Tecnologia veio para democratizar o acesso ao seguro 2461

Paulo Marchetti, CEO da ComparaOnline, participou do JRS São Paulo

Serviços que prezam transparência na relação com o cliente são o enfoque da ComparaOnline. O CEO do marketplace do setor de seguros, Paulo Marchetti, participou do JRS São Paulo e explicou um pouco mais sobre as novidades que a companhia está implementando no mercado segurador.

“Foi um processo super enriquecedor, muito interessante. A gente veio pro Brasil já faz 5 anos, através da aquisição do Buscapé. Na época que o Buscapé entrou em serviços financeiros a gente achou que seria uma boa forma de entrar. O Buscapé hoje é sócio minoritário da ComparaOnline, um sócio brasileiro que a gente tem. Eles têm uma participação pequena mas estão alinhados com o nosso DNA. Então, a gente veio em um momento, 5 anos atrás, onde houve um “Boom” das insurtechs entrando no mercado e muitas ficando pelo caminho. Então, quando a gente entrou tava muito aquecido, os preços de aquisição de cliente, de equipe, pra você montar uma equipe, no Brasil tava muito caro para achar profissionais qualificados. E a gente veio construindo a nossa plataforma de tecnologia e observando sem um crescimento tão agressivo. Nos últimos 2 anos, quando a água baixou e a gente viu que muitos players saíram do mercado, a gente falou “Agora é a hora”. O mercado só cresceu e muitos players ficaram sem capital porque não tinham fundos que estavam dispostos a apostar pensando no longo prazo, diferente do nosso perfil. E aí a gente começou a acelerar bastante nos últimos 2 anos com a plataforma de tecnologia muito bem montada”, explicou Marchetti.

O campo da insurtech vai pra democratizar o acesso às soluções de seguros, na opinião do especialista. “A gente observa que o consumidor que não tem seguro tem ido pra internet buscar opção, isso é muito impressionante. Clientes começam a fazer perguntas muito básicas. “Por que eu pago uma franquia? Pra que serve uma franquia? O que é o prêmio?” Então a nossa missão é facilitar essa linguagem, tirar do “segurês”, falar uma linguagem que as pessoas entendam e saibam o que elas estão comprando. É super interessante que às vezes a gente vende um seguro, explica e depois de algum período a gente fala com o cliente e ele ainda não entendeu o que ele comprou. Então, nosso principal objetivo e das próprias insurtechs é levar o caminho da distribuição mais fácil, mais barata e mais eficiente. Isso só funciona em parceria com as seguradoras com a cabeça de modernização, de ganhar eficiência porque pra gente conseguir abranger o Brasil inteiro e todos os tipos de renda, o distribuir o seguro precisa ser barato. Se for um processo muito caro, se cada seguro que eu for vender eu depender de um atendimento de 5 horas, 4 horas, ele é muito caro. E isso desestimula a democratizar o acesso”, revela.

As preferências do consumidor moderno também estão na mira da ComparaOnline. “A gente sabe que esse consumidor não vai comprar de impacto, ele vai pensar um pouco. Ele tem algumas horas, um dia, dois dias para digerir aquele produto, entender o que ele tá comprando e aí consumir. Mas isso faz com que não seja tão importante eu não mostrar o preço porque senão ele vai achar que eu não estou resolvendo o problema dele. Então, a gente entende e respeita a questão de não querer mostrar o preço de algumas seguradoras online, mas a gente também entende o lado do consumidor que se frustra quando você vai buscar alguma coisa e eu não te atendo. A gente entende que tem alguma frustração que a gente tenta resolver porque a gente acha que essa comunicação é importante pro consumidor”.

A tecnologia é evidenciada por Marchetti como um facilitador na vida do consumidor. “A gente investiu bastante para facilitar na hora de cotar e reduzir, também, erros operacionais. Quando você vai fazer uma cotação, se você sabe a placa do seu carro, não se pergunta mais chassi, ano, modelo. Com isso, mesmo que não mostre na tela, a gente já consultou qual é o veículo correto. Imagina só você achar que seu carro é modelo x e no documento ele é outro, aí eu vou fazer e vou errar. Então, tecnologia, principalmente pela quantidade de dados que existe no mercado hoje. A partir do momento que você me forneceu seu CPF, eu não preciso perguntar sua data de nascimento nem seu nome completo. Eu pergunto como a pessoa quer ser chamada, mas não preciso do nome completo. O uso da tecnologia, então, é pra ganhar rapidez, precisão na hora de informar dados, e a gente vê isso de forma super importante e, também, na agilidade da transmissão da própria venda. A gente entende que a parte do pós-venda ainda tem um campo muito grande pra gente melhorar. Até o processo de venda ainda flui, mas no pós-venda a gente ainda sofre um pouco quando tem alguma pendência de fazer alguma emissão de uma apólice. Alguns tipos de tratativas ainda são dores no processo de pós-venda que a gente sente bastante porque sai da esteira do automático e isso encarece. E toda vez que encarece a gente penaliza a distribuição que não consegue ser mais eficiente”.

Ainda assim, o fator humano ainda é crucial para a sustentabilidade de negócios no mercado segurador. “O fator humano ainda é muito importante na hora de complementar a tecnologia. Eu posso ter feito o melhor produto no ponto de vista de usabilidade, de tela, seja no celular ou seja no computador, mas se eu tiver um contato humano ruim ou inexistente, eu perco muito na percepção desse consumidor. Então, praticamente 100% das nossas vendas ainda passa por um contato humano que a gente tem buscado, cada vez mais, aumentar a qualidade”, justifica.

Independente da crise, Paulo Marchetti acredita no crescimento do mercado brasileiro. “A gente tem uma parte da população da população que ainda tá fora desse consumo de produto, faz parte do amadurecimento e da maturidade financeira das pessoas e também a discussão de previdência. A gente, então, precisa só aprender a lidar com novas realidades. De tecnologia, de acesso à informação etc.”, finaliza.

Pedidos de recuperação judicial caem em abril 535

Resultado é 3,2% menor que o visto no mesmo mês em 2019

O último mês de abril, marcado pelos efeitos negativos do isolamento social e da queda do consumo, registrou 120 pedidos de recuperação judicial, de acordo com dados da Serasa Experian. O dado ficou próximo aos 124 acordos requisitados no mesmo mês de 2019, o que representa uma queda de -3,2% no período. Já quando analisado em comparação com março deste ano, sem ajuste sazonal, houve um aumento expressivo de 46,3% no volume de recuperações judiciais solicitadas, ante os 82 pedidos que foram feitos na época.

O economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, analisa que por conta dos prazos burocráticos para que as decisões de solicitar a recuperação judicial se concretizem, os números ainda não sofrem tanto impacto relacionado ao atual período de incertezas econômicas, mas prevê que esse número cresça daqui em diante. “Com empresas enfrentando dificuldades no fluxo de caixa e para manter a folha salarial em virtude da queda considerável dos níveis de consumo e de produção, nos próximos meses devemos ter um aumento dos pedidos, sendo que as empresas de menor porte e as recentemente criadas deverão ter uma maior representatividade”, projeta o economista.

Rabi ainda explica que apesar da queda observada na comparação anual, o índice pode ser considerado estável, uma vez que a variação das quantias absolutas, ou seja, o total de requerimentos, são relativamente baixos. “Podemos enxergar essa estabilidade quando analisamos que o acumulado deste ano até abril totalizou 377 pedidos, sendo praticamente igual ao do ano passado, quando tivemos 371”, explica o economista.

Setor de serviços e micro e pequenas empresas lideram pedidos em abril

O indicador de Recuperação Judicial da Serasa revela que o setor de serviços foi o mais impactado e quase dobrou o número de requisições, passando de 56 solicitações de recuperação judicial em abril de 2019 para 92 em igual mês de 2020. Os demais seguimentos tiveram baixa, entre elas a mais acentuada foi no setor primário, que diminuiu de 22 pedidos para apenas 3.

Na análise por porte todas as naturezas jurídicas tiveram diminuição, no entanto, as micro e pequenas empresas continuam se destacando, com 226 pedidos feitos em abril deste ano. Em seguida estão as médio porte (99) e grandes empresas (52).

Solicitações de falências caem 42,7% em abril

Em abril de 2020 foram registradas 75 requisições de falências, uma retração de 42,7% em relação ao mesmo mês de 2019 que marcou 131 requerimentos. O economista Luiz Rabi pondera que a baixa tem a ver com o fato de que tanto as empresas credoras como as devedoras têm buscado flexibilizar novos acordos financeiros para suas dívidas, demovendo mesmo que temporariamente, os credores a entrarem com pedidos de falências.

Serasa promove capacitações gratuitas para ajudar pequenos negócios

Para ajudar os micro, pequenos e médios empresários a atravessarem a turbulência deste momento, a Serasa Experian tem promovido uma série de ações on-line neste mês de maio. Os empreendedores que estão com dificuldades financeiras podem acompanhar todas as quintas às 18h, uma série de lives no Instagram da Serasa. Sob o comando de especialistas da Serasa e convidados especiais, toda semana o conteúdo é diferente e ajuda as empresas a manterem o fluxo de caixa, potencializarem suas vendas e praticarem uma boa gestão de pessoas à distância. Neste mês, haverá uma programação especial sobre fraudes e abordagem criativa junto a clientes.

Além das lives, a Serasa também vem ajudando os empresários de pequeno porte com uma série de materiais gratuitos voltados para o cuidado da saúde financeira dos negócios e um curso on-line gratuito para micro e pequenos empreendedores individuais (MEIs).

Outra iniciativa é o ‘Estímulo 2020’, um movimento nacional e sem fins lucrativos da qual a Serasa faz parte e que reúne empresas de diversos setores para oferecer capacitação e crédito online barato aos pequenos negócios que estão sofrendo os impactos econômicos do isolamento social. Pequenas empresas que faturam entre R$ 360 mil e R$ 2 milhões por ano e existem há pelo menos três anos podem participar. A inscrição é feita no site www.estimulo2020.org.

A série histórica deste indicador está disponível em:
https://www.serasaexperian.com.br/amplie-seus-conhecimentos/indicadores-economicos

ANS inclui mais seis exames no Rol de coberturas obrigatórias 545

Decisão foi tomada para ampliar as medidas de combate ao coronavírus

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está incluindo mais seis exames que auxiliam na detecção do novo Coronavírus na lista de coberturas obrigatórias dos planos de saúde. A decisão foi tomada pela Diretoria Colegiada em reunião realizada nesta quarta-feira (27). A medida passa a valer a partir da publicação da Resolução Normativa no Diário Oficial da União.

As novas incorporações buscam ampliar as possibilidades de diagnóstico da Covid-19, especialmente em pacientes graves com quadro suspeito ou confirmado, e estão alinhadas às diretrizes e protocolos do Ministério da Saúde para manejo da doença. Dessa forma, auxiliam no diagnóstico diferencial e no acompanhamento de situações clínicas que podem representar grande gravidade, como por exemplo, a presença de um quadro trombótico ou de uma infecção bacteriana causada pelo vírus.

Os testes podem ajudar os profissionais de saúde a tomar a conduta certa na hora certa, salvando vidas, muitas vezes, em situações limítrofes, que dependem que abordagens terapêuticas específicas sejam instituídas com rapidez para que sejam eficazes.

Passam a ser de cobertura obrigatória para os beneficiários de planos de saúde nas segmentações ambulatorial, hospitalar e referência os seguintes testes:

– Dímero D (dosagem): O procedimento já é de cobertura obrigatória pelos planos de saúde, porém, ainda não era utilizado para casos relacionados à Covid-19. É um exame fundamental para diagnóstico e acompanhamento do quadro trombótico e tem papel importante na avaliação prognóstica na evolução dos pacientes com Covid-19.

– Procalcitonina (dosagem): O procedimento é recomendado entre as investigações clínico-laboratoriais em pacientes graves de Covid-19, auxiliando na distinção entre situações de maior severidade e quadros mais brandos da doença.

– Pesquisa rápida para Influenza A e B e PCR em tempo real para os vírus Influenza A e B: Esses testes são indicados para diagnóstico da Influenza. A proposta consiste na incorporação dos dois procedimentos para minimizar questões de disponibilidade e para otimizar o arsenal diagnóstico disponível. A pesquisa rápida é recomendada para investigações clínico-laboratoriais em pacientes graves. O diagnóstico diferencial é importante, pois a influenza também pode ser causa de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS).

– Pesquisa rápida para Vírus Sincicial Respiratório e PCR em tempo real para Vírus Sincicial Respiratório: Esses testes são indicados para diagnóstico da infeção pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR). A proposta consiste na incorporação dos dois procedimentos para minimizar questões de disponibilidade e para aprimorar as possibilidades. O teste rápido para o VSR é útil no diagnóstico diferencial de Covid-19 em crianças com infecção viral grave respiratória.

“A ANS permanece atenta às mudanças no cenário do enfretamento da Covid-19 e está alinhada aos protocolos do Ministério da Saúde. A maioria dos testes diagnósticos citados nas diretrizes do órgão já são de cobertura obrigatória no âmbito da saúde suplementar. No entanto, observamos que alguns testes destinados à atenção de pacientes graves, que podem impactar na conduta terapêutica, não estavam listados no rol de coberturas mínimas dos planos de saúde ou, quando já incluídos, não contemplavam pacientes com quadro suspeito ou confirmado da Covid-19. Dessa forma, estamos incluindo esses exames para ampliar as possibilidades de diagnóstico e, assim, buscar uma resposta mais rápida e efetiva para salvar vidas”, explica o diretor-presidente substituto da ANS, Rogério Scarabel.

A proposta de atualização extraordinária da cobertura assistencial será reavaliada até o final do processo regular de atualização do Rol em curso, tanto quanto ao seu contexto de utilização no quadro pandêmico, quanto aos seus critérios técnicos, e será submetida a consulta pública, juntamente com as propostas de atualização elegíveis do atual ciclo de atualização.

Esta é a segunda inclusão extraordinária de procedimentos relacionados ao novo Coronavírus no Rol de Procedimentos da ANS. Desde o dia 13/03, os planos de saúde são obrigados a cobrir o exame Pesquisa por RT-PCR, teste laboratorial considerado padrão ouro para o diagnóstico da infecção pela Covid-19.

Susep reforça que declarações atribuídas a Solange Vieira são inverídicas 2025

Superintendência enviou nota de esclarecimento à toda imprensa no final da tarde de ontem, 27

Após repercutir no mercado a suposta declaração da superintendente da Susep, Solange Vieira, a autarquia reforçou, em nota enviada à toda imprensa no final da tarde desta quarta-feira (27), que as declarações são inverídicas, conforme já havíamos noticiado. Leia abaixo:

Esclarecemos que as declarações atribuídas a Solange Vieira em recente matéria jornalística sobre a pandemia COVID-19 são inverídicas. Reiteramos que, a convite do então ministro Luiz Henrique Mandetta, a economista esteve em março no Ministério da Saúde (MS), para contribuir com os modelos de projeção decorrente da pandemia utilizados por aquela pasta. Na ocasião, foram observados os cenários apresentados e seus impactos, com foco sempre na preservação de vidas. A economista declara seu repúdio a toda e qualquer ilação que impute a alguma análise proferida juízo de valor em sentido contrário ao direito à vida e à saúde para todos, de qualquer idade, a qualquer tempo. Medidas legais cabíveis sobre o assunto estão sendo analisadas.

Abrapp realiza hackaton inédito voltado para a previdência privada 571

Iniciativa busca soluções inovadoras para setor de fundos de pensão

De olho em soluções inovadoras que impulsionem a previdência complementar, a Abrapp (entidade que reúne os fundos de pensão) realiza a partir desta sexta-feira (dia 29) um hackaton. Esse será o primeiro hackaton voltado especificamente para a previdência privada e será aberto à comunidade em geral, estendendo-se até o dia 31.

Além de ser um canal para levar soluções inovadoras para a previdência privada, o evento alcançará um público mais jovem, que está no começo de sua jornada no mercado de trabalho.

A maratona, batizada de Hack’A’Prev, foi inicialmente construída no final do ano passado com uma modelagem presencial. Com a chegada da Covid-19, a Abrapp reviu esse planejamento, e optou por realizar o evento em versão on-line.

O novo modelo foi estruturado em parceria com a Shawee, empresa especializada em hackathons. A migração do modelo presencial para o on-line trouxe vantagens de custos, além de poder extrapolar o número limite de maratonistas sem impactos, e consequentemente o número de equipes e soluções apresentadas serão maiores. Outro ganho foi para o time de mentores, que é parte da Shawee, com mentorias na linha de desenvolvimento e construção de projetos, e parte do nosso sistema, que são técnicos e especialistas no desafio. Dentro do conceito da plataforma on-line, a participação da mentoria é flexibilizada, permitindo que a gente trabalhe com um bom número de mentores.

Os participantes do Hack’A’Prev terão até dia 31 de maio para entregar esses projetos, e no dia 4 de junho, às 19h, será realizada a live de apresentação dos ganhadores, com o resultado final, apurado pela banca. A premiação concederá R$ 12 mil ao 1º lugar; R$ 5 mil ao 2º lugar; e R$ 3 mil ao 3º lugar.

Porto Seguro oferece condições especiais de pagamento  565

Clientes contam com facilidades e descontos durante este período

As pessoas seguem adaptando-se à nova realidade. E para ajudá-las neste momento, a Porto Seguro, sempre atenta às necessidades dos clientes, adotou condições especiais de pagamento em seus produtos e serviços. Os consumidores contam com facilidades no parcelamento e na renovação das apólices de seguros, além de descontos no acionamento de serviços emergenciais para residência.

“Nosso apoio se torna ainda mais necessário agora. Por isso, adotamos medidas mais flexíveis para que os segurados atravessem esse momento com a certeza de que estarão protegidos em qualquer circunstância. Este é o nosso compromisso” declara Rivaldo Leite, vice-presidente Comercial e de Marketing da companhia.

Confira as condições especiais:

Porto Seguro Aluguel

As imobiliárias podem oferecer aos inquilinos que realizaram a sua locação com a garantia do Porto Seguro Aluguel a possibilidade de pagarem os aluguéis em atraso ou a vencer no cartão de crédito, à vista ou parcelado em até 10x. Independente da forma de pagamento escolhida pelo inquilino, as imobiliárias receberão o valor à vista.

Porto Seguro Auto e Azul Seguros

O Porto Seguro Auto e a Azul Seguros oferecem condições especiais de renovação. Até 31 de maio, as apólices podem ser renovadas com o mesmo preço de 2019 e parceladas no cartão de crédito em 10x sem juros. Além disso, para dar mais condições às renovações, foi prorrogada a campanha que concede 10% de desconto no seguro auto aos clientes que aderirem ao Cartão de Crédito Porto Seguro, e 5% de desconto para quem já possui o Cartão e o utilizar na renovação da apólice.

Porto Seguro Carro Fácil

Até o dia 31 de maio, os consumidores que contratarem o Carro Fácil, o serviço de assinatura de veículos 0km com seguro, documentação, IPVA, manutenção, leva e traz e serviços à residência inclusos, terão 75% de desconto nas duas primeiras parcelas do plano de 14 meses. Para consultar as condições e os modelos disponíveis, acesse https://lp.portosegurocarrofacil.com.br/desconto.

Porto Seguro Consórcio

O Porto Seguro Consórcio oferece uma redução de 25% no valor da parcela até a contemplação, sendo que a diferença será paga após a contemplação. A condição é válida para o produto Automóvel até o dia 30 de junho. Consulte as regras de participação de cada grupo com o seu Corretor ou consultor do Porto Seguro Consórcio.

Porto Seguro Ramos Elementares

No segmento de Ramos Elementares, a companhia oferece 10% de desconto para os clientes que contratarem os seguros Residência e Empresa com a aquisição do Cartão de Crédito Porto Seguro pela primeira vez e utilizando-o já no pagamento do seguro, além do parcelamento em até 10x sem juros para a mesma forma de pagamento. As condições vão até o dia 30 de junho para ambos os produtos. Clientes dos seguros Residência, Empresa e Condomínio ainda contarão com renovação garantida sem aumento de preço em apólices com vencimento até 2 de junho e que não tenha registrado sinistro.

Porto Seguro Vida

O Porto Seguro Vida oferece uma redução de 15% na contratação do seguro de vida, sem limite mínimo, para pagamento à vista ou em até 4x no Cartão de Crédito Porto Seguro ou de 10% para cartões de outras bandeiras. Para demais parcelamentos, é oferecido 10% de redução no Cartão Porto e 5% para demais bandeiras. Todas essas condições sem prazo de validade.

Reppara!

Os assinantes do Reppara!, plano de assinatura para serviços residenciais do Grupo Porto Seguro, agora podem acionar os serviços oferecidos sem carência na primeira utilização. Diferente do Porto Seguro Faz, em que os serviços são contratados de forma avulsa, no Reppara! o cliente tem acesso a diversos atendimentos para sua residência ao assinar um pacote mensal. É possível acionar um serviço por mês. São dois planos disponíveis: o Reppara!, que conta com chaveiro, consertos hidráulicos, elétricos e desentupimentos. E o Reppara!+, que além de todos os serviços, possui conserto de eletrodomésticos.