Fidelização como diferencial para o sucesso 750

Fidelização como diferencial para o sucesso

Confira artigo da administradora Giordania Tavares

A administradora Giordania Tavares / Divulgação
A administradora Giordania Tavares / Divulgação

A competitividade no mundo dos negócios exige cada vez mais das empresas. Para se manter ativa e conectada com as tendências do mercado, não basta apenas oferecer produtos de qualidade: é preciso sensibilidade ao lidar com clientes e stakeholders. Se engana a marca que dá prioridade única à atração de novos clientes: antes, é preciso fidelizar. Conquistar a confiança vai muito além de apenas apresentar os produtos da empresa. É preciso fazer o cliente acreditar na marca, nos seus valores e nas suas competências. Ao vender um produto, as empresas não estão apenas oferecendo uma mercadoria, mas proporcionando uma experiência de compra que deve ser positiva e duradoura. Afinal, o cenário nem sempre é promissor se os diferenciais oferecidos se restringirem aos produtos.

O segredo para uma boa relação com o comprador é compreender o cenário, o mercado, as oportunidades e ameaças do seu negócio. É entender as necessidades dos clientes, pois este aspecto colabora não só para o desenvolvimento de produtos funcionais, mas também proporciona o crescimento de uma relação de confiança e credibilidade. Para satisfazer o cliente, não é necessário realizar todas as solicitações que ele desejar, muito pelo contrário: é preciso saber dizer “não”, afinal, é papel da marca entender como solucionar os problemas e executar aquilo que o cliente deseja da melhor forma possível.

No entanto, a venda não acaba quando o cliente adquire os produtos, é preciso seguir de mãos dadas, fornecedor e cliente. Quebrou uma peça e acabou a garantia? A mercadoria precisa ser entregue com urgência? O comprador precisa saber com quem contar, em quem confiar. É preciso ouvir e entender o cliente. Para qualquer empresa de sucesso, é primordial possuir um serviço diferenciado, informação com qualidade e atendimento rápido para que haja confiança em toda a cadeia e não apenas no produto. Planejamento e organização são peças-chave para grandes resultados e as empresas que agem assim são as que driblam as crises e alavancam seu crescimento. Um pós-venda eficaz é a melhor estratégia, pois um cliente satisfeito irá compartilhar a sua boa experiência, gerando novos contatos e contratos para a empresa.

A fidelização do cliente é o fator que pode definir o sucesso de uma empresa. Através de técnicas que visam criar uma relação de confiança, geram-se feedbacks honestos e positivos, além de trazer uma receita previsível. Cliente fiel, certamente comprará novamente. Não são as semelhanças que fazem a diferença e os caminhos conhecidos não são os únicos que podem levar a marca além. É preciso se destacar no cenário. Uma empresa pode ser o que quiser, desde que acredite, e saiba que sempre haverá clientes dispostos a acreditarem também.

Diretora da Rayflex, Giordania R. Tavares é graduada em administração pela UNICID, com especialização pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Com mais de 20 anos de experiência no mercado de portas industriais e equipamentos de doca, foi responsável por tornar a Rayflex expoente de mercado no Brasil e na América Latina.

Artigo: 2020 não tem mais jeito 477

“Poucas certezas são que o mundo sairá mais pobre, que milhões de empregos já estão perdidos e que a recuperação pode demorar”

O ano está condenado. Não tem o que fazer. 2020 vai entrar para a história como um dos grandes desastres econômicos do século 21. O mundo experimentará uma das maiores recessões de todos os tempos e o Brasil não vai ficar de fora, nem se sair melhor do que os demais países. Ao contrário, as previsões para a recessão nacional têm variação de menos quatro a menos onze por cento em relação ao ano passado, o que faz de 2020 o pior ano do século.

A economia mundial vai atravessar uma recessão avassaladora, que quebrará milhares de empresas de todos os portes ao redor do planeta. Mas esta é só a primeira parte do drama. A segunda é o tamanho da conta e quem e como vai pagar os trilhões de dólares que a pandemia do coronavírus custará.

As poucas certezas são que o mundo sairá mais pobre, que milhões de empregos já estão perdidos e que a recuperação pode demorar mais tempo do que os otimistas estão falando, até porque ninguém sabe a duração da pandemia.

Se países como Estados Unidos e China tiveram queda no PIB na casa dos dois dígitos, na comparação entre abril e março, não há razão para o Brasil se sair melhor.

Tomando a indústria automobilística como parâmetro, se em março ela apresentou uma queda de vinte por cento no número de veículos produzidos, em abril a queda foi de setenta e cinco por cento. Ou seja, praticamente não houve venda de veículos novos no país. Mas este segmento econômico vai muito além da produção de veículos. Ele tem início na indústria siderúrgica e termina nos desmanches e ferros velhos, além de toda uma cadeia paralela que não participa diretamente da produção, mas engaja uma grande quantidade de pessoas, que vende ou presta serviços para empresas e pessoas ligadas à cadeia automotiva.

Só que não é apenas a indústria automobilística que está em xeque. Praticamente todos os demais setores industriais estão num profundo processo de retração. O coronavírus veio para agravar um quadro dramático, iniciado com a crise de 2014, que colocou a indústria nacional sob ameaça de colapso. Quando apenas algumas atividades começavam a colocar a cabeça para fora, a pandemia trouxe em seu bojo uma nova onda, que submergiu os que ensaiavam nadar e ameaça afogar definitivamente os que ainda estavam tentando chegar à tona.

Os números do primeiro trimestre de 2020 mostram resultados positivos na última linha dos balanços de várias seguradoras. É inclusive possível que, dependendo do foco de atuação da companhia, ela feche o primeiro semestre com resultado positivo. Mas isto não significa que depois de março seu desempenho foi positivo. Significa apenas que os números positivos, frutos da recuperação econômica de 2019 e que se mantiveram em janeiro e fevereiro, impactaram favoravelmente os resultados do primeiro trimestre, seja pela obrigação do diferimento dos prêmios, seja pelo seu fracionamento mensal.

A queda brutal da venda de veículos novos tem impacto na carteira de seguradoras que têm o seguro de auto como carro chefe. Com o desemprego, o inadimplemento dos prêmios dos seguros individuais cresceu para percentuais muito elevados. Seguros como fiança locatícia, que sempre tiveram baixa sinistralidade, estão sob pressão pelo não pagamento de milhares de alugueres. Com a queda da atividade econômica as empresas também começam a não pagar ou a reduzir suas importâncias seguradas e, consequentemente, os prêmios devidos.

O fechamento de milhares de empresas vai gerar um novo atrito entre segurados e seguradoras, envolvendo eventual cobertura de lucros cessantes. E os planos de saúde privados e os seguros de vida já estão sendo demandados em função da pandemia.

Como a crise econômica deve se agravar ao longo dos próximos meses, não há como vislumbrar, neste momento, qualquer possibilidade de retomada do crescimento pelo setor de seguros brasileiro.

Se servir de consolo, a situação não é exclusividade nossa. No mundo inteiro as seguradoras terão dias difíceis pela frente. A saída do buraco passa pelas ações pós-pandemia e pela capacidade delas se reinventarem.

Soluções para a nova realidade dos negócios com e sem Covid-19 705

Evento, realizado pelo escritório Rücker Curi Advocacia e Consultoria Jurídica, conta com a presença de representantes da Abrasce e da Seguradora Lider

Atualmente, a palavra-chave no cenário empresarial é transformação. O mundo dos negócios passa por um momento em que diversas adaptações são necessárias para garantir longevidade de atuação. Contudo, muitos empresários lidam com o dilema do planejamento a longo prazo, num horizonte ainda repleto de incertezas. Para contribuir com ações estratégicas e cases relevantes, o escritório Rücker Curi Advocacia e Consultoria Jurídica realiza nesta terça-feira (19), às 19 horas, seu primeiro webinar SmarTalks. O encontro terá como tema “Soluções para a nova realidade dos negócios com e sem coronavírus”.

Além de trazer estratégias e apontamentos jurídicos sobre o assunto, com a participação dos sócios Izabela Rücker Curi Bertoncello, Anne Caroline Wendler e Fernando Trindade de Menezes, o debate contará com a expertise empresarial de Gisele Pimentel, gerente jurídica e compliance da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), e Alfredo Lalia Neto, diretor de Riscos e Planejamento da Seguradora Líder, com mais de 25 anos de atuação no mercado. Eles compartilharão suas experiências e as perspectivas de atuação durante e após a pandemia de Covid-19.

O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas pelo site https://materiais.curi.adv.br/inscricao-smartalks-19-05

Corretor de Seguros é protagonista de campanha de marketing da Tokio Marine 3986

Companhia destaca a importância do profissional na vida dos segurados em nova websérie

A segunda fase da campanha institucional da Tokio Marine, uma das maiores Seguradoras do Brasil, destaca o papel fundamental do corretor de seguros como consultor de proteção para seus clientes. Em continuidade à campanha com mote “A Tokio Marine Resolve o que precisa, pra você resolver o que importa”, que já retratou os colaboradores da companhia em 2017 e, em 2018, enfatizou o protagonismo do cliente, mostra em nova websérie histórias sobre como o caráter consultivo do profissional de seguros permitiu que o segurado pudesse ir além.

Priscila Fernandes é Gerente de Marketing da Tokio Marine / Divulgação
Priscila Fernandes é Gerente de Marketing da Tokio Marine / Divulgação

“Em 2019, ano em que completamos seis décadas de atuação no Brasil, buscamos valorizar aqueles que tornam nosso negócio possível. Mais do que nosso único canal de distribuição, o corretor tem papel fundamental para a difusão da cultura do seguro no País e sua contribuição permite que a Tokio Marine cumpra a missão de proporcionar tranquilidade e segurança às pessoas e empresas. Foi isso que tentamos mostrar com as histórias contadas nessa nova websérie”, afirma Priscila Fernandes, Gerente de Marketing da Tokio Marine.

Making of da websérie / Divulgação
Making of da websérie / Divulgação

O primeiro capítulo da websérie estreia no dia 19 de julho, nas redes sociais (Facebook e YouTube) da seguradora e será também exibido nos intervalos do Programa Seguro, da TV Gazeta, aos domingos. Os demais episódios serão divulgados ao longo do segundo semestre de 2019.

Assinados pela produtora Cristal Entretenimento, os vídeos contam com roteiro de Daniela Pistone e direção de Marcelo Botta e Jorge Maia, da Salvatore Filmes.

Ficha técnica da produção:

Produção: Salvatore Filmes
Roteirista chefe: Daniela Pistoni
Roteirista: Inaê Luz Rocha
Diretor: Marcelo Botta e Jorge Maia
1 Assis. Direção: Ricardo Mordoch
2 Assis. Direção: Kelanie Aragão
3 Assis. Direção: André Srur
Produtora de elenco / figuração: Deborah Carvalho
Produzido por Marcelo Botta e Gabriel Di Giacomo
Produtora Executiva: Luciana Coelho
Diretora de produção: Marieta Scatimburgo

Tokio Marine Auto Popular bate recorde e será incluído em ferramentas de multicálculo 3072

Marcelo Goldman é Diretor Executivo de Produtos Massificados da Tokio Marine / Reprodução

Produto ultrapassou marca de R$ 2 milhões em prêmio em um único mês

A Tokio Marine, uma das maiores seguradoras do País, acaba de atingir uma marca relevante na comercialização do Seguro Auto Popular, ao fechar o mês de maio com mais de R$ 2 milhões em prêmio, e mais de R$ 4,5 milhões no acumulado dos primeiros cinco meses de 2019. A projeção é de alcançar a marca de R$ 19 milhões em prêmio emitido até o fim do ano.

Até abril de 2019, a seguradora já tinha conquistado 89,6% de market share deste segmento, com um crescimento de 167% no ano. “O produto tem se mostrado uma excelente oportunidade de geração de negócios para corretores de todo o Brasil, com custo 30% menor do que em outras modalidades, e uma entrada muito forte com clientes novos, ou seja, que não tinham nenhum tipo de seguro”, explica o Diretor Executivo de Produtos Massificados da Tokio Marine, Marcelo Goldman.

A seguradora está prestes a incluir o Auto Popular nas Ferramentas de Multicálculo, sendo mais uma opção para o corretor no momento de cotação e geração das propostas. O seguro atende carros de 0 km até 25 anos de uso, que totalizam 126 modelos elegíveis e mais de 3 mil versões, incluindo novos caminhões e utilitários de carga. “O número de veículos rodando sem Seguro chega a ser de 31 milhões no Brasil e, atualmente, temos a maior idade média da frota dos últimos 18 anos, 9,7 anos de uso. Isso significa que há um amplo mercado a ser explorado”, completa Goldman.

Tokio Marine amplia oferta do Seguro Auto Popular para veículos 0 km e usados até 25 anos 2648

Tokio Marine amplia oferta do Seguro Auto Popular para veículos 0 km e usados até 25 anos

Seguradora é a primeira a operar o produto nesse novo modelo, que pode ser até 30% mais barato que os seguros tradicionais

A Tokio Marine, uma das maiores seguradoras do País, é a primeira do mercado a oferecer o Auto Popular para automóveis novos (zero-quilômetro) ou com até 25 anos de uso. Com a mudança, a companhia passa a ter 126 modelos elegíveis e mais de 3 mil versões, incluindo novos caminhões e utilitários de carga. O produto, lançado em 2017 pela seguradora para compor o portfólio de produtos e fortalecer a presença da empresa no segmento, pode ser até 30% mais barato que os seguros tradicionais.

“No primeiro ano de comercialização do produto, 90% das contratações foram feitas por clientes que, antes, não haviam tido a oportunidade de adquirir um seguro. Isso mostra o potencial e as oportunidades para continuarmos crescendo e investindo nessa categoria”, explica Luiz Padial, Diretor de Automóvel da Tokio Marine. A seguradora é líder de mercado nesse segmento, com 84,3% de market share em 2019, e é a única que oferece essa modalidade de seguro em todo o território nacional.

“Em 2018, o ramo de Automóvel da Tokio Marine registrou alta de 8,4%, ante uma expansão de 3,2% do segmento, o que manteve o nosso histórico de crescer mais que a média de mercado. Trabalhamos constantemente para oferecer novos produtos que atendam às necessidades de nossos clientes, como no caso do Auto Popular. Com esta ampliação de veículos temos expectativa de dobrar a carteira”, completa Padial.

O Tokio Marine Auto Popular inclui cobertura de colisão, incêndio, roubo e furto com opção de contratar apenas colisão e incêndio, e assistência 24 horas completa. O diferencial do Tokio Marine Auto Popular é a possibilidade de reparos com peças novas compatíveis para itens que não sejam de segurança, o que viabiliza um preço significativamente mais competitivo. Para o caso de inexistência de uma peça nova compatível, o conserto será feito com as mesmas utilizadas no seguro tradicional, assim como é feito com os itens de segurança. Outro ponto importante é que, apesar de ser permitido o conserto com peças usadas, a Tokio Marine optou em não as utilizar.

A seguradora ainda oferece adicionais de cobertura de danos a terceiros e acidentes pessoais de passageiros, além de serviços de carro reserva e vidros, entre outros benefícios. Outro grande diferencial do produto é que os clientes do Auto Popular podem escolher entre oficina livre e referenciada – esta com franquia menor. A opção do tipo de oficina será feita pelo cliente no momento do sinistro.

A modalidade é uma das quatro que a seguradora oferece para veículos de passeio na mesma base de cálculo, mais um dos diferenciais dos produtos da carteira de Auto. O Auto Popular, assim como os principais produtos da Carteira, como Tokio Marine Auto, Tokio Marine Auto Clássico, Auto Roubo + Rastreador, Tokio Marine Auto Popular, Tokio Marine Caminhão e Auto Frota, possui uma nova facilidade de pagamento. Os clientes podem realizar o pagamento em 12 vezes sem juros no cartão de crédito em todo o portfólio. A intenção é criar um conceito de mensalidade, para que o consumidor possa encaixar mais facilmente o valor do seguro em seu orçamento.