2 em cada 3 brasileiros sonha em pedir demissão 713

2 em cada 3 brasileiros sonha em pedir demissão

Isso não quer dizer que odeiam seu trabalho, mas, na verdade, mostra que 77% deles sonham em empreender

Os brasileiros realmente sentem que podem mudar o mundo: os indicadores mostram que, dos que têm vontade de se tornar empreendedor ou empreendedora, 67% acreditam que suas ideias poderiam contribuir para uma revolução no mercado.

A pesquisa realizada em 24 países contou com 23.500 participantes, incluindo 1 mil brasileiros, fez um levantamento sobre o sonho de empreender de pessoas ao redor do mundo e também suas motivações e principais desafios que enfrentam.

Globalmente, a principal razão de empreender é o fato de seguir uma paixão (64%). Mas, no Brasil, o que motiva mesmo é a flexibilidade de horário (64%), seguido pela vontade de ser seu próprio chefe (63%), o potencial de aumentar seus ganhos (54%), aumentar a satisfação profissional (51%) e, apenas em quinto lugar, foi citada a vontade de seguir uma paixão (50%).

Encomendada pela Herbalife Nutrition e conduzida pela OnePoll, a pesquisa apontou que apenas 21% dos brasileiros já está dando os primeiros passos para abrir seu próprio negócio ou já está empreendendo. Dos que estão interessados em começar um negócio, 65% se sentem sem fôlego para encarar os desafios. Além disso, 80% dos brasileiros acham que nunca teriam a oportunidade de seguir seu sonho de abrir o próprio negócio, enquanto 69% das pessoas nos demais países têm o mesmo sentimento.

Curiosamente, 64% dos brasileiros acreditam que as mulheres enfrentam desafios diferentes dos homens quando se trata de empreender, incluindo “quebrar padrões sociais, lidar com acesso limitado a financiamento e lutar para ser levada a sério”.

Porém, para ambos os sexos, entre as principais barreiras estão: os altos custos de investimento inicial (69%), insegurança de como começar (29%), falta de informação sobre dados de mercado e financiamento (27%), preocupações sobre se, de fato, será bem-sucedido (23%) e receio de não ser um negócio lucrativo (22%).

Como investimento inicial, 81% dos brasileiros usariam recursos próprios, mas também considerariam buscar algum tipo de investimento (26%), buscariam um sócio (23%) ou então buscariam empréstimos pessoal (22%). Apenas 17% pediriam dinheiro emprestado para algum familiar.

“Começar um negócio a partir do zero pode ser assustador, mas a oportunidade de buscar sua própria paixão pode ser uma experiência emocionante e libertadora”, disse John DeSimone, co-presidente e Chief Strategic Officer da Herbalife Nutrition.

Mesmo com essas dificuldades, 53% dos brasileiros acreditam que é mais fácil iniciar um negócio no Brasil do que em outros países. Seis em cada dez pessoas que têm vontade de empreender já deram seus primeiros passos, sendo que os homens foram 13% mais propensos a tomar a iniciativa do que as mulheres.

Dentre as principais motivações daqueles que empreendem, 57% afirmam que seguiram seus sonhos, enquanto 42% viram o potencial de mudarem seus ganhos, 34% ouviram seu instinto, 26% foram incentivados pela família e 21% por amigos.

A cada dez brasileiros que já empreenderam, cerca de nove acreditam que ter tomado essa decisão proporcionou muito mais felicidade para eles.

Benefícios de empreender

  1. Flexibilidade de horário                                                         64%
  2. Vontade de ser seu próprio chefe                                        63%
  3. Potencial de aumentar seus ganhos                                    54%
  4. Aumentar a satisfação profissional                                       51%
  5. Vontade de seguir uma paixão                                             50%

 

Motivos que levaram a empreender

  1. Seguir um sonho                                                                   57%
  2. potencial de mudar seus ganhos                                          42%
  3. Ouvir seu instinto                                                                  34%
  4. Incentivo da família                                                               26%
  5. Incentivo dos amigos                                                            21%

Barreiras para abrir o próprio negócio

  1. Altos custos de investimento inicial                                      69%
  2. Insegurança de como começar                                            29%
  3. Falta de informação de mercado e financiamento               27%
  4. Receio de não ser bem-sucedido                                         23%
  5. Receio de não ser um negócio lucrativo                              22%

A pesquisa foi realizada em abril de 2019.

Divulgação/Infográfico da pesquisa sobre empreendedorismo
Divulgação/Infográfico da pesquisa sobre empreendedorismo

HDI Seguros cria diretoria de Transformação e Inovação 552

Movimento faz parte do novo ciclo operacional da companhia que inclui investimentos arrojados em tecnologia e negócios conectados com as jornadas das pessoas

A HDI Seguros, quinta maior seguradora de automóvel e sexta de residência no País, acaba de criar a diretoria de Transformação e Inovação, que passa a fazer parte da estrutura da presidência. Daniel Pizarro assume o comando da área com a missão de identificar e estabelecer novos negócios e parcerias alinhados ao momento atual da companhia.

Nos últimos anos, a HDI investiu intensamente em melhorias operacionais e de processos, em relacionamento com clientes e corretores, em modelos de produtos e na própria forma de fazer negócios. Com isso, se transformou em uma seguradora humana, digital e inovadora, capaz de oferecer às pessoas proteção durante suas jornadas.

“A criação da diretoria de Transformação e Inovação surge agora para expandir ainda mais as nossas possibilidades de negócios em um mercado ecossistêmico. Somos uma nova HDI, com objetivos arrojados e desafiantes”, explica Murilo Riedel, presidente da seguradora.

Formado em Engenharia da Computação pela Universidade do Porto (FEUP) – Portugal, Daniel Pizarro tem MBA pelo Instituto Europeu de Administração de Empresas (INSEAD), na França, e acumula passagens por empresas nos EUA e Europa, como Zurich Insurance Group, ING Group e Accenture.

“Estou muito animado em participar da transformação que a HDI Seguros está vivendo, principalmente porque que acredito que podemos conquistar excelentes resultados para a empresa, parceiros e clientes, além de colaborar com a evolução do universo segurador”, comenta o executivo.

Superintendência de Marketing

Outra mudança na estrutura da presidência diz respeito à liderança da área Marketing, que está agora sob o comando da Superintende Cintia Kim. Seu principal desafio será contribuir para o reposicionamento e crescimento da marca HDI no Brasil.

Cintia Kim é formada em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie, tem pós-graduação em Marketing e master em Comunicação Digital e Marketing pela ESPM. A profissional possui 17 anos de experiência no setor de seguros e financeiro.

GBOEX apresenta nova gerente na Unidade de Salvador 993

Herica Dabrowska dos Santos terá o desafio de conduzir a Unidade de Salvador com foco em tornar a marca e produtos mais conhecidos, e expandir a sua atuação como empresa especializada em proteção de pessoas

A Unidade de Negócios de Salvador do GBOEX – Previdência e Seguro de Pessoas contratou Herica Dabrowska dos Santos, profissional que atua há mais de 10 anos no mercado de previdência e seguros. A executiva já desempenhou diversas funções no segmento, atuou em empresas de diferentes portes – sempre com foco em negociação e atendimento –, e consolidou a sua experiência no trabalho com corretores de seguros.

“Assumi o desafio de conduzir a Unidade de Salvador tendo como foco principal tornar a marca e os produtos do GBOEX na região ainda mais conhecidos, além de expandir a sua atuação como empresa especializada em proteção de pessoas”, afirma a gerente.

Para ela, o trabalho ressaltará o compromisso com o cuidado e o atendimento de qualidade aos associados, além de reconhecer o desempenho dos seus parceiros de negócios, “retribuindo com incentivos e suporte a confiança depositada nos produtos e serviços GBOEX”.

Herica é graduada em Ciências Contábeis pela Faculdade Visconde de Cairu e possui extensão universitária em Legislação Previdenciária e Trabalhista. Já atuou na área financeira e em atendimento. “Para 2020, a previsão de crescimento para a região é de até 30%, considerando o nosso potencial local e o relacionamento com os corretores”, enfatiza Herica.

O GBOEX mantém unidades em diversas regiões do Brasil. Na cidade de Salvador, a Unidade está localizada na rua Frederico Simões, 153, sala 310 – Caminho das Árvores. Os telefones são (71) 3328-0055 e (71) 3328-0296, e o e-mail unsalvador@gboex.com.br.

 

ANS lança edital do Projeto Cuidado Integral à Saúde – Projetos Piloto em APS 534

Inscrições abertas para operadoras até 20/03

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) lançou nesta quinta-feira, 27, o edital do Projeto Cuidado Integral à Saúde – Projetos-Piloto em Atenção Primária à Saúde (APS). Para participar do processo seletivo a operadora terá até o dia 20/03 para se inscrever por meio do formulário FORMSUS. O edital apresenta a contextualização do tema, os requisitos para a participação e os critérios para a seleção das operadoras. Confira aqui o edital.

O Programa de Certificação de Boas Práticas em Atenção à Saúde foi instituído pela Resolução Normativa nº 440, de 13 de dezembro de 2018. A medida visa incentivar as operadoras de planos de saúde a desenvolverem um cuidado cada vez mais qualificado aos seus beneficiários, através da implantação de redes de atenção ou linhas de cuidado certificadas por entidades acreditadoras reconhecidas pela ANS.

A primeira iniciativa do programa é o Programa de Boas Práticas em Atenção Primária à Saúde (APS). Sua proposta é estimular a qualificação, o fortalecimento e a reorganização da atenção primária, por onde os pacientes devem ingressar preferencialmente no sistema de saúde.

O programa é destinado apenas às operadoras de planos de saúde, que podem participar de duas formas: obtendo a certificação em APS ou implementando projetos-piloto em APS.

Com o objetivo de subsidiar a implementação dos projetos-piloto, que deverão funcionar como fase preparatória para a solicitação da certificação em APS, a ANS promoveu no último dia 11/02 evento de assinatura de acordo de cooperação para o Projeto Cuidado Integral à Saúde – Projetos-Piloto em APS com o Institute for Healthcare Improvement – IHI, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz e a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade – SBMFC.

As operadoras participantes do Projeto Cuidado Integral à Saúde obterão uma pontuação bônus na Dimensão de Qualidade em Atenção à Saúde – IDQS do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar – IDSS, conforme estabelecido na Ficha Técnica com a descrição detalhada do indicador Participação em Projetos de Indução da Qualidade da ANS, disponível no Portal da ANS.

Rede Lojacorr amplia ecossistema e faz parceria com a Celero 541

A startup de automação financeira está entre as empresas mais inovadoras e pode agregar em corretoras de seguros

A Rede Lojacorr, maior rede de corretoras de seguros independentes do país, está ampliando a rede de soluções do seu ecossistema e firmou parceria com a Celero Automação Financeira. A startup de planejamento financeiro está entre as empresas mais inovadoras de 2019 e já recebeu aporte monetário milionário da Harvard Angels, e foi acelerada pelas duas maiores instituições de apoio ao empreendedorismo no Brasil, a Endeavor e o Sebrae.

O trabalho da Celero é indicado para pequenas e médias empresas prestadoras de serviço, que precisam organizar e manter a gestão financeira em dia, economizando tempo e dinheiro no departamento financeiro e investindo nas atividades-chave da empresa.

A plataforma faz muito mais do que apenas pagar contas e receber pagamentos. Por isso, o CEO e co-fundador da Celero, João Tosin, oferece dicas básicas para organizar e planejar o departamento financeiro de uma empresa, como: ter pessoas com conhecimento sobre gestão financeira para cuidar das finanças da empresa, não usar a mesma conta bancária para cuidar das despesas pessoais e da empresa e, principalmente, não pagar contas pessoais com o lucro da empresa.

O objetivo da parceria com a Celero, de acordo com Alex Martins, gerente Comercial da Rede Lojacorr, é oferecer para as corretoras da Rede Lojacorr um sistema de Gestão Financeira, voltado especificamente, para pequenas e médias empresas.

Segundo ele, o sistema também precisa substituir os cálculos e contas manuais, além de possibilitar mensurar e prever todo o fluxo monetário da organização, de forma híbrida, que inclui inteligência automatizada com a expertise da experiência especializada.

“Com a Celero, que vem incrementar ainda mais nossa gama de soluções do ecossistema dos corretores, o corretor foca seu trabalho no objetivo da empresa que é vender e executar bem seu fluxo de trabalho, deixando a gestão financeira sendo executada separadamente por uma empresa especializada. Assim, a corretora concentra-se nas estratégias da empresa e não apenas no fluxo de caixa, mas sim no propósito de ajudar o brasileiro a se proteger mais e melhor”, explica.

Tosin acrescenta que a gestão financeira é feita com ferramentas e softwares voltados ao segmento e a Celero fornece essa solução, e concentra medições e análises estratégicas para o empreendedor.

“A solução tem a finalidade de munir as empresas de ferramentas de controle de finanças corporativas inteligentes, capazes de determinar a tomada de decisões empresariais, e ajudar as corretoras a pensar no dinheiro de forma estratégica para que consigam alcançar suas metas”, diz Tosin.

O gestor ressalta que se a corretora controla bem suas entradas e saídas, ela consegue ter um histórico e medir as finanças da empresa. Dessa forma, possui maneiras de ver a sazonalidade de vendas e maiores gastos.

“Isso se chama previsibilidade. Para que o empreendedor tenha comando, equilíbrio e possa fazer essa previsibilidade, é necessário o controle total dos gastos e entradas. Afinal, o aproximado não é total. Cada conta, imposto, fornecedor e insumos deve estar medido integralmente nesse controle”, finaliza João Tosin.

Colóquios de Proteção do Consumidor de Seguros retornam à região nordeste 686

Recife reúne nos dias 4 e 5 de março, representantes das seguradoras e Procons para debater relações de consumo

Os Colóquios de Proteção do Consumidor de Seguros retornam à Região Nordeste, reunindo representantes do mercado segurador e de diversos Procons da Região com o objetivo de reforçar o diálogo com as entidades de defesa do consumidor para melhor conhecer a realidade regional do acesso e do atendimento aos consumidores de seguros.

O 8º Colóquio será realizado em Recife/PE acontece nos dias 4 e 5 de março, e debaterá no primeiro dia os fundamentos do seguro e do mercado segurador brasileiro, além de temas específicos como Seguro de Automóveis, Seguro de Pessoas vendidos no varejo (Prestamista e Acidentes Pessoais), Seguro de Garantia Estendida e Seguro para Celulares.

No segundo dia, será a vez dos Procons participantes apresentarem seus procedimentos de atuação e sua perspectiva sobre os temas selecionados.

A gerente de fiscalização do Procon Estadual de Pernambuco, Maria Danyelle Sena Falcão de Melo, destacou a importância da volta do Colóquio para a Região Nordeste. “É de extrema importância receber o 8º Colóquio aqui em Recife, primeiro pelo fator da importância do comércio da venda de seguros em nosso mercado, assim como termos a possibilidade de compararmos, discutirmos e sobretudo detectarmos os avanços que houveram desde o colóquio anterior na nossa Região Nordeste”.

Os Colóquios de Proteção do Consumidor de Seguros foram idealizados no âmbito das Comissões de Relações de Consumo e Ouvidoria da CNseg, e têm sido realizados desde 2015 em parceria com a Associação ProconsBrasil, visando o aprimoramento dos canais de diálogo com as entidades de proteção do consumidor.

Após percorrer as 5 Regiões do Brasil, em 2019 foi iniciado o segundo ciclo dos Colóquios, que pretende revisitá-las.