Sancor leva 90 corretores a show de Roger Waters em Porto Alegre 899

Ação faz parte de campanha “Experiências Inesquecíveis” da companhia

Como forma de valorizar seus parceiros, a Sancor Seguros levou cerca de 90 corretores de seguros de todo o país ao show do Roger Waters em Porto Alegre (RS). O grupo participou de uma recepção de boas vindas no Hotel Deville, com direito a confraternização e camisetas especiais da companhia, e depois foram levados ao Estádio Beira Rio, onde aconteceu o show do ex-integrante do Pink Floyd nesta terça-feira (30).

O evento foi um prêmio previsto pela campanha anual Experiência Inesquecíveis, promovida pela Sancor. “É um momento inesquecível poder participar de uma ação como esta, em reconhecimento ao trabalho e parceria contínua que estabelecemos diariamente com a seguradora”, disse Cristiano Albert Schwizer, da Wallerius Corretora de Seguros, da cidade de Lajeado (RS). “Certamente é uma experiência que nos leva a ter um contato diferente com os executivos e que nos demonstra a importância de trabalhar com empresas sérias”, declarou o diretor da Neo Executiva Corretora de Seguros, Luis Henrique Bueno.

De acordo com o Superintendente Comercial Nacional, Rosimário Pacheco, que acompanhou o grupo, essa foi a primeira vez que a companhia reuniu em premiação de campanha tantos corretores e toda a diretoria da empresa. “Para nós é muito importante estar junto dos corretores de seguros e contar com momentos de descontração, pois trocamos ideias, apresentamos mais da empresa para eles e recebemos feedbacks”, comentou. “Desde o momento que desenhamos essa ideia, com premiações trimestrais, nós imaginamos o momento de estarmos todos juntos uniformizados indo para o show e já recebemos muitos pedidos para que no ano que vem tenhamos formatos parecidos, o que comprova que o grupo gostou muito da experiência”, acrescentou.

Para o presidente da companhia no Brasil, Leandro Poretti, a personalização e proximidade com corretores, colaboradores e todos que cercam os seus processos está no DNA da Sancor. “Nós estamos imensamente gratos em tê-los aqui conosco e poder desfrutar de mais essa experiência. E este show é um presente nosso para vocês. Obrigada a todos que estão aqui e todos os corretores pelo esforço e por terem atingido as metas. A confiança em nossa parceria é que nos move”, afirmou.

Equipe Segurou vence hackathon da GR1D ao desenvolver plataforma de seguros para veículos seminovos 411

Equipe Segurou vence hackathon da GR1D ao desenvolver plataforma de seguros para veículos seminovos

Cada um dos cinco integrantes do time, formado por Ingrid Santos, Guilherme França, Jurandir de Castro, Mário Barbosa e Rafa Prado, ganhou um iPhone XR

Com a produção de protótipo funcional de uma plataforma de cotação e venda de seguros para veículos seminovos, o time Segurou, formado por Ingrid Santos, Guilherme França, Jurandir de Castro, Mário Barbosa e Rafa Prado, foi o grande vencedor do Hacka GR1D, primeiro hackathon promovido pela GRID Insurance – marketplace de APIs (application programming interfaces ou interfaces de programação de aplicativos) exclusivo para o segmento de seguros. Cada um dos cinco integrantes do grupo foi premiado com um iPhone XR.

A maratona de desenvolvimento de soluções para dar apoio à comercialização de produtos do setor de seguros a partir do uso de APIs disponíveis na plataforma da GR1D durou mais de 36 horas e foi realizada neste sábado e domingo, dias 13 e 14 de julho, no centro de inovação da Accenture, no Porto Digital do Recife.

Na segunda colocação, ficou o Time Vally, formado por Evelyn Katrine, Jamilli Vitória, Jorge Salvador, Pedro Neto e Samuel Mataraso. Os cinco foram premiados com heaphones JBL Bluetooth. A equipe desenvolveu uma plataforma para conectar motoristas de aplicativos com as seguradoras que oferecem seguros de vida e de acidentes pessoais.

“Foi uma experiência incrível. A realização do nosso primeiro hackathon deu mais uma prova de que temos uma plataforma poderosa, com ótimas soluções digitais para o mercado de seguros. A galera do Recife foi extremamente criativa e potencializou ainda mais as soluções disponíveis no nosso marketplace. Foi muito difícil escolher o time campeão. Na verdade, considero que tivemos 12 equipes vencedoras”, afirma Renato Terzi, CEO da GR1D Insurance, que acompanhou de perto as mais de 36 horas da competição.

No total, 59 competidores formaram os 12 times do Hacka GR1D. A maratona começou no sábado de manhã, após uma palestra de Guga Stocco, fundador da GR1D, na qual falou sobre os desafios para inovar. Ao longo do evento, foram realizadas mais de 60 rodadas de mentoria em apoio aos participantes, com a participação de parceiros da plataforma de negócios GR1D, como a Mongeral Aegon e a Travel ACE, para instruir os maratonistas sobre o mercado de seguros, soluções tecnológicas e uso de APIs, além de oficinas sobre algumas das aplicações oferecidas pela plataforma da GR1D a seus clientes.

O Hacka GR1D foi realizado pela Shawee e contou com o apoio da Accenture, Porto Digital do Recife, Grite Consultoria, Softex, Cesar School e Databizz, além da Mongeral Aegon e Travel ACE. Mais informações estão neste endereço.

José Augusto da Costa Tatagiba retorna ao mercado de seguros 299

José Augusto da Costa Tatagiba retorna ao mercado de seguros

Ex-presidente da Capemisa Seguradora investe em sistema de franquias no RJ

Com marca consolidada, o sistema de franquias do Grupo Pentagonal Seguros, original e bem sucedido, registra cada vez mais interesse de grandes investidores. É o caso do ex-presidente da Capemisa Seguradora, José Augusto da Costa Tatagiba, que volta ao mercado de seguros. O executivo assinou contrato com a Pentagonal Seguros e será franqueado de uma unidade no Bairro Icaraí, em Niterói (RJ). O negócio será tocado junto ao filho, Eduardo Tatagiba. Atualmente o executivo é sócio-administrador da Bashir Brian Consultoria e Assessoria.

Tatagiba explica a importância deste movimento, agora como franqueado da Pentagonal Seguros. “A partir de agora eu e o Eduardo Tatagiba fazemos parte do time Pentagonal Seguros. Vamos desenvolver nossos esforços pra somar a esse empreendimento vencedor. Sabemos das oportunidades que vêm por aí e apesar do nosso segmento ter alcançado indicadores econômicos melhores do que outras atividades da economia, vislumbramos cenários positivos para futuro breve”, comenta.

Setor segurador registra alta de 16,1% em maio 544

Setor segurador registra alta de 16,1% em maio

Receitas totalizaram R$ 103,7 bilhões nos cinco primeiros meses do ano, sem Saúde e DPVAT

Em maio, as receitas do setor de seguros voltaram a crescer se comparado ao mesmo mês de 2018, registrando expansão de 16,1% (sem Saúde e DPVAT). No editorial da nova edição da publicação Conjuntura CNseg, o presidente da Confederação, Marcio Coriolano, afirma que “esse ótimo desempenho serviu para elevar a arrecadação acumulada no ano até maio para 7,1%, comparativamente a igual período do ano passado”. A receita de todos os ramos – exceto Saúde e DPVAT- somou R$ 103,7 bilhões nos cinco primeiros meses do ano.

Na média móvel dos últimos 12 meses até maio, a taxa também evoluiu para 1,5%, retomando o viés de alta sobre abril, que ficara praticamente estável (0,1%). “É um número importante, porque se aproxima do obtido nos dois primeiros meses do ano, após quatro meses de 2018 em que o setor apresentou taxas de desempenho negativas”, escreve o presidente.

Para ele, o mercado continua a apresentar comportamento desigual das vendas entre os diversos ramos. De janeiro a maio, o ramo de seguros patrimoniais (do segmento de seguros de danos e responsabilidades) vem liderando o crescimento, com 15,7%, enquanto os Planos de Riscos (do segmento Cobertura de pessoas) evolui com taxa de 15,4%. Outro destaque foi o segmento de Títulos de Capitalização que apresenta crescimento 11,7% neste ano.

No segmento de Vida e Previdência, o subsegmento de Cobertura de Pessoas – Planos de Riscos, nos últimos 12 meses até maio, a variação foi de 11,3%, seguindo uma trajetória de alta consistente. Os Planos de Acumulação (VGBL e PGBL) registraram variação negativa de 5,6% nos últimos 12 meses até maio. Saiba mais neste endereço.

Capitalização soma mais de R$ 30 bilhões em reservas técnicas 808

Capitalização soma mais de R$ 30 bilhões em reservas técnicas

Dados foram divulgados pela Federação Nacional de Capitalização (FenaCap)

De acordo com dados divulgados pela Federação Nacional de Capitalização (FenaCap), as reservas técnicas – valores acumulados pelos clientes com títulos de capitalização ativos – atingiram R$ 30,1 bilhões, registrando um crescimento de 2,9% em comparação aos primeiros cinco meses do ano passado.

Marcelo Farinha é presidente da FenaCap / Divulgação
Marcelo Farinha é presidente da FenaCap / Divulgação

A receita global do setor avançou 11,7% no mesmo período, atingindo R$ 9,5 bilhões. As 16 empresas que integram a FenaCap distribuíram R$ 496 milhões em prêmios em sorteios, um aumento de 3,1%. Ainda em comparação ao mesmo período de 2018, os resgates realizados antecipadamente, ou ao fim do prazo do contrato de capitalização, apresentaram crescimento de 2,9%, alcançando o montante de R$ 7,3 bilhões.

“As novas regras criaram um ambiente de negócios mais favorável, trazendo segurança jurídica e criando as condições para a expansão do mercado e o lançamento de produtos cada vez mais aderentes às necessidades dos consumidores”, assinala Marcelo Farinha, presidente da FenaCap.

Com a entrada em vigor do marco regulatório da Capitalização, em abril, as empresas do setor reformularam seus portfólios para atender às novas regras, adaptando produtos já existentes e criando novos, especialmente dentro das modalidades recém criadas de Filantropia Premiável e Instrumento de Garantia, que elevaram para seis o número de modalidades de títulos de capitalização existentes.

Divulgação
Divulgação

MAPFRE realiza primeira semana do cooperativismo do mercado segurador 452

MAPFRE realiza primeira semana do cooperativismo do mercado segurador

Coop Week contou com a presença dos principais especialistas do setor que, em 2018, movimentou R$ 1,5 bilhão em seguros gerais

A MAPFRE promoveu, na manhã da quinta-feira (11), a primeira semana voltada ao mercado de cooperativas organizada por uma seguradora, a Coop Week. Com representantes de diversas regiões do país, o encontro propôs discussões em torno do movimento econômico que beneficia mais de 50 milhões de brasileiros de forma direta e indireta.

A companhia é líder absoluta na venda de seguros gerais por meio do canal de cooperativas, com 49% do mercado que teve um faturamento de R$ 1,5 bilhão em 2018.

De acordo com o diretor de Canais Cooperativas da MAPFRE, Tadeu Vieira, essa liderança é inerente à origem da empresa. “A MAPFRE tem mutualidade em seu nome, nasceu de uma cooperativa rural espanhola e trouxe essa essência para o Brasil, com presença no setor há quase 30 anos”, afirma.

Divulgação

Em sua apresentação, o autor do livro “Cooperativismo Financeiro – Virtudes e Oportunidades”, Ênio Meinen, destacou a importância social do movimento. “Em cerca de 10% dos municípios do país, as únicas instituições financeiras são cooperativas. Essas organizações chegam onde as grandes redes bancárias não alcançam, gerando renda e emprego, levando poder de compra e realizando sonhos de milhões de famílias”.

Já o diretor executivo de Produtos e Negócios do Sicredi, Cidmar Luís Stoffel, ressaltou em sua palestra a relevância do setor. “Se todas as cooperativas fossem um país, seriam a nona economia do mundo”, disse, lembrando que o Banco Central “incluiu à sua agenda de desafios a ampliação de 8% para 22% a fatia das cooperativas no Sistema Financeiro Nacional”.

Divulgação
Divulgação

Durante sua fala no evento, Marco Aurélio Almada, diretor-presidente do Bancoob, comentou sobre o futuro das cooperativas. “Nosso modelo de negócios já se provou resiliente a inúmeras dores e transformações digitais. No entanto, essa solidez não garantirá o eterno sucesso. É necessário voltar o olhar às inovações constantes, e estarmos abertos às mudanças, principalmente no que diz respeito ao papel consultivo ao cooperado.”

Cooperativismo como ferramenta de desenvolvimento

Segundo dados divulgados neste mês pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), enquanto o país cresceu 5% em empregabilidade entre 2010 e 2018, o cooperativismo expandiu em 18%. Em relação à geração de riqueza, R$ 7 bilhões foram recolhidos aos cofres públicos pelo setor, por meio de impostos e tributos, apenas em 2018. Também no ano passado, essas organizações injetaram mais de R$ 9 bilhões na economia com o pagamento de salários e outros benefícios destinados a colaboradores.