Tecnologia para corretores impulsiona seguros imobiliários em 2019 391

Tecnologia para corretores impulsiona seguros imobiliários em 2019

Confira artigo de Rossana Costa, diretora da GEO

O mercado de construção civil tem se notabilizado nos últimos anos pela evolução tecnológica em diversas áreas, beneficiando-se dos avanços como em modelagem 3D, com ferramentas como o BIM e até mesmo o uso de drones para captura de imagens, reduzindo riscos, custos e até mesmo os cronogramas de entrega.

No intuito de acompanhar o desenvolvimento das construtoras e incorporadoras no boom de obras e tecnologia na década de 2000, o cenário de seguros da construção civil também iniciou sua transformação digital.

Apesar do avanço em investimentos e na disponibilidade das novas tecnologias no mercado de seguros, quando tratamos de seguros para a construção civil e imobiliário ainda há uma defasagem na adoção pela cadeia, dado que o caráter do setor sempre foi o de baixa concorrência e maior conforto em relação à necessidade de inovar. Por conta disso, não houve um desenvolvimento com todo o potencial oferecido pelo mercado, como já vem ocorrendo com mais força em setores mais ligados ao consumidor final, como o automotivo e vida, por exemplo.

Esse cenário foi transformado com as novas tecnologias baseados em computação na nuvem e Big Data, que possibilitaram o cruzamento de grandes volumes de dados para análise de riscos, precificação de prêmios e para embasar uma tomada de decisões mais assertiva. Isso também inclui avanços na inteligência artificial para experiência do consumidor, acessibilidade por dispositivos móveis na Internet das Coisas e a automação de processos e experiências por meio do machine learning.

Segundo o levantamento da Tata Consultancy Services (TCS), o mercado de seguros é um dos que mais investe no desenvolvimento de inteligência artificial, especialmente vindo das insurtechs, que já receberam investimentos acima de US$ 9 bilhões desde 2010, segundo o estudo InsurTech Outlook, e as seguradoras estão entre os grandes investidores.

De fato, a oportunidade para inovar é grande, tanto para desenvolvimento como para adoção de tecnologias que buscam reduzir custos, tempo e burocracia no trabalho do corretor e das seguradoras. Hoje, a maior parte do tempo de um corretor de seguros está ligado a atividades burocráticas, e a demora para emitir apólices dentro dos sistemas tradicionais pode levar dias para ocorrer.

Um exemplo de como a tecnologia pode servir como um “quarto participante” da cadeia do seguro imobiliário (além das seguradoras, corretoras e clientes) é em relação a Garantia de Entrega de Obra. Este seguro é alvo de grande demanda do setor, mas conta com o desafio de acompanhar toda a gestão da construção por parte das seguradoras para conseguir gerenciar os riscos decorrentes.

A digitalização permite que todos os players, incluindo até mesmo o consumidor final, possam ter acesso em tempo real às informações como fotos, medições de banco de dados, mapeamentos e cronograma da construção. Tudo em uma única ferramenta, que oferece não apenas a transparência das informações, mas que também é capaz de atender às diferentes demandas de seguradoras, construtoras e corretores por meio de relatórios didáticos e personalizados.

Esta transparência na gestão de dados pode também ser vista em situações de seguro habitacional, obrigatório no financiamento imobiliário ao parcelar a compra de um bem imóvel. Por meio da digitalização, os corretores conseguem disponibilizar para seus clientes certificados individuais a cada mudança de crédito mensal. Assim, de forma proativa e em tempo real conseguem oferecer aos credores informações sobre os valores segurados de forma transparente, reforçando o seu papel de confiança em um setor que exige tanto esta qualidade e que costuma lidar com altas cargas de burocracia.

Por fim, a digitalização do setor de seguros serve como pilar fundamental para toda a evolução decorrente de soluções de Big Data e analytics, que conseguem entregar uma miríade de insights e análises que não são possíveis tendo como base documentos em papel ou em arquivos digitais que não estão incorporados em uma gestão unificada. O cenário agora é outro – apólices podem ser digitais e podem ser emitidas com um clique na tela.

Desafio cultural para adoção de tecnologias

Sabendo do desafio cultural do setor para adaptação de novas tecnologias, um dos desafios para a implementação de novas ferramentas é a portabilidade com as estruturas legadas complexas e extensas das grandes empresas do meio, o que torna os processos internos de digitalização mais lentos e custosos se feito internamente. Para 2019, no entanto, plataformas de tecnologia que facilitam essa integração para as seguradoras ficarão ainda mais acessíveis e populares, tirando das seguradoras os altos custos de implementação e manutenção.

Temos visto também que o entendimento das vantagens na digitalização pelos corretores ainda é nebuloso, considerando que apareceram no mercado insurtechs que propõem a substituição do corretor pela inteligência artificial. Não é preciso de muito esforço para mostrar que estas empresas estão se precipitando quanto à qualidade do que é entregue ao cliente, ainda mais se tratamos de clientes com exigências complexas, como acontece na construção civil. Não podemos e nunca devemos comparar os avanços da tecnologia com essa proposta.

Ao contrário, a maioria das empresas de tecnologia, insurtechs e seguradoras entendem o corretor como pilar central do trabalho com as diferentes ferramentas tecnológicas, que servem para auxiliá-los na entrega de processos mais velozes e assertivos. Segundo levantamento da Camara-e.net, das insurtechs brasileiras, mais de 62% tem como objetivo potencializar negócios para as seguradoras e 57% também querem trazer mais negócios aos corretores.

E quando tratamos da experiência de mercado, das especificidades das análises e das necessidades para variáveis de cada apólice e certificado, entendemos que o corretor é fundamental e indispensável para o sucesso do setor. Nos momentos de uma opinião especializada ou dificuldades, clientes ainda preferem lidar diretamente com os corretores, o que mostra pesquisa da Accenture, apontando que 80% dos consumidores optam por resolver problemas com contato humanizado.

Para as seguradoras, os investimentos se tornam igualmente importantes para subsidiar melhorias no rendimento de seus corretores e para trazer ganhos em agilidade e eliminar custos significativos com a operação, que incluem manutenção da TI própria e equipes dedicadas a processos manuais e repetitivos.

Estamos diante de uma oportunidade para uma transformação no setor, dado que já temos à nossa disposição recursos altamente disruptivos e benéficos para auxiliar tanto os corretores e seguradoras, como também dos clientes na ponta. O mercado de seguros já projeta um grande crescimento em 2019, e um dos principais fatores de competitividade – e até de sobrevivência – será a adoção de novas tecnologias.

Uso da tecnologia auxilia corretor de seguros a poupar tempo 605

Profissional ainda é a figura que inspira confiança nos consumidores

O uso da tecnologia de forma integrada, ou seja, por parte das companhias e dos corretores de seguros, auxilia estes profissionais a pouparem tempo. É o que acreditam os seguradores Delphine Maisonneuve, CEO da Axa Seguros; André Lauzana, Vice-Presidente da SulAmérica; Edson Franco, CEO da Zurich Seguros; Luis Gutiérrez, CEO da Mapfre; e Renato Pedroso, CEO da Previsul Seguradora. Executivos estiveram presentes nesta sexta-feira (22) na 6ª Convenção Nacional da Lojacorr, em Curitiba (PR).

A CEO da Axa, que está no Brasil há sete meses, lembra que há não muito tempo atrás os brokers e e agentes tinham receio do meio digital, um certo medo de que ultrapassaria a presença física. “A verdade é que o digital complementa para ajudar a chegar até o cliente e poupa tempo, pois é muito melhor passar tempo com o cliente avaliando as suas necessidades do que perdendo tempo com burocracias”, comentou ao lembrar que em pesquisa realizada pela sua empresa na França, os profissionais que faziam uso da tecnologia apresentavam diferenças de crescimento notáveis em comparação aos que não utilizavam.

Ainda que o digital esteja inerente ao atendimento, é possível torná-la uma experiência ainda mais humana. “As tecnologias facilitaram o relacionamento com corretores e consumidores, e o nosso foco é satisfazer necessidades para fazer o dia a dia mais fácil, mas as empresas são feitas de pessoas e os funcionários tem que estar dentro do desenvolvimento da tecnologia por parte da empresa para ajudar a entender o lado humano”, acredita o CEO da Mapfre, Luis Gutiérrez.

Humanizar o mercado de seguros também é eliminar o “segurês” dos termos e das palavras. “Temos um princípio dentro do mercado que o digital é o meio e não o fim, pois ele traz uma autonomia ao corretor de forma que ele consiga traduzir os produtos aos clientes com mais facilidade”, disse o CEO da Previsul Seguradora, Renato Pedroso. “Assim o corretor não precisa ficar focado em questões administrativas e vai mesmo para o lado da consultoria”, acrescentou.

Além disso, embora os processos tecnológicos signifiquem aproximação, complementação de algo ou substituição, o corretor de seguros ainda é a figura que inspira confiança e credibilidade para o consumidor. “O corretor já entendeu que a tecnologia não é uma barreira entre ele e o cliente, pois no final do dia o que as pessoas confiam a nós é uma família ou um bem importante para eles”, crê o Vice-Presidente da SulAmérica, André Lauzana. “Seguradora não vende seguro, ela compra risco e todos nós neste segmento temos que começar a pensar fora da caixa, pois temos que ajudar os clientes a se protegerem do risco e a tecnologia nos permite ajudar tanto PMEs quanto pessoa física”, concordou o CEO da Zurich, Edson Franco.

Imagens: Filipe Tedesco/JRS

Seguro empresarial cresce nas regiões Norte e Nordeste do Brasil 306

Seguro empresarial cresce nas regiões Norte e Nordeste do Brasil

No período de janeiro a novembro de 2018 o incremento foi de cerca de 50%

Levantamento realizado pela MAPFRE aponta que os empresários das regiões Norte e Nordeste do país estão mais conscientes sobre a importância do seguro para a sustentabilidade financeira dos seus negócios. No período de janeiro a novembro de 2018, a seguradora registrou um crescimento de cerca de 50% nos prêmios nas duas regiões, na comparação com o mesmo período de 2017.

A superintendente executiva de Seguros Gerais da MAPFRE, Patricia Siequeroli, explica que as empresas de pequeno e médio porte vêm profissionalizando a sua gestão e estão mais atentas quanto à importância estratégica de uma proteção para garantir a continuidade do negócio diante de eventualidades. “Os empresários perceberam que a prevenção de incidentes futuras é algo que precisa estar no plano de negócio desde o começo, pois desta forma eles não estarão expostos as adversidades, como um incêndio, por exemplo, que pode comprometer todo o investimento já realizado no negócio”, destaca.

A executiva afirma ainda que o mercado disponibiliza hoje opções de proteções para empresas de todos os tamanhos, tendo inclusive apólices focadas exclusivamente à atividade de alguns segmentos, como academias, onde é possível incluir coberturas para danos materiais e corporais causados involuntariamente a terceiros, inclusive alunos da academia.

“O seguro empresarial na cobertura Básica protege a companhia contra incêndio, raio, explosão e implosão. Porém, é possível complementar o seguro com coberturas adicionais, como danos elétricos, responsabilidade civil e também perda de lucro bruto, que indeniza folha de pagamento e demais despesas fixas no caso de eventos decorrentes da cobertura Básica”, explica Patricia.

Números dos estados

Na região nordeste, a Bahia foi o local que apresentou mais procura dos empresários, com incremento de 312% nos prêmios; seguido por Sergipe (78%), Rio Grande do Norte (54%) e Ceará (54%).

Já no norte do país, o estado que teve crescimento mais expressivo em prêmios foi Tocantins, com cerca de 144% de incremento; seguindo por Amazonas (48%) e Rondônia (42%).

SulAmérica patrocina 2ª Corrida Segura Sincor-RN 288

SulAmérica patrocina 2ª Corrida Segura Sincor-RN

Companhia reforça relacionamento com a região em corrida que terá percursos de 5 e 10 km nas ruas da capital potiguar

A SulAmérica é uma das empresas patrocinadoras da 2ª Corrida Segura Sincor-RN, evento que ocorre neste sábado (23), em Natal. Com trajetos de cinco e dez quilômetros, a ação tem como objetivo incentivar práticas saudáveis e o bem-estar entre os corretores de seguros e demais públicos participantes. Além disso, o momento também será de amplo relacionamento entre a seguradora e seus parceiros de negócios – estima-se que cerca de 1,5 mil pessoas participem da corrida.

“Temos em nosso histórico a contribuição a uma série de ações de incentivo voltadas à prática de atividades físicas, de modo a estimular a população a desenvolver hábitos saudáveis. Também identificamos nossa participação na Corrida Sincor-RN como uma excelente oportunidade de estarmos ainda mais próximos do sindicato local e dos corretores da região”, afirma José Henrique Pimentel, diretor Comercial da SulAmérica para as regiões Norte e Nordeste.

Tanto o trajeto de cinco quanto o de dez quilômetros terão largada na Praça Cívica, próxima ao centro da capital potiguar, a partir das 6h30. Todos os participantes receberão medalhas, enquanto os vencedores de cada prova também ganharão troféus.

VP da SulAmérica é eleito ‘executivo de TI do ano’ do setor de seguros 416

VP da SulAmérica é eleito 'executivo de TI do ano' do setor de seguros

Cristiano Barbieri foi reconhecido pela atuação de destaque em projetos de Inovação e Inteligência Artificial na seguradora

Pela segunda vez, o Vice-Presidente de Estratégia Digital, Advanced Analytics, Inovação e TI da SulAmérica, Cristiano Barbieri, foi eleito o executivo de TI de maior destaque do ano no mercado de seguros, pelo case “Inovação Digital”. A premiação tem como objetivo homenagear líderes da área de Tecnologia da Informação que tenham desenvolvido, ao longo do ano anterior, estratégias inovadoras nas empresas em que atuam.

Promovida pelo Grupo IT Mídia, esta foi a 18° edição do prêmio em 22 anos de história. O comitê julgador da indústria de TI, em parceria com a consultoria Korn Ferry, avaliou cerca de 300 cases para selecionar os três melhores. A cerimônia de premiação foi realizada na noite da última quarta-feira (20), em São Paulo.

Cristiano Barbieri foi responsável pela expansão da área de inovação na SulAmérica, conhecida como “Garagem de Inovação”. Lançado há três anos, o projeto tem como objetivo desenvolver tecnologia de forma inédita no mercado, experimentando novas tecnologias na melhora contínua e real da Experiência dos nossos clientes e corretores.

“Há pelo menos dois anos, a SulAmérica vem fazendo uso de ferramentas de inteligência artificial (AI) em nossos projetos de Inovação. Soluções analíticas avançadas são o core do nosso negócio. Eu destacaria ainda, como outro diferencial da companhia na área de Inovação, os nossos times multidisciplinares, o que chamamos de squads, que atuam com o objetivo de entregar nossos projetos com uso de métodos ágeis, que usam técnicas da metodologia Lean eDesign Thinking. Isso, de fato, entrega a melhor experiência digital”,  afirma o executivo.

Entre os destaques da área no último ano estão o Reembolso Digital no aplicativo SulAmérica, permitindo a identificação de pedidos por meio de uma foto e encaminhando a solicitação para análise de forma rápida e segura; o Médico em Casa, que permite agendar atendimento médico em domicílio para crianças de até 12 anos em até 40 minutos; além de diversas novidades na área de seguro para automóveis por meio do aplicativo Auto.Vc.

MDS Brasil anuncia aquisição da Ben’s 394

MDS Brasil anuncia aquisição da Ben's

Empresa amplia portfólio de serviços e presença no mercado de benefícios

MDS Brasil, uma das principais corretoras de seguros do Brasil e especialista na gestão de benefícios e de riscos empresariais, anuncia a aquisição da Ben’s, tradicional consultoria brasileira e que é referência na gestão de benefícios corporativos, com mais de R$ 250 milhões em prêmios emitidos. A compra está alinhada à sua estratégia de negócios e visa ampliar o já consolidado portfólio de serviços oferecido pela MDS Brasil.

“A aquisição da Ben’s reforça nossa atuação no país e agrega novos processos, tecnologias e uma equipe renomada de profissionais, que com certeza tem muito a contribuir com a MDS Brasil”,  afirma Ariel Couto, CEO da empresa.

Com mais de R$ 1,5 bilhão em prêmios sob sua gestão, a MDS Brasil tem ampliado estrategicamente sua presença no mercado de benefícios. Em 2018, a companhia adquiriu uma participação na 838 Soluções, empresa pioneira no desenvolvimento de ferramentas para a gestão automatizada de benefícios e benefícios flexíveis. Hoje, a área de benefícios corporativos já representa 55% dos prêmios geridos pela MDS e a expectativa é ter um crescimento acelerado com a incorporação da Ben’s.

A MDS Brasil está de olho no potencial dos mercados de seguro de saúde e de vida do Brasil que movimentam mais de R$ 200 bilhões em prêmios ao ano no País. Segundo pesquisas de mercado, os benefícios concedidos pelas companhias brasileiras aos colaboradores são o seu segundo maior gasto e a sua gestão inteligente  pode permitir economias representativas para todos os clientes.

Com 21 anos de mercado, a Ben’s é responsável pela administração de seguros de mais de 200 empresas e de cerca de 300.000 vidas. Reconhecida por seus serviços de excelência, a empresa é pioneira na adoção de soluções tecnológicas que ajudam os clientes na gestão eficiente dos seus portfólios de benefícios. Um importante diferencial da Ben’s é seu time de 70 profissionais altamente qualificados e que atuam em células criadas para fornecer atendimento totalmente personalizado para as necessidades de cada cliente. “A qualidade da Ben´s pode ser medida pela adoção de melhores práticas, de moderna tecnologia e de processos ágeis, que terão uma dinâmica ainda mais atrativa com o trabalho em conjunto com a MDS Brasil”, diz Gustavo Quintão, Diretor de Benefícios Corporativos da MDS Brasil.

“Estamos felizes por agora fazermos parte do grupo MDS, referência no mercado de seguros e na prestação de serviços de qualidade a clientes de todos os segmentos”, diz Benivaldo Ferreira Jr., fundador eCEO da Ben’s, destacando que atuará como diretor da MDS Brasil a partir de hoje e manterá na nova estrutura a sua equipe de profissionais, somando experiências ao time da MDS. Segundo ele, a união das companhias também trará mais opções de serviços para os clientes da Ben’s. “Nossos clientes poderão acessar o portfólio completo da MDS, que atua em todos os segmentos de seguros, resseguros, local e internacionalmente”.

O anúncio de hoje marca uma nova etapa de fortalecimento da MDS Brasil. A empresa está presente em todo o território nacional com 450 colaboradores e com 9 escritórios. No Rio de Janeiro, a empresa terá um novo espaço, amplo o suficiente para integrar as equipes MDS e Ben’s no centro da capital carioca. No sul, a MDS Brasil está com novo escritório em Blumenau e iniciará em abril as atividades do Centro de Inovação MDSLab, instalado em Brusque, estratégico pólo de inovação do Brasil.

Até a data do anúncio, a MDS Brasil somava uma carteira com mais de 9.000 empresas seguradas e mais de 850.000 vidas seguradas. Além do segmento de benefícios corporativos, a MDS Brasil atua com seguros empresariais, seguros individuais, gerenciamento de riscos e resseguros. Soma experiência em diversos setores de mercado com uso de tecnologia e de inovação. “Estamos em expansão e as aquisições recentes aceleram nosso processo de crescimento e de diferenciação no mercado,  reforçando o interesse e compromisso do Grupo MDS com o país”, diz o CEO da MDS Brasil, reforçando que a companhia está sempre atenta a novas oportunidades que possam ampliar a oferta e à quantidade dos serviços prestados para as maiores e melhores empresas do Brasil.