendas da companhia em 2019. O corretor de seguros Alcebíades Lima foi convidado especial da seguradora. O profissional destacou a integração aos processos inovadores da empresa.

 

Seguros de pessoas cresce 9,4% em 2018 e movimenta R$ 41,4 bilhões, segundo FenaPrevi 344

Seguros de pessoas cresce 9,4% em 2018 e movimenta R$ 41,4 bilhões, segundo FenaPrevi

Seguros de vida, prestamista e de acidentes pessoais foram os produtos mais contratados pelo consumidor no período. Indenizações pagas aos segurados somaram R$ 9 bilhões

As contratações de seguros para riscos pessoais (seguro de vida, seguro de acidentes pessoais, prestamista, entre outras modalidades) somaram R$ 41,4 bilhões em 2018. O valor foi 9,4% superior aos R$ 37,9 bilhões registrados em 2017, segundo dados da FenaPrevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), entidade que representa 67 seguradoras e entidades abertas de previdência complementar no país.

Segundo dados da Federação, no mesmo período, as indenizações pagas pelas seguradoras totalizaram R$ 9 bilhões contra R$ 8,7 bilhões em 2017. “Os seguros de pessoas são instrumentos importantes de proteção social e ajudam a preservar as conquistar materiais e financeiras das famílias”, diz Jorge Nasser, novo presidente eleito da FenaPrevi para o triênio 2019-2021.

Na análise por modalidade de produto, o seguro de vida (grupo e individual) se firmou como a maior carteira do mercado de seguros de pessoas com 39% dos prêmios arrecadados (valor pagos pelos segurados para contratar a proteção dos seguros).

O seguro de vida em grupo, oferecido pelas empresas como benefício para seus funcionários, movimentou R$ 11,5 bilhões em 2018, resultado 6% superior aos R$ 10,9 bilhões em 2017. Já na categoria vida individual, os prêmios foram de R$ 3,5 bilhões e a alta foi de 24% em relação aos R$ 2,8 bilhões verificados em 2017.

A seguro de proteção financeira (prestamista) que representa 30% do setor também apresentou resultado positivo. A modalidade movimentou R$ 11,3 bilhões em 2018, resultado 19% superior aos R$ 9,5 bilhões em 2017. “A retomada do crédito e melhora das vendas no varejo impulsionaram esta modalidade de seguros, que cobre o pagamento das parcelas de compras feitas a prazo, no caso de perda de emprego sem justa causa pelo titular da apólice”, avalia Nasser.

Segundo a FenaPrevi, o seguro de acidentes pessoais, com a terceira maior representatividade do total de prêmios (15%) no acumulado, também estiveram entre os produtos mais contratados no acumulado de 2018. Os prêmios somaram R$ 5,6 bilhões, enquanto que no ano anterior o total acumulado foi de R$ 5,3 bilhões.

O resultado do seguro auxílio funeral também foi positivo, segundo a federação. As contratações totalizaram R$ 602,2 milhões em prêmios, alta de 10,44% em 2018. No ano anterior, os prêmios foram de R$ 545,3 milhões.

Ainda de acordo com FenaPrevi, os seguros com coberturas para casos de doenças graves e terminais, também estiveram entre os produtos mais contratados no acumulado de 2018. Os prêmios somaram R$ 858,8 milhões, enquanto que no ano anterior o total acumulado foi de R$ 765,7 milhões.

Trajetória inspiradora da tenista Bia Haddad reúne parceiros da Generali 677

Seguradora promoveu ‘aulão’ com a esportista, na última terça

De origem italiana, a Generali reuniu parceiros de negócios, na última terça-feira (12), em São Paulo (SP). O encontro foi especial, em uma super aula com a tenista profissional Bia Haddad.

Em conversa exclusiva com o JRS, a tenista, dona de uma trajetória inspiradora, revelou ser um grande prazer integrar a família Generali. “São pessoas que, muitas vezes, não estão acostumados a trabalhar dentro da quadra. Ser parceira de uma empresa que apoia o esporte, que propicia a integração e formação de pessoas das mais variadas idades, é especial”, conta.

A tenista Bia Haddad
A tenista Bia Haddad

Quando falamos sobre seguros, falamos sobre prevenção. Nesse sentido a prática de esportes é fundamental e a esportista recomenda cuidar do corpo de forma a propiciar uma maior disposição corporal. “Eu levo um pouco mais à risca, por atuar de forma profissional. A vida de um tenista não é fácil, assim como a de muitas profissões, mas com alegria e amor as coisas acontecem”, completa Bia.

Para Claudia Papa, Diretora de Mass Channels da Generali, a atleta representa os valores que a companhia deseja passar ao público e aos parceiros. “Esse evento marca a importância disso. É um orgulho estar ao lado de uma campeã que efetivamente leva essa mensagem à todos”, diz.

Stefano Convertino, Diretor da Generali Employees Benefits, lembra que a seguradora é entusiasta de práticas esportivas. “A companhia é mundialmente conhecida pelo apoio ao esporte e na busca pela qualidade de vida, para deixar as pessoas mais felizes e saudáveis. Além de outros eventos a ideia também é fazer ações com outros esportes, além do tênis”, afirma.

Michele Cherubini é Diretor de Estratégias e Novos Negócios da Generali
Michele Cherubini é Diretor de Estratégias e Novos Negócios da Generali

Já Michele Cherubini, Diretor de Estratégias e Novos Negócios, lembra que a ação visa estreitar o relacionamento com diversos profissionais. “A companhia também busca a simplificação de processos, de modo a deixar o tempo livre para que o corretor faça seu trabalho ao lado do cliente”, revela.

HDI e Icatu se unem para oferecer seguros de vida e acidentes pessoais 597

HDI e Icatu se unem para oferecer seguros de vida e acidentes pessoais

Parceria marca a entrada da HDI no ramo Vida e a expansão da Icatu via canal de corretores

A HDI Seguros e a Icatu Seguros, duas das maiores seguradoras do Brasil, anunciam parceria para a oferta de seguros de Vida e Acidentes Pessoais. A iniciativa é parte dos esforços de ambas as empresas para alcançar objetivos de mão-dupla: enquanto a HDI busca ampliar seu portfólio voltado à proteção das pessoas durante suas jornadas, a Icatu almeja estimular essa mesma cultura e potencializar o alcance de suas soluções.

Neste modelo de negócios, a Icatu Seguros, líder entre as seguradoras independentes em Vida, Previdência e Capitalização, será responsável pelo desenvolvimento de produtos exclusivos, emissão de apólices e atendimento ao consumidor, garantindo a melhor experiência do cliente no pós-venda, assistências e sinistros.

Já a HDI, 5ª maior operadora de automóveis e residências do Brasil, compete a distribuição por meio de sua força comercial, que inclui filiais e escritórios em todas as regiões do País e mais de 23 mil corretores integrados.

“A capilaridade da HDI e a expertise da Icatu permitem o estabelecimento de um ecossistema empresarial virtuoso que gera ganhos para todos. As companhias ampliarão seus negócios, os corretores terão mais oportunidades de rentabilizar e fidelizar clientes e os consumidores, por sua vez, terão mais acesso a proteções”, destaca Murilo Riedel, CEO da HDI Seguros.

“É importante destacar ainda que o corretor de seguros é o nosso principal parceiro e peça fundamental em todas as iniciativas que desenvolvemos. A geração de novas linhas de negócios é vantajosa tanto para as seguradoras, quanto para corretores e clientes”, comenta Flávio Rodrigues, vice-presidente Comercial da HDI Seguros.

Neste primeiro momento, os novos produtos serão comercializados para pessoas física e jurídica. Há projetos futuros em análise, como por exemplo cross-sell com seguros de automóvel, residencial e empresarial oferecidos pela HDI.

“Como uma companhia especialista em pessoas, nosso propósito é contribuir com as melhores soluções de proteção e planejamento financeiro. Nesta parceria estratégica, em que cada companhia traz o que tem de melhor, ampliaremos nosso alcance, oferecendo mais oportunidades de negócio aos corretores e a diversidade e qualidade dos nossos produtos a novos clientes”, afirma Luciano Snel, presidente da Icatu Seguros.

“A parceria com a HDI não muda o posicionamento da Icatu em relação aos corretores. Pelo contrário: vamos continuar investindo em produtos e ferramentas para este canal, que agora passa a ter uma abrangência ainda maior”, avalia Guilherme Hinrichsen, vice-presidente comercial da Icatu Seguros.

O início da operação deve acontecer no segundo semestre. Os resultados serão divididos via cosseguro em uma natureza de sociedade de 50% a 50%.