Os principais pontos da Previdência de Bolsonaro 608

Saiba o que muda e como isso pode impactar sua trajetória até a aposentadoria

A apresentação das propostas que visam reformar a Previdência tomaram conta do noticiário nesta quarta-feira (20). Muitos leitores de JRS, preocupados com o impacto das mudanças, entraram em contato com a redação para saber mais detalhes sobre a proposta. A série de alterações na Previdência ainda depende de apreciação em diversas comissões, além da Câmara dos Deputados e do Senado Federal antes da Sanção Presidencial. A expectativa do governo é de aprovar a reforma da Previdência até o final do primeiro semestre deste ano.

Veja também: Previdência: alívio das contas públicas e a garantia de um futuro tranquilo.

Quem explica mais sobre o assunto é Raul Morgner, superintendente de Previdência da Alper Seguros. Para o especialista, existem muitas coisas novas surgindo à respeito da reforma. “Muitas mudanças ainda devem acontecer até a aprovação final do texto. Existe um teor político muito grande em relação à isso, mas os principais direcionadores em relação à isso devem ser mantidos, como a idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens”, afirma ao lembrar que agora não existe mais a possibilidade de aposentadoria por tempo de contribuição. O período mínimo de contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para a concessão do benefício de aposentadoria passou de 15 para 20 anos. A proporcionalidade do valor do benefício também foi impactada, agora, o pagamento mínimo equivale a 60% da média salarial das contribuições do trabalhador em seu período ativo. A cada dois anos, além dos 20 mínimos de contribuição, esse percentual cresce 2%. Ou seja: para receber a integridade do benefício, será necessário contribuir por, ao menos, 40 anos.

Um ponto de atenção, segundo Morgner, é que a partir de 2024 existe uma regra automática que pode modificar a idade mínima em função do aumento da expectativa de vida, algo já adotado pelo regime complementar de Previdência.

“O maior impacto dessas mudanças são para as pessoas que estão trabalhando e não estão próximos da aposentadoria, através da idade mínima e da instauração de um pedágio caso falte tempo de contribuição”, diz Raul Morgner ao destacar as regras de transição, que serão implementadas até 2027, quando o padrão mínimo de idade será implementado definitivamente.

Além de mudanças no percentual de contribuição ao INSS (alíquotas nominais chegarão a 22%, no caso dos servidores, e 14% no caso no regime CLT), diversas categorias, como políticos, por exemplo, foram incluídos no regime geral de Previdência. Assim, o limite máximo do benefício das aposentadorias fica estabelecido em R$ 5.839,45, bem diferente do atual teto do funcionalismo público, que é o valor máximo que um ministro do STF pode receber. “As mudanças, no entanto, não valem para os atuais parlamentares. É uma medida para o futuro”, alerta.

O profissional ainda explica o modo como o regime complementar de Previdência se prepara para absorver um público cada vez maior de beneficiários que desperta para a importância desse tipo de proteção. “A adesão ao sistema complementar pode acontecer através da corporação do profissional, que soma ao negócio e também aos recursos humanos. Entre os consumidores físicos também cresce a procura, uma vez que um plano privado irá complementar a renda pela qual o contribuinte está acostumado a ter, caso seja acima do limite estabelecido pelo regime geral”, revela ao indicar que uma consultoria é necessária para saber qual dos regimes de Previdência são os mais adequados para cada tipo de pessoa.

Na avaliação da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) a proposta apresentada por Bolsonaro não trouxe nenhuma surpresa. “Essa proposta representa a velha estratégia de arrochar a aposentadoria da imensa maioria do povo, sem atacar prioritariamente as regalias, a sonegação das grandes empresas, a falta de contribuição do setor agroindustrial, além de privatizar o novo regime de capitalização”, afirmou.

Na avaliação do presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Antonio Neto, seria minimamente correto que o governo começasse a reforma pela própria carne. “O governo é majoritariamente formado por militares e banqueiros, como Paulo Guedes. Topamos debater a reforma, mas ela tem que começar pelos militares e pelos bancos, que agora querem avançar sobre o regime de capitalização que seria criado. Não dá para punir os mais pobres sempre”.

O governo informou ontem que está em formatação a reforma da Previdência também dos militares. Atualmente eles aposentam-se após 30 anos de serviços prestados ao País, com até R$ 13,7 mil de benefício. 55% dos militares das Forças Armadas se aposentam entre os 45 anos e os 50 anos de idade.

Como declarar o Seguro DPVAT no Imposto de Renda 268

Como declarar o Seguro DPVAT no Imposto de Renda

Indenizações possuem o benefício de isenção de rendimento

O ano começou com tudo. As férias, o verão e o carnaval ficaram para trás e chegou a hora de fazer a Declaração Anual do Importo de Renda. Muitas são as dúvidas nesse momento, mas primeiramente é preciso entender que todo valor recebido como compensação por alguma perda também precisa ser declarado, de acordo com a Seguradora Líder, que administra o consórcio do Seguro DPVAT.

Nesse sentido, além do DPVAT, entram indenizações oriundas de sinistros cobertos por uma apólice de seguro ou até mesmo proventos de ações judiciais, por exemplo. No caso do Seguro DPVAT existe o benefício de isenção de rendimento, ou seja, não é necessário pagar nenhum imposto sobre o ganho. Como o próprio nome diz, a informação deve ser incluída na linha 26 (Outros) na parte de “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” do Imposto de Renda, de acordo com o que determina o Decreto nº 3.000/1999 e na Instrução Normativa RFB Nº 1.500/2014, Art. 11.

Também entram nesse requisito itens como o rendimento da caderneta de poupança, indenização de seguro por roubo e seguro-desemprego. Em caso de morte, a indenização paga pelo DPVAT é de R$ 13,5 mil. O mesmo valor também pode ser pago em caso de invalidez permanente e o reembolso de despesas médico-hospitalares, o DAMS, pode chegar a R$ 2,7 mil.

Porto Seguro Cartões anuncia tecnologia contactless com desing mais moderno 379

Porto Seguro Cartões anuncia tecnologia contactless com desing mais moderno

Novidades no design e tecnologia visam oferecer mais agilidade no momento dos pagamentos

A Porto Seguro Cartões passou a emitir o Cartão de Crédito com a tecnologia de pagamento por aproximação – Contactless. Através desta tecnologia, o mercado está se preparando para aumentar a aceitação e a agilidade de compras de alto fluxo como shows e eventos, além de deixar as compras do dia a dia mais rápidas, como transportes públicos. Além da abrangência da utilização o cliente também ganhará mais rapidez no momento de pagamento, bastará o cliente aproximar o cartão da maquininha com tecnologia NFC e pronto.

De acordo com o diretor da Porto Seguro Cartões, Marcos Loução, “a Porto Seguro é uma empresa que sempre busca o que há de mais moderno no mercado e desta vez, estamos trazendo aos nossos clientes mais agilidade, mantendo a segurança das compras do cartão e praticidade através do Contactless. Aproveitamos esse momento, para dar mais modernidade ao design do plastico, remetendo à movimento e destacando o nome do cliente”.

XP Seguradora chega ao mercado com produtos de alta performance e gestão ativa 731

XP Seguradora chega ao mercado com produtos de alta performance e gestão ativa

Com foco inicial nos fundos de previdência privada, iniciativa visa estimular a concorrência no setor

Depois de ajudar na recente revolução do mercado de investimentos no país, o Grupo XP agora se prepara para inovar a forma como os brasileiros planejam a sua aposentadoria. Com o objetivo de oferecer as melhores opções em previdência privada, a XP Seguradora chega ao mercado para oferecer produtos próprios de alta performance e com gestão ativa. Neste primeiro momento serão lançados cerca de vinte e cinco fundos com planos PGBL e VGBL para clientes pessoa física, alocados nas mais diversas estratégias que vão desde renda fixa aos mandatos multimercados, geridos pelas principais gestoras independentes do país. O objetivo é criar uma grade de produtos previdenciários que, sob a ótica de alocação, atendam os clientes em função do seu momento de vida e apetite de risco.

“A discussão em torno da reforma da previdência tem provocado um fenômeno interessante: a autoanálise dos brasileiros em relação à aposentadoria. Esse movimento é importante porque indica um amadurecimento financeiro por parte da população”, avalia Roberto Teixeira, Sócio responsável pela XP Seguradora. “Queremos oferecer veículos inéditos no mercado para clientes que já não aceitam mais investir em fundos previdenciários que cobram taxas elevadas e entregam baixa performance”, afirma Teixeira.

A iniciativa visa ainda estimular a competição dentro do segmento, com a distribuição dos produtos da XP Seguradora e de outras seguradoras na plataforma aberta de previdência privada da XP Corretora de Seguros, pioneira na zeragem da taxa de carregamento dos planos na entrada e na saída. No médio prazo, os produtos originados pela XP Seguradora também deverão ser oferecidos por outras plataformas e corretores de seguros. Além disso, a empresa espera ampliar a sua atuação nesse mercado, contemplando outras classes de produtos além de previdência privada.

“Inovar na oferta de produtos e serviços é parte da estratégia do Grupo XP, uma vez que a concentração bancária em previdência privada é ainda muito alta. Trabalhamos com o conceito de curadoria para oferecer uma grade de fundos completa, composta por produtos relevantes e alinhados à expectativa de nossos clientes”, acrescenta.

A meta da XP Seguradora é oferecer aos clientes do Grupo XP os melhores fundos de Previdência Privada do mercado, permeados por soluções inovadoras em um mercado tradicionalmente analógico.

Icatu Seguros reúne lideranças comerciais em Porto Alegre 323

Icatu Seguros reúne lideranças comerciais em Porto Alegre

Colaboradores de todo o Brasil estiveram no Rio Grande do Sul para compartilhamento de boas práticas

Icatu Conecta 2019. Esse foi o nome do encontro nacional entre as lideranças comerciais da seguradora, realizado no Teatro CIEE, na capital gaúcha. Organizado nos dias 18 e 19 de março, o encontro teve como pilares os seguintes conceitos: Integrar, colaborar, aproximar para agregar, inovar e fortalecer.

“Foi muito bom entender a relevância dos parceiros e das linhas de negócio em cada Regional, assim como a sua cultura. Essa troca foi muito importante. Agregou muito para o meu desenvolvimento e estou empenhado em compartilhar com a equipe!”, diz Marcio Schardosim, gerente comercial de Vida e Previdência da Filial Florianópolis.

O evento teve painéis temáticos sobre produtos, atuação e tamanho de mercado para as linhas de negócios, parcerias e cases de sucesso da Regional Sul, anfitriã do evento. Ao todo, foram mais de 90 participantes.

“A interação e troca entre as Regionais foram enriquecedoras, e temos a possibilidade de conhecer as melhores práticas de outras localidades e internalizá-las para aproveitar futuras oportunidades e fortalecer ainda mais a nossa marca e o nosso negócio”, exaltou Tiago Torres, gerente da filial Porto Velho.

“Foi sensacional, uma experiência única de conexão. Tive a oportunidade de conversar com todas as Regionais, e a interação aconteceu em todos os momentos, até nos intervalos. Trocar experiências e compartilhar as melhores práticas nos deixou ainda mais motivados e com o dever de casa de colocar em prática tudo o que aprendemos e compartilhar toda essa experiência com a equipe”, avaliou Rafael Avólio, superintendente comercial da Filial Vitória.

Lava Jato prende Michel Temer 673

URGENTE: LAVA JATO PRENDE MICHEL TEMER

Mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da Justiça Federal do RJ

A Força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quinta-feira (21), Michel Temer, ex-presidente da República. Os agentes ainda tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia.

Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

Desde quarta-feira (20), a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.