Seminário reúne profissionais da arquitetura e debate questões como Responsabilidade Civil 455

Seminário reúne profissionais da arquitetura e debate questões como Responsabilidade Civil

Evento aconteceu no dia 21 de março, em uma universidade de Porto Alegre (RS)

Atualmente, o projeto de arquitetura é indissociável do PPCI, seja nas escadas protegidas, distâncias a percorrer, escolha de materiais e outros aspectos técnicos. Isso exige dos arquitetos e arquitetas criatividade nos projetos para entregar um produto funcional, seguro e com qualidade estética.

Preocupados com esta realidade, a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA-RS) preparou um importante seminário com o tema: “Projeto Arquitetônico com requisitos e condicionantes de PPCI”, trazendo conteúdo técnico para que os profissionais de arquitetura possam melhor integrar o PPCI no desenvolvimento dos projetos arquitetônicos.

O evento foi realizado no dia 21 de março na UniRitter Campus Iguatemi e contou com participação de André Jabur Rodrigues, underwritter da Travelers Seguros. “Falando um pouco sobre RC para o profissional arquiteto hoje temos uma questão cada vez mais forte no código civil, onde as pessoas são cada vez mais responsáveis pelos atos que elas praticam. Quando uma pessoa causa dano a um terceiro ela é obrigada a repará-lo, independente da culpabilidade nesse dolo”, explicou o especialista. “De maneira geral, se durante a performance profissional o arquiteto tenha tido algum problema que impacte no proprietário da obra ele pode ser judicialmente acionado para reparar um terceiro, seja por negligência, falta de alguma disposição ou cumprimento de normas, escolha de materiais e indicação de produtos ou até mesmo no caso de refação de uma obra”, completa.

Confira algumas imagens do evento:

Confraseg realiza primeiro encontro em 2019 253

Confraseg realiza primeiro encontro em 2019

Momento contou com apresentação sobre empreendedorismo

A Confraria dos Securitários da Serra Gaúcha (Confraseg) realizou, nesta segunda-feira (15), seu primeiro encontro do ano de 2019. A reunião contou com apresentação sobre empreendedorismo, ministrada pelo professor Marco Aurélio Jablonski.

Foram momentos especiais, com um belo jantar servido aos confrades. A entidade ainda anuncia que logo divulgará suas novas ações e campanhas sociais.

Sala da Cinemateca Paulo Amorim será reinaugurada 317

Sala da Cinemateca Paulo Amorim será reinaugurada

Rio Grande Seguros e Previdência participou da iniciativa responsável por devolver sala à comunidade

No próximo dia 17 de abril a Sala Eduardo Hirtz da Cinemateca Paulo Amorim será reinaugurada após revitalização. A sala faz parte do complexo da Casa de Cultura Mário Quintana, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado. O espaço foi completamente remodelado, com poltronas e acabamentos novos.  “É um bom exemplo da participação de organizações não governamentais que, aliadas à iniciativa privada, contribuem com a gestão de equipamentos culturais públicos, primando pela qualidade dos serviços prestados aos cidadãos. Queremos manter e ampliar este tipo de parceria”, afirma a secretária de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, Beatriz Araújo.

“A CCMQ é um dos mais belos e expressivos patrimônios de Porto Alegre. É muito gratificante contribuir com a reforma de uma parte dela e poder devolver ao povo gaúcho um ponto de referencia cultural, como a Sala Eduardo Hirtz”, conta Claudia Oliveira, diretora da Rio Grande Seguros e Previdência.

Responsabilidade Civil é a maior causa de sinistros no Seguro de Eventos 924

Constatação reforça papel da venda consultiva através do Corretor de Seguros

Responsabilidade Civil é a maior causa de sinistros no Seguro de Eventos
Fauze Farhat é executivo principal da Ayfa Seguros

Com o intuito de fornecer um serviço de qualidade, colocando-se como uma ’boutique de seguros’, a Ayfa Corretora de Seguros completa 26 anos no mercado segurador. Para celebrar mais um ano de conquistas e especialidade no ramo de eventos e de patrimoniais no segmento luxo. “Fomos crescendo aos poucos, prestando bons serviços e evoluímos para o ramo de Seguros Empresariais. Sempre procurei diferenciar do mercado em geral, que trabalha com todos os ramos, por isso me especializei nesse nicho”, explicou Fauze Farhat, executivo principal da empresa.

Na opinião do especialista, a cobertura mais relevante para contratação de um organizador de evento diz respeito à sua Responsabilidade Civil, principalmente no que tange ao público e terceiros que estejam nas proximidades ou envolvidos com a montagem do espetáculo, show, festa ou demais agremiações. “A indenização de uma vida pode custar milhões. A grande proteção é contra fatalidades. O segredo do corretor é desenhar uma apólice que proteja bem cada risco. Os riscos não são iguais neste sentido, independente do tamanho do evento. É preciso entender o briefing do organizador para desenhar a proposta ideal para este caso”, reitera Farhat.

A Ayfa Seguros foi a corretora responsável pela contratação do Seguro de Responsabilidade Civil do Réveillon da Avenida Paulista, evento que reúne quase 2 milhões de pessoas na cidade de São Paulo. “Entender quais as responsabilidades neste caso é desafiador, mas gratificante”, enfatiza. “O caminho desde a fundação da empresa até os dias de hoje sempre foi promover a troca de experiências. No caso de Seguro de Eventos o organizador é quem saberá descrever melhor as particularidades de cada momento, para que elas também sejam englobadas nessa cobertura”, prossegue Fauze Farhat.

O executivo principal da Ayfa Seguros também explica que “pequenos eventos podem ser englobados por uma linha de negócios pré-definida, mas grandes eventos exigem análise técnica. Isso envolve organizador, corretor e a seguradora especializada em eventos. São poucas companhias no Brasil com especialidade nesse produto”.

Já no segmento de luxo, a corretora de seguros atua fortemente em apólices voltadas para coberturas patrimoniais. “Atendemos algumas grandes marcas mundiais de franquia, com coberturas à incêndio ou até mesmo de fiança locatícia, que vem ganhando bastante destaque pelo mercado como um todo. É uma forte necessidade de Pessoa Jurídica. São clientes que exigem consultoria e uma confidencialidade diante dessas empresas”, analisa Farhat.

O corretor de seguros afirma que está mudando a percepção sobre a tecnologia no ramo de seguros. “Sempre fomos muito tailor-made, mas a tendência digital é irreversível. É preciso sempre fomentar novas maneiras de falar com nosso público”, constata.

Outro ponto que carece de atenção no segmento trata do cancelamento do evento. “Tivemos recentemente o caso do Lollapalooza, que quase teve o segundo dia cancelado por riscos apresentados pela chuva. As variáveis e complicações de grandes e pequenos eventos deve ser sempre levada em conta”, exemplifica ao abordar as mudanças no comportamento do público, principalmente no que diz respeito à mobilidade urbana. “Aplicativos de transporte, patinete e bikes são uma realidade”, completa.

Um dos segredos da Ayfa Seguros, na visão de Fauze Farhat, é tratar os seguros dentro de casa, de forma a oferecer um maior controle no que está acontecendo com cada contrato. “Esse acompanhamento é sob medida. Trata-se de um segmento muito consultivo, desde a contratação. Estamos falando inclusive de problemas envolvendo equipamentos ou a própria montagem do evento, por exemplo. Para atuar no nicho é preciso compreender a linguagem do organizador. Esse é um mercado mais restrito e exige capacitação constante por parte do corretor”, finaliza.

Executivos explicam segredo para crescimento de 171,19% da União Seguradora 767

Executivos explicam segredo para crescimento de 171,19% da União Seguradora

Carteira de Vida em Grupo foi a que mais registrou evolução

Em 2018, a União Seguradora cresceu 171,19%, o maior já registrado pela companhia que pertence desde 2013 ao Grupo Aspecir. As carteiras com mais destaque foram a de Vida em Grupo, com 223,45% de evolução em relação a 2017, e Acidentes Pessoais, com 154,08%. Auxílio Funeral (145,91%) e Prestamista (16,16%).

O presidente da União Seguradora, Milton Machado, comenta que o resultado surpreendeu, mas é fruto de um trabalho feito diariamente focado nas melhores soluções para o cliente. “Esses números nos fazem pensar cada vez mais em termos de aprimoramento, de controles internos, divulgação, parte contábil, enfim, uma série de coisas que nós estamos sempre prevendo e querendo repetir o êxito do ano que passou”, destaca. “Na onda de preocupação com o futuro do brasileiro, nós estamos com produtos bem encaminhados, simples e de fácil entendimento, o que tem ajudado no nosso desenvolvimento”, acrescenta.

No último ano a empresa tem expandido seus negócios dentro do próprio Estado e pelo Brasil. “Hoje nós já temos algumas representações, o grupo em si tem escritórios próprios no interior do Rio Grande do Sul e capitais brasileiras como Florianópolis, Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo e agora Belo Horizonte”, conta ao lembrar que essa expansão é feita com pés no chão. “Procuramos encontrar parceiros em Estados que vamos entrar sabendo que teremos resultados, a nossa área comercial tem sido muito ágil”, diz.

Na União Seguradora, apenas 32 corretores de seguros estão cadastrados junto da área comercial. O diretor comercial João Lock salienta que mesmo com uma equipe enxuta, é possível realizar um trabalho excelente e personalizado. “Conseguimos com esse número de profissionais fazer com que a nossa empresa tenha foco em atendê-los da forma adequada, pois não adianta ter uma carteira imensa de corretores e não ter produtividade”, comenta.

Além disso, Lock lembra que a empresa está sempre aberta para receber novos corretores: “Aquele que não trabalha ainda conosco está perdendo a oportunidade de fazer grandes negócios, por isso digo venha para cá, pois nós fazemos de forma que o seu estipulante receba o que merece”. O atendimento para estes profissionais ocorre de maneira diferenciada. “Sem dúvida nenhuma é bem atendido, com atendimento praticamente personalizado diretamente com a direção”, finaliza o presidente Milton Machado.

Lojacorr defende corretagem empreendedora 1192

Lojacorr defende rede de corretores empreendedores

Convenção Nacional da empresa reúne mais de 1.200 participantes em Curitiba

O CEO da Rede Lojacorr, Diogo Arndt Silva.

A inovação e maneiras de entender o novo consumidor tem sido temas fortemente debatidos no mercado de seguros nos últimos anos. Essa também é uma preocupação constante da Rede Lojacorr, conforme ficou evidenciado na cerimônia de abertura da sua 6ª Convenção Nacional, que ocorre 21 e 22 de março em Curitiba (PR) e reúne 1.200 participantes entre corretores de seguros e parceiros.

Desde a última convenção, que aconteceu em 2017, a Lojacorr cresceu quatro vezes mais, segundo o CEO Diogo Arndt Silva. “É tempo de transformação e a Lojacorr supera diariamente as nossas expectativas”, destacou. “Nosso objetivo no início era alcançar 100 corretores em Curitiba e região e hoje temos mais de 1.100 corretores em 21 Estados e em 51 unidades espalhadas pelo Brasil”, detalhou.

De acordo com ele, a missão dos corretores de seguros de levar proteção ao brasileiro é nobre. “A transformação não está na tecnologia, está nas pessoas, em suas atitudes, e o nosso maior papel como líderes de mercado é encorajar as pessoas a experimentarem, a verem novas formas de consumo”, comentou. Enxergar a figura do corretor de seguros como empreendedor seria fundamental para essa prática. “A maior parte dos projetos e das pessoas não fracassam, elas desistem. E a persistência tem que estar imbuído nos nossos objetivos”, disse.

Em 2017, a empresa que Diogo preside reuniu uma equipe multidisciplinar para realinhar seu planejamento estratégico tendo em vista que se transformou em uma rede de empreendedores. “Quando percebemos que somos novos líderes e empreendedores, pensamos em como criaríamos um ecossistema de soluções para auxiliar cada vez mais a distribuição de seguros através dos corretores”, explicou.

O momento reforça a crença de grandes líderes de mercado de que somente os corretores podem levar efetivamente as melhores proteções aos clientes. “Por intermédio de relações humanas, seremos capazes de levar proteção à parcela da sociedade que ainda não tem acesso, pois muito mais do que vender apólices, queremos proteger as pessoas”, comentou. Valores como transparência seriam fundamentais. “Sabemos que ainda existe um caminho muito grande a percorrer, mas seguimos caminhando, buscando inovar e crentes nos nossos valores, como transparência, que gera colaboração e, com ela, inovação”, afirmou.

A primeira palestra da Convenção ficou a cargo do administrador Max Gehringer.

Para o administrador Max Gehringer, que comandou a primeira palestra da Convenção, a grande profissão até o século XIX era a de agricultor, do século XX empregado e a do século XXI é empreendedor. “O que nós fazemos em nossa carreira é continuar correndo atrás do que vai nos diferenciar e vejo aqui uma plateia de empreendedores”, disse. “O que precisa para ser empreendedor, primeiramente, é não tomar a decisão de ser empreendedor pelo motivo errado, um bom motivo é enxergar uma oportunidade e um futuro”, defendeu.

Neste sentido, empresas como a Lojacorr estão a frente, uma vez que busca inovar sem perder a essência humana. “Não dá para conseguir confiança através da tecnologia, nós olhamos no olho de outra pessoa e conversamos com ela pessoalmente”, alertou. “O empreendedor brasileiro é um teimoso, pois a lei e a burocracia não ajudam, e mesmo assim ele não só insiste, como persiste com as suas ideias”, frisou.

6ª Convenção Nacional Lojacorr – Imagens do primeiro dia