Solange Vieira passa a comandar Superintendência de Seguros Privados 1895

Solange Vieira passa a comandar Superintendência de Seguros Privados (Susep) / Reprodução

Economista presidiu Anac na crise do caos aéreo

De acordo com o site “O Antagonista”, Solange Vieira é a nova superintendente da Superintendência de Seguros Privados (Susep). Solange era favorita para posição de destaque na Previdência ou no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Amiga do ministro da Economia, Paulo Guedes, Solange foi indicada por Nelson Jobim para presidir a Associação Nacional de Aviação Civil (ANAC) durante a crise do caos aéreo. Foi responsável pela instituição de várias instruções normativas e atualização de regulamentações do setor. Em sua gestão, também foi adotado um sistema de ponto eletrônico para controlar a frequência dos funcionários.

Segundo a Revista Época, a nova comandante da Susep foi um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009. Solange Vieira ainda é pós-graduada em Ciências Contábeis e possui mestrado em Economia, ambos na Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Mongeral Aegon promove mudanças na estrutura comercial 218

Seguradora começou o ano com ajustes pontuais

Marcio Batistuti e Felipe Maciel / Divulgação
Marcio Batistuti e Felipe Maciel / Divulgação

A seguradora Mongeral Aegon iniciou o ano com uma nova estrutura comercial. Ligados diretamente ao diretor Comercial, Osmar Navarini, Marcio Batistuti passa a responder pela diretoria de Varejo, enquanto Luis Felipe Maciel assume a nova diretoria de Negócios Corporativos.

Sob a responsabilidade de Batistuti estão as recém-criadas superintendências regionais, comandadas por Ednei Andrade (Sul), Ari Lima (São Paulo – capital), Rodrigo Moscoso (Centro-Norte), Ronaldo Gama (Sudeste), Wagner Lima (Leste), Leandro Fortunato (São Paulo – interior) e Miguel Duarte (Nordeste).

Já Luis Felipe Maciel, responsável pela Diretoria de Negócios Corporativos, terá como responsabilidade as operações de vida e previdência empresarial, cooperativismo, previdência privada fechada, além das parcerias com agentes autônomos de investimento.

Saúde suplementar impulsiona criação de empregos no Brasil 220

Saúde suplementar impulsiona criação de empregos no Brasil

Setor responde por mais de 20% do saldo de postos formais no País

A cadeia de saúde suplementar tem impulsionado a economia e a criação de empregos no Brasil e já responde por 8,1% da força de trabalho no País. De acordo com o Relatório de Emprego na Cadeia da Saúde Suplementar, aferido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), o número de postos de trabalho formal no setor cresceu 3,4% na comparação entre novembro de 2018 e o mesmo mês do ano anterior. O que significa um aumento de 116,5 mil vagas. No mesmo período, o total de empregos formais no! Brasil teve avanço de apenas 1%.

Olhando para o saldo de empregados, a diferença entre o total de contratados e o de demitidos, a cadeia da saúde suplementar fechou novembro de 2018 com 12,1 mil novos postos de trabalho. O que corresponde a 20,6% do saldo de 58,7 mil empregos registrado no Brasil.

Luiz Augusto Carneiro, superintendente executivo do IESS, aponta que regionalmente a criação de empregos ainda está bastante concentrada na Região Sudeste do País, que responde por 47,4% (5,7 mil) do saldo de empregos formais do setor em novembro de 2018. Contudo, ele destaca que outras regiões têm registrado importantes resultados. “Temos visto um fortalecimento expressivo do mercado no Centro-Oeste, com 1,5 mil novos postos de trabalho. Isso em um período em que a região encerrou 7,5 mil empregos formais no total da economia”, analisa.

Na mesma linha, a cadeia de saúde registrou saldo positivo de 234 empregos no Norte enquanto, no total da economia, foram fechados 932 postos de trabalho. “Ainda que os números sejam mais ‘modestos’ do que os registrados em outras regiões, fica evidente que o setor está contratando em ritmo superior à média nacional. O que indica que o mercado está se preparando para voltar a crescer”, pondera Carneiro.

Os dados da edição mais recente do boletim já estão presentes no IESSdata, plataforma que fornece os números mais atuais do setor de saúde suplementar e da economia brasileira.

Pozza Corretora de Seguros completa 28 anos no mercado 305

Familiar, empresa é referência de mercado

Fundada em 1991, em Caxias do Sul (RS), a Pozza Corretora de Seguros atua com excelência em diversos ramos de seguros. Familiar, a empresa é referência para o mercado brasileiro de seguros, além de pontuar constantemente entre as corretoras de seguros de ponta.

“Ao completar 28 anos de atividade, a Pozza Corretora de Seguros agradece em especial aos Clientes, Amigos e Parceiros pela confiança e por fazerem parte dessa história!”, disse a empresa em publicação em uma rede social.

Pozza Corretora de Seguros completa 28 anos no mercado
Pozza Corretora de Seguros completa 28 anos no mercado

Para entrar em contato basta enviar um e-mail para comercial@pozzaseguros.com.br. Se preferir, ligue (54) 3223-5624 ou mande um WhatsApp para (54) 99976-3390.

Sustentare registra crescimento de 12,2% em 2018 591

Sustentare registra crescimento de 12,2% em 2018

Marca administra mais de 60 mil clientes ativos

A Sustentare Seguros cresceu 12.2% em 2018, registrando 7,2 milhões a mais de produção em comparação ao mesmo período de 2017. Os números foram apresentados pelo CEO Rogerio Oliveira durante a 3ª Convenção da empresa, que aconteceu na sexta-feira (18) na Capital gaúcha.

“Foi um ótimo ano, nossa operação conta atualmente com 110 corretores, espalhados pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo”, destacou ao ressaltar que a marca administra 60.994 clientes ativos.

A terceira edição da Convenção da Sustentare reuniu suas Unidades de Negócios, parceiros de seguradoras e integrantes da empresa. Executivos da Bradesco Seguros, Porto Seguro, HDI Seguros, Sompo, Tokio Marine, Chubb, Liberty e Sancor marcaram presença e prestigiaram a empresa. “Preparamos este momento com muito carinho, pois aqui conseguimos reunir toda a nossa operação em um único local”, comentou.

Além disso, a ocasião premiou as três Unidades de Negócios vencedoras da campanha Grandes Parceiros 2018. A Unidade de Caxias do Sul (RS) Esplanada, Teutônia (RS) e Ituporanga (SC) vão viajar para um cruzeiro que percorrerá a Costa Brasileira. “Fazemos questão de premiar nossos parceiros e nessa última edição tivemos uma surpresa boa, com uma Unidade que começou a trabalhar em 2018 conosco e já está entre as vencedoras, mostrando que a empresa foi útil para eles no dia a dia”, explicou.

Preço do seguro auto para homens sobe em média 27,08% neste mês 414

Preço do seguro auto para homens sobe em média 27,08% neste mês

Em contrapartida, de acordo com o Relatório Bidu, seguro para o público feminino teve redução de 6,06% no período

A Bidu, plataforma online de recomendação, comparação e contratação de seguros e produtos financeiros, que faz parte do Grupo Thinkseg, divulga levantamento com valores dos seguros para as versões de entrada dos dez veículos mais vendidos em dezembro de 2018, de acordo com os dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). O Relatório Bidu, produzido mensalmente desde 2016, analisa o preço médio do seguro em quatro capitais brasileiras (Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo) e compara o perfil de homens e mulheres de 35 anos, casados, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho e que estão contratando o seguro pela primeira vez. As cotações desta edição foram feitas no dia 8 de janeiro.

Ao contrário do que ocorreu no mês passado, onde o preço médio do seguro apresentou uma redução de 15,82% em comparação com novembro, neste início de ano, os consumidores que optarem pela contratação do seguro auto devem se preparar para um aumento no preço médio de 10,31%. Esse índice é puxado pela elevação de 26,68% na média de preço do seguro para o perfil masculino, enquanto para o feminino houve redução média de 6,06%. Diferente da tendência de queda apresentada de outubro a dezembro, em janeiro, o valor do seguro para os modelos mais emplacados no país subiu.

No relatório deste mês, o destaque no acréscimo do valor do seguro fica para a capital do Rio de Janeiro, que obteve aumento de 51,13% para o perfil masculino, e é a única cidade que também apresentou incremento no preço da apólice para o perfil feminino, registrando 2,21% de aumento para as mulheres. Em todos os municípios estudados houve elevação nos preços para o perfil masculino, como mostra o gráfico abaixo, porém em Brasília esse impacto foi menor, embora ainda significativo, com aumento de 10,51% no preço médio da apólice para os homens.

*Variação do preço médio do seguro por cidade (azul: homens; vermelho: mulheres)
*Variação do preço médio do seguro por cidade (azul: homens; vermelho: mulheres)

Analisando o comportamento de preços pela ótica dos diferentes modelos, o crescimento no valor médio do seguro é generalizado para os homens. Em comparação com o estudo anterior, dos oito veículos que se repetem no ranking deste mês, os maiores aumentos na cotação de preços para o perfil masculino são registrados para o Hyundai Creta e para o Ford KA, com 23% e 14%, respectivamente.  O veículo com menor índice de aumento para os homens, comparado Relatório Bidu anterior, é o Chevrolet Onix, com elevação de apenas 1%.

Já o cenário para as mulheres é bem distinto, pois em todos os oito carros que se repetem desde o mês passado, há redução de preços. O destaque desta retração fica para os automóveis Volkswagen Gol e Ford Ka, ambos com uma queda de 2% no preço médio do seguro feminino. O veículo que menos teve variação média de preço para o perfil feminino, em comparação com o último Relatório Bidu, é o Chevrolet Onix que tem uma redução de 0,2%.

*Variação do preço médio do seguro dos modelos que se repetem entre novembro e dezembro (azul: homens; vermelho: mulheres)
*Variação do preço médio do seguro dos modelos que se repetem entre novembro e dezembro (azul: homens; vermelho: mulheres)

Essa tendência de alta no preço do seguro para o perfil masculino ao contrário do que se observa para o perfil feminino ao longo dos últimos meses reforça ainda mais a diferença de preço médio praticado para os dois perfis nas principais capitais brasileiras. Como nos meses anteriores, os homens seguem pagando mais caro pelo seguro, conforme evidencia o gráfico abaixo. Enquanto as mulheres desembolsam, em média, R$2.216 pelo serviço, os homens pagam R$3.127, uma diferença de 41,11%, ou R$ 911,00, para os veículos analisados.

*Preço do seguro por modelo, média janeiro (azul: homens; vermelho: mulheres)
*Preço do seguro por modelo, média janeiro (azul: homens; vermelho: mulheres)

Modelo mais vendido

De acordo com o relatório da Fenabrave, em dezembro foram emplacados 189.411 automóveis – uma queda de 1,42% em comparação com o mês anterior, quando foram emplacadas 192.146 unidades. Este já é o segundo mês consecutivo com redução no número de emplacamentos.

Desde janeiro de 2018, apenas quatro modelos se repetem todos os meses no ranking dos 10 mais emplacados: Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Volkswagen Gol e VW Polo.

*Ranking dos 10 veículos mais emplacados em dezembro, de acordo com a Fenabrave
*Ranking dos 10 veículos mais emplacados em dezembro, de acordo com a Fenabrave

O Chevrolet Ônix segue como o carro mais emplacado no Brasil, com 19.642 unidades em dezembro ante 8.995 registradas para o segundo colocado, o Hyundai HB20. O preço médio do seguro do modelo de entrada do Ônix para o sexo masculino custa atualmente R$ 2.319, contra R$ 2.287, registrado em dezembro. Já para o perfil feminino, o valor médio atual é de R$ 2.117 ante R$ 2.122 calculados na cotação do mês anterior.

Dos dez veículos analisados neste estudo, oito se repetem no ranking da Fenabrave nos meses de novembro e dezembro. Após figurarem no levantamento de novembro, os automóveis Fiat Argo e Renault Sandero saem do relatório e dão espaço para o Toyota Corolla e o Jeep Renegade, que não apareciam na lista dos 10 mais emplacados desde outubro e junho, respectivamente.

O melhor custo-benefício

No Relatório Bidu deste mês, assim como no ranking anterior, o Hyundai Creta se mantém como o veículo que apresenta o melhor custo-benefício, ou seja, a melhor relação entre o preço médio do seguro e o valor de mercado do veículo (price ratio), para ambos os perfis. Para os homens, o price ratio é de 5,4% e para as mulheres é de 3,6%.

Já o automóvel com menor custo-benefício, para os dois perfis, é o Volkswagen Gol, que também demonstrou o mesmo impacto no último levantamento. O price ratio para os homens ficou em 7,9% e em 5,5% para as mulheres.

*Variação por preço de seguro (price ratio) (azul: homens; vermelho: mulheres)
*Variação por preço de seguro (price ratio) (azul: homens; vermelho: mulheres)

Variação entre as cidades

Assim como ocorreu no último Relatório Bidu, a cidade de Brasília é a que possui o seguro mais barato entre as capitais estudadas, onde a média geral do preço do seguro dos dez modelos mais vendidos em dezembro, para homens e mulheres, ficou em R$ 1.901. Já o Rio de Janeiro figura com a média geral de preços mais alta, considerando os dois perfis, com cotação média de R$ 3.732 – uma diferença de 196,32% em relação ao preço médio cobrado na capital do País.

*Variação do preço médio do seguro por cidade (azul: homens; vermelho: mulheres)
*Variação do preço médio do seguro por cidade (azul: homens; vermelho: mulheres)

Mais detalhes

Confira abaixo, as tabelas com os dez veículos mais vendidos em dezembro, de acordo com a Fenabrave, e o valor do seguro para cada modelo nos perfis analisados pela Bidu. As cotações de seguro foram realizadas no dia 8 de janeiro de 2019. Para mais dados e gráficos de análise, confira o relatório completo da Bidu para este mês, assim como edições anteriores.

*Perfil A: homem de 35 anos, casado, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho, e que está contratando o seguro pela primeira vez.

Divulgação
Divulgação

*Perfil B: mulher de 35 anos, casada, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho, e que está contratando o seguro pela primeira vez.

Divulgação
Divulgação

*Todos os preços dos seguros apresentados são para vigência de um ano. Todas as cotações foram realizadas no dia 8 de janeiro.