Caia na folia com a saúde bucal em dia 493

Caia na folia com a saúde bucal em dia

Nesse Carnaval, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) destaca cuidados importantes para a saúde da sua boca

O Carnaval está chegando e para muitos é uma época de pura diversão. Desfiles de escolas de samba, blocos e bailes atraem milhares de foliões por todo o país, que na euforia de aproveitar as festas podem esquecer alguns cuidados básicos com a saúde.

A falta de hidratação, alimentação desregrada e o excesso de bebida alcoólica são exemplos de atitudes que acarretam prejuízos, inclusive para a saúde da boca.

Com intuito de aproveitar o Carnaval sem qualquer dano à saúde bucal, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) apresenta algumas sugestões. Lembrando que as visitas frequentes ao cirurgião(ã)-dentista e a manutenção da higiene são imprescindíveis para prevenir vários incômodos e doenças.

Não descuide da hidratação

A hidratação é fundamental para a saúde geral durante os dias de folia, principalmente para quem vai passar horas em blocos e bailes de Carnaval. O baixo consumo de água pode ocasionar, por exemplo, o desagradável mau hálito.

“A falta da hidratação pode causar ressecamento e interferir no hálito. A ingestão de água é importante na manutenção da qualidade e quantidade de saliva para fazer a lavagem fisiológica (natural) da boca”, aponta a cirurgiã-dentista Rosileine Uliana, da Comissão de Halitologia do CROSP.

Ela diz que para evitar o problema a recomendação é beber de dois a três litros de água por dia, principalmente quando a temperatura está elevada ou se gasta muita energia como nas festas de Carnaval.

“Ingerir sucos e frutas que contenham água, como a maçã, a pera e o abacaxi, usar o fio dental corretamente, fazer a raspagem da língua duas vezes ao dia são outras atitudes importantes para manter o hálito saudável”, completa a profissional.

Vale ressaltar que, no caso de mau hálito persistente, a recomendação é procurar o(a) cirurgião(ã)-dentista, pois pode ser um indício de outros problemas bucais como as doenças periodontais.

Mantenha a escovação em dia

A higiene, com o uso do creme, escova e fio dental, é a maneira mais eficaz de evitar os problemas bucais. Dessa forma é importante escovar os dentes sempre após as refeições e quando a prática não for possível, tomar algumas medidas simples, como fazer um bochecho com água para eliminar os excessos e evitar a ingestão de bebidas e alimentos que são mais prejudiciais.

“Quando a pessoa sabe que não vai escovar os dentes por muitas horas, o ideal é evitar o consumo de açúcares e carboidratos. Eles são os combustíveis que as bactérias precisam para sintetizar as toxinas que causam as doenças na boca”, explica o cirurgião-dentista e membro da Câmara Técnica (CT) do CROSP, Ricardo Jahn.

Importante destacar que quem mantém visitas regulares ao cirurgião(ã)-dentista tem sempre menor probabilidade de desenvolver qualquer problema. “A pessoa que tem boa rotina de cuidados, não se prejudica por um ou outro dia que fuja dela.”, avisa o cirurgião-dentista e também membro da CT de Periodontia, Marcelo Cavenague.

Cuidados na hora do beijo

No Carnaval, muita gente perde a inibição e aproveita a folia para namorar. Mas, é preciso ter cuidado, pois pelo beijo há a possibilidade de contrair alguns problemas de saúde.

“Algumas doenças infecciosas podem ser transmitidas pelo beijo. Contudo, nem todas as que são transmissíveis pela saliva são conhecidas”, alerta o cirurgião-dentista e membro da CT de Estomatologia, Fabio Abreu.

Se a pessoa tem o conhecimento de que é portadora de uma doença infecciosa a recomendação é de que evite o beijo. Para quem desconhece, entre as mais comuns estão a Candidíase, a Herpes simples e a Mononucleose.

“A Candidíase, é uma infecção fúngica, popularmente conhecida como sapinho. A Herpes simples é uma infecção viral e pode ser transmitida principalmente se o indivíduo apresentar as lesões em atividade. A Mononucleose ou doença do beijo é causada pelo vírus Epstein-Barr, que provoca febre, dor e inflamação da garganta, placas esbranquiçadas e ínguas no pescoço. As lesões são mais comuns em adolescentes e adultos”, descreve o profissional.

Ele destaca que outras partes da boca também merecem atenção como a gengiva, língua e lábios. “Como nessa época faz muito calor, a recomendação é utilizar os protetores labiais, pois o sol pode causar queimaduras intensas, principalmente na porção inferior”, avisa.

Excessos devem ser evitados

Os profissionais também recomendam cautela na ingestão de bebidas alcoólicas durante o Carnaval. Elas costumam aumentar a acidez da boca, propiciando um ambiente convidativo para a aparição de problemas como a cárie. “O excesso ainda pode favorecer a redução do fluxo salivar, interferindo no hálito”, destaca Rosileine Uliana, cirurgiã-dentista da Comissão de Halitologia do CROSP.

Por fim, a sugestão é manter sempre hábitos saudáveis, preservando a saúde em qualquer situação e época do ano!

BB Seguros patrocina projetos da Fundação OSESP 592

BB Seguros patrocina projetos da Fundação OSESP

Descubra a Orquestra e os Concertos Matinais fomentam a popularização da música erudita entre alunos e professores de escolas públicas e privadas

A BB Seguros incentiva projetos que promovam a democratização da cultura e da arte e a popularização da música erudita de maneira gratuita para a sociedade. Com esse objetivo, a marca patrocina duas iniciativas da Fundação Osesp: Descubra a Orquestra, voltado para iniciação musical, e Concertos Matinais, série de concertos gratuitos.

Dedicado a alunos e professores de escolas públicas, particulares e instituições beneficentes, o programa Descubra a Orquestra oferece diversas ações educativo-musicais, com o intuito de ampliar e fortalecer o desenvolvimento cultural e musical dos inscritos. No primeiro semestre deste ano, foram realizados 11 concertos didáticos e 4 cursos para professores, beneficiando mais de 12 mil pessoas.

Outro projeto patrocinado pela BB Seguros é a série Concertos Matinais. Fundamental para a formação e ampliação das plateias de música clássica no país, o projeto apresenta concertos da Osesp e de orquestras parceiras, sempre aos domingos, às 11h, na Sala São Paulo.

“É nosso objetivo apoiar iniciativas que tenham relevância para a formação e ampliação da cultura e música em nosso país. Nos últimos sete anos, os aportes da seguradora em iniciativas socioculturais beneficiaram mais de 20 milhões de pessoas em todo o Brasil. E a parceria com a OSESP reflete esses investimentos”, explica Fernando Barbosa, CEO da Brasilseg, uma empresa BB Seguros.

Todos os projetos de patrocínio da BB Seguros à OSESP são viabilizados via Lei de Incentivo à Cultura.

Serviço:

Programa Descubra a Orquestra na Sala São Paulo
Praça Júlio Prestes, 16.

Berkley Seguros Brasil promove Treinamento de Riscos de Engenharia para os corretores 681

Berkley Seguros Brasil promove Treinamento de Riscos de Engenharia para os corretores

Treinamento ocorreu inclusive de forma online para atender as filiais da seguradora

A Berkley Seguros organizou neste mês um treinamento presencial com aproximadamente 40 corretores na matriz da seguradora, em São Paulo, com o objetivo de fortalecer seu relacionamento, capacitar os corretores e desenvolver oportunidades. O tema do treinamento foi Seguro de Riscos de Engenharia, liderado pelo engenheiro David Oliveira, responsável pela área.

Neste encontro, o conteúdo promovido ajudou os participantes a se aprofundarem no conhecimento de riscos de engenharia e entenderem como a seguradora pode ajudar na proteção contra imprevistos na construção civil e nos projetos de engenharia, além de apresentar exemplos de sinistros, assunto sempre muito delicado, mas que gera bastante aceitação dos corretores.

Divulgação
Divulgação

Como diferencial da Berkley, posso ressaltar as rápidas respostas nas cotações (grupo I em até 24 horas), agilidade nas emissões das apólices (digital) e certificado, agilidade nas inspeções e emissão de uma única apólice contemplando o ramo de Engenharia e RCG – Modalidade Obras, informa Alexandro Sanxes, diretor técnico da Berkley. “Ao proporcionar mais conhecimento e recursos, os corretores serão mais especialistas para agregar valor às decisões de seus clientes”, completa Sanxes.

Alexandro Sanxes é diretor técnico da Berkley Brasil Seguros
Alexandro Sanxes é diretor técnico da Berkley Brasil Seguros / Divulgação

Para Caio Timbó, da LTSEG Corretora de Seguros, “Como gestor da corretora acho fundamental a participação da equipe em treinamentos desta natureza, seja para reciclar conhecimento, seja para adquirir novos. O corretor do futuro tem de estar atento a oportunidades de negócio que nem sempre se configuram de forma direta, e a capacitação do time é fundamental para que isso ocorra. Recebi feedbacks muito positivos da minha equipe que participou neste treinamento da Berkley, tanto de conteúdo quanto de profundidade de assuntos abordados. Esta é, além de uma excelente ferramenta de capacitação, uma ótima forma de estreitar relações entre empresas já que os técnicos de ambas as empresas passam a se conhecer pessoalmente e os negócios tornam-se mais fluidos”.

Estando sempre atenta as necessidades das filiais e dos corretores, foi promovido inclusive o mesmo treinamento de forma online para os corretores de outras regiões, objetivando o atingimento e engajamento de um público maior em todo o país.

Temporais destroem empresas no Brasil 728

Temporais destroem empresas no Brasil

Situação comum em dias de chuvas pode ser amenizada com seguro empresarial

O país acumula grandes histórias de desastres naturais. Todos os anos vendavais, alagamentos e temporais, destroem patrimônios públicos, casas e empresas. Diversas pessoas sofrem algum tipo de prejuízo, entre elas, empresários que muitas vezes passaram a vida construindo seu negócio (no qual é responsável ainda pelo sustento de diversas outras famílias), tem todo o seu patrimônio aplicado nele, e acaba perdendo tudo ou se afundando em dívidas para fazer os reparos necessários.

No mercado, porém, existe o seguro empresarial, o qual, cobre essas situações e ameniza os danos e/ou prejuízos causados. Vanessa Alves, diretora comercial da San Martin Corretora de Seguros (franquia especializada no mercado de seguros), conta que existe cobertura também para vendaval, furacão, ciclone, tornado, granizo e muitas outras nesse sentido.

Ela explica que o seguro empresarial atende exatamente a necessidade do cliente. Por isso, no momento da contratação são analisados os principais riscos que o negócio pode correr. E no caso de desastres naturais, a demanda mais comum é na região sul do país, principalmente Santa Catarina, onde mais de 90% das apólices incluem cobertura contra vendaval.

“Essa região sofre muito com chuvas fortes e vendavais, por isso, é muito grande a probabilidade de um local ser afetado por essas causas, como já aconteceu no passado. Então essa cobertura é fundamental”, relata.

Cobertura abrangente

Outra situação constante por aqui são os casos de incêndios e quedas de raios. Situações que o seguro empresarial também cobre. Aliás, essas são apenas algumas. Também entram no serviço: roubo e furto qualificado, responsabilidade civil, danos elétricos, quebra de vidros, espelhos, mármores, equipamentos e despesas fixas.

Vanessa reforça que o seguro empresarial oferece soluções para estabelecimentos comerciais e/ou industriais com coberturas totalmente adequadas aos seus ramos de atuação.  “Esse seguro oferece relativa tranquilidade quanto a eventuais prejuízos que podem atingir o patrimônio de sua empresa, sejam bens materiais (equipamentos, móveis, etc) e estrutura física abrangendo em alguns casos inclusive documentos ou valores em espécie”, explica.

A diretora acrescenta que neste caso, o empresário tem a possibilidade de resguardar o patrimônio de sua empresa de forma mais ampla, unindo várias coberturas em uma única apólice. Mas, para que a escolha seja a melhor possível, é imprescindível que ele tenha informações qualificadas.

Escolha das coberturas

As coberturas do seguro se dividem em: básica e opcionais. A contratação da cobertura básica é obrigatória, acompanhada de, pelo menos, uma ou mais  coberturas opcionais – de acordo com as ofertas da seguradora. “Outras proteções contra riscos podem ou não ser contratadas, conforme o interesse do segurado. Na lista de opcionais, ele deve avaliar o grau de importância de cada uma delas para o empreendimento dele”, orienta a profissional.

Ela esclarece ainda que na hora de escolher o seguro multirrisco patrimonial, é preciso cuidado para não contratar coberturas opcionais desnecessárias. “Ou, ainda, que não levem em consideração as particularidades do negócio”, sublinha.

Em relação aos seguros convencionais, a modalidade apresenta várias vantagens. Vanessa pontua e finaliza:

  • Redução das taxas em relação aos chamados seguros convencionais;
  • Conjugação de várias coberturas em uma só apólice, com cláusulas menos restritivas e de mais fácil compreensão pelos segurados; e
  • Estruturação modular com uma ampla gama de coberturas e garantias acessórias, permitindo ao segurado a escolha, entre elas, das mais adequadas às suas necessidades, o que resulta na montagem de um seguro “personalizado”.

IESS indica que cadeia de saúde está empregando mais, apesar da redução de beneficiários 556

IESS indica que cadeia de saúde está empregando mais, apesar da redução de beneficiários

Levantamento revela comportamento de contratações do setor privado e público em julho de 2019

Quase 5 milhões de brasileiros são empregados pela cadeia da saúde no Brasil. O montante equivale a 11,3% da força de trabalho no País. De acordo com o Relatório de Emprego da Cadeia Produtiva da Saúde, feito pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), 73,3% deste total ou cerca de 3,6 milhões são trabalhadores com carteira assinada no setor privado.

Apenas em julho de 2019, a saúde suplementar registrou 93,5 mil contratações e 88,1 mil demissões, totalizando um saldo positivo de 5,4 mil postos de emprego formal. O que corresponde a 12,2% do saldo geral de 43,8 mil novos postos de trabalho criados pela economia nacional como um todo. “É evidente que a cadeia de saúde é uma das forças motrizes na economia nacional. O setor já responde por 11,3% da força de trabalho no País e o saldo de empregos na saúde privada tem respondido por mais do que esse porcentual no total de novos postos de trabalho gerados no mês. O que indica que a participação do setor tende a crescer ao longo do tempo”, comenta José Cechin, superintendente executivo do IESS.

O executivo destaca que o setor continua contratando apesar de haver retração no total de beneficiários de planos de saúde médico-hospitalar. “Entre julho deste ano e o mesmo mês do ano passado, 133 mil beneficiários deixaram seus planos. Uma retração de 0,3%. Ainda assim, o setor contratou mais 120 mil pessoas no período”, compara Cechin. “Os dados indicam que o setor acredita em um processo de recuperação de beneficiários e está se preparando para tanto”, avalia.

Está é a primeira edição em que o Relatório de Emprego da Cadeia Produtiva da Saúde traz o total de empregados também pelo setor público e mais dados sobre o segmento devem estar disponíveis na próxima edição da publicação, que irá permitir, pela primeira vez, uma análise temporal do nível de empregos nesta cadeia como um todo (setor público e privado). “Estamos trabalhando para aprimorar a qualidade das informações que disponibilizamos ao mercado e fornecer ainda mais subsídios para as tomadas de decisões”, comenta Cechin.

Consórcio Imobiliário: opção de investimento rentável e seguro 784

Consórcio Imobiliário: opção de investimento rentável e seguro

Modalidade não exige valor de entrada e a carta de crédito acompanha o reajuste das parcelas

Segundo o levantamento realizado pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), a compra ou a quitação do imóvel próprio é o principal objetivo do retorno das aplicações financeiras do investidor brasileiro. Dos 42% que têm alguma aplicação, 31% pretende comprar ou quitar parcelas de imóvel ou terreno. “Para quem tem planos de investir na aquisição da casa própria, apartamento ou terreno, o Sistema de Consórcio é uma boa opção. Não tem juros e a taxa administrativa é embutida nas parcelas do financiamento”, explica o diretor da Porto Seguro Consórcio, William Rachid.

Além destas vantagens, o Consórcio de Imóveis não exige valor de entrada e a carta de crédito acompanha o reajuste das parcelas (INCC – Índice Nacional de Custo da Construção), o que mantém o poder de compra. “Essas condições despertam o interesse de pessoas que procuram investimento flexível e atraente”, observa Rachid.

O mercado está em um momento propício para o investir no Sistema de Consórcio, o juro alto do crédito e a seletividade dos bancos na concessão de financiamento dificultam a aquisição. Neste cenário, consórcio é uma opção que viabiliza a compra de forma planejada. Vale ressaltar que investir em imóvel significa uma decisão com solidez, essa modalidade permite uma rentabilidade mensal, por meio do aluguel e com o passar do tempo, o imóvel valoriza mais e tem pouco risco de perda.

No Porto Seguro Consórcio, o cliente é assessorado em todas as fases, desde consultoria na hora da venda até a solução de pendências e o momento de contemplação. “Nossa preocupação é oferecer mais conforto e segurança na hora da contratação, esclarecendo todas as dúvidas e apresentando todas as possibilidades que contempla o investimento”, explica Rachid.

No Porto Seguro Consórcio de Imóveis, o cliente paga a taxa de administração, o fundo de reserva e o seguro de vida, que são diluídos ao longo do período do grupo. Além dos sorteios mensais, o indivíduo pode ofertar lances, o que aumentam as chances de contemplação. Nessa modalidade, o consumidor pode utilizar o FGTS para o lance, complementar o crédito ou ainda amortizar o saldo devedor.

As cotas disponíveis variam de R$ 55 a R$ 500 mil e as parcelas podem ser contratadas a partir de R$ 349,00 e em até 200 meses para pagamento. Mais informações sobre os planos do Porto Seguro Consórcio estão disponíveis neste site.