Empresa desenvolve projetos par cibersegurança de veículos conectados e autônomos 800

cibersegurança

Serviços permitem enviar informações de forma segura aos veículos

A conectividade e a automatização dos veículos permitem melhorar a mobilidade e aumentar a segurança dos deslocamentos, mas também abrem espaço para possíveis ataques de cibersegurança nos carros conectados, na infraestrutura e nos centros de controle de tráfego. A Indra, uma das principais empresas globais  de tecnologia e consultoria, já está desenvolvendo novas soluções destinadas a garantir a cibersegurança dos veículos conectados e autônomos na base dos projetos europeus de I+D+i Secredas e Scott. Estas soluções de cibersegurança são aplicáveis não somente nos carros, mas também em ônibus, bondes ou trens conectados.

O projeto Secredas, integrado por 69 entidades de 16 países europeus e com um orçamento de 50 milhões de euros do programa ECSEL da União Europeia, tem como objetivo criar uma tecnologia de referência segura para sistemas automatizados, que cumpra também com o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD). Aborda as tecnologias relacionadas com a cibersegurança nos setores do transporte, tanto ferroviário como automotivo e saúde.

No setor automotivo, o projeto aborda o desenvolvimento de ferramentas e garante a segurança dos dados e dos próprios sistemas automatizados em todas as camadas de comunicação dos carros conectados e seu ecossistema: desde as comunicações internas entre os sistemas dos próprios veículos e seus sistemas de desbloqueio ou sensores até a troca de dados com o centro de controle, a infraestrutura ou as plataformas na nuvem que facilitam aos veículos novos serviços.

Basicamente, a Indra vai desenvolver no projeto, em colaboração com vários fabricantes de veículos, novos serviços para carros conectados, baseados em tecnologias de troca de informação e comunicações seguras, cloud computing e processamento inteligente distribuído, tendo em conta os maiores níveis de segurança.

Da mesma maneira, no projeto europeu Scott, a companhia desenvolve uma plataforma intermodal na nuvem, que permitirá enviar de forma segura aos veículos informação em tempo real sobre limites de velocidade ou outros sinais, recomendações ou alertas, incluindo informação de outros meios de transporte.

Além de tornar possível o desenvolvimento destes serviços de valor agregado, a Indra trabalha no projeto Scott desenvolvendo novas soluções e produtos baseados em tecnologias de comunicação sem fio segura, confiável e interoperável. Tudo isso em um entorno de cibersegurança por meio do qual se pretende aumentar a confiança nas comunicações sem fio dos veículos conectados.

Graças à segurança incorporada na troca de informação com outros meios de transporte, o projeto tornará possível notificar de forma confiável aos veículos conectados e autônomos diferentes alertas, como, por exemplo, a chegada de um trem em um cruzamento, melhorando a eficiência no transporte e a segurança do passageiro. Esta interoperabilidade é especialmente importante nas cidades onde coexiste uma grande quantidade de meios de transporte diferentes com a capacidade de proporcionar informação útil e onde um dos principais desafios é integrar os veículos convencionais, veículos conectados, carros autônomos e os demais meios de transporte para melhorar a mobilidade urbana e a segurança dos deslocamentos.

O projeto Scott conta com 57 sócios de 12 países e está cofinanciado pelo Ministério de Energia, Turismo e Agenda Digital e pela Comissão Europeia.

Na liderança em serviços para veículos autônomos e conectados

A Indra agrega aos projetos Secredas e Scott sua experiência e tecnologia para o setor do transporte, mas também suas capacidades de processamento na nuvem e cibersegurança. Com os avanços que está desenvolvendo em ambos os projetos, a Indra reforça sua posição de liderança em smart mobility e no mercado de serviços para o veículo autônomo e/ou conectado.

A companhia lidera o projeto de I+D+i Autocits, que testa a direção autônoma em estradas de Madri, Lisboa e Paris para adaptar a normativa, os centros de controle e as infraestruturas ao carro conectado e autônomo. Já está circulando em testes pela pista para veículos de alta ocupação bus-VAO da A-6 em Madri um carro autônomo do projeto, a velocidades superiores aos 80 Km/h. Para tanto, instalou-se nesta pista uma rede de equipamentos com diferentes tecnologias de comunicação ITS-G5 e comunicações móveis, que facilita a comunicação entre o carro autônomo e o centro de controle de tráfego. Graças aos serviços de transporte inteligentes e cooperativos (C-ITS) desenvolvidos no projeto, é possível enviar ao carro informação em tempo real sobre a situação do tráfego, o clima ou obras na estrada. Desta maneira, amplia-se sua “visão” e facilita-se uma convivência segura entre veículos autônomos e convencionais.

A Indra também está tendo uma participação de destaque no projeto C-ROADS. É parceira do consórcio nacional espanhol, que lidera a Direção Geral de Tráfego e atua como fornecedor de tecnologia, desenvolvedor e implementador de serviços C-ITS nos pilotos de Madri e Cantábrico.

A Indra tem um papel fundamental no desenvolvimento e na implementação de vários serviços, assim como do software de centro de controle e de equipamento de estrada que permite o envio de informação aos veículos. Participa do desenvolvimento dos serviços de alerta de climatologia adversa, engarrafamentos próximos e de aproximação de veículos de emergência, a fim de enviar os dados aos veículos autônomos e informar aos motoristas de veículos convencionais, melhorando a experiência e a segurança na direção.

O desafio da cibersegurança

Com a conectividade dos carros à Internet são possíveis ataques externos que não existiam há dez anos. A conectividade, o hardware e o software que capacitam os veículos conectados adicionam novos requisitos de segurança e privacidade que têm implicações diretas na estrutura interna dos veículos e na infraestrutura, com mais de 50 possíveis pontos de ataque.

A conexão remota com um veículo conectado implica a possibilidade de acesso às suas unidades eletrônicas de controle, como o sistema de acesso ao veículo, unidades de controle do volante, sistema de freio, motor, transmissão, iluminação, airbags, etc. Além disso, o próprio desenho e implementação de sistemas de conectividade nos veículos pode ter falhas dos quais os criminosos virtuais poderiam se aproveitar para realizar ataques que incluem o controle de um conjunto ampliado de funcionalidades e a anulação das ações do motorista. Também poderiam ser roubados os dados dos veículos e/ou motoristas.

Com sala exclusiva de treinamento, SulAmérica inaugura novo espaço da filial Lapa 278

Novidades permitem à companhia fortalecer relacionamento com parceiros de negócios em espaço ainda maior

SulAmérica Seguros inaugura nova filial na Lapa
SulAmérica Seguros inaugura nova filial na Lapa

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, inaugura um novo espaço para as atividades de sua filial no distrito da Lapa, em São Paulo. O estabelecimento tem mais de 100 metros quadrados e conta com uma sala exclusiva de treinamento, o que deverá preparar ainda mais os corretores no ambiente de geração de novas oportunidades de negócios.

“Esta inauguração reflete os nossos investimentos para aprofundar cada vez mais o nosso relacionamento com os corretores e expandir as iniciativas de treinamento, de modo a entregarmos para nossos parceiros todo o suporte de que precisam para atuarem neste mundo cada vez mais dinâmico, digital e inovador. Os corretores da região merecem este novo espaço”, celebra o diretor regional da SulAmérica para São Paulo (Capital), Luciano Lima.

A unidade da SulAmérica na Lapa conta, atualmente, com mais de 500 corretores ativos. O gerente da unidade é Wilson Dedonio – o time também é formado por dois gestores e um colaborador da equipe de apoio. O novo espaço está localizado na Rua Tito, 678 – loja 1, Vila Romana. O telefone para contato com a unidade é (11) 2679-9320.

GBOEX apresenta novo superintendente comercial 343

Leonardo Neustadt é superintendente comercial do GBOEX

Leonardo Neustadt possui MBA em Gestão Empresarial (FGV) e curso de extensão, Strategic Selling, Miller Heiman Group

O GBOEX – Previdência e Seguro de Pessoas – apresenta Leonardo Neustadt como o novo superintendente comercial. O executivo ocupou cargos de liderança em diferentes empresas nacionais e internacionais. Nos últimos 20 anos atuou na gestão de processos, desenvolvimento de projetos e negociações na área comercial de produtos e serviços voltados aos ramos de seguros empresariais, patrimoniais, transportes, linhas financeiras e de benefícios.

Neustadt cita como principais desafios a atuação na convergência entre a tradição de uma marca centenária e a realidade de um mercado que vive os efeitos da transformação digital, além de estabelecer e reforçar uma cultura comercial concentrada em “valores” e na “experiência do cliente”, e não somente em produto.

Para alcançar isso, pretende incentivar as ‘conexões” entre áreas, estabelecendo uma cultura criativa e de engajamento. Leonardo também explica que as bases de sua gestão serão estruturadas sobre 4 pilares: fortalecimento e diversificação dos canais de vendas, expansão geográfica, posicionamento estratégico da estrutura comercial existente e aproximação e alinhamento da marca GBOEX com o mercado de corretores e consultores.

Com entusiasmo, o profissional indica que o sentimento de admiração pela história centenária do GBOEX é ainda mais nobre ao conhecer e entender como a empresa  se mantém estruturada, organizada e preocupada com o futuro dos seus clientes, aqui chamados de associados. Também encontrou uma empresa focada em estabelecer relações de longo prazo com os corretores, onde muitos são parceiros de longa data.

“Tenho uma característica pessoal muito forte, que é concentrada no compromisso com tudo o que me proponho a fazer, e de lealdade nas relações interpessoais. O trabalho de time ocupa um lugar de destaque em minha administração, em que as pessoas (profissionais) são os pilares de sustentação. Recebo este desafio de assumir uma posição de gestão comercial nacional,  com o que me causa um sentimento de imensa satisfação, pelas perspectivas e possibilidades existentes em nosso mercado. Venho com a disposição de trazer energia, para inspirar no papel de líder, contribuindo para um resultado gratificante a todos os envolvidos neste projeto”, enfatiza Neustadt.

Ele será responsável pela gestão da área comercial, que atualmente está distribuída em 9 Unidades pelo país, além de Pontos de Atendimento em várias outras cidades e de profissionais em regimento de trabalho Home Office em grandes centros.

GBOEX – Tradição, solidez e segurança, valores que fazem a diferença na vida de muitas pessoas.

BB Seguros patrocina exposição na Pinacoteca de São Paulo 157

Reprodução

“Trabalho de artista: imagem e autoimagem”, investiga a importância da representação do artista e de seu trabalho na arte brasileira

Divulgação
Divulgação

Até o dia 25 de fevereiro, a Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, apresenta a exposição “Trabalho de artista: imagem e autoimagem” (1826-1929), que ocupa quatro salas do 1º andar da Pina Luz.

Com patrocínio da BB Seguros, concepção curatorial de Fernanda Pitta, da Pinacoteca de São Paulo, e cocuradoria de Ana Cavalcanti (UFRJ) e de Laura Abreu (MNBA), a exposição apresenta um conjunto com cerca de 120 obras – pinturas, esculturas, gravuras e desenhos. No total, 33 autores, mulheres e homens, representaram seu trabalho e suas figuras de artista entre o século 19 e início do século 20, período em que se constitui o sistema artístico moderno no Brasil.

Mais do que o simples exercício da representação de retratos e autorretratos, ou de cenas pitorescas de ateliê, as obras da mostra sintetizam o esforço de gerações de artistas para apresentar ao público sua imagem e seu trabalho, sua persona e seu universo de criação, legitimando sua presença na cultura brasileira.

Poderão ser vistas obras como Longe do lar (1884), de Benedito Calixto, e O importuno (1898), de Almeida Júnior, ambas pertencentes à coleção da Pinacoteca, testemunhos da autoconsciência dos artistas em construir uma imagem pública de si e de seu ofício.

Também integram a mostra obras provenientes de 25 coleções privadas e públicas, incluindo o Museu D. João VI (Rio de Janeiro), Museu de Arte de Belém e o Museu de Arte de São Paulo. Estarão expostos fotografias de ateliês, revistas ilustradas com reportagens sobre a vida de pintores e escultores brasileiros, álbuns de artistas e os primeiros livros dedicados à história da arte e dos artistas no Brasil, como Belas Artes: estudos e apreciações (1885), de Felix Ferreira, A arte brasileira: pintura e escultura (1888), de Gonzaga Duque, e a primeira edição da biografia de Antonio Parreiras, História de um pintor contadas por ele mesmo (1881-1926), de 1926.

“O conjunto propõe demonstrar que a estratégia usada pelos artistas da época, de construir uma imagem de si mesmos e de seu trabalho, significava elevar seu próprio status na sociedade brasileira, tradicionalmente marcada pela desvalorização de todos os ofícios ligados ao artesanato e ao esforço manual. Evidencia também as exigências contraditórias de uma formação artística oferecida pelo sistema acadêmico, dirigida para a pintura de história ou para o monumento público, que ao mesmo tempo requisitava ao artista que se afirmasse como profissional ’em exposição’, que deveria construir sua imagem e reputação para concorrer num mercado pouco a pouco em expansão”, explica Paulo Vicelli, Diretor de Relações Institucionais da Pinacoteca.

“Todos os investimentos da BB Seguros em arte e cultura são norteados por critérios de espírito público e ampliação do acesso às artes, além da preservação e difusão do patrimônio cultural e artístico do Brasil. O apoio à mostra é mais uma demonstração da importância e relevância que a cultura tem para a companhia e do nosso compromisso com a sociedade”, afirma Camilo Buzzi, diretor Comercial, Marketing e Clientes da Brasilseg, uma empresa BB Seguros.

A mostra tem entrada gratuita aos sábados para o público de todas as idades.

Serviço:

Trabalho de artista: imagem e autoimagem (1826-1929).
Curadoria de Fernanda Pitta (Pinacoteca), Ana Cavalcanti (Escola de Belas Artes, UFRJ) e Laura Abreu (Museu Nacional de Belas Artes), assistência de curadoria de Khadyg Fares.
Visitação: Até 25 de fevereiro de 2019.
De quarta a segunda, das 10h às 17h30min – com permanência até as 18h.
Pinacoteca: Praça da Luz 2, São Paulo, SP.
Ingressos: R$ 6,00 (entrada); R$ 3,00 (meia-entrada para estudantes com carteirinha).
Menores de 10 anos e maiores de 60 são isentos de pagamento.*
Aos sábados, a entrada da Pina é gratuita para todos.
A Pina Estação é gratuita todos os dias.
Amigo da Pina tem acesso ilimitado, além de desconto na loja e no café. Também pode participar de visitas guiadas e outros eventos com a equipe da Pinacoteca. Para saber mais sobre o programa, acesse este endereço.

Setor de seguros promove agenda plural, dinâmica e acolhedora 1015

Dra. Angelica Carlini é docente e advogada

Instituto da Diversidade e Inclusão no setor de Seguros (IDIS) é lançado em São Paulo

Inclusão e diversidade fomentam um mercado dinâmico como o de seguros. Com o intuito de promover uma agenda à respeito das causas humanas, o Instituto da Diversidade e Inclusão no setor de Seguros foi lançado na última terça-feira, 12, em São Paulo (SP). O evento aconteceu na sede paulistana da Escola Nacional de Seguros, na Rua Augusta. O Instituto tem como presidente Valéria Schmitke, Diretora Regional de Legal & Compliance da Zurich para a América Latina.

“Estamos envolvendo todos os agentes do mercado, sejam eles seguradores, resseguradores, provedores de serviços, corretores de seguros, operadores de planos de saúde, educadores, imprensa. Inicialmente, trabalharemos três pilares: gênero, LGBT+ e raça/etnia. Consideramos que estas são as áreas mais urgentes e, no futuro, devemos atuar também com os pilares PCDs, gerações e outros”, conta Valéria.

Com a participação de diversos executivos, representantes de entidades do setor, convidados especiais e demais agentes do mercado de seguros, o evento contou com uma programação recheada de conteúdos especiais. A Profª Drª Angelica Carlini falou sobre diversidade abordando sua construção histórica. “É preciso criar uma agenda plural, profundamente solidária e dinâmica para os próximos anos. Não vejo ninguém melhor que os integrantes do setor de seguros. Nós somos, preferencialmente, habilitados a trabalhar com a promoção humana”, explica Angelica.

A docente e advogada ainda demonstrou satisfação em fazer parte da iniciativa. “Esse é um setor econômico, financeiro acostumado a ter regras rígidas, e precisa ter, para manter a solidez e credibilidade de suas atividades. Esse conservadorismo que nos trouxe até aqui, como setor respeitado, precisa ser oxigenado com essas ideias de diversidade e de inclusão. O setor vai mostrando maturidade à medida que vamos provocando a abertura de espaços, promovida com o diálogo franco, fraterno e gostoso que promovemos nesse dia tão especial”, reitera Angelica Carlini, homenageada pelo instituto em honraria entregue por Vera Carvalho Pinto, da Chubb Seguros.

Maria Helena Monteiro, Diretora de Ensino Técnico da Escola Nacional de Seguros, considera que essa questão atende não apenas ao anseio da sociedade, como também fica evidenciada como uma necessidade de mercado. “Atendemos um público variado. Por isso, precisamos trazer pessoas que pensem de forma diferente para podermos aprimorar continuamente o setor de seguros”, diz ao demonstrar otimismo com a economia brasileira para o ano que vem.

Maria Helena Monteiro é Diretora de Ensino Técnico da Escola Nacional de Seguros
Maria Helena Monteiro é Diretora de Ensino Técnico da Escola Nacional de Seguros

Na oportunidade ainda foram apresentados cases de sucesso do mercado segurador. O painel contou com mediação de Flavia Bianco, professora da Escola Nacional de Seguros, e exposições de Fábio Oliveira, CEO da AIG Seguros, também de Gabriela Dona, Diretora de Marketing da Ikê Assistência, de Raphael Carvalho, CEO da MetLife, além de Juliana Zan, Superintendente RH da Tokio Marine e de Edson Franco, CEO da Zurich Seguros. A exposição que encerrou o evento foi de Ana Paula de Almeida Santos, da Care Plus.

Reconhecida pelo segundo ano consecutivo como uma das Melhores Empresas para a Mulher Trabalhar pelo Great Place to Work® Brasil, a Tokio Marine destacou, através da Superintendente de Recursos Humanos da Tokio Marine, Juliana Zan, suas ações que visam promover o bem estar das pessoas que trabalham no mercado de seguros.

Juliana Zan é Superintendente de Recursos Humanos da Tokio Marine
Juliana Zan é Superintendente de Recursos Humanos da Tokio Marine / Divulgação

“Para nós é fundamental participar de iniciativas como a do IDIS, que fomentam o diálogo sobre temas tão relevantes para o segmento de seguros. O reconhecimento que temos obtido nos últimos anos, tanto dos Colaboradores quanto do mercado, demonstra a consistência de nossas ações cujo objetivo é promover um ambiente motivador, com diversidade de ideias, no qual as pessoas se sintam bem em trabalhar”, evidencia Zan.

O compromisso da Tokio Marine com práticas de equidade de gênero se traduz também no quadro de funcionários, que atualmente é formado por 53% de mulheres. O mesmo se repete em cargos de alta liderança, cujo quadro é 40% feminino. “Levaremos esse case ao lançamento do IDIS, bem como todo o nosso trabalho e os resultados alcançados neste ano, de forma a contribuir para que o mercado de seguros seja cada vez mais inclusivo e diverso”, reforça a Superintendente de Recursos Humanos da companhia.

Para a Zurich, as condições de igualdade e diversidade acontecem quando todos os funcionários de uma empresa podem aproveitar das mesmas recompensas, recursos e oportunidades independente do seu gênero, etnia e orientação sexual. Seguradora global com mais de 80 anos de atuação no mercado brasileiro, a companhia vem desenvolvendo ações e programas, por meio de grupos dentro da empresa, mais inclusivas.

Um exemplo desse movimento é que a Zurich subiu de categoria na certificação empresarial EDGE (Economic Dividend for Gender Equality), voltada à equidade de gêneros. Com metodologia própria, é responsável pela mensuração do equilíbrio entre homens e mulheres do que diz respeito a oportunidades, salários, políticas de inclusão, assim como as suas práticas na rotina diária cultural das empresas.

A companhia, que já detinha a certificação desde 2016, saiu do primeiro nível EDGE ASSESS e atingiu em 2018 o segundo de três patamares, EDGE MOVE. Isso significa que a empresa não somente já adotou medidas para uma mudança estrutural no sentido de um ambiente mais igualitário, como também já está colhendo bons frutos dessas mudanças, com altos níveis de engajamento de funcionários de ambos os sexos em suas políticas de equilíbrio de gênero. Somente duas empresas brasileiras possuem a patente EDGE MOVE, sendo a Zurich a única seguradora.

“Um trabalho exercido com excelência não escolhe gênero e, por isso, a Zurich faz questão de estar na vanguarda em tudo que diz respeito à igualdade entre nossos profissionais homens e mulheres. Foram dois anos de muito trabalho desde a última certificação, então para nós, é um motivo de muito orgulho atingir esse patamar. No entanto, ainda há muito que fazer pela frente e a Zurich do Brasil está só começando. Nosso objetivo é ser LEAD, o último patamar do EDGE”, comenta Edson Franco, CEO da Zurich no Brasil”.

Edson Franco é CEO da Zurich no Brasil
Edson Franco é CEO da Zurich no Brasil / Reprodução

Atualmente, a Zurich Brasil desenvolve três programas dentro das políticas de diversidade e inclusão, sendo dois globais e um local: o WIN – Women’s Innovation Networ, grupo de interesse com governança global, que promove a igualdade de oportunidades de carreira para mulheres e homens; @Pride, grupo com ações voltadas ao respeito aos Direitos Humanos de cada indivíduo e à consolidação de uma cultura de inclusão e pertencimento com base na orientação sexual; e o DEZ – Diversidade Étnica na Zurich, que promove a conscientização, inclusão, retenção e desenvolvimento de profissionais de diferentes etnias. Esses programas integram o case apresentado pelo CEO, Edson Franco, no lançamento do IDIS, que também é patrocinado pela Zurich.

*Colaborou: RP1 Comunicação e Race Comunicação.

Grupo Autosul faz promoções especiais de final de ano 1022

Grupo Autosul promove promoções de final de ano

Antes de pegar a estrada é sempre bom contar com um parceiro de confiança

Antes dos passeios de final de ano é importante fazer a revisão do veículo ou alugar com um parceiro de confiança. Por isso, o Grupo Autosul promove ações especiais para incentivar a segurança nas estradas gaúchas.

O carro de reportagem do #VerãoSuperSeguro do JRS é garantido pelo Grupo Autosul
O carro de reportagem do #VerãoSuperSeguro do JRS é garantido pelo Grupo Autosul

Os modelos 1.0 completos de Ônix, Sandero ou Uno Vivace, entre os dias 21 e 26 de dezembro de 2018, ou entre os dias 28 de dezembro de 2018 e 02 de janeiro de 2019, saem por R$ 400,00 (cada). Já entre 21 de dezembro de 2018 e 02 de janeiro de 2018, o valor fica R$ 840,00.

As demais condições permanecem as mesmas já praticadas para locações particulares. A promoção é válida em todas as lojas, de acordo com a disponibilidade dos veículos.

A revisão do seu veículo próprio também não pode ficar para depois. Até o dia 20 de dezembro, a Autosul Express garante a tranquilidade necessária para uma virada de ano especial.

O Grupo Autosul, em Porto Alegre, pode ser contatado no telefone (51) 3092-9213. Em Caxias do Sul, no (54) 3028-6737. Já em Santa Maria, o contato é (55) 3026-6426. Em Novo Hamburgo, o telefone é (51) 3587-5552. Em Pelotas, os motoristas podem ligar para (53) 3228-1339.