Indicadores econômicos não estão favoráveis e travam os investimentos 1617

Indicadores econômicos não estão favoráveis e travam os investimentos

Diagnóstico é de Patricia Krause, economista da Coface na América Latina

A capital paulista foi palco do evento Country Risk Conference, onde a Coface, empresa líder em seguros de crédito, gestão de risco e economia global, apresentou as perspectivas econômicas em nível mundial e na América Latina. A CEO da companhia, Marcele Lemos, participou do momento, que contou com apresentação do economista Ricardo Amorim. Amorim abordou as oportunidades que podem ser aproveitadas com um maior crescimento da economia. A programação ainda contou com as perspectivas econômicas mundiais, na visão de Julien Marcilly, economista-chefe da Coface. Já o economista e doutor em ciência política, diretor da consultoria Prospectiva e fellow do Atlantic Council em Washington, Ricardo Sennes, comentou sobre as tendências sócio-políticas e previsões para o biênio 2019/2020. Os trabalhos foram complementados por uma mesa redonda, mediada pelo jornalista Márcio Kroehn.

A economista da Coface, Patricia Krause, também apresentou suas projeções para a América Latina. Em entrevista ao JRS, a especialista demonstrou preocupação com as expectativas de crescimento dos países da região, sobretudo México e Brasil, que enfrentam mudanças políticas e profundas reformas, respectivamente. “O crescimento desses países é muito baixo e deve ser revisado para baixo. É possível, até mesmo, que o Brasil cresça abaixo de 1%, dada a atividade econômica muito fraca do primeiro trimestre. O segundo semestre tende a ser um pouco melhor, os investimentos estão paralisados e impactam nos indicadores de confiança na economia, que ainda não são otimistas, apesar de melhores do que no auge da crise, entre 2015 e 2016”, revela. “No caso do México a produção está em queda e os riscos aumentam a cada dia, com as agências de risco rebaixando diversas empresas daquele país. A nota soberana do México está em perspectiva negativa e ainda precisamos ver o que acontecerá com o novo acordo do NAFTA, agora denominado USMCA”, considera.

As perspectivas de uma aprovação rápida da reforma da previdência não se concretizaram e afetam os índicas de confiança, o que, segundo Patrícia, “ocasiona em um tempo um pouco maior para recuperação da economia. Vários setores estão com desempenho fraco”. “Como seguradora de crédito vemos que a questão da inadimplência já melhorou muito, em relação a 2016, o que possibilita uma Selic estável a 6,5%. Isso ajuda muito na recuperação do crédito”, reitera ao dizer que “tudo passa pela reforma da previdência, mas ela não é o único fator importante. Ela ajudará na confiança e isso vai impactar no aumento da produção. O retorno de investimentos mais fortes no País passa muito pela questão tributária e regras mais claras nas regulações. É importante reforçar a segurança para atração de novas aplicações financeiras”.

Patricia Krause demonstra preocupação principalmente em relação ao que pode acontecer na Argentina e aos conflitos que jogaram a Venezuela na atual situação de colapso financeiro. “Pensou-se que o regime de Maduro poderia chegar ao fim, mas ele é bem mais forte do que se pensava. Ainda não está claro o que vai acontecer, mas os EUA continuam avançando em sanções. Companhias aéreas foram proibidas de voar para lá e essas restrições afetam outros países, como Cuba, que está na mesma linha. A ação militar não é a melhor solução, mas é uma das possibilidades”, justifica. “No caso da Argentina trata-se do terceiro maior parceiro comercial do Brasil. As eleições podem colocar o País em um cenário de risco, até mesmo em função do acordo com o FMI, que poderia ficar mais complicado”, completa.

Já a guerra comercial entre China e Estados Unidos pode resultar em algo positivo para o Brasil e até resultar em um vencedor a curto prazo. “No geral esse movimento não é nada positivo, pois impacta em todas as indústrias na cadeia de produção, demanda e até mesmo a balança comercial. Não é uma grande possibilidade, mas este movimento pode até mesmo impactar na inflação brasileira”, traça.

Na Europa as atenções são voltadas ao acordo do Brexit, que será apreciado pelo parlamento. “Na Inglaterra os principais setores impactados foram o de construção e o de alimentos. É um momento de incertezas e retração de investimentos também por lá”, finaliza.

‘RJ da Sorte’ vai sortear carrão com R﹩ 100.000,00 no porta malas 618

Título da CAPEMISA Capitalização vai ter um Honda City 0km com R﹩ 100.000,00 no porta malas, além de vários prêmios em dinheiro nos outros três sorteios pelas dezenas.

Pensar que ao fim de um longo período de distanciamento social vai ser possível andar por aí com um carrão 0km e dinheiro no bolso é o sonho de consumo de muito morador do Rio de Janeiro. Sobretudo depois que a pandemia fez mais de 1 milhão de pessoas perderem seus empregos no país apenas no último mês. Por isso que o ‘RJ da Sorte’ programou para esta semana um sorteio mais que especial. No próximo domingo, dia 12 de julho, serão três sorteios pelas dezenas no valor de R﹩ 10.000,00, cada; além do prêmio principal de um Honda City 0km com R﹩ 100.000 em dinheiro no porta malas.

No ‘Cadastro da Sorte’, o título de capitalização da CAPEMISA vai sortear um Fiat Mobi 0km e mais 20 prêmios ‘Xô Aperto’ de R﹩ 1.000,00 cada, para quem cadastrar ou comprar online até 11/07 no site http://www.rjdasorte.com.br ou pelo aplicativo para celular. Tudo isso ao vivo, às 9h, na TV Band Rio, sempre comandado pelos apresentadores mais alegres das manhãs de domingo, Vivi Romanelli, Carlos Alberto e Aline Malafaia.

Compra online para facilitar a sua vida – A CAPEMISA Capitalização aproveitou o isolamento social e lançou plataforma no site do ‘RJ da Sorte’ e no APP para celulares Android para que os clientes possam adquirir o título de capitalização online, sem precisar sair à rua. Assim, além de manter o isolamento necessário para proteger a própria saúde e a de toda a comunidade, o morador do estado Rio de Janeiro ainda pode continuar a ajudar os projetos das 62 unidades da APAE Brasil no Rio e concorrer a prêmios. Para comprar, é muito fácil.

Basta acessar o site http://www.rjdasorte.com.br (versão para computadores e dispositivos móveis) ou o aplicativo ‘RJ da Sorte’ (inicialmente exclusivo para celulares Android). Ao efetivar a compra através do cartão de crédito ou boleto bancário será emitido um título digital, que terá as mesmas características de um título físico, garantindo a participação do subscritor do título normalmente em todas as categorias de premiação. Além disso, o cadastro dos títulos para concorrer a todos os sorteios será automático, gerando mais um benefício para os consumidores.

‘RJ da Sorte’ – É um título de capitalização da modalidade filantropia premiável, criado pela CAPEMISA Capitalização, com operação autorizada pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), órgão vinculado ao Ministério da Economia, que fiscaliza os títulos de capitalização de todo o Brasil. O ‘RJ da Sorte’ atende a todos os requisitos exigidos na regulamentação setorial, em especial Circulares SUSEP nº 569, 576 e 582/2018 e destina os resgates para a APAE – Brasil, para financiar projetos das 62 APAEs do Rio de Janeiro.

IRB Brasil Re aumentará capital entre R$ 2,1 bilhões e R$ 2,3 bilhões 660

Bradesco e Itaú vão subscrever a emissão no mesmo patamar de suas participações

O IRB Brasil RE informou nesta quarta-feira, 8 de julho, que seu Conselho de Administração aprovou o aumento de capital social da Companhia, por meio de emissão de ações ordinárias. Como anunciado há alguns dias, o tema vinha sendo estudado internamente. O valor da emissão será de no mínimo R$ 2,1 bilhões e no máximo de R$ 2,3 bilhões, com quantidades mínimas e máximas sendo, respectivamente, de 303.030.304 e 331.890.331 ações.

“O aumento de capital é a melhor alternativa para a Companhia buscar o seu reenquadramento nas regras de Provisões Técnicas da Superintendência de Seguros Privados (Susep), além de fortalecer a estrutura de capital do IRB Brasil RE e melhorar a sua posição de caixa”, diz o presidente do Conselho de Administração e atual Diretor Presidente, Antonio Cassio dos Santos. “Esta é uma solução equânime, equilibrada e de longo prazo, que garante o futuro desta Companhia de tanta tradição no mercado brasileiro e latino-americano. É uma nova fase para o IRB Brasil RE.”

Os acionistas Bradesco Seguros S.A. e Itaú Seguros S.A. – pertencentes aos dois maiores grupos financeiros do país – se comprometeram a acompanhar o aumento de capital de forma proporcional às suas participações, respectivamente de 15,4% e 11,3%, e também manifestaram a intenção de subscrever quaisquer quantidades que eventualmente sobrarem após a primeira rodada de oferta, de forma a assegurar a subscrição do valor mínimo de R$ 2,1 bilhões da emissão.

O preço de emissão dos papeis será de R$ 6,93. O prazo de exercício do direito de preferência para subscrição de ações terá início no pregão do dia 14 de julho de 2020, se estendendo até o dia 12 de agosto de 2020. Seguindo as regras da B3, a data de corte para a participação na emissão será dia 13 de julho de 2020 – é importante ressaltar que todos os acionistas que constem da base no pregão deste dia terão as mesmas condições de participação na emissão.

Os acionistas terão direito de preferência para subscrever ações na proporção de 0,35938828 nova ação ordinária para cada ação da qual que forem titulares – ou seja, cada acionista poderá subscrever uma quantidade de novas ações que representem 35,938828% do número de ações de que for titular no fechamento do pregão da B3 na Data de Corte.

100 dias da nova direção executiva – “O IBR Brasil RE é uma empresa líder de mercado e com um bom portfólio de clientes, com todas as condições de retomar o caminho do crescimento e da geração de resultados”, diz Antonio Cassio. “Estamos trabalhando para levarmos o IRB para o próximo nível, sem pressa mas sem pausa, como temos repetido constantemente nestes primeiros 100 dias da nova administração da Companhia.”

Nestes primeiros meses, a nova administração do IRB Brasil RE vem promovendo uma revisão completa da gestão da empresa, mesmo enfrentando restrições durante o período de pandemia, em razão do isolamento necessário à preservação de seus colaboradores. No período, realizou uma investigação independente para apurar a divulgação de informações inverídicas sobre uma suposta participação da Berkshire Hathaway como acionista do IRB Brasil RE, bem como apurações internas que revelaram o pagamento indevido a executivos da antiga gestão no valor de R$60 milhões e de indícios de administração temerária evidenciada na recompra de ações acima do limite aprovado pelo Conselho de Administração. As informações foram entregues aos reguladores (Susep e Comissão de Valores Mobiliários – CVM) e ao Ministério Público Federal, para que os indícios de irregularidades sejam devidamente apurados e seus autores sejam responsabilizados.

Soma-se a isso uma revisão completa e a reapresentação das Demonstrações Financeiras dos exercícios de 2018 e de 2019, a partir de consultoria forense, e a melhoria das práticas internas de gestão e da governança, com o aumento no número de diretores estatutários, uma nova diretoria executiva e a revisão de procedimentos.

Além disso, o Conselho de Administração teve o seu número de integrantes ampliado para nove membros, com uma grande renovação do colegiado: sete assentos são ocupados por novos conselheiros, profissionais de extensa bagagem em diversas áreas e reconhecidos pelo mercado.

Abertas inscrições para a 5ª categoria do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros 853

Inscrições das demais categorias esta abertas desde o dia 1º de julho

Estão abertas, a partir desta quinta-feira (09 de julho), as inscrições de trabalhos na categoria especial “Formação e Qualificação Profissional” da edição 2020 do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros.

Realizada em conjunto pela FENACOR e a ENS, com o apoio institucional da CNseg, esta edição terá outras quatro categorias em disputa: “Midia Impressa”, “Audiovisual” (incluindo Rádio e TV), “Webjornalismo” e “Imprensa Especializada do Mercado de Seguros”. Nessas categorias, as inscrições já estão sendo feitas desde o dia 1º de julho.

A diferença de datas é decorrente da necessidade de ajustes no sistema.

Podem ser inscritas reportagens e matérias veiculadas entre os dias 11 de novembro de 2019 e 15 de novembro de 2020.

Os jornalistas poderão inscrever suas reportagens até o dia 16 de novembro de 2020 neste endereço eletrônico:
https://www.fenacor.org.br/premiodejornalismo/Home.

AXA no Brasil tem plano de contingência para a região Sul do país 609

Cilone bomba atingiu 171 cidades

Após o “ciclone bomba” que atingiu a região Sul do Brasil, afetando 171 cidades, a AXA implementou rapidamente um plano de contingência para atender e apoiar corretores e segurados. Com mais de 80 bases de atendimento na região, a companhia orientou todos os prestadores, preparando-os para deslocar vistoriadores de bases vizinhas caso necessário, além de reforçar a atuação da Vistoria Remota para agilizar os processos e garantir o atendimento do segurado. Para condomínios, a seguradora disponibiliza ainda assistência 24 horas para serviços emergenciais.

“Estamos trabalhando de forma conjunta com as áreas de prestadores de serviços, riscos, e comercial para garantir uma atuação integrada e que garanta o bom atendimento do segurado e do corretor por quaisquer meios que ele venha a nos acessar. Com reportes diários, as equipes estão preparadas para orientar clientes e responder rapidamente às ocorrências, mitigando as perdas” afirma Arthur Mitke, Diretor de Sinistros da AXA no Brasil.

Até o momento, dos sinistros comunicados à seguradora, houve maior incidência nos ramos de Condomínio (55%), Empresarial (32%) e Property (12%). “A interação entre os times e a troca constante de informação contribui para que possamos atender à todos, priorizando os clientes afetados e a indenização dos prejuízos com total agilidade. Mobilizamos nossos especialistas e parceiros para atender os corretores e os clientes e permitir que retomem seus negócios e atividades o quanto antes”, diz Antonio Viana, Superintendente Comercial da região Sul.

Bradesco Seguros: campanha ´´empresarial em foco“ é prorrogada 1058

Com 15% de desconto em todas as coberturas para seguros empresariais novos, renovação ou endossos, a campanha promocional foi estendida até dia 09 de agosto

Em razão das dificuldades que o setor empresarial vivencia por conta da pandemia do novo coronavírus, a Bradesco Auto\RE – empresa do grupo Bradesco Seguros – prorrogou até o dia 09 de agosto a campanha promocional ‘Empresarial em Foco’, que oferece 15% de desconto em cobertura de seguros novos, renovações ou endossos para o ramo empresarial. Por meio da ação, em média, 20 setores estão sendo beneficiados com o desconto que contempla desde estabelecimentos de saúde e de ensino até fábricas de confecção e produtos alimentícios, entre outros.

“O seguro empresarial oferece soluções rápidas para os problemas corriqueiros do dia a dia e proteção ao patrimônio em situações adversas. As coberturas contemplam, desde danos causados por incêndios – envolvendo equipamentos elétricos ou causados por materiais sólidos e líquidos – até explosões, além de queda de raio, roubo, entre outros imprevistos. O seguro ainda disponibiliza assistências emergenciais gratuitas 24h por dia, como chaveiro, vigilante, vidraceiro, serviço de mão de obra elétrica e hidráulica, entre outros serviços. Em razão do sucesso da campanha e entendendo a atual situação do empresariado, resolvemos estender o período de desconto”, afirma Saint’Clair Lima, Diretor da Bradesco Auto/RE.