A vez da previdência privada com a reforma no novo governo 717

Previdência

Participação do setor de seguros será indispensável para garantir o futuro da sociedade

A atuação política tem impacto direto na economia, por isso, as instabilidades de governo trouxeram atrasos na retomada do crescimento dos setores no Brasil. Em 2019 teremos um novo presidente da república e vemos com otimismo as novas possibilidades.

Uma importante pauta do novo governo, de interesse de toda a sociedade, é ligada diretamente ao mercado de seguros: a reforma da previdência. A equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro defende o que nós do setor já sabemos há muito tempo: a conta da previdência social não fecha e será indispensável a participação da iniciativa privada para garantir o futuro das pessoas. Enquanto algumas linhas vinham contra as reformas, entendendo que é responsabilidade do governo cuidar dos cidadãos idosos que já deram sua contribuição, sabemos que as pessoas hoje vivem mais, têm menos filhos, aumentaram os trabalhos informais… ou seja, são poucos jovens contribuindo para muitos idosos receberem.

No primeiro semestre de 2018 os planos de previdência privada tiveram arrecadação de R$ 54,1 milhões, queda 5,1% em relação ao mesmo período no ano anterior, segundo dados da CNseg (Confederação Nacional das Seguradoras). Na esfera pública, os números também não foram animadores, apresentando queda ainda em 2017. De acordo com a Secretaria da Previdência do Ministério da Fazenda, o déficit foi de R$ 268,79 bilhões – considerando o INSS.

A proposta de reforma previdenciária esteve parada em função da intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro, porque, de acordo com a legislação, em períodos como este o Congresso não pode alterar a Constituição. Mas existe a possibilidade de revogação da intervenção e o assunto segue em mais alta do que nunca: o presidente eleito tem dado seguidas declarações sobre o assunto.

Alexandre Camillo é corretor de seguros e liderança política / Divulgação
Alexandre Camillo é corretor de seguros e liderança política / Divulgação

Atualmente a previdência social opera pelo regime de repartição, em que trabalhadores em atividade financiam os benefícios dos aposentados. Outro regime possível seria o de capitalização, que tem como característica principal o pré-financiamento do benefício, ou seja, os próprios trabalhadores, durante a sua fase laborativa, produzem um montante de recursos necessários para sustentar o seu benefício previdenciário. Dessa forma, não existe o pacto direto entre as gerações, pois é a geração atual (o próprio beneficiado) que financia os seus benefícios previdenciários. O novo Governo prevê um meio termo.

De acordo com o plano de governo de Jair Bolsonaro, a ideia é implementar um modelo de capitalização de forma gradativa, mas o texto do candidato do PSL também salienta que os brasileiros ainda poderão ficar no modelo de previdência antigo, se assim quiserem. “Novos participantes terão a possibilidade de optar entre os sistemas novo e velho. E aqueles que optarem pela capitalização merecerão o benefício da redução dos encargos trabalhistas”, diz trecho do plano de governo.

Segundo o documento, a proposta é que seja criado um fundo para reforçar o financiamento da previdência e compensar a redução de contribuições previdenciárias no sistema antigo, que poderia deixar os aposentados que escolheram pelo regime de capitalização desamparados em um primeiro momento.

A proposta é parecida com a que os especialistas do setor de seguros imaginavam, pois a única maneira de se ter um sistema sustentável, a longo prazo, é com uma reforma. E provavelmente as mudanças devam ser realizadas em fases, pois é um impacto muito grande para os brasileiros.

As empresas e profissionais do setor de seguros terão participação inquestionável para desenvolver e implantar o melhor modelo de gestão da previdência. Os corretores de seguros, por sua vez, irão trabalhar fortemente no aculturamento da sociedade brasileira aos novos moldes e na entrega e consultoria das soluções do mercado privado.

Já nosso papel enquanto entidades representativas será de, cada vez mais, buscar ampliar proximidade e insistir em termos representantes do nosso setor na esfera pública, para atendermos pleitos e contribuirmos com a ampliação da participação dos seguros entre os brasileiros.

*Artigo produzido por Alexandre Camillo. O especialista é corretor de seguros e liderança política. Atua como diretor da Camillo Seguros, presidente do Sincor-SP (Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo), presidente da CâmaraSIN (Câmara de Mediação e Conciliação – Sincor-SP), e vice-presidente da Fenacor (Federação Nacional dos Corretores de Seguros).

Aumento no emplacamento de veículos aquece mercado de seguros 171

Aumento no emplacamento de veículos aquece mercado de seguros

Sompo apresenta novo Auto Sompo em Recife

A Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo, acaba de lançar durante evento para corretores de seguros Recife (PE), realizado nesta quarta-feira (24 de abril), o novo Auto Sompo, a mais recente solução em termos de seguro de veículos da companhia. Desenvolvido visando a um aumento na demanda por produtos de fácil contratação, que atendam a diferentes necessidades, o Auto Sompo é um produto moderno e flexível, de aceitação simples, que traz um processo ágil para a cotação e emissão de apólice.

Fernando Grossi é diretor executivo comercial da Sompo Seguros / Divulgação
Fernando Grossi é diretor executivo comercial da Sompo Seguros / Divulgação

“Investimos em tecnologia e capital humano para trazer um seguro simples, com ofertas customizadas por perfil de cliente e totalmente desburocratizado em sua contratação”, considera Rogério Santos, diretor técnico do Produto Automóvel. “Com alguns cliques, o corretor de seguros tem sua cotação personalizada, e ainda, conta com as opções do auto mensal e uma sugestão Sompo. Já o segurado, por sua vez, tem o conforto de ter as melhores opções de coberturas e serviços sob medida”, observa o executivo.

“Organizamos eventos em várias cidades brasileiras para apresentar pessoalmente o novo Auto Sompo aos corretores de seguros. Temos percebido uma excelente receptividade, além de uma procura bastante significativa pelo produto”, considera Fernando Grossi, diretor executivo comercial da Sompo Seguros. “Estabelecemos uma perspectiva de crescimento relevante em 2019 justamente por trabalharmos com um produto desenvolvido a partir de levantamentos com nossos parceiros corretores de seguros e que atende às demandas do segurado”, complementa.

Rogério Santos é diretor técnico do Produto Automóvel / Divulgação
Rogério Santos é diretor técnico do Produto Automóvel / Divulgação

“O Seguro de Automóveis é um dos principais ramos comercializados na região nordeste. Em Pernambuco este fato é ainda mais presente dado o grande número de Corretores, Assessorias e Colaboradores atuando no estado, seja atendendo os segurados individualmente ou as pequenas, médias e grandes empresas”, destaca Eduardo Fazio, diretor comercial da Sompo Seguros para o Rio de Janeiro, Espírito Santo, Norte e Nordeste do País. “Tenho convicção que as melhorias realizadas no produto, alinhada a uma nova política de precificação, fará com que nossos clientes fiquem ainda mais seguros e satisfeitos com a Sompo”, conclui o executivo.

Segundo dados da Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores (Fenabrave), de janeiro a março deste ano foram emplacados no Brasil 496,8 mil automóveis, índice cerca de 9,99% superior aos 451,7 mil emplacamentos do mesmo período de 2018. Já entre os Comerciais Leves, o aumento foi de 10,23% e passou de 75,5 mil emplacamentos no primeiro trimestre de 2018 para 83,2 mil emplacamentos nos primeiros três meses de 2019. A categoria Caminhões ficou com o maior índice de crescimento (45,74%), quando comparado os primeiros trimestres de 2018 (14,7 mil) e 2019 (21,4 mil).

Coberturas

O produto vem com mais amplitude na aceitação de veículos de passeio e carga (nacionais e importados), limites de coberturas, flexibilização dos percentuais da FIPE e adequação e simplificação das franquias.

Além disso, o segurado conta ainda com uma série de serviços agregados, que podem ser contratados em três categorias: Essencial, Superior e Premium.

Conforme a categoria de serviços, em relação a Assistência 24 horas, o segurado conta com limite de quilometragem para sinistro ou pane (que pode ser até ilimitado para carros de passeio no Pacote Premium), guincho, reparo no local, troca de pneus, motorista profissional, retorno de passageiros após acidente, remoção hospitalar após acidente, retorno seguro, 2º guincho para mesma pane, chave codificada ou pantográfica e leva-e-traz para a primeira revisão, higienização do veículo em caso de alagamento, entre outros serviços.

Já no serviço de Assistência a Vidros, a Sompo garante o conserto ou a troca, seja do para-brisas, dos vidros laterais ou do vidro traseiro em caso de trinca ou quebra. Na categoria Premium estão contemplados ainda acessórios, como faróis, lanternas e retrovisores, além do serviço de Martelinho de Ouro.

Crescimento

O lançamento do novo Auto Sompo acontece como parte das perspectivas da Sompo de incrementar sua participação no mercado, que começou com um plano de investimento em tecnologia e equipe de profissionais renomados no mercado. O ponto inicial dessa ação se deu quando Rogério Santos, que está na companhia desde 2016 e veio para ser responsável pela área comercial no Interior de São Paulo, aceitou assumir a diretoria da área de Automóvel.

Para integrar a iniciativa de dinamizar essa carteira, o executivo contratou Christina Carneiro Said, como gerente técnica da área de Automóvel. Formada em Administração de Empresas, pela Universidade Paulista, e Pós-Graduação em Banking, pela Universidade Mackenzie, Christina atua há mais de 20 anos em área de produtos de todo ciclo de produtos Automóvel e Massificados, com experiência no desenvolvimento e reconstrução de novos produtos até a gestão de carteira.

Outro ponto foi o investimento em tecnologia. Para o novo Auto Sompo, a companhia implementou um novo cotador, por meio do qual o corretor de seguros conta com um ambiente em que, com poucos cliques, efetua todo o processo de cotação com as opções mais adequadas de coberturas e serviços para o segurado.

Agora, os executivos da companhia estabeleceram um planejamento de eventos em que vão apresentar pessoalmente o novo Auto Sompo aos representantes de entidades do segmento e aos parceiros corretores de seguros. “Já na última semana de março e todo o mês de abril temos roadshows programados em onze estados brasileiros. Estamos felizes em compartilhar o resultado de um trabalho conjunto, no qual tivemos a participação ativa dos corretores, com ideias e alinhamento das necessidades. Somos uma companhia tradicional no segmento de Automóvel e a perspectiva com o novo Auto Sompo é de consolidarmos a nossa posição e realizarmos uma evolução perene”, comenta Santos.

Como a tecnologia recupera cargas roubadas e furtadas? 215

Como a tecnologia recupera cargas roubadas e furtadas?

Foram mais de 22 mil ataques a motoristas no Brasil em 2018

O roubo de cargas é um problema preocupante em todo o Brasil. De acordo com dados cruzados pela Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, a ação de quadrilhas especializadas em roubos de cargas resultou em mais de 22 mil ataques a motoristas em todo o país, em 2018. Já a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) apontou que o prejuízo para o setor produtivo, com essas perdas, chegou a R$ 2 bilhões.

Embora os números sejam alarmantes, diversas empresas trazem soluções eficientes para reduzir os índices e contribuir com os trabalhos já realizados pelas polícias Civil, Militar e Rodoviária. Entre elas, está a Buonny, que atua na área de gerenciamento de riscos em transporte e logística há mais de 20 anos.

Para isso, a empresa investe pesado em pesado em tecnologia e, nos últimos anos, tem registrado cada vez mais recuperações de cargas roubadas – o índice de sucesso é de 99,974%. Entre as ferramentas utilizadas pela Buonny está a plataforma Web Guardian que, por meio de inteligência artificial e Big Data, identifica e prioriza eventos críticos, o que auxilia o operador na comunicação e acionamento dos órgãos de segurança pública e das equipes de pronta resposta em situações de emergência para o resgate, em caso de acidentes, desvios ou roubos de cargas.

Recuperações

Entre as recuperações da Buonny, estão:

Alimentos: recuperação de carga avaliada em mais de 40 mil reais, na cidade de São Gonçalo, no Rio de Janeiro.

Ar condicionado: recuperação de carga avaliada em 490 mil reais, na cidade de São Paulo, em São Paulo.

Container: recuperação de um container com 100% da carga, avaliada em mais de 200 mil reais, em Araçariguama, interior de São Paulo.

Eletrônicos: recuperação de carga avaliada em um milhão de reais, em Mairiporã, São Paulo.

Material escolar: recuperação de duas cargas avaliadas em mais de 2 milhões de reais, em Lavras, Minas Gerais.

Polietileno: recuperação de carga avaliada em 148 mil reais e prisão em flagrante de dois meliantes, em Itatiba, São Paulo.

Ramo de pessoas deve impulsionar crescimento do mercado de seguros em 2019 222

Ramo de pessoas deve impulsionar crescimento do mercado de seguros em 2019

É o que aponta a Carta de Conjuntura do Setor

Os primeiros meses de 2019 já mostraram que o mercado de seguros tem um ano promissor pela frente. Apesar de o cenário econômico nacional não ter evoluído muito, com a taxa de desemprego em 15,5%, o setor de seguros já apresenta números positivos. É o que aponta a última edição da Carta de Conjuntura do Setor de Seguros, agora produzida de maneira conjunta pelo Sindicato das Empresas de Seguros e Resseguros (SindsegSP) e o Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP).

De acordo com o estudo, o faturamento do setor em fevereiro, sem contabilizar o ramo de saúde e o DPVAT, foi de R$ 17,9 bilhões, o que representa avanço de 13% na comparação com o mesmo período do ano passado. A surpresa ficou com o ramo de pessoas (acidentes pessoais, vida, prestamista, educacional etc), que conseguiu avanço de 17%, superando, com folga, a taxa de inflação e arrecadando R$ 3,4 bilhões. Os ramos elementares (automóvel, residencial, empresarial etc.) tiveram faturamento da ordem de R$ 5,6 bilhões, apresentando crescimento de 9%.

Para acessar o conteúdo completo, clique aqui.

IRB recebe debate sobre os 11 anos da abertura do mercado de resseguros 224

IRB recebe debate sobre os 11 anos da abertura do mercado de resseguros

Encontro fará uma retrospectiva e abordará o futuro sob a ótica de diferentes players do setor

O IRB Brasil RE recebe, nesta quarta-feira (24/04), às 17h30, o talk show “Mercado de Resseguros – 11 anos depois”, organizado pela Associação das Mulheres do Mercado de Seguros (AMMS). O encontro, aberto ao público, abordará as mudanças ocorridas desde a abertura do mercado em 2008: o que melhorou, o que precisa mudar e quais são as perspectivas para setor nos próximos anos. Tudo isso a partir do ponto de vista de diferentes players do mercado.

Os convidados do talk show são José Carlos Cardoso, CEO do IRB Brasil RE; Carolina Vieira, diretora de Áreas Corporativas da Markel Seguradora e Markel Resseguradora; Luciano Calheiros, CEO da Swiss Re Corporate Solutions; Judi Newsam, Managing Director and Country Head Brazil Guy Carpenter; Carolina Weber, gerente de Riscos e Seguros da Vale para a América Latina; Camila Calais, sócia do escritório Mattos Filho; e Maria Elena Bidino, membro do Conselho de Administração do IRB Brasil RE. Margo Black, presidente da AMMS, mediará o debate.

As inscrições, com valores que variam de R$ 20 a R$ 120, assim como a programação completa do evento no Rio de Janeiro, estão disponíveis neste endereço.

São Paulo

Na quinta-feira (25/04), será a vez de São Paulo receber o evento, no Teatro Renaissance, às 17h30. Participarão Ângelo Colombo, CEO da AGCS América do Sul; Antonio Trindade CEO da Chubb e presidente da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg); Paula Lopes, diretora executiva de Placement na Marsh Brasil e Bowring Marsh; Ida Sá, gerente de risco da Embraer; Júlia Santoro de Camargo Donato, sócia do DR&A Advogados; e Maria Elena Bidino.

Para saber mais sobre o evento de São Paulo e fazer sua inscrição, acesse este link.

Serviço – “Mercado de Resseguros – 11 anos depois”:

Rio de Janeiro

Data: 24 de abril (quarta-feira)
Horário: 17h30min
Local: Auditório do IRB Brasil RE – Avenida Marechal Câmara, 171

São Paulo

Data: 25 de abril (quinta-feira)
Horário: 17h30min
Local: Teatro Renaissance – Alameda Santos, 2233

Como o IELTS pode abrir portas para uma carreira internacional de sucesso 204

Como o IELTS pode abrir portas para uma carreira internacional de sucesso

Saiba em quais circunstâncias e para quem o principal exame internacional de proficiência em língua inglesa é indicado

O primeiro passo em direção a uma carreira internacional bem-sucedida é comprovar seu nível de conhecimento da língua inglesa. O IELTS, do British Council, é o exame de proficiência de inglês mais reconhecido internacionalmente, aceito em mais de 10 mil instituições de 140 países e, justamente por isso, o preferido pelos candidatos. Apenas no ano passado, mais de 3 milhões de pessoas no mundo inteiro prestaram o IELTS, fazendo dele o líder global no segmento.

Garantir uma boa pontuação no IELTS abre diversas portas, e não somente das mais conceituadas universidades internacionais. O teste também é exigido em processos migratórios e até mesmo como requisito para vagas de emprego fora do Brasil. “Hoje em dia é cada vez maior o número de empresas internacionais que pedem o IELTS para candidatos a posições internacionais”, aponta Adriana Colossio, Gerente Nacional de Avaliação do British Council.

Confira, a seguir, 5 situações em que o IELTS é peça chave para alavancar sua carreira internacional:

  1. Para ingressar nas melhores universidades, incluindo as dos Estados Unidos. Estudar no exterior é o grande passo para garantir seu espaço no mercado global de trabalho. Das mais de 10 mil organizações no mundo que aceitam o IELTS para comprovar o nível de proficiência do aluno em língua inglesa, aproximadamente 9 mil são universidades. Ou seja, o grande foco de quem presta o exame é estudo – entre cursos de graduação, MBA, mestrado e doutorado. Há, no entanto, um grande mito de que o IELTS é melhor para quem quer estudar na Europa. Não é verdade. Dessas 9 mil instituições de ensino, quase 4 mil estão nos Estados Unidos. Das 10 melhores universidades norte-americanas pelo ranking da U.S. News & World Report, 8 aceitam o IELTS.
  1. Para estudar, trabalhar e morar no Canadá. Hoje, o Canadá é o país que mais oferece oportunidades de estudo e trabalho para o brasileiro. Quem quer aproveitar estas portas abertas presta o IELTS, o exame mais aceito no país, seja para estudar, trabalhar e até mesmo para o processo de visto. “O que acontece no Canadá é um pouco diferente da maioria dos países. Para morar lá e fazer um curso básico, inicialmente, não há necessidade de comprovar o nível de inglês, mas, uma vez lá, se a pessoa quiser continuar os estudos ou então trabalhar precisa do IELTS”, diz Colossio. No Canadá, o British Council tem cerca de 60 centros que aplicam o exame.
  1. Para se candidatar a vagas de trabalho no exterior. Cresce o número de empresas globais e em diversos segmentos que pedem o IELTS para comprovar o nível de inglês de quem se candidata para vagas internacionais. Hoje, cerca de mil empresas multinacionais com escritórios espalhados pelo planeta trabalham desta forma. Alguns exemplos: Unilever, PriceWaterHouse Coopers, Dion Global Solutions, Air New Zealand, Shell International, LG Electronics e Samsung Group.
  1. Para o processo de imigração de diversos países. Além do Canadá, os governos do Reino Unido, Nova Zelândia, Austrália e Irlanda exigem o IELTS para o processo de visto. A prova é idêntica à prestada com finalidade acadêmica ou de trabalho, mas há um protocolo de segurança ainda mais rígido. Tanto o candidato quanto a equipe examinadora são filmados durante todo o período do teste, registro que o British Council deve manter por ao menos 3 anos e ocasionalmente disponibilizar ao órgão responsável pela emissão de visto. Por conta disso, no Brasil ele é feito apenas em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.
  1. Para turbinar o currículo e aumentar a empregabilidade no Brasil. Em algumas áreas de trabalho, como na de educação, especialmente para o ensino de línguas, ter um certificado é importante. Ter o IELTS, exame reconhecido globalmente pelo rigor de resultados e segurança à prova de fraudes, dá um status diferenciado. Afinal, trata-se de um exame feito com supervisão muito rígida, em que as entrevistas são muito bem controladas e os examinadores intensamente treinados e auditados. Por isso, a credibilidade do IELTS é muito alta. Em um mercado de trabalho tão competitivo como o atual, ter no currículo a comprovação do nível de inglês por um exame assim é um diferencial mesmo em outras áreas que não sejam a da educação.

British Council aplica o IELTS em todas as regiões do Brasil

O IELTS é o exame de proficiência em língua inglesa desenvolvido pelo British Council, reconhecido por mais de 10 mil organizações de 140 países. No Brasil, o British Council aplica o IELTS em 17 cidades espalhadas pelas 5 regiões do país, em locais com infraestrutura moderna, bem localizados e que oferecem conforto e tranquilidade para o candidato, além de equipe treinada e altamente qualificada. São 48 sessões anuais para a versão em papel do exame – nas grandes capitais do país é possível agendar datas praticamente semanalmente, ao longo de todo o ano. Já a versão em computador, recentemente lançada pelo British Council, oferece grande flexibilidade nas datas, com sessões quase que diariamente nos próximos meses.

Ao agendar o IELTS com o British Council, os candidatos têm acesso a uma série de recursos preparatórios – muitos deles gratuitos – preparados por especialistas no ensino de língua inglesa. O conteúdo inclui desde provas simuladas, curso online, vídeo explicativo e até aplicativos para dispositivos móveis. O curso Road to IELTS, por exemplo, oferece aos candidatos 30 horas de aulas inteiramente grátis. São 9 tutoriais, mais de 100 atividades interativas e 2 simulados para cada habilidade testada (Speaking, Listening, Writing e Reading). Para conhecer os conteúdos preparatórios para IELTS do British Council, basta acessar este site.

Há ainda, porém pago, o IELTS SOS, para quem precisa de um reforço extra de última hora. São aulas online ao vivo destinadas a cada uma das habilidades avaliadas na prova, destinadas a ajudar o candidato a ganhar mais confiança e esclarecer dúvidas pontuais com os professores especialistas do British Council.

O agendamento do IELTS é feito online neste site.