Porque o mercado de criptomoedas ganha cada vez mais espaço e credibilidade 746

Criptomoedas

Confira artigo de Jaime Schier, diretor comercial do Grupo Bitcoin Banco

Desde que alcançou ampla popularidade no fim do ano passado, o mercado de criptomoedas esteve marcado por discussões que envolvem a confiabilidade do sistema, a segurança, a transparência, a regulamentação ou a alta volatilidade da moeda. A verdade é que essa agenda é superada a cada dia pela revolução que o bitcoin vem causando no sistema financeiro. As criptomoedas possuem um valor de US$ 200 bilhões e somam mais de US$ 6 trilhões desde que surgiu, segundo dados de abril deste ano.

Descentralizado e distribuído, ou seja, não controlado por nenhuma entidade ou governo, o mercado de cripto está ancorado na blockchain, o que garante segurança e praticamente impede ataques ou adulteração. Para se ter uma ideia, hoje seriam necessários US$ 56,5 bilhões e uma estrutura computacional como a da Nasa para burlar a rede Bitcoin.

Qualquer movimentação em bitcoin fica registrada e disponível para visualização na blockchain por parte dos usuários. Ainda assim, as consultas são feitas aleatoriamente e as ligações entre as transações exigem um conhecimento aprofundado de navegação nos incontáveis nós da rede.

Isso já começa a fazer das exchanges agentes do processo de transparência e de combate a crimes como lavagem de dinheiro. Alguns magistrados de diferentes órgãos do Poder Judiciário têm demandado consultas às nossas bases de dados, e o fazem requisitando informações e até bloqueio de eventual saldo em criptomoedas, vinculado a determinado CNPJ ou CPF tornado réu em alguma operação criminal.

A ausência de regulamentação específica do setor também já não inibe o mercado. Esse é um segmento extremamente organizado e a prova está na tributação de suas atividades, mesmo sem definição da categoria. As criptomoedas precisam ser declaradas ao fisco brasileiro no Imposto de Renda, por exemplo.

Além disso, ganha força a defesa da autorregulação. Entende-se que o Conselho Monetário Nacional poderia outorgar, como já se faz no mercado imobiliário, poderes a associações que têm como objeto social a defesa do mercado de criptomoedas. Essas entidades, com notória e irrefutável expertise no segmento, ficariam encarregadas da regulação, supervisão, fiscalização e certificação do criptomercado, com vistas a preservar a segurança, eficiência e integridade das operações de negócios e ofertas.

O ideal é que um dia cheguemos ao patamar de países como o Japão, que promoveu a autorregulação e passou a reconhecer as criptos como “moedas legais”, a aumentar a fiscalização contra operações ilegais e para segurança dos investidores. Até mesmo o governo aceita receber seus impostos em moedas virtuais e recentemente um banco tradicional do país passou a fazer oferta de criptomoedas.

O bitcoin também ganha força como forma de investimento. Ao comprar na “baixa” e vender na “alta” e realizar negociações até mesmo com outros usuários das plataformas das exchanges, é possível conseguir boa rentabilidade mesmo em ambiente alta volatilidade. Ganha ritmo agora o uso das criptomoedas como meio de troca de produtos e serviços, especialmente pela possibilidade de realizar transações de maneira rápida, ágil e acessível. Em todo o mundo, são mais de 13,5 mil estabelecimentos, de acordo com o site CoinMap.org, que realiza o monitoramento.

A expansão deve continuar mesmo diante de resistência no sistema financeiro tradicional. Para entrar no segmento de criptos ainda é preciso fazer a troca pela moeda fiduciária e passar pelos bancos, mas a tendência é de que haja uma transformação cada vez maior nesse novo mundo que vai muito além da simples compra e venda de bitcoins.

É com essa certeza que o Grupo Bitcoin Banco investe em estruturas que materializam o mundo das criptomoedas. Nossa agência física em Curitiba é pioneira e oferece produtos concebidos inclusive para quem não tem intimidade com moedas digitais. Entre eles, modalidades de investimento por 90 ou 180 dias, com ou sem possibilidade de trade, que remuneram o cliente com 1% ao mês em bitcoin, com base no valor investido. Na plataforma La Rêve, um depósito por 12 meses permite escolher um “presente” no valor correspondente.

Com as inovações, o Grupo Bitcoin Banco prova ser possível fazer investimento seguro e transparente em criptomoedas, sem risco de perdas. Mais um caminho para oferecer ainda mais credibilidade e consolidar o mercado de criptomoedas.

MDS Brasil anuncia Paulo Loureiro como Diretor de Filiais 193

Arquivo/MDS

Executivo, que acumulará a operação no Rio de Janeiro, assume novo cargo na companhia

A MDS Brasil, referência global em seguros, resseguros e consultoria de riscos, anuncia a promoção de Paulo Loureiro a Diretor de Filiais da companhia. Há um ano no cargo de Diretor de Regional do Rio de Janeiro, o executivo tem se destacado pelo perfil versátil, que transita entre atividades comerciais, iniciativas de relacionamento com clientes e liderança próxima das equipes. A partir de agora, Paulo passa a acumular a função com o acompanhamento e gestão dos heads regionais Eduardo de Paranaguá (Sul e Minas Gerais) e Leandro Bonilha (Nordeste).

Trata-se de uma posição nova na MDS Brasil e que visa intensificar o alinhamento estratégico em todas as regiões nas quais a empresa tem presença, de forma a compartilhar suas melhores práticas, seus valores, cultura e diferenciais, sempre com respeito às características e culturas locais.

Juntos, os líderes terão a oportunidade de somar o potencial das regiões Rio de Janeiro, Nordeste, Sul e Belo Horizonte e dar continuidade em ações de expansão – a exemplo da inauguração do novo escritório de Blumenau –, para ampliar a projeção da MDS ao redor do Brasil, conquistar e atender cada vez mais clientes do país.

“Este é um movimento interessante para potencializar a atuação da MDS nas diferentes regiões, especialmente nas mais novas, e trabalhar na retenção e ampliação da base de clientes nas praças nas quais a companhia já está consolidada”, explica Paulo Loureiro. Para o executivo, uma de suas missões é mostrar que a MDS Brasil vai muito além de uma corretora, é uma consultoria de risco que dispõe de uma série de serviços e soluções para atender sob medida às necessidades do diferentes perfis de clientes.

Com nove escritórios em importantes cidades brasileiras, a MDS registrou crescimento de 18% em receita no país e 25% em resultado em 2018. Para 2019, a projeção da companhia é seguir com esse ritmo de crescimento e aposta no alto potencial de todas as regiões, em especial as operações mais recentes (Minas Gerais e Nordeste) para obter esse desempenho.

Sobre a MDS: MDS é um grupo multinacional que atua na área da corretagem de seguro e resseguro e consultoria de riscos. É líder de mercado em Portugal, está entre os maiores no Brasil e presente também em Angola, Moçambique e Espanha. Mundialmente, a companhia opera através da Brokerslink – uma empresa fundada pelo grupo e que gere uma rede de brokers presente em mais de 100 países, totalizando cerca de 10.000 profissionais de seguros. Em resseguro, a organização atua no Brasil, em Portugal e na África com a marca MDS RE. A RCG – Risk Consulting Group é a empresa referência em análise de riscos, controle de perdas, plano de continuidade de negócios e enterprise risk management. Através da HighDome, uma Protected Cell Company (PCC), o grupo oferece soluções alternativas de transferência de riscos ao mercado tradicional de seguros. Por fim, o grupo tem participação relevante na 838 Soluções, empresa pioneira no desenvolvimento de ferramentas para a gestão automatizada de Benefícios e Benefícios Flexíveis.

Associação de proteção veicular patrocina Vasco e causa polêmica 317

Associação de proteção veicular patrocina Vasco e causa polêmica

Sincor-SP disse que tomará ‘medidas cabíveis’ para demonstrar indignação da categoria

A Global CBB, associação de proteção veicular, patrocina o Club de Regatas Vasco da Gama. Em nota, o Sindicato dos Corretores de São Paulo (Sincor-SP) informou que tomará as medidas cabíveis para demonstrar a indignação da categoria de profissionais do setor de seguros.

“Precisamos sempre nos posicionar contra a ilegalidade e a favor da proteção ao consumidor”, declarou Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP.

A empresa de proteção veicular estampará sua marca no uniforme do clube durante a temporada. Diversos corretores profissionais de seguros reagiram negativamente em relação a parceria, já que a atividade da CBB Global não é regulamentada pela Superintendência de Seguros Privados.

Bruno Maia, vice-presidente de marketing do Vasco, comemorou a parceria. “Damos as boas vindas à Global CBB, confiando que eles fizeram uma excelente escolha de apostar no futebol e, principalmente, no Vasco. O nosso compromisso com todas as marcas que passaram pelo uniforme nesses últimos meses é a prova da nossa entrega e comprometimento. Que fiquem conosco muito tempo e atinjam seus resultados”, disse.

Já o presidente da Global CBB, Ricardo Silva, ressaltou que o cuidado do Vasco com a base foi importante para a parceria. Além disso, elogiou a homenagem na última partida às vítimas das enchentes que atingiram a Rocinha e o Vidigal e aos dez jovens mortos no incêndio no Ninho do Urubu.

“Escolhemos o Vasco pois é um clube extremamente focado na formação não só de jogadores como de cidadãos. O cuidado com a base foi algo primordial para nossa escolha, pois fica claro que se preocupam com as próximas gerações de atletas e de pessoas em nossa sociedade. No último jogo, o Vasco deu uma grande demonstração de solidariedade, o que nos faz ter ainda mais certeza de que era com um clube assim que queríamos ver a nossa marca”, relatou Silva.

Em nota, o presidente do Clube dos Corretores de Seguros do Estado do Rio de Janeiro (CCS-RJ) disse: “O Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro vem a público manifestar sua indignação pela decisão do Club de Regatas Vasco da Gama, essa GIGANTE instituição esportiva, fundada em 21 de agosto de 1898, e que tem milhões de apaixonados torcedores pelo mundo, em ter aceitado como patrocinador uma ‘EMPRESA’ que se passa por uma Associação de Proteção Veicular, que exerce atividade totalmente controversa e que vem sendo constantemente combatida pelos Órgãos Públicos e de Fiscalização do Mercado e de Defesa do Consumidor, inclusive com consistente divulgação na mídia de diversos prejuízos causados aos seus ‘CLIENTES’ associados”.

A reportagem de JRS consultou o Vasco, que não retornou até o momento.

*Com informações de Terra.

JLT analisa impacto de lesões em jogadores da Premier League 317

JLT analisa impacto de lesões em jogadores da Premier League

Em média, foram 24 lesões e 634 dias de afastamento por time

Relatório da JLT (Jardine Lloyd Thompson) revela que as lesões em jogadores durante a primeira metade da temporada 2018/19 da Premier League, principal competição do futebol inglês, custaram aos clubes 130 milhões de libras, o equivalente a 620 milhões de reais. Em média, foram 24 lesões e 634 dias de afastamento por time.

O Machester City foi o clube que mais pagou pelos jogadores lesionados: 17 milhões de libras em 30 lesões. Em segundo lugar, aparece o Manchester United, com 14 milhões de libras em 40 lesões. De acordo com a pesquisa, os joelhos são as partes do corpo mais afetadas (75 lesões).

Copa do Mundo

A pesquisa ainda mostrou aumento no número de lesões sofridas por jogadores que participaram da Copa do Mundo 2018, realizada na Rússia. De acordo com a pesquisa, a quantidade de lesões subiu de 78 em 2017/18 para 112 em 2018/2019, um crescimento de 44%.

Divulgação
Divulgação

Todo ano a JLT examina como as contusões impactam os 20 clubes da Premier League. O objetivo do estudo é entender o impacto financeiro das contusões dos jogadores e avaliar a extensão dos riscos de lesões.

A pesquisa, realizada entre 1º de julho de 2018 e 23 de janeiro de 2019, considerou os jogos de cada time da Premier League. Só foram contabilizadas as lesões que levaram os jogadores a perder pelo menos um jogo.

Sompo expande Programa de Incentivo que passa a valer também para vendas do Seguro Saúde 210

Sompo expande Programa de Incentivo que passa a valer também para vendas do Seguro Saúde

Programa Ponto a Ponto resultou em mais de 15% de crescimento em novos Seguros de Vida

A Sompo Seguros S.A, empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo, em virtude do sucesso alcançado no Programa Ponto a Ponto, decidiu expandir os ramos abrangidos no programa. Lançada em junho de 2018, a iniciativa que foi criada com o objetivo de incentivar a produção dos seguros do ramo Vida, agora também contempla os produtos da Sompo Saúde Seguros. “O crescimento nas vendas, o excelente índice de engajamento dos corretores de seguros e o bom desempenho do programa, que traz a facilidade da conversão efetiva de pontos em produtos e serviços, foram essenciais para a decisão de dar mais esse passo. Agora, os novos contratos de Seguro Saúde estabelecidos desde 1 de dezembro de 2018 já estão pontuando por meio do programa”, considera Edglei Monteiro, Diretor de Vida e Saúde da Sompo Seguros.

Com isso, para o Seguro Sompo Saúde PME (até 99 vidas), a cada R$ 4 em Prêmio Líquido pago de seguros novos, o corretor recebe um ponto. Já no caso do Seguro Sompo Saúde Empresarial (até 2 mil vidas), a cada R$ 8 em Prêmio Líquido pago de seguros novos, o corretor recebe um ponto. Para o ramo Vida a regra permanece a que já está em vigor. Para cada R$ 2,00 (dois reais) em Prêmio Líquido Emitido, faturado e devidamente pago dos produtos Vida Individual Anual, Vida Top Mulher, PME Capital Global, Seguro de Apoio ao Trabalhador (SAT), PME Super Simples e PME Vida Supremo; é concedido um ponto. Os pontos são convertidos em Dotz e podem ser trocados por prêmios (veja detalhes abaixo).

Até o momento, mais de 6 mil corretores de seguros de todo o Brasil já aderiram ao programa e, só no ramo Vida, houve um aumento da ordem de 15% no segundo semestre de 2018 em relação ao mesmo período o ano anterior. Brasília (DF), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Goiás (GO), Londrina (PR), Blumenau (SC), Caxias do Sul (RS), Cascavel (PR) e Porto Alegre (RS) foram as cidades com o maior volume de negócios viabilizados em Prêmios Líquidos pagos em termos de novas apólices de seguro de Vida. “Isso mostra a tendência de aquecimento desse mercado, o que configura uma ótima oportunidade para o corretor de seguros. Além disso, os novos seguros também indicam que há um público que antes não contava com cobertura de seguro de Vida e, agora, foi inserido nesse mercado. Isso é bom tanto do ponto de vista do mercado, que fica aquecido; quanto do ponto de vista do segurado, que agora conta com a garantia da proteção financeira do seguro, caso algum imprevisto aconteça”, avalia o executivo.

Programa Ponto a Ponto

O Programa Ponto a Ponto é um Programa de Fidelidade que tem como objetivo reconhecer o trabalho desenvolvido pelos corretores de seguros de todo o Brasil e dinamizar a produção dos produtos dos ramos Vida e Saúde. Toda a mecânica da ação foi desenvolvida em parceria com a Dotz, empresa líder em programa de fidelidade no varejo brasileiro.

Por meio da iniciativa, os corretores de seguros cadastrados e ativos na Sompo Seguros que comercializarem os produtos dos ramos Vida e Saúde acumulam pontos que podem ser trocados por prêmios. São mais de 50 mil itens, como produtos, viagens e experiências disponíveis no Catálogo Dotz. As trocas podem ser efetuadas online, via App Dotz, em parceiros físicos ou pela Central de Atendimento Dotz.

Para as vendas dos produtos Vida Individual Anual, Vida Top Mulher, PME Capital Global, Seguro de Apoio ao Trabalhador (SAT), PME Super Simples, PME Vida Supremo, a cada R$ 2,00 (dois reais) em Prêmio Líquido Emitido, faturado e devidamente pago é concedido um ponto. Por exemplo, uma apólice com Prêmio de R$ 400,00 dividido em quatro parcelas de R$ 100,00, vai resultar em 50 pontos a cada mês em que o segurado efetuar o pagamento da parcela.

Já para os produtos do segmento Saúde, os pontos serão computados para o prêmio emitido nos 12 primeiros meses de vigência da apólice. Para o Sompo Saúde PME (até 99 vidas), a cada R$ 4,00 (quatro reais) em Prêmio Emitido Líquido, faturado e devidamente pago, o Corretor terá direito a um ponto. Já no caso do Sompo Saúde Empresarial (até 2 mil vidas), a cada R$ 8,00 (oito reais) em Prêmio Emitido Líquido, faturado e devidamente pago, será concedido um ponto ao corretor.

A facilidade de acompanhamento e troca de pontos é uma das vantagens da iniciativa. Por meio do Portal Ponto a Ponto, o corretor de seguros pode fazer a gestão dos pontos acumulados e trocá-los por prêmios.

Reprodução
Reprodução

Outro detalhe é a flexibilidade na utilização dos pontos. O corretor de seguros pode utilizar os pontos para benefício próprio, distribuí-los aos seus funcionários como forma de incentivo ou presentear outras pessoas com os pontos.

Ao distribuir, os pontos são convertidos em Dotz. Cada ponto corresponde a um Dotz. Com eles, o corretor ou seus funcionários podem acessar o Catálogo Dotz e resgatar prêmios de diversas categorias, como eletrônicos, eletrodomésticos, itens de vestuário, entretenimento, passagens aéreas, hospedagens, entre outros.

Essa é uma iniciativa da Sompo Seguros adotada como forma de beneficiar os profissionais que se empenham no trabalho de orientação ao segurado em relação aos produtos do segmento Vida e Saúde.

Generali está em novo endereço em Ribeirão Preto 158

Generali está em novo endereço em Ribeirão Preto

Companhia mudou de instalações nesta segunda, 18

A Generali Brasil Seguros comunica que desde a última segunda-feira, 18, suas operações em Ribeirão Preto (SP) passam a ficar em novo endereço. Agora, o escritório da companhia fica localizado na Avenida Luiz Eduardo Toledo Prado, 800 – nas salas 905 e 906 da Torre I, no Bairro Vila do Golf, Shopping Iguatemi.

O telefone para contato dessa unidade segue o mesmo: (16) 3323-0100