Brasil atrai olhares de investidores e movimenta o setor de Seguro Garantia 2949

“Nasce um novo Brasil”, confira a última edição da Revista JRS em 2018!

O fim da disputa eleitoral através de um processo democrático também deu fim a uma série de incertezas sobre os rumos do Brasil para os próximos anos. Economistas, empresários e demais operadores do mercado financeiro demonstram otimismo em relação à retomada econômica brasileira, no entanto, o movimento ainda carece de questões fundamentais, como a reforma previdenciária, por exemplo. Outro desafio ocorre pelas opiniões pontuais que divergem entre o novo chefe do executivo, Jair Bolsonaro e o ministro da Fazenda, Paulo Guedes, que demonstra a intenção de adotar uma política econômica mais liberal. O Presidente da República, no entanto, vê a questão com ressalvas.

Confira mais detalhes sobre o assunto além de entrevistas e falas de especialistas na reportagem principal da última edição da Revista JRS. Chegamos ao ano 19 com uma expectativa muito boa para a economia brasileira, além de grandes movimentações no setor de seguros e finanças.

Entender necessidades dos clientes é o presente e futuro do seguro 867

Lideranças estiveram reunidos em Convenção da Lojacorr

O presidente do Grupo Bradesco Seguros, Vinicius Albernaz.

As companhias de seguros buscam entender seus clientes em conjunto com os corretores. Essa preocupação ficou clara durante talkshow promovido pela 6ª Convenção Nacional da Rede Lojacorr, na quinta-feira (21) na Capital paranaense.

De acordo com o presidente do Grupo Bradesco Seguros, Vinicius Albernaz, a nova realidade em que a sociedade está inserida mostra que as empresas precisam focar na necessidade do cliente de maneira completa. “Precisamos entender que ele precisa de proteção dos riscos ao qual ele está exposto e que esses riscos mudam ao longo da vida”, comentou.

O CEO da Liberty Seguros, Carlos Magnarelli.

Albernaz ainda acredita que o desafio está em entender essa nova situação em conjunto com o mercado como um todo. A exemplo disso está o seguro saúde têm a tendência de personalização no mundo como um todo, sendo um objeto de desejo da população. “O cliente mudou, ele é muito mais informado e está querendo soluções rápidas e adequadas e o nosso grande desafio é encantar esse cliente”, opinou.

Sobre personalização, o CEO da Liberty Seguros, Carlos Magnarelli, confia que “cada cliente quer um serviço único para ele e personalizado a sua realidade”. E que, além disso, o público está mais consciente, conhece as empresas e os produtos ofertados. “Por isso temos que entender o consumidor, qual a sua jornada e escutá-lo, pois ele vai nos indicar o que temos que entregar”, confiou.

O vice presidente da Mitsui Sumitomo Seguros, Helio Kinoshita.

Na discussão que envolve a realidade do cliente, a revolução digital entra como um relevante elemento desta equação. “A transformação está nas pessoas e eu diria que temos cinco grandes desafios e um deles é a mudança da estrutura hierárquica para um processo em que todos trabalham em prol do mesmo objetivo, numa discussão mais horizontal dos processos”, detalha o vice presidente da Mitsui Sumitomo Seguros, Helio Kinoshita. “Assim poderemos andar Mais rápidos sendo mais assertivos nas inovações”, complementou.

Por outro lado, a Sancor, companhia argentina que completará 6 anos de atuação no Brasil, tem buscado oferecer meios para que o corretor de seguros consiga entender cada vez mais o seu cliente. “Estamos indo no caminho de disponibilizar ferramentas para que os corretores possam ofertar os produtos certos, pois ele também tem e quer estar preparado para esse novo consumidor”, explicou o diretor geral da Sancor no Brasil, Leandro Poretti.

O diretor geral da Sancor no Brasil, Leandro Poretti.

Além disso, o CEO da HDI Seguros, Murilo Riedel, acrescenta outro ponto interessante à discussão: a especialidade das companhias. “No passado, sempre foi um diferencial, mas se tornou algo negativo para uma seguradora”, afirmou. Ele explica que, na empresa que preside, 95% das operações advém do produto automóvel e que ela é afetada com a queda da faixa de veículos altamente seguráveis (de 0 a 5 anos) de 2014 para 2018. “Essa frota que alimenta o mercado tinha 17 milhões de veículos em 2014 e hoje tem 12 milhões, ou seja, 5 milhões desapareceram e saíram dessa classificação”, comentou.

Resultado disso, é a mudança de visão da HDI, passando do auto para uma seguradora da mobilidade. “A mobilidade é sair de um ponto a outro e chegar em algum lugar e o bem que te leva é apenas um

O CEO da HDI Seguros, Murilo Riedel.

componente de uma experiência que te leva”, disse. “O entendimento das seguradoras mudou sobre aquilo que significa mobilidade e oferecer produtos que compõe essa experiência virou algo mandatório”, salientou.

Conforme esse raciocínio, a companhia passa de fazer o seguro do bem para o seguro da experiência como um todo. “Temos uma visão de que buscar parcerias com seguradoras especializadas, como a nossa parceria com a Icatu, faz com que conjuntamente ofereçamos produtos que compõe essa experiência ampla de mobilidade”, finalizou.

Imagens: Filipe Tedesco/JRS

Lojacorr defende corretagem empreendedora 1098

Lojacorr defende rede de corretores empreendedores

Convenção Nacional da empresa reúne mais de 1.200 participantes em Curitiba

O CEO da Rede Lojacorr, Diogo Arndt Silva.

A inovação e maneiras de entender o novo consumidor tem sido temas fortemente debatidos no mercado de seguros nos últimos anos. Essa também é uma preocupação constante da Rede Lojacorr, conforme ficou evidenciado na cerimônia de abertura da sua 6ª Convenção Anual, que ocorre 21 e 22 de março em Curitiba (PR) e reúne 1.200 participantes entre corretores de seguros e parceiros.

Desde a última convenção, que aconteceu em 2017, a Lojacorr cresceu quatro vezes mais, segundo o CEO Diogo Arndt Silva. “É tempo de transformação e a Lojacorr supera diariamente as nossas expectativas”, destacou. “Nosso objetivo no início era alcançar 100 corretores em Curitiba e região e hoje temos mais de 1.100 corretores em 21 Estados e em 51 unidades espalhadas pelo Brasil”, detalhou.

De acordo ele, a missão dos corretores de seguros de levar proteção ao brasileiro é nobre. “A transformação não está na tecnologia, está nas pessoas, em suas atitudes, e o nosso maior papel como líderes de mercado é encorajar as pessoas a experimentarem, a verem novas formas de consumo”, comentou. Enxergar a figura do corretor de seguros como empreendedor seria fundamental para essa prática. “A maior parte dos projetos e das pessoas não fracassam, elas desistem. E a persistência tem que estar imbuído nos nossos objetivos”, disse.

Em 2017, a empresa que Diogo preside reuniu uma equipe multidisciplinar para realinhar seu planejamento estratégico tendo em vista que se transformou em uma rede de empreendedores. “Quando percebemos que somos novos líderes e empreendedores, pensamos em como criaríamos um ecossistema de soluções para auxiliar cada vez mais a distribuição de seguros através dos corretores”, explicou.

O momento reforça a crença de grandes líderes de mercado de que somente os corretores podem levar efetivamente as melhores proteções aos clientes. “Por intermédio de relações humanas, seremos capazes de levar proteção à parcela da sociedade que ainda não tem acesso, pois muito mais do que vender apólices, queremos proteger as pessoas”, comentou. Valores como transparência seriam fundamentais. “Sabemos que ainda existe um caminho muito grande a percorrer, mas seguimos caminhando, buscando inovar e crentes nos nossos valores, como transparência, que gera colaboração e, com ela, inovação”, afirmou.

A primeira palestra da Convenção ficou a cargo do administrador Max Gehringer.

Para o administrador Max Gehringer, que comandou a primeira palestra da Convenção, a grande profissão até o século XIX era a de agricultor, do século XX empregado e a do século XXI é empreendedor. “O que nós fazemos em nossa carreira é continuar correndo atrás do que vai nos diferenciar e vejo aqui uma plateia de empreendedores”, disse. “O que precisa para ser empreendedor, primeiramente, é não tomar a decisão de ser empreendedor pelo motivo errado, um bom motivo é enxergar uma oportunidade e um futuro”, defendeu.

Neste sentido, empresas como a Lojacorr estão a frente, uma vez que busca inovar sem perder a essência humana. “Não dá para conseguir confiança através da tecnologia, nós olhamos no olho de outra pessoa e conversamos com ela pessoalmente”, alertou. “O empreendedor brasileiro é um teimoso, pois a lei e a burocracia não ajudam, e mesmo assim ele não só insiste, como persiste com as suas ideias”, frisou.

6ª Convenção Nacional Lojacorr – Imagens do primeiro dia

Como declarar o Seguro DPVAT no Imposto de Renda 312

Como declarar o Seguro DPVAT no Imposto de Renda

Indenizações possuem o benefício de isenção de rendimento

O ano começou com tudo. As férias, o verão e o carnaval ficaram para trás e chegou a hora de fazer a Declaração Anual do Importo de Renda. Muitas são as dúvidas nesse momento, mas primeiramente é preciso entender que todo valor recebido como compensação por alguma perda também precisa ser declarado, de acordo com a Seguradora Líder, que administra o consórcio do Seguro DPVAT.

Nesse sentido, além do DPVAT, entram indenizações oriundas de sinistros cobertos por uma apólice de seguro ou até mesmo proventos de ações judiciais, por exemplo. No caso do Seguro DPVAT existe o benefício de isenção de rendimento, ou seja, não é necessário pagar nenhum imposto sobre o ganho. Como o próprio nome diz, a informação deve ser incluída na linha 26 (Outros) na parte de “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” do Imposto de Renda, de acordo com o que determina o Decreto nº 3.000/1999 e na Instrução Normativa RFB Nº 1.500/2014, Art. 11.

Também entram nesse requisito itens como o rendimento da caderneta de poupança, indenização de seguro por roubo e seguro-desemprego. Em caso de morte, a indenização paga pelo DPVAT é de R$ 13,5 mil. O mesmo valor também pode ser pago em caso de invalidez permanente e o reembolso de despesas médico-hospitalares, o DAMS, pode chegar a R$ 2,7 mil.

XP Seguradora chega ao mercado com produtos de alta performance e gestão ativa 768

XP Seguradora chega ao mercado com produtos de alta performance e gestão ativa

Com foco inicial nos fundos de previdência privada, iniciativa visa estimular a concorrência no setor

Depois de ajudar na recente revolução do mercado de investimentos no país, o Grupo XP agora se prepara para inovar a forma como os brasileiros planejam a sua aposentadoria. Com o objetivo de oferecer as melhores opções em previdência privada, a XP Seguradora chega ao mercado para oferecer produtos próprios de alta performance e com gestão ativa. Neste primeiro momento serão lançados cerca de vinte e cinco fundos com planos PGBL e VGBL para clientes pessoa física, alocados nas mais diversas estratégias que vão desde renda fixa aos mandatos multimercados, geridos pelas principais gestoras independentes do país. O objetivo é criar uma grade de produtos previdenciários que, sob a ótica de alocação, atendam os clientes em função do seu momento de vida e apetite de risco.

“A discussão em torno da reforma da previdência tem provocado um fenômeno interessante: a autoanálise dos brasileiros em relação à aposentadoria. Esse movimento é importante porque indica um amadurecimento financeiro por parte da população”, avalia Roberto Teixeira, Sócio responsável pela XP Seguradora. “Queremos oferecer veículos inéditos no mercado para clientes que já não aceitam mais investir em fundos previdenciários que cobram taxas elevadas e entregam baixa performance”, afirma Teixeira.

A iniciativa visa ainda estimular a competição dentro do segmento, com a distribuição dos produtos da XP Seguradora e de outras seguradoras na plataforma aberta de previdência privada da XP Corretora de Seguros, pioneira na zeragem da taxa de carregamento dos planos na entrada e na saída. No médio prazo, os produtos originados pela XP Seguradora também deverão ser oferecidos por outras plataformas e corretores de seguros. Além disso, a empresa espera ampliar a sua atuação nesse mercado, contemplando outras classes de produtos além de previdência privada.

“Inovar na oferta de produtos e serviços é parte da estratégia do Grupo XP, uma vez que a concentração bancária em previdência privada é ainda muito alta. Trabalhamos com o conceito de curadoria para oferecer uma grade de fundos completa, composta por produtos relevantes e alinhados à expectativa de nossos clientes”, acrescenta.

A meta da XP Seguradora é oferecer aos clientes do Grupo XP os melhores fundos de Previdência Privada do mercado, permeados por soluções inovadoras em um mercado tradicionalmente analógico.

Icatu Seguros reúne lideranças comerciais em Porto Alegre 443

Icatu Seguros reúne lideranças comerciais em Porto Alegre

Colaboradores de todo o Brasil estiveram no Rio Grande do Sul para compartilhamento de boas práticas

Icatu Conecta 2019. Esse foi o nome do encontro nacional entre as lideranças comerciais da seguradora, realizado no Teatro CIEE, na capital gaúcha. Organizado nos dias 18 e 19 de março, o encontro teve como pilares os seguintes conceitos: Integrar, colaborar, aproximar para agregar, inovar e fortalecer.

“Foi muito bom entender a relevância dos parceiros e das linhas de negócio em cada Regional, assim como a sua cultura. Essa troca foi muito importante. Agregou muito para o meu desenvolvimento e estou empenhado em compartilhar com a equipe!”, diz Marcio Schardosim, gerente comercial de Vida e Previdência da Filial Florianópolis.

O evento teve painéis temáticos sobre produtos, atuação e tamanho de mercado para as linhas de negócios, parcerias e cases de sucesso da Regional Sul, anfitriã do evento. Ao todo, foram mais de 90 participantes.

“A interação e troca entre as Regionais foram enriquecedoras, e temos a possibilidade de conhecer as melhores práticas de outras localidades e internalizá-las para aproveitar futuras oportunidades e fortalecer ainda mais a nossa marca e o nosso negócio”, exaltou Tiago Torres, gerente da filial Porto Velho.

“Foi sensacional, uma experiência única de conexão. Tive a oportunidade de conversar com todas as Regionais, e a interação aconteceu em todos os momentos, até nos intervalos. Trocar experiências e compartilhar as melhores práticas nos deixou ainda mais motivados e com o dever de casa de colocar em prática tudo o que aprendemos e compartilhar toda essa experiência com a equipe”, avaliou Rafael Avólio, superintendente comercial da Filial Vitória.