Campus Party Brasil amplia a oferta de conteúdo e reforça o elo com comunidades 634

Campus Party Brasil amplia a oferta de conteúdo e reforça o elo com comunidades

Em parceria com o MCTIC, evento arrecadou mais de 20 toneladas de resíduos eletrônicos

A décima segunda edição da Campus Party Brasil,  maior imersão tecnológica em Internet das Coisas, Blockchain, CulturaMaker, Educação e Empreendedorismo do mundo, chega ao final depois de mais de mil horas de atividades, ostentando grandes resultados: doze mil campuseiros, sendo 8 mil acampados, e mais de 130 mil pessoas presentes na Open Campus, o espaço gratuito do evento, nos seus cinco dias de funcionamento.

Realizada pela primeira vez no Expo Center Norte, a #CPBR12 contou com mais de 900 palestrantes, oito palcos – Feel The Future, Makers, Coders, Entertainment/Games, Creativity, Entrepreneurship, STEAM (do inglês, Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) e Startups; duas Academias – Gamers e Creators; e oito espaços para workshops – BlockChain, IoT, VisaGeek, PodCast, Big Data  Machine Learning, DevOps, Biohacking/Cyborg e Virtual Reality & Augmented Reality. Grandes referências de diversas áreas de conhecimento se apresentaram no evento: Ivair Gontijo, Poppy Crum, Ricardo Cappra, Joana Félix, Jake Yocom-Piatt, Jovem Nerd, Chris Moriarity, Bia Granja, Matt Pat, Frank Karlitscheck, Uri Levine, Mauricio de Sousa, Venkat Subramaniam, entre outros.

Já os visitantes da Open Campus, área aberta e gratuita que funcionou entre 13 e 15 de fevereiro, puderam ter acesso a uma série de atividades, como palestras com foco na Educação do Futuro, projetos culturais ligados à área de tecnologia e robótica, interação com diversos simuladores de realidade virtual, emocionantes atrações na Arena de Drones e  vibrantes partidas na Arena Gamer, além de conhecer protótipos de trabalhos acadêmicos e startups com ideias inovadoras. Uma das principais novidades desse ano, a Campus Music, espaço destinado a apresentações de bandas formadas pelos próprios campuseiros, emocionou o público e acabou consagrando como performance vencedora a do Codinome Winchester, grupo que se apresentou no palco principal na cerimônia de encerramento.

“Neste ano, nossa proposta principal foi oferecer ao campuseiro a oportunidade de absorver e colocar em prática todo o conhecimento adquirido. Construímos esse evento em parceria com o público, que nos ajudou a pensar em nomes e atrações que contemplassem os mais diversos gostos e interesses. Saímos imensamente satisfeitos por termos conseguido ser uma plataforma de compartilhamento de ideias e de formação e consolidação de comunidades que, certamente, ajudarão a repensar e moldar o nosso futuro enquanto sociedade. Acreditamos que a Campus Party não termina no fechamento dos portões, ao contrário, ela ganha o mundo”, explica Tonico Novaes, diretor da MCI Brasil e responsável pela Campus Party Brasil.

Edição Sustentável

A campanha criada pela Campus Party, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), culminou na arrecadação de mais de 20 toneladas de resíduos eletrônicos, tais como monitores, CPUs, impressoras, teclados, aparelhos celulares e de ar condicionado, caixas de som, notebooks e outros acessórios de informática.

Todos os resíduos arrecadados serão levados para os Centros de Recondicionamento de Computadores do MCTIC e, posteriormente, doados a pontos de inclusão digital, como bibliotecas, escolas públicas e telecentros espalhados em todo o território nacional.

Campus Summit

Outro destaque da #CPBR12 foi o Campus Summit, espaço que permitiu, pela primeira vez, a troca de informações e conhecimentos entre executivos e os campuseiros. O espaço abrigou dois eventos diferentes: a 7ª edição do Latin America Meetings & Events Conference (LAMEC), cujo tema foi “Humano como sempre, tecnológico como nunca”, e o Cybersec e LGDP, com foco na experiência de empresas, empreendedores e cientistas.

“A experiência de reunir profissionais do mercado e jovens que buscam  seu espaço para debater e trocar experiências em áreas do conhecimento como Open Innovation, Cyber Security, Data Protection and Privacy, Blockchain e Artificial Intelligence foi bastante enriquecedora e, certamente, resultará em ganhos para todos”, comenta Ney Neto, director de inovação da MCI e da Campus Party Brasil.

Campus Jobs

 Esse novo espaço ofereceu ao público presente na área Open palestras e outras atividades relacionadas à formação profissional, além da possibilidade de participar de processos seletivos que resultaram, inclusive, em contratação efetiva. “Nosso objetivo foi o de oferecer subsídios para orientar a carreira, não apenas daqueles que já alimentam o desejo de empreender na área de inovação, mas principalmente daqueles que buscam se desenvolver”, conta Barbara Duran, diretora de RH da MCI.

Educação para o Futuro

Debater os novos caminhos da educação e construir com todos uma nova forma de se olhar para a formação das crianças e adolescentes. Essa é a premissa do espaço Educação para o Futuro, uma das áreas mais visitadas na Open Campus. O projeto, que conta com a parceria da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, que representa o Laboratório Lifelong Kindergarten do MIT Media Lab no Brasil, contou com uma arena com palestras e oficinas de pesquisadores e educadores, além da exposição de equipamentos de experiência científica, em parceria com o Museu Catavento. Já o espaço RobotiCampus, em parceria com o Centro Paula Souza, abrigou modalidades de competição robótica e workshops. Na área Maker, aconteceram oficinas de Franzininho, Arduíno, e também o primeiro encontro da Rede FabLab Brasil.

Pela primeira vez na Campus Party, o F1 in School, projeto educacional que reúne atividades de aprendizagem ativa e empreendedorismo no ambiente da Fórmula 1, sucesso pelo mundo há 15 anos, e operado no Brasil pela Associação Projetando o Futuro, foi um sucesso de audiência.

eSports

A #CPBR12 sediou a primeira etapa de sua liga amadora de eSports. As competições terão etapas regionais, com a final nacional no início do próximo ano na #CPBR13. O vencedor da final nacional é classificado automaticamente para disputar a final mundial da liga amadora numa Campus Party internacional.

1º Fórum Brasileiro de Empreendedorismo Social e Periférico

Através de workshops, palestras e rodas de conversa, o Fórum apresentou iniciativas reais e de sucesso que acontecem no Brasil e no mundo, a partir de cinco grandes pilares: Empreendedorismo Popular, Potenciais Periféricos, Tecnologias de Impacto, Inclusão Social e Diversidade.

Os participantes participaram da elaboração coletiva de um manifesto, que será entregue às autoridades. O documento final ratifica ‘o vácuo de conhecimento e de formação no campo da educação, que não é preenchido desde o ensino básico até o superior’. Ainda segundo o manifesto, ‘o empreendedorismo social precisa carregar dentro de si e de seus produtos e serviços seu caráter ativista e transformador, a fim de que o negócio impacte positivamente a sociedade e ajude a romper barreiras de preconceito e discriminação’.

“A criação de espaços como esse Fórum é importante para a promoção de um ‘hub do bem’, que permita interações e troca de conhecimentos em torno da urgência do fomento ao empreendedorismo social e, consequentemente, o estímulo à produção de ações e iniciativas que despertem esperança nas periferias quanto à possibilidade de mudança de sua realidade e história”, afirma Francesco Farruggia, presidente do Fórum e do Instituto Campus Party.

Hackatons

The Big Hackathon – Promovido pela Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia de São Paulo, em parceria com o Instituto Campus Party, a competição tem como objetivo desenvolver soluções tecnológicas, bem como fomentar iniciativas inovadoras em prol da melhoria de políticas públicas para o bem-estar da sociedade. As equipes que mais pontuaram foram:

– Direitos Humanos – Equipe Agente Sofia
– Educação – Equipe EducaAção
– Finanças – Equipe Devs4Contracts
– Obras – Obra Code
– Saúde – Os seis três

Data4Good – Promovido pela Campus Party, em parceria com o Cappra Lab, e com apoio da UNICEF, a competição tem como objetivo desenvolver soluções tecnológicas, bem como fomentar iniciativas inovadoras na análise de dados e geração de informação de qualidade para a sociedade. As equipes premiadas foram:

Primeiro Lugar – Jarbes Educa
Segundo Lugar – Proficientes
Terceiro Lugar – Star 5

Startups e Projetos Universitários

Os visitantes do evento puderam conhecer 120 startups que participaram do programa Startup & Makers, cujo objetivo é impulsionar e capacitar jovens talentos e empreendedores. As startups Print Green 3D, Smart Capacete e Verifact se destacaram na categoria earlystage; e as startups Desquebre, Keepz e Cubozse destacaram na categoria growthstage. Entre os 41 projetos universitários e acadêmicos apresentados no espaço Campus Future, os destaques foram: MinervaBotsPolimex e Ex Machina Prótese Mioelétrica.

Include

A #CPBR12 apresentou os resultados e próximos passos do Include, projeto promovido pelo Instituto Campus Party, que consiste na criação e montagem de laboratórios de robótica para aproximar jovens (menores de 18 anos) moradores de comunidades carentes da tecnologia. O objetivo é identificar talentos dentro de comunidades menos favorecidas do país, criar vias para que possam estudar em escolas especiais, encaminhá-los ao mercado de trabalho para que saiam com emprego após a participação no programa e, mais do que isso, prepará-los para que consigam levar soluções para a própria comunidade usando a tecnologia, sem depender da ajuda externa.

O Include nasceu na primeira edição da Campus Party Bahia em outubro de 2017 e teve sua primeira unidade inaugurada em Canudos. Ainda esse ano, serão inaugurados mais 100 laboratórios em 11 estados brasileiros.

Outro fator importante para o sucesso dessa edição da Campus Party foi a visita de autoridades e dezenas de comitivas que vieram de várias partes do país prestigiar o evento. Destaque para a presença do Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes; o prefeito de São Paulo, Bruno Covas; o prefeito de Natal, Álvaro Costa Dias; o secretário de Inovação e Tecnologia da cidade de São Paulo, Daniel Annenberg; e o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal, Gilvan Máximo.

Próximas Edições

A Campus Party acaba de abrir um pacote especial de pré-venda para as edições de Brasília, que acontece no mês de junho, e para a edição nacional do ano que vem, a CPBR13, que ocorrerá em São Paulo. Os ingressos com preços promocionais poderão ser adquiridos até o dia 28 de fevereiro na plataforma campuse.ro. O link para adquirir os ingressos para a edição nacional é – https://campuse.ro/events/campus-party-brasil-2020 – já os ingressos para a edição brasiliense poderão ser adquiridos em – https://campuse.ro/events/campus-party-brasilia-2019.

Confira abaixo os principais números da Campus Party Brasil 2019

– Público presente: 130 mil pessoas
– Total de campuseiros: 12.500, sendo 8.000 acampados
– Barracas: sendo 5 mil simples e 1.500 duplas
– Atividades: Mais de 1000 horas de conteúdo / Mais de 900 palestrantes / Cerca de 231 workshops
– Produção e Tecnologia:
Velocidade da internet – 40 GBps
Envolvidos na organização – mais de 3.000 pessoas
– Outros Números
Patrocinadores, Apoiadores, Parceiros, Media Partners e Influenciadores – 147 empresas
Universidades – 40 instituições
Jornalistas, blogueiros e profissionais de imprensa cadastrados para cobertura – Mais de 800
– Programa Campus Future
– 41 projetos selecionados para participar do programa
Destaques Campus Future: MinervaBots, Polimex e Ex Machina Prótese Mioelétrica.
– Programa Startup &Makers
– Selecionados para a Campus Party Brasil: 120 startups, sendo 60 growthstage, 60 earlystage
Destaques Startup & Makers:
Growth – Desquebre, Keepz e Cuboz
Early – Print Green 3D, Smart Capacete e Verifact

Como nas edições anteriores, a Campus Party Brasil conta com apoiadores e patrocinadores que viabilizam a estrutura oferecida para que os campuseiros e visitantes possam imergir na tecnologia.

Apoio Institucional: Prefeitura de São Paulo
Diamond: Use Telecom
Platinum: Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Petrobrás e Visa
Gold: Ford, Grupo Boticário, Sebrae, MegaTelecom, Liberty Seguros, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Oracle e Discovery
Silver: Systane, iFood, ESEG, Fanta, 3corações, Smart Water, Pluritech, Coca-Cola Plus – Café espresso e Jandaia.
Apoio Cultural: SESC

Banco Inter lança seguro auto contra danos causados a terceiros 341

Banco Inter lança seguro auto contra danos causados a terceiros

Objetivo é oferecer uma alternativa 100% digital para clientes que não são atendidos pelos produtos disponíveis atualmente no mercado

Com o objetivo de oferecer uma alternativa para clientes que não são atendidos pelos produtos disponíveis atualmente no mercado, o Banco Inter lança a opção de seguro auto contra danos causados a terceiros, com contratação 100% digital.

A adesão é feita sem a necessidade de vistoria do veículo e garante exclusivamente cobertura para danos materiais e corporais causados a outras pessoas envolvidas no acidente, com proteção, inclusive, para carros antigos, com até 25 anos de fabricação. Também inclui assistência 24 horas, com chaveiro, socorro mecânico, táxi e guincho, além de sorteio de mensal de capitalização no valor de R$ 5 mil.

O pagamento pode ser feito em 10 vezes de R$ 54,08. “Nosso objetivo é garantir uma proteção com preço mais acessível para quem dirige com responsabilidade, mas não quer assumir o risco no caso de se envolver em um acidente, provocando danos materiais ou físicos a outras pessoas”, explica Paulo Padilha, diretor executivo da Inter Seguros.

A cobertura contempla qualquer veículo, incluindo carros, motos, ônibus, vans, caminhões e bicicletas. Também se estende a eventuais prejuízos causados contra imóveis residenciais e comerciais, públicos e privados. A apólice também contempla pedestres vítimas de danos corporais ou morte.

Fundos de previdência da MAPFRE entre os de melhor rentabilidade 598

MAPFRE Investimentos: Choques inflacionários "ainda" se dissipam no tempo

Produto multimercado da companhia foi destaque num período de 10 anos, segundo estudo de dados da Economatica

Os fundos de previdência da MAPFRE obtiveram mais um importante reconhecimento do mercado. Desta vez, os produtos da companhia estão entre os com melhor performance, num período de 10 anos, segundo levantamento realizado pela XP Investimentos, com base nos dados divulgados pela Economatica.

No ranking, o fundo Gauss MAPFRE Juro Real FIC Multimercado Previdenciário apresentou um retorno de 223,73% em uma década, o que sugere uma rentabilidade bastante atraente ao consumidor na hora de investir a longo prazo.

Para o diretor de Vida, Previdência e Odonto da MAPFRE, André Serebrinic, os números demonstram a solidez da companhia em oferecer os melhores resultados aos clientes. “Nossos planos privados são trabalhados de maneira contínua, afim de oferecer ganhos consistentes e que, de fato, contribuam para a conquista de uma aposentadoria mais tranquila e próspera aos nossos clientes.”

De acordo com o executivo, este indicador é muito importante porque está relacionado à aposentadoria das pessoas, ou seja, planos de longo prazo. “Estar entre os melhores num período de 10 anos mostra como a MAPFRE tem resultados consistentes e confiáveis ao longo do tempo. É fundamental que os clientes analisem este fato quando selecionam o melhor fundo.”

Susep também destaca produto MAPFRE

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) também destacou a atuação da MAPFRE em recente pesquisa. Na avaliação da instituição, os fundos de Renda Fixa da companhia tiveram rentabilidade acumulada acima de 20% nos últimos dois anos, enquanto os Fundos Multimercados, que incluem produtos administrados pela MAPFRE Investimentos, registraram índices próximos aos 30% – tendo como base o CDI em 14,52%.

Bradesco Seguros inaugura sede na Zona Portuária do Rio de Janeiro 404

Mapping Especial marca o lançamento do moderno prédio, que concentra mais de três mil funcionários e colaboradores da companhia e conta com certificado internacional de sustentabilidade, ambientes abertos e bem iluminados

Bradesco Seguros inaugura sede na Zona Portuária do Rio de Janeiro
Bradesco Seguros inaugura sede na Zona Portuária do Rio de Janeiro

O Grupo Bradesco Seguros acaba de inaugurar sua sede, localizada na Avenida Rio de Janeiro, na região do Porto Maravilha. O lançamento é marcado por uma ação especial com um vídeo mapping na fachada do novo prédio – que se destaca por uma arquitetura moderna, ecoeficiência e posição privilegiada – reforça o compromisso do Grupo com a cidade onde foi fundado. A projeção reúne cartões postais da Cidade Maravilhosa, como Cristo Redentor, Bondinho e Pão de Açúcar, Arcos da Lapa, Praia de Copacabana, Maracanã e Sambódromo, misturados a ícones da empresa, seus produtos e serviços.

“A nova sede da Bradesco Seguros no Rio de Janeiro reflete a visão de futuro da companhia e reafirma a ligação histórica da companhia com a cidade do Rio de Janeiro, que foi o berço do nascimento do Grupo”, revela Vinicius Albernaz, Presidente da Bradesco Seguros. “Prezando pela eficiência e principalmente o bem-estar dos nossos funcionários e colaboradores, a nova sede é uma oportunidade de colocar em prática a visão de futuro da companhia. Além disso, ao escolher o Porto Maravilha, o Grupo Bradesco Seguros consolida ainda mais a sua relação com o Rio de Janeiro, contribuindo para o desenvolvimento da região”, completa o executivo.

O edifício de alto padrão tem 20 andares, 37 mil m² e abrigará as atividades do Grupo Segurador concentradas na cidade, que incluem as unidades da Bradesco Saúde, da Bradesco Auto/RE, além de áreas da Holding, reunindo mais de três mil funcionários e colaboradores. A nova sede tem como objetivo atender as novas diretrizes de sustentabilidade: a fachada de vidro da construção, por exemplo, foi pensada para o maior aproveitamento da luz natural. Já a frenagem dos elevadores inteligentes do prédio permite antecipação de chamada, que resulta em menor consumo de energia.

Divulgação
Divulgação

Na escolha do prédio, foram levadas em consideração características inovadoras do empreendimento, como o sistema próprio de reaproveitamento de água, inclusive da chuva, e outros mecanismos que garantem o uso renovável dos recursos naturais. A sede preenche todos os requisitos das certificações internacionais de sustentabilidade, como a Leed Gold (Leadership in Energy and Environmental Design), concedida pelo Green Building Council dos Estados Unidos. Esse selo reconhece projetos de alto desempenho que adotam as melhores práticas na construção, fomentando medidas sustentáveis que viabilizem e promovam essa ideia na indústria, além de garantir mais conscientização, segurança e saúde dos frequentadores do prédio a partir de ambientes internos mais saudáveis, favorecendo o aumento da produtividade e a redução de custos de conservação.

Espaços Flexíveis

A modernidade e o conforto dos funcionários foram duas premissas importantes no Projeto Rio. O conceito Open Space, por exemplo, é uma forma que a Organização Bradesco tem adotado em seus novos prédios e que também já é utilizado pelo Grupo Bradesco Seguros no prédio de Alphaville (SP). Nesse modelo, as estações de trabalho ficam dispostas em mesas integradas, sem divisórias altas separando as pessoas.  “Essa maior integração tende a ser bastante positiva ao propor uma atuação de cada vez mais sinergia entre os times, o que é muito positivo e enriquecedor para as experiências de todas as áreas”, completa Vinicius Albernaz.

Em busca de um novo conceito de ocupação do prédio, foram realizadas pesquisas sobre as tendências utilizadas em espaços corporativos ao redor do mundo. Os squads, localizados no quinto pavimento, são resultado desse estudo. Trata-se de locais específicos de trabalho para equipes multidisciplinares. Com toda estrutura física e técnica necessária, estão preparados para receber pessoas de fora e abrigar trabalhos em projetos ágeis.

Localização e deslocamento

O projeto de uma nova sede foi motivado pelo potencial da região portuária e localização próxima às principais vias de acesso ao Rio — Avenida Brasil, Linha Vermelha e Ponte Rio-Niterói —, garantindo mobilidade. O tema segurança também recebeu atenção especial. A seguradora montou projetos especiais com guias de serviços e segurança para contribuir com o desenvolvimento do entorno.

Marcio Coriolano, presidente da CNseg, é destaque em matéria do anuário “Valor 1000” 399

Coriolano é o convidado do próximo Almoço do Mercado Segurador Gaúcho

“Revolução silenciosa vem mudando o setor”, afirmou o líder da Confederação

Marcio Coriolano, presidente da CNseg, é um dos entrevistados da matéria “O pior da crise já passou – Avanço tecnológico produz mudanças no setor e garante evolução mesmo na crise”, do anuário Valor 1000. Essa edição destaca as 25 empresas campeãs em maior crescimento da receita líquida em seus setores em cinco regiões do Brasil.

O presidente da CNseg comenta que “uma revolução silenciosa vem mudando o setor”, referindo-se a questões como “o avanço tecnológico, que leva as empresas a investir mais em tecnologia para competir dentro de uma nova realidade em que despontam as insurtechs, as novas parcerias, criadas para facilitar e popularizar a distribuição de produtos, e a presença crescente de seguradoras estrangeiras, trazendo inovação ao mercado nacional.”

Marcelo Farinha, presidente da FenaCap, na mesma matéria, comenta que “o novo marco regulatório coíbe distorções e traz mais segurança jurídica para as duas partes.” Além dos presidentes da CNseg e da FenaCap, gestores de seguradoras e do IRB também foram entrevistados.

Mobiauto adquire segunda maior empresa de repasse de automóveis do País 395

Mobiauto adquire segunda maior empresa de repasse de automóveis do País

Aquisição foi uma estratégia para acelerar ainda mais o crescimento da empresa, que até então atuava no mercado B2C

Segundo o CEO da Mobiauto, Sant Clair de Castro Júnior, o plano original da empresa era criar uma ferramenta que facilitasse o processo de repasse de veículos entre concessionários e lojistas. “Porém, notamos a necessidade de acelerar o processo e comprar uma empresa com a ferramenta pronta e know-how neste setor – além de significativa aceitação e usabilidade. Começamos atuando apenas com venda B2C, na qual os carros das revendas ativas eram disponibilizados para pessoa física por meio de anúncio feito no nosso portal de classificados. Agora, com a PasseCarros, poderemos atuar também no setor B2B, ajudando as lojas a abastecerem seus estoques para melhor servir seus clientes”, afirma.

Neste momento, a Mobiauto conta com 70 pessoas no seu quadro de funcionários para seguir o plano de crescer exponencialmente mês a mês. Na fase de lançamento, em julho, eram 54 colaboradores. O objetivo é dobrar o tamanho nos próximos 12 meses, em quantidade de carros vendidos e faturamento. “Em pouco tempo, a empresa tem se mostrado efetiva em impactar o comércio”, reitera Sant Clair.

Para ele, ferramentas como a PasseCarros agilizam o processo de repasse de veículos usados e seminovos, potencializando as vendas dos concessionários. “Quando você resolve comprar um carro novo, geralmente, tem a opção de dar o seu carro como parte do valor. No entanto, algumas vezes o veículo usado como entrada não atende o público daquela concessionária ou loja, por isso há a necessidade do repasse do automóvel entre eles”, exemplifica.