Os cinco pontos de atenção em compliance para 2019 495

Os cinco pontos de atenção em compliance para 2019

Confira artigo do especialista Jefferson Kiyohara

Passadas as eleições, podemos acompanhar pelos noticiários que as ações das autoridades contra a corrupção e crimes financeiros permanecem, assim como se fortalecem as ações a favor do respeito à diversidade e nas relações pessoais no ambiente de trabalho. Ganha cada vez mais relevância a temática segurança de informações e privacidade de dados.

Neste sentido, destaco os cinco principais pontos de atenção em compliance para as empresas no próximo ano. A lista contém temas macros, que vão impactar os programas de compliance nas organizações em 2019. O risco de reputação se faz presente, e por isto a importância do tema ter a devida atenção pelos executivos e líderes responsáveis por Programas de Compliance, de modo que as ações de prevenção e mitigação sejam tomadas.

Abaixo, conheça os cinco pontos de atenção listados para o próximo ano:

1 – Segurança de informações e privacidade de dados

O mundo virtual faz parte do mundo real. Dados se tornaram um ativo valioso, sendo base de muito modelos de negócios. A diferença é que o valor da informação se tornou maior com a lei 13.709/18, conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados. Ela traz regras de consentimento, obrigações na proteção de dados, diretrizes para segurança de informação e reporte de incidentes, sanções que as organizações podem sofrer na ordem de 2% do faturamento até o limite de 50 milhões de reais, entre outros.

Neste contexto, é fundamental que os executivos das organizações busquem ações de conscientização sobre a nova lei e patrocinem o diagnóstico sobre qual será o impacto nos negócios. Posteriormente, é fundamental promover as melhorias necessárias, pois a lei passará a vigorar em fevereiro de 2020, o que na prática coloca 2019 como o ano para a adoção das novas práticas. E é essencial prever os recursos e orçamento para que isto aconteça, uma vez que dados pessoais é algo presente em todas as organizações.

2 – Ampliação do universo de riscos de compliance

O combate à corrupção continua, bem como a promoção da cultura ética e o combate ao assédio. Vimos movimentos importantes de pactos setoriais anticorrupção se consolidando em 2018, e outros devem tomar forma em 2019. E tal movimento deve ser incentivado e ampliado. Mas não há como restringir a atuação dos Programas de Compliance a apenas estes temas. O universo de riscos de compliance abrangido pelo Programa deve ser ampliado. Além do tema segurança de informações e privacidade de dados, questões como prevenção à lavagem de dinheiro, práticas concorrenciais, e outros devem entrar no radar, inclusive como resultado do mapeamento de riscos de compliance realizado.

Contudo, vale lembrar que pesquisas recentes mostram que mais da metade das empresas nunca realizaram um mapeamento de riscos de compliance. Neste caso, este primeiro e importante passo deve ser realizado.

3 – Promoção de ações de respeito à diversidade e de combate ao assédio

É muito importante a parceria das áreas de RH e Compliance das organizações para promover um ambiente de trabalho saudável e respeitoso. Uma recente pesquisa da ICTS Outsourcing mostra um aumento das denúncias de assédio moral nos últimos anos, que pode ser explicado pela maior conscientização dos colaboradores, empoderamento dos mesmos, regras claras providas pelas empresas através do código de ética e a adoção de ferramentas como o canal de denúncias.

Identificar e tratar estes casos, permite que uma empresa obtenha economia mensurável ao evitar a judicialização, numa média de quase 21 mil reais por processo, de acordo com esta mesma pesquisa.

Para isto, não basta realizar ações pontuais de comunicação, ou treinamentos que sejam vistos como obrigação pelos colaboradores. As ações devem ser efetivas e recorrentes. Um bom diagnóstico pode ser obtido através do processo de auditoria de cultura de compliance, prática ainda pouco adotada pelas empresas no Brasil.

E é preciso ir além da questão de prevenção ao assédio. Pesquisa da McKinsey and Co publicada no início de 2018, mostra a correlação entre diversidade e resultados. Sem a promoção de respeito e empatia no ambiente de trabalho, não será possível promover a diversidade, tampouco otimizar os resultados esperados. Num mercado competitivo, as organizações não podem se dar ao luxo de perder talentos, nem de desperdiçar recursos.

4 – Ampliação do uso de tecnologias

A adoção de soluções tecnológicas como aliadas dos Programas de Compliance continua. Os treinamentos e-learning e o uso de analytics nas auditorias são uma realidade, e devem continuar sua evolução de aplicação no próximo ano.

É visível os diversos e distintos níveis de maturidade existentes no quesito tecnologia nos Programas de Compliance das empresas que atuam no Brasil. O uso de algorítimos e soluções automatizadas nos controles internos é uma prática em evolução, e o RPA (robotic process automation) é ainda pouco disseminado, mas deve iniciar um movimento de adoção pelo Compliance a partir de 2019. A aposta na inteligência artificial continua, em especial no suporte à dúvidas sobre a aplicação de regras e na identificação de fraudes em potencial.

5 – Amadurecimento dos Programas de Compliance

Muitas das iniciativas iniciadas em 2013 e 2014 estão se consolidando, e se refletem em Programas que atingiram a maturidade em termos de existência dos elementos e de ter algum histórico em 2017 e 2018. Como consequência, a busca por ações de reconhecimento público cresceram em 2018, movimento que tende a continuar em 2019. São exemplos de reconhecimento a iniciativa Empresa Pró-Ética e a certificação ISO 37.001, de sistema de gestão antisuborno.

Contudo, vale destacar que por outro lado, 1 em cada 4,3 empresas ainda possuem baixo nível de maturidade. Parte das empresas deste grupo devem iniciar as ações em 2019, seguindo o movimento do mercado.

*Jefferson Kiyohara é líder da prática de riscos & compliance da Protiviti, consultoria global especializada em Gestão de Riscos, Auditoria Interna, Compliance, Gestão da Ética, Prevenção à Fraude e Gestão da Segurança.

Qual o papel do corretor diante da evolução da tecnologia? 286

Qual o papel do corretor diante da evolução da tecnologia?

Questão será abordada por Rossana Costa, fundadora e diretora da GEO, uma plataforma pioneira para profissionais da corretagem no Insurtech Brasil 2019

A GEO, empresa de tecnologia pioneira na gestão de dados e de apólices online para corretores de seguros e seguradoras, estará presente na terceira edição da Insurtech Brasil, evento que acontece nesta quinta-feira e que terá como tema a inovação no mercado de seguros.

A fundadora e diretora da companhia, Rossana Costa, será uma das palestrantes do painel “Somente tecnologia não basta: Desenvolvendo produtos viáveis”. A executiva abordará a experiência de 17 anos atuando no segmento de seguros imobiliários e de construção civil e o relacionamento com o corretor de seguros, considerado como peça fundamental deste ecossistema mesmo diante da transformação digital do setor.

A empresa atua com seguros DFI Sistema Financeiro – Danos Físicos ao Imóvel; Seguro Habitacional – Apólice de Mercado (MIP – Morte e Invalidez Permanente | DFI – Danos Físicos ao Imóvel) e Seguro Riscos de Engenharia e Responsabilidade Civil em seu portfólio, que conta com AXA e Zurich como seguradoras parceiras. A empresa foi pioneira na entrega de uma plataforma 100% digital para corretores de seguros no setor imobiliário e de construção civil.

Serviço:

Data: 25 de abril, das 9h às 19h
Local: Amcham Brasil – Rua da Paz, 1431, São Paulo, SP
Painel: “Somente tecnologia não basta: Desenvolvendo produtos viáveis”, com participação de Rossana Costa, diretora da GEO às 15h50 (Trilha 4)

Saiba mais neste site.

Aumento no emplacamento de veículos aquece mercado de seguros 171

Aumento no emplacamento de veículos aquece mercado de seguros

Sompo apresenta novo Auto Sompo em Recife

A Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo, acaba de lançar durante evento para corretores de seguros Recife (PE), realizado nesta quarta-feira (24 de abril), o novo Auto Sompo, a mais recente solução em termos de seguro de veículos da companhia. Desenvolvido visando a um aumento na demanda por produtos de fácil contratação, que atendam a diferentes necessidades, o Auto Sompo é um produto moderno e flexível, de aceitação simples, que traz um processo ágil para a cotação e emissão de apólice.

Fernando Grossi é diretor executivo comercial da Sompo Seguros / Divulgação
Fernando Grossi é diretor executivo comercial da Sompo Seguros / Divulgação

“Investimos em tecnologia e capital humano para trazer um seguro simples, com ofertas customizadas por perfil de cliente e totalmente desburocratizado em sua contratação”, considera Rogério Santos, diretor técnico do Produto Automóvel. “Com alguns cliques, o corretor de seguros tem sua cotação personalizada, e ainda, conta com as opções do auto mensal e uma sugestão Sompo. Já o segurado, por sua vez, tem o conforto de ter as melhores opções de coberturas e serviços sob medida”, observa o executivo.

“Organizamos eventos em várias cidades brasileiras para apresentar pessoalmente o novo Auto Sompo aos corretores de seguros. Temos percebido uma excelente receptividade, além de uma procura bastante significativa pelo produto”, considera Fernando Grossi, diretor executivo comercial da Sompo Seguros. “Estabelecemos uma perspectiva de crescimento relevante em 2019 justamente por trabalharmos com um produto desenvolvido a partir de levantamentos com nossos parceiros corretores de seguros e que atende às demandas do segurado”, complementa.

Rogério Santos é diretor técnico do Produto Automóvel / Divulgação
Rogério Santos é diretor técnico do Produto Automóvel / Divulgação

“O Seguro de Automóveis é um dos principais ramos comercializados na região nordeste. Em Pernambuco este fato é ainda mais presente dado o grande número de Corretores, Assessorias e Colaboradores atuando no estado, seja atendendo os segurados individualmente ou as pequenas, médias e grandes empresas”, destaca Eduardo Fazio, diretor comercial da Sompo Seguros para o Rio de Janeiro, Espírito Santo, Norte e Nordeste do País. “Tenho convicção que as melhorias realizadas no produto, alinhada a uma nova política de precificação, fará com que nossos clientes fiquem ainda mais seguros e satisfeitos com a Sompo”, conclui o executivo.

Segundo dados da Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores (Fenabrave), de janeiro a março deste ano foram emplacados no Brasil 496,8 mil automóveis, índice cerca de 9,99% superior aos 451,7 mil emplacamentos do mesmo período de 2018. Já entre os Comerciais Leves, o aumento foi de 10,23% e passou de 75,5 mil emplacamentos no primeiro trimestre de 2018 para 83,2 mil emplacamentos nos primeiros três meses de 2019. A categoria Caminhões ficou com o maior índice de crescimento (45,74%), quando comparado os primeiros trimestres de 2018 (14,7 mil) e 2019 (21,4 mil).

Coberturas

O produto vem com mais amplitude na aceitação de veículos de passeio e carga (nacionais e importados), limites de coberturas, flexibilização dos percentuais da FIPE e adequação e simplificação das franquias.

Além disso, o segurado conta ainda com uma série de serviços agregados, que podem ser contratados em três categorias: Essencial, Superior e Premium.

Conforme a categoria de serviços, em relação a Assistência 24 horas, o segurado conta com limite de quilometragem para sinistro ou pane (que pode ser até ilimitado para carros de passeio no Pacote Premium), guincho, reparo no local, troca de pneus, motorista profissional, retorno de passageiros após acidente, remoção hospitalar após acidente, retorno seguro, 2º guincho para mesma pane, chave codificada ou pantográfica e leva-e-traz para a primeira revisão, higienização do veículo em caso de alagamento, entre outros serviços.

Já no serviço de Assistência a Vidros, a Sompo garante o conserto ou a troca, seja do para-brisas, dos vidros laterais ou do vidro traseiro em caso de trinca ou quebra. Na categoria Premium estão contemplados ainda acessórios, como faróis, lanternas e retrovisores, além do serviço de Martelinho de Ouro.

Crescimento

O lançamento do novo Auto Sompo acontece como parte das perspectivas da Sompo de incrementar sua participação no mercado, que começou com um plano de investimento em tecnologia e equipe de profissionais renomados no mercado. O ponto inicial dessa ação se deu quando Rogério Santos, que está na companhia desde 2016 e veio para ser responsável pela área comercial no Interior de São Paulo, aceitou assumir a diretoria da área de Automóvel.

Para integrar a iniciativa de dinamizar essa carteira, o executivo contratou Christina Carneiro Said, como gerente técnica da área de Automóvel. Formada em Administração de Empresas, pela Universidade Paulista, e Pós-Graduação em Banking, pela Universidade Mackenzie, Christina atua há mais de 20 anos em área de produtos de todo ciclo de produtos Automóvel e Massificados, com experiência no desenvolvimento e reconstrução de novos produtos até a gestão de carteira.

Outro ponto foi o investimento em tecnologia. Para o novo Auto Sompo, a companhia implementou um novo cotador, por meio do qual o corretor de seguros conta com um ambiente em que, com poucos cliques, efetua todo o processo de cotação com as opções mais adequadas de coberturas e serviços para o segurado.

Agora, os executivos da companhia estabeleceram um planejamento de eventos em que vão apresentar pessoalmente o novo Auto Sompo aos representantes de entidades do segmento e aos parceiros corretores de seguros. “Já na última semana de março e todo o mês de abril temos roadshows programados em onze estados brasileiros. Estamos felizes em compartilhar o resultado de um trabalho conjunto, no qual tivemos a participação ativa dos corretores, com ideias e alinhamento das necessidades. Somos uma companhia tradicional no segmento de Automóvel e a perspectiva com o novo Auto Sompo é de consolidarmos a nossa posição e realizarmos uma evolução perene”, comenta Santos.

Como a tecnologia recupera cargas roubadas e furtadas? 215

Como a tecnologia recupera cargas roubadas e furtadas?

Foram mais de 22 mil ataques a motoristas no Brasil em 2018

O roubo de cargas é um problema preocupante em todo o Brasil. De acordo com dados cruzados pela Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, a ação de quadrilhas especializadas em roubos de cargas resultou em mais de 22 mil ataques a motoristas em todo o país, em 2018. Já a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) apontou que o prejuízo para o setor produtivo, com essas perdas, chegou a R$ 2 bilhões.

Embora os números sejam alarmantes, diversas empresas trazem soluções eficientes para reduzir os índices e contribuir com os trabalhos já realizados pelas polícias Civil, Militar e Rodoviária. Entre elas, está a Buonny, que atua na área de gerenciamento de riscos em transporte e logística há mais de 20 anos.

Para isso, a empresa investe pesado em pesado em tecnologia e, nos últimos anos, tem registrado cada vez mais recuperações de cargas roubadas – o índice de sucesso é de 99,974%. Entre as ferramentas utilizadas pela Buonny está a plataforma Web Guardian que, por meio de inteligência artificial e Big Data, identifica e prioriza eventos críticos, o que auxilia o operador na comunicação e acionamento dos órgãos de segurança pública e das equipes de pronta resposta em situações de emergência para o resgate, em caso de acidentes, desvios ou roubos de cargas.

Recuperações

Entre as recuperações da Buonny, estão:

Alimentos: recuperação de carga avaliada em mais de 40 mil reais, na cidade de São Gonçalo, no Rio de Janeiro.

Ar condicionado: recuperação de carga avaliada em 490 mil reais, na cidade de São Paulo, em São Paulo.

Container: recuperação de um container com 100% da carga, avaliada em mais de 200 mil reais, em Araçariguama, interior de São Paulo.

Eletrônicos: recuperação de carga avaliada em um milhão de reais, em Mairiporã, São Paulo.

Material escolar: recuperação de duas cargas avaliadas em mais de 2 milhões de reais, em Lavras, Minas Gerais.

Polietileno: recuperação de carga avaliada em 148 mil reais e prisão em flagrante de dois meliantes, em Itatiba, São Paulo.

Ramo de pessoas deve impulsionar crescimento do mercado de seguros em 2019 222

Ramo de pessoas deve impulsionar crescimento do mercado de seguros em 2019

É o que aponta a Carta de Conjuntura do Setor

Os primeiros meses de 2019 já mostraram que o mercado de seguros tem um ano promissor pela frente. Apesar de o cenário econômico nacional não ter evoluído muito, com a taxa de desemprego em 15,5%, o setor de seguros já apresenta números positivos. É o que aponta a última edição da Carta de Conjuntura do Setor de Seguros, agora produzida de maneira conjunta pelo Sindicato das Empresas de Seguros e Resseguros (SindsegSP) e o Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP).

De acordo com o estudo, o faturamento do setor em fevereiro, sem contabilizar o ramo de saúde e o DPVAT, foi de R$ 17,9 bilhões, o que representa avanço de 13% na comparação com o mesmo período do ano passado. A surpresa ficou com o ramo de pessoas (acidentes pessoais, vida, prestamista, educacional etc), que conseguiu avanço de 17%, superando, com folga, a taxa de inflação e arrecadando R$ 3,4 bilhões. Os ramos elementares (automóvel, residencial, empresarial etc.) tiveram faturamento da ordem de R$ 5,6 bilhões, apresentando crescimento de 9%.

Para acessar o conteúdo completo, clique aqui.

IRB recebe debate sobre os 11 anos da abertura do mercado de resseguros 224

IRB recebe debate sobre os 11 anos da abertura do mercado de resseguros

Encontro fará uma retrospectiva e abordará o futuro sob a ótica de diferentes players do setor

O IRB Brasil RE recebe, nesta quarta-feira (24/04), às 17h30, o talk show “Mercado de Resseguros – 11 anos depois”, organizado pela Associação das Mulheres do Mercado de Seguros (AMMS). O encontro, aberto ao público, abordará as mudanças ocorridas desde a abertura do mercado em 2008: o que melhorou, o que precisa mudar e quais são as perspectivas para setor nos próximos anos. Tudo isso a partir do ponto de vista de diferentes players do mercado.

Os convidados do talk show são José Carlos Cardoso, CEO do IRB Brasil RE; Carolina Vieira, diretora de Áreas Corporativas da Markel Seguradora e Markel Resseguradora; Luciano Calheiros, CEO da Swiss Re Corporate Solutions; Judi Newsam, Managing Director and Country Head Brazil Guy Carpenter; Carolina Weber, gerente de Riscos e Seguros da Vale para a América Latina; Camila Calais, sócia do escritório Mattos Filho; e Maria Elena Bidino, membro do Conselho de Administração do IRB Brasil RE. Margo Black, presidente da AMMS, mediará o debate.

As inscrições, com valores que variam de R$ 20 a R$ 120, assim como a programação completa do evento no Rio de Janeiro, estão disponíveis neste endereço.

São Paulo

Na quinta-feira (25/04), será a vez de São Paulo receber o evento, no Teatro Renaissance, às 17h30. Participarão Ângelo Colombo, CEO da AGCS América do Sul; Antonio Trindade CEO da Chubb e presidente da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg); Paula Lopes, diretora executiva de Placement na Marsh Brasil e Bowring Marsh; Ida Sá, gerente de risco da Embraer; Júlia Santoro de Camargo Donato, sócia do DR&A Advogados; e Maria Elena Bidino.

Para saber mais sobre o evento de São Paulo e fazer sua inscrição, acesse este link.

Serviço – “Mercado de Resseguros – 11 anos depois”:

Rio de Janeiro

Data: 24 de abril (quarta-feira)
Horário: 17h30min
Local: Auditório do IRB Brasil RE – Avenida Marechal Câmara, 171

São Paulo

Data: 25 de abril (quinta-feira)
Horário: 17h30min
Local: Teatro Renaissance – Alameda Santos, 2233