MetLife celebra 20 anos de Brasil com o espetáculo ‘O Frenético Dancin´Days’ 293

MetLife celebra 20 anos de Brasil com o espetáculo ‘O Frenético Dancin´Days’

Musical de Nelson Motta e Patrícia Andrade, com direção de Deborah Colker, estreia em São Paulo

A MetLife, uma das principais empresas de serviços financeiros do mundo, celebra sua trajetória no Brasil com incentivo à cultura, patrocinando o musical O Frenético Dancin’ Days’.

“Já estamos no Brasil há duas décadas, temos muito o que comemorar. O Brasil é um dos mercados estratégicos e seguimos uma trajetória consistente para alcançar o patamar de empresa referência em seguros de vida, dental e previdência. Nos últimos anos, trabalhamos para ampliar nosso portfólio de produtos, atrair parceiros de distribuição e investimos em tecnologia para oferecer aos nossos clientes uma experiência simples e digital. Para este e os próximos anos, a meta é continuar nesse processo de crescimento”, diz Raphael de Carvalho, Presidente da MetLife Brasil.

O espetáculo O Frenético Dancin’ Days’ chega a São Paulo depois de uma temporada de sucesso no Rio de Janeiro, visto por mais de 60 mil pessoas. A superprodução resgata a aura mítica em torno da Frenetic Dancing´Days Discotheque, um marco na noite brasileira nos anos 70, especialmente a carioca, que ditou moda, comportamento e celebrou a liberdade.

Informações

Estreia: 15 de março
Horários: Sexta-feira: 21h/ Sábado: 17h e 21h/ Domingo: 18h
Local: Teatro OPUS (Av. das Nações Unidas, nº 4777 – Alto de Pinheiros/ 4º piso – Shopping Villa-Lobos)
Classificação: 12 anos
Duração: 120 min

Cofins para corretoras de seguros deve ser 3%, ao invés de 4% 232

Cofins para corretoras de seguros deve ser 3%, ao invés de 4%

Com medida judicial, há como pedir devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos

Andrea Giugliani é sócia-diretora da Giugliani Advogados / Reprodução

O Superior Tribunal de Justiça, em recentíssima decisão, firmou entendimento de que as empresas corretoras de seguro não devem ser equiparadas a sociedades corretoras ou a agentes autônomos de seguros privados e, desse modo, devem recolher a COFINS apenas sob alíquota de 3%, e não de 4% conforme vem sendo praticado por inúmeras instituições.

Para que a empresa possa se beneficiar e volte a contribuir com 3%, torna-se necessário o ajuizamento de uma medida judicial — eis que não se aplica de imediato referida decisão —, podendo até mesmo pedir a devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos.

CSLL das corretoras de seguros deve ser 9%, e não 15%

As corretoras de seguros, meras intermediárias da captação de eventuais segurados, não podem ser equiparadas às sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores. Foi nesse sentido que o Superior Tribunal de Justiça concluiu decidindo pela impossibilidade da majoração da alíquota da CSLL, ou seja, a cobrança da CSLL das sociedades corretoras de seguro deve ser 9%, e não a alíquota de 15%, porque esta deve ser aplicável somente às instituições financeiras, aos estabelecimentos a elas equiparados e aos agentes autônomos de seguros privados.

Caso a empresa venha recolhendo a CSLL com aplicação da alíquota de 15%, para que possa voltar a recolher com a alíquota de 9%, torna-se necessário o ajuizamento de uma medida judicial — eis que não se aplica de imediato referida decisão —, podendo até mesmo pedir a devolução do que foi recolhido a mais nos últimos cinco anos.

INSS das corretoras de seguros deve ser 20%, e não 22,5%

As corretoras de seguros, meras intermediárias da captação de eventuais segurados, não podem ser equiparadas às sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores.

Com a decisão judicial pacificada dos tribunais superiores e administrativos a respeito da forma de apuração da COFINS de sociedade corretora de seguros (diminuição da alíquota de 4% para 3%), além do julgamento da matéria em si, também fora analisada a questão da inclusão ou não de corretoras de seguros para fins de outros tratamentos tributários e previdenciários, entre os quais a alíquota adicional de 2,5% destinada ao INSS.

Isso porque as corretoras de seguros possuem uma cota patronal de 22,5%, ao passo que as demais empresas comerciais possuem uma alíquota de 20%, ambos incidentes sobre folha de salários e valores pagos a contribuintes individuais.

Em razão desse julgamento, é importante destacar que não só aos olhos dos tribunais superiores, mas também da própria Procuradoria, as sociedades corretoras de seguros não deveriam ter pago este adicional de 2,5% por não estarem enquadradas no conceito de “sociedades corretoras” — termo válido para corretoras de valores e títulos e instituições financeiras —, tampouco no conceito de “agentes autônomos de seguros”.

Em virtude disso, é possível ingressar com medidas para que as corretoras de seguros tenham a devolução dos valores pagos a esse título (2,5% a mais de cota patronal) nos últimos cinco anos, corrigidos pela taxa SELIC.

*Por Andrea Giugliani, sócia-diretora da Giugliani Advogados

Marsh & McLennan Companies celebra Mês Global do Voluntariado 297

Marsh & McLennan Companies celebra Mês Global do Voluntariado

Colaboradores participarão de ações voluntárias em nove cidades brasileiras

Maio é o mês de celebrar a importância do voluntariado na Marsh & McLennan Companies. Escritórios da empresa em todo o mundo organizam atividades em instituições parceiras e estimulam os colegas a participarem de forma solidária. Neste ano no Brasil, as ações começaram no início do mês com a Campanha do Agasalho e envolvem as cidades de Araçatuba, Bauru, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Campinas, Ribeirão Preto, Porto Alegre e São Paulo.

Nos últimos dois anos, a empresa recebeu o reconhecimento por ser uma das sedes que teve maior evolução na participação de voluntários, com cerca de 56% de aumento. “O voluntariado é visto como um grande orgulho para nós da Marsh & McLennan Companies e o nosso objetivo é causar um impacto cada vez mais positivo nas comunidades em que estamos inseridos”, afirma Isabel Cardim, Líder para Responsabilidade Social no Brasil.

Em 2018, na América Latina, o número de funcionários realizando trabalhos voluntários aumentou 19%, o que resultou em um aumento de mais de24% de horas doadas. Uma das ações deste ano envolve colegas de todo o continente e é realizada em parceria com a Missing Maps, uma organização que atua no mapeamento de residências e construções em áreas de risco, para ajudar o trabalho da Cruz Vermelha. Por meio de imagens de satélite do Google, os funcionários poderão apoiar o trabalho de ajuda humanitária nos locais em casos de desastres naturais.

Instituições parceiras

A MMC possui parceria com uma série de instituições que recebem ações realizadas por parte dos colegas durante todo o ano. Neste mês de maio as atividades se concentram na: APAE (Araçatuba), Creche Monteiro Lobato (Bauru), Creche Esperança (Brasília), Unidade Reinserção Ziraldo (Rio de Janeiro), Centro de Reabilitação, Educação e Integração Social (Rio de Janeiro), Casa do Pai (Curitiba), Creche das Rosinhas (Belo Horizonte), Cantinho de Luz (Campinas), CEI Vila Cisper II (São Paulo), Comitê Juvenil – FMUSP (São Paulo), Ritmos do Coração (São Paulo) e entrega de doações em Ribeirão Preto.

Em São Paulo, o Centro de Educação Infantil (CEI) Vila Cisper II é uma das instituições com maior apoio da companhia Fundada em 2001 pela Associação dos Funcionários do Grupo MMC, responsável atualmente pela administração da entidade, o Centro de Educação Infantil conta com profissionais qualificados que oferecem diariamente a cerca de 150 crianças, com idade de 0 a 4 anos, orientação e educação por meio de atividades pedagógicas e educacionais. “A MMC acredita que através de atividades pedagógicas e educacionais é possível proporcionar um amadurecimento cognitivo das crianças e auxiliar na construção de sua identidade social”, explica Luiz Medeiros, Presidente para Associação dos Funcionários MMC junto ao CEI Vila Cisper II.

GBOEX completa 106 anos com credibilidade, comprometimento e dedicação 322

Expectativas do GBOEX para 2019

Fundada em 1913, empresa mantém tradição e solidez

Ultrapassar a barreira centenária e permanecer próspera exige mais que ótimas práticas de administração. Passa pela construção de uma marca forte, pelo trabalho e envolvimento de pessoas comprometidas e também por oferecer serviços e produtos de qualidade. Assim é a história do GBOEX, que se mantém a cada ano entre as maiores Entidades Abertas de Previdência Complementar Sem Fins Lucrativos (EAPP’s).

Neste segmento, o mercado obteve R$ 442,8 milhões de receita bruta de contribuições em 2018, aproximadamente 63% foram auferidos pelo GBOEX.

Para a Empresa, o sucesso depende da valorização de todos os envolvidos no seu dia a dia. A diretoria do GBOEX salienta que o capital humano, um dos ativos mais estratégicos de qualquer instituição, é o que faz com que se destaque, além de números e posição de mercado. São eles que multiplicam os valores da empresa.

Inicialmente a operação era restrita ao público militar e suas famílias. No entanto, na década de 60, a empresa ampliou a oferta de seus serviços e produtos para a população em geral, mantendo a missão idealizada na sua fundação, de proteger as famílias brasileiras.

Essa evolução engrandeceu mais ainda o trabalho da Entidade e, para multiplicar a ação, o papel dos corretores de seguros foi e tem sido essencial, ampliando cada vez mais o números de pessoas amparadas e protegidas. Esse é o papel do GBOEX, cuidar e proteger o futuros das pessoas.

Especialista em previdência de risco, o GBOEX oferece uma vasta cobertura de planos de caráter previdenciário, combinados com seguros de pessoas e serviços de assistências, por meio de parcerias estratégicas. A preocupação da empresa é sempre fortalecer e proporcionar relações saudáveis com seus associados, corretores, colaboradores, e outros tantos com que se relaciona na operação.

Para permanecer como uma empresa forte e ativa, são necessários constantes investimentos no desenvolvimento de produtos e serviços que atendam as necessidades dos seus clientes e parceiros. Por isso, investir mais em inovação, aprimorando processos, é o foco para este ano. Em 2019, a companhia lançará a sua plataforma para venda digital de produtos, entre outras novidades.

O GBOEX é uma empresa moderna, mas com valores que datam de 1913. Chegar aos 106 anos com solidez é um marco a ser celebrado não só pela instituição, mas pelo empreendedorismo brasileiro como uma demonstração de que é possível driblar as dificuldades e somar conquistas e credibilidade.

GBOEX – 106 anos de tradição, solidez e segurança.

SulAmérica participa da 6ª Semana Nacional de Educação Financeira 219

Patricia Coimbra é vice-presidente de Capital Humano, Administrativo e Sustentabilidade da SulAmérica / Divulgação

Seguradora promove ciclo de palestras com o intuito de esclarecer dúvidas dos colaboradores sobre saúde financeira

A SulAmérica participa, de 20 a 24 de maio, da Semana Nacional de Educação Financeira, iniciativa promovida pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (CONEF) há seis anos. Com o objetivo de contribuir para que seus colaboradores estabeleçam uma relação mais saudável com o dinheiro, no longo prazo, a companhia preparou um ciclo de workshops e palestras.

Palestrantes como Denise Damiani, autora do livro “Ganhar, Gastar, Investir: O livro do dinheiro para mulheres”, e Lúcia Stradiotti, criadora do portal Mãe por Inteiro, a equipe de Metodologia Lean da companhia, Débora Melo e Serasa Experian, fazem parte da programação que a seguradora preparou para mostrar a importância da educação financeira desde a infância, a administração do dinheiro com foco nas mulheres, independência financeira, score de crédito e cuidados para manter o nome limpo.

“A SulAmérica entende que o bem estar dos colaboradores depende da qualidade de vida e a saúde financeira faz parte desse conjunto. Promover o conhecimento e auxiliá-los em uma relação mais saudável no longo prazo com suas finanças, causa impactos positivos para todos”, afirma a vice-presidente de Capital Humano, Administrativo e Sustentabilidade, Patricia Coimbra.

Com palestras e workshops presenciais na sede de São Paulo e Rio de Janeiro, além de transmissões ao vivo, a expectativa da companhia é ter um público com mais de 1.500 participantes nessa edição.

Tokio Marine apresenta soluções inovadoras para proteção do setor de energia 213

Sidney Cezarino, Diretor de Property, Riscos de Engenharia, Riscos Diversos e Energy da Tokio Marine

Novas coberturas de Soluções Integradas e Riscos Paramétricos serão oficialmente lançadas durante eventos do setor este mês

Atualmente, o setor de energia representa cerca de 25% da carteira de Produtos Pessoa Jurídica da Tokio Marine. Para atender as demandas específicas destes Clientes, a Seguradora desenvolveu duas novas coberturas, de Soluções Integradas e Riscos Paramétricos, que serão oficialmente apresentadas ao mercado este mês em três grandes eventos: Ecoenergy, Brazil Windpower 2019 e XVIII Encontro Anual do Comitê do Setor Elétrico da ABGR. O portfólio da Companhia para o segmento inclui produtos que protegem toda a cadeia, desde a geração até a distribuição de energia, incluindo seguros de Riscos de Engenharia, Transportes, Garantia, Responsabilidade Civil Geral, Riscos Nomeados e Riscos Operacionais.

“Somos uma Seguradora genuinamente preocupada em oferecer soluções inovadoras para os mais diversos setores da Economia. No caso de Energia Renovável, mantemos uma célula específica para tratar desse negócio nos ramos de eólica, térmica, solar e hidrelétrica. Estamos bastante otimistas quanto à aceitação dessas duas novas coberturas que desenvolvemos especialmente para proteger os projetos de energia”, afirma o Diretor de Property, Riscos de Engenharia, Riscos Diversos e Energy da Tokio Marine, Sidney Cezarino.

Inédita no Brasil, a Tokio Marine Soluções Integradas é uma iniciativa exclusiva da Companhia que agrupa em uma única apólice a cobertura para as fases de construção, teste, transferência ao proprietário e o primeiro ano de operação de parques eólicos e usinas fotovoltaicas. “Esta é uma novidade que cobre uma lacuna que havia no mercado brasileiro. Unimos em uma só apólice os seguros de Riscos de Engenharia, RC Obras e Risco Operacional, além das coberturas de ALOP, Manutenção Ampla/Garantia e ITSELF. Desta forma, não existe quebra de vigência em nenhuma das fases do projeto. Fazemos o acompanhamento do risco desde o início da obra até o final do primeiro ano de operação”, explica Cezarino.

A outra novidade exclusiva da Tokio Marine para o setor de energia é a oferta da cobertura de Riscos Paramétricos dentro da apólice de Riscos Operacionais. Feito sob medida a partir das demanda do Cliente, o produto garante indenização em caso de queda de receita devido à condições climáticas. De acordo com o Diretor da Tokio Marine, “esta é uma forma mais simplificada e eficiente de garantir a proteção se há falta ou excesso de ventos em um projeto eólico”.

Entre os dias 21 e 23, a Tokio Marine participará da 8ª Edição da Ecoenergy – Feira e Congresso Internacional de Tecnologias Limpas e Renováveis para Geração de Energia. Além de estande, a Companhia apresentará uma palestra do Gerente de Riscos Nomeados e Operacionais, Diego Martins. Já entre os dias 28 e 30 de maio, também na capital paulista, a Companhia estará pela sexta vez na Brazil Windpower. Por fim, a Tokio Marine será a Seguradora oficial do XVIII Encontro Anual do Comitê do Setor Elétrico da ABGR, de 29 a 31 de maio, em Campinas.

Serviço:

Ecoenergy 2019 – Feira e Congresso Internacional de Tecnologias Limpas e Renováveis para Geração de Energia
Data21 a 23 de maio
Horário: 13h às 20h
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5

Brazil Windpower 2019
Data: 28 a 30 de maio
Horário: 8h30 às 16h
Local: Transamérica Expo Center
Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro

XVIII Encontro Anual do Comitê do Setor Elétrico da ABGR
Data: 29 a 31 de maio
Local: Campinas, SP