Os riscos da Libra, a criptomoeda do Facebook 924

Os riscos da Libra, a criptomoeda do Facebook

Confira artigo de Rodrigo Castro. diretor de riscos e performance na ICTS Protiviti

Atrelada à inovação de alterar toda a estrutura do sistema financeiro mundial, a criação da Libra, a criptomoeda do Facebook, também traz discussões laterais sobre os seus impactos na economia global. Se bem implantada, há um público potencial de 2,4 bilhões de usuários da rede social de Mark Zuckerberg. Os riscos são vários e podem afetar tanto a soberania de nações, assim como o ambiente das empresas.

Sob o prisma macroeconômico, o principal risco está associado à perda da independência de alguns países que podem ver sua moeda substituída pela Libra, algo que eu chamo de “libralização” das economias. Este processo de enfraquecimento de moedas locais pode se iniciar por uma corrida de demanda para as moedas que compuserem esta cesta de ativos da libra, gerando o enfraquecimento de moedas fora da cesta, como o Real, por exemplo. Com a moeda fraca, alguns países serão forçados a ancorar sua moeda na nova Libra, uma vez que será um ativo com maior reserva de valor e, a depender da implantação, um meio de troca efetivo.

Para isto, os bancos centrais desses países passariam a comprar Libras imprimindo cada vez mais moeda local, que enfraqueceria a ponto de perder a sua importância e ser definitivamente substituída. Neste cenário, o país cuja economia está “Libralizada” abre mão de sua política monetária e cambial e não terá mais soberania e, muito menos, autonomia sobre a sua moeda.

Outra ruptura, agora sob o prima microeconômico, está no total redesenho do mercado financeiro dos países. Para efeito de ilustração, algo semelhante ao que o Uber, Airbnb e Netflix fizeram respectivamente com os mercados de mobilidade, hotelaria e mídia de entretenimento. Ou seja, uma solução mais simples, fácil e barata de usar rompe com o modelo tradicional do mercado e, por consequência, com seus participantes.

As fintechs de meio de pagamento locais poderão sucumbir ou perder grande relevância. Este processo já pôde ser visto, por exemplo, no Quênia, onde a Vodafone criou o M-Pesa, que é uma espécie de banco por celular. Esta solução foi massivamente adotada no País, encampando mais de 60% da população adulta do país. Na China, o WeChat, similar ao Whatsapp, possui um sistema completo de meio de pagamento que permite transações online e offline. Porém, em ambos os casos, as empresas usam moedas locais para transações e não desenvolveram seu próprio dinheiro.

Já do ponto de vista da ética organizacional e compliance, algumas das companhias que fazem parte da Associação Libra não possuem um histórico ilibado a ponto de carregar a confiança de todas as partes em uma moeda global. Basta lembrar de casos como o acesso ilegal de dados de usuários do Facebook pela Cambridge Analytica, as acusações de manipulação das eleições na África e as implicações da empresa no genocídio de Mianmar. Alega-se, porém, que comportamentos individuais das empresas seriam contidos na associação que seria composta, em grandes linhas por empresas de alta reputação.

Este mesmo argumento não faz efeito para as grandes instituições financeiras da atualidade, que permitem anualmente a lavagem de USD 2 trilhões. E falando em lavagem de dinheiro, esta é uma questão que fica em suspenso nesse novo sistema financeiro. A livre transação da Libra entre fronteiras, por meio de carteiras desassociadas das identidades dos seus donos, é um prato cheio para esquentar dinheiro ilícito. Além disso, a falta de transparência sobre os detentores das reservas de lastro da Libra pode gerar impactos sistêmicos em economias reais.

Há inúmeros outros riscos que podem ser explorados. A oportunidade de prover acesso ao sistema financeiro para uma massa de “desbancarizados” e à margem do atual modelo, passando pela separação entre estado e dinheiro, já é uma realidade. Porém, há dois caminhos postos no horizonte. Transferir esta tutela para a população, por meio de um sistema verdadeiramente descentralizado, ou concedê-lo a um grupo de empresas que regerão o novo sistema financeiro.

*A ICTS Protiviti é uma empresa especializada em soluções para gestão de riscos, compliance, auditoria interna, investigação, proteção e privacidade de dados.

Bradesco Seguros disponibiliza novo site do Clube de Vantagens para facilitar navegação de usuários 494

Bradesco Seguros disponibiliza novo site do Clube de Vantagens para facilitar navegação de usuários

Programa oferece promoções e ofertas especiais em mais de 500 mil produtos de estabelecimentos conveniados e lojas online

A Bradesco Seguros apresenta o seu novo site do Clube de Vantagens Bradesco Seguros, que foi reestruturado para oferecer a melhor experiência de navegação e facilitar o acesso a todas as ofertas e promoções especiais. Com design simples, objetivo e funcional, o segurado pode encontrar o que deseja, entre as centenas de produtos oferecidos, com mais facilidade.

A home do site foi pensada com o objetivo de destacar as principais novidades, ofertas e produtos disponibilizados pelos mais de 400 parceiros de diferentes áreas como viagens, restaurantes, farmácias, pet, produtos infantis, utilidades domésticas, eletrônicos entre outros produtos e serviços. A página atualmente conta com mais de cinco milhões de visitas.

Pioneiro no mercado segurador, o Clube promove descontos atrativos para os clientes da Bradesco Seguros nos grupos de Previdência, Vida, Residencial, Saúde, Dental, Capitalização e Cartão de crédito da seguradora. No aplicativo, com o serviço de geolocalização e filtro inteligente, o cliente aproveita os benefícios em suas áreas de interesse.

Além da internet, o Clube de Vantagens também está disponível no aplicativo Bradesco Seguros. Lá também é possível consultar promoções e realizar compras de forma rápida e prática.

Generali fecha aliança de R$ 500 milhões em prêmios com a BSF Saúde 1021

Generali fecha aliança de R$ 500 milhões em prêmios com a BSF Global

Companhia é a única no País a oferecer seguro medicamento

A Generali, um dos maiores grupos globais de gestão de ativos e seguros, fechou uma parceria exclusiva e inovadora com a BSF Saúde, referência na gestão em planos de medicamentos, fazendo com que a companhia seja a única a oferecer este tipo de serviço no Brasil. O contrato de 20 anos prevê a geração superior a R$ 500 milhões em prêmios, com uma carteira estimada de mais de R$ 1 milhão de vidas seguradas na distribuição de Seguros para Medicamentos, e com conceito inovador visa dar à população soluções diferenciadas de acesso a produtos e serviços, para atender aos mais diversos grupos de pessoas.

Apenas 25% da população brasileira tem um plano de saúde, e desses, 80% são pagos pelos empregadores. Com a forte crise do país nos últimos dois anos, 2,8 milhões de pessoas perderam acesso a planos de saúde. O agendamento de consultas na Rede Publica chega a tardar 180 dias para agendamento de consultas e o acesso a medicamentos é muito caro no Brasil.

A BSF faz a gestão da cadeia de medicamentos, através de sua rede credenciada no país inteiro, e é responsável pelos planos corporativos de assistência a medicamentos. Essa nova parceria permitirá a distribuição do Seguro Farma BMG, aliança firmada em 2017 pela Generali junto ao BMG. A apólice cobre os gastos dos segurados com Remédios Genéricos após atendimento Emergencial (Pronto Socorro) ou Internação Hospitalar e ainda conta com a cobertura de Morte Acidental, Assistência Funeral e sorteios mensais de R$ 40 mil pela Loteria Federal.

“Através da aliança BSF e Generali, o mercado brasileiro conta com solução inovadora desenvolvida conjuntamente para a cobertura de despesas com medicamentos. Acreditamos fortemente que este mercado possui um enorme potencial para todos os brasileiros. Os usuários de planos e seguros saúde/odontológico têm a necessidade de uma proteção para as despesas com medicamentos, pois hospitais, médicos, dentistas, clínicas e laboratórios não concluem com eficiência o ciclo da saúde sem medicamentos. Com esta parceria, esperamos fazer real diferença na vida das pessoas, sendo uma importante solução no cuidado da saúde da população. Este mercado bilionário cresce de forma exponencial todos os anos.“, afirma Luis Blotta, Presidente da BSF Saúde”, esclarece Luis Blotta – Head of Operations da BSF Global.

“Estamos muito entusiasmados com a oportunidade de dar um passo significativo no mercado brasileiro de seguros de consumo em massa, levando a população brasileira um produto tão relevante a acessível”, afirma Claudia Papa, Head de Mass Channels da Generali Southern East Europe e Américas e Vice Presidente do Brasil.

Antonio Cássio dos Santos, Global Sponsor de B2B2C do Grupo Generali e CEO das Américas e Europa do Sul, ressalta: “A Generali está muito empenhada em desenvolver parcerias como esta da BSF, que nos permite levar o Seguro Medicamento a uma quantidade maior de pessoas, fazendo com que estejamos mais presentes na vida da população e possamos oferecer um serviço de grande utilidade”.

“A BSF Saúde tem uma ampla abrangência, pois diferente das atuais práticas de mercado, é a única empresa que garante acesso a 100% dos medicamentos tarjados – com registro no Brasil -, sejam eles genéricos, similares ou referência. Este expertise nos dá a certeza de que nossa pareceria será genuína”, finaliza Conrado Gordon, diretor de UW e Produtos da Generali Southern East Europe e Américas.

KSA Corretora de Seguros integra time campeão do Troféu JRS 2019 822

Jean Carlo Figueiró, executivo principal da KSA Corretora de Seguros, durante cerimônia do CVG-RS em 2018 / Arquivo JRS

Evento reúne mais de 1 mil pessoas no dia 25 de outubro

A KSA Corretora de Seguros não poderia ficar de fora de um dos momentos mais aguardados pelo mercado de seguros em 2019. No dia 25 de outubro acontece a 17ª edição do Troféu JRS, no Centro de Eventos Casa do Gaúcho, em Porto Alegre (RS). A corretora de seguros passa a integrar o time campeão de apoiadores que torna possível a realização de uma noite especial, para mais de 1 mil convidados.

Com especialidade em auto, residencial, vida, viagem, equipamentos, RC notários e registradores, náutico, empresarial e condomínio, a KSA Corretora de Seguros é formada pela união de profissionais experientes. A empresa tem o objetivo de proporcionar a cada cliente uma orientação especial na contratação de seguros. O intuito da corretora é garantir o melhor custo/benefícios, de acordo com as necessidades, posses e expectativas dos segurados.

O público do Troféu JRS concentra oportunidades para momentos de descontração, troca de experiências e até mesmo de novos negócios. Seguradores, corretores de seguros e demais parceiros de negócios de um dos setores mais pujantes da economia brasileira participam do momento, efetivando os nomes mais relevantes do mercado nacional de seguros. Saiba todos os detalhes no hotsite especial.

Em 2018, beneficiários de planos de saúde realizaram 1,57 bilhão de procedimentos 870

Número divulgado hoje (11/07) pela ANS integra a publicação Mapa Assistencial da Saúde Suplementar

Os beneficiários de planos de saúde realizaram 1,57 bilhão de procedimentos como consultas, exames e internações no ano de 2018. O número representa um aumento de 4,1% em relação ao total de procedimentos realizados em 2017 (1,51 bilhão). Os dados fazem parte do Mapa Assistencial, publicação anual divulgada nesta quinta-feira (11/07) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Na segmentação de assistência médica, a realização de exames complementares somou o maior número de procedimentos no ano, totalizando 861,4 milhões (aumento de 5,45% em relação a 2017). Na sequência, vêm consultas, com 274,3 milhões (aumento de 1,49% em relação a 2017); outros atendimentos ambulatoriais, como consultas e sessões com psicólogo e fisioterapeuta, com 164,2 milhões (aumento de 4,61 em relação a 2017); terapias, com 93,4 milhões (aumento de 20,97% em relação a 2017); e internações, com 8,1 milhões de ocorrências no ano (aumento de 1,67% em relação a 2017). O número de procedimentos odontológicos somou 176,1 milhões ao longo de 2018, sendo o único tipo de procedimento em que foi registrada redução (5,34%) em relação ao ano anterior.

O Mapa Assistencial também informa o número de procedimentos realizados por beneficiário ou por grupos de beneficiários, possibilitando, assim, comparação mais fidedigna sobre o uso do sistema de um ano para outro. De acordo com essa análise, o número de consultas e de internações apresentou redução em relação ao ano anterior: em 2018, foram realizadas 5,8 consultas por beneficiário (em 2017 foram 5,9) e 179 internações por grupo de mil beneficiários (em 2017 foram 180 por mil beneficiários).

Por outro lado, houve aumento no quantitativo de outros atendimentos ambulatoriais realizados por beneficiários – foram 3,5 procedimentos por beneficiários em 2018 (em 2017 foram 3,4); e no número de terapias, que registrou 2 procedimentos por beneficiário em 2018 (no ano anterior foram 1,7). O número total de exames e de procedimentos odontológicos não contempla análise por beneficiário.

O diretor de Normas e Habilitação dos Produtos, Rogério Scarabel, destaca que o Mapa Assistencial contribui para dar maior transparência aos dados e informações da saúde suplementar. Ele aponta, ainda, outros aspectos importantes da publicação: “A informação de boa qualidade sobre os procedimentos e eventos realizados pelos beneficiários de planos de saúde é fundamental para a promoção da coordenação das ações em saúde e para a sustentabilidade do setor”, avalia. “Com o aumento da incidência de doenças crônicas não transmissíveis, o envelhecimento da população e mudanças nos hábitos de vida, há uma necessidade de melhor acompanhar a condição de saúde dos beneficiários. Para que ações reestruturantes sejam implementadas, é imprescindível o conhecimento epidemiológico e demográfico da população que utiliza plano de saúd! e. Dessa forma, o Mapa Assistencial possibilita que as operadoras analisem sua própria atuação de forma comparada e tracem metas capazes de melhorar a saúde da população e o funcionamento do sistema suplementar como um todo”, ressalta o diretor.

Confira na tabela abaixo o número de procedimentos realizados em 2018 pelos planos de saúde:

Doenças crônicas

Esta edição do Mapa Assistencial destaca alguns procedimentos para diagnóstico e cuidado de condições crônicas que são bastante prevalentes na população brasileira: as doenças cardiovasculares, o diabetes e a hipertensão arterial. O tema vai além da relevância em saúde e abrange também o aspecto financeiro: segundo o Ministério da Saúde, as doenças crônicas não transmissíveis estão entre as doenças que mais demandam ações, procedimentos e serviços de saúde, representando cerca de 70% dos gastos com saúde no Brasil.

Nos último cinco anos (2014 a 2018), o número de exames de hemoglobina glicada (para detecção de diabetes) apresentou um significativo aumento, tendo passado de 0,17 para 0,29 exames por ano, o que corresponde a um incremento anual de cerca de 13%.

Outro destaque é o Holter 24 horas, um dos exames de informação obrigatória pelas operadoras relacionados ao diagnóstico e acompanhamento de doenças do aparelho circulatório – segunda maior causa de internação dentre tipos selecionados. De 2014 e 2018, houve um aumento de aproximadamente 6% ao ano no número de exames desse tipo realizados por mil beneficiários.

Confira alguns dados extraídos do Mapa Assistencial 2018

Consultas: Em consultas médicas ambulatoriais, a especialidade clínica médica liderou o número de ocorrências dentre as especialidades detalhadas pelas operadoras, totalizando 27.062.874 procedimentos em 2018. Em seguida, vêm as especialidades ginecologia e obstetrícia, com 19.737.282 ocorrências, e pediatria, com 16.665.256 ocorrências.

Outros atendimentos ambulatoriais: O maior número de ocorrências nessa segmentação (dentre os tipos detalhados pelas operadoras) foi consulta com fisioterapeuta, que totalizou 47.133.272 atendimentos, seguido por consulta com psicólogo, que totalizou 6.703.304 atendimentos.

Terapias: Hemodiálise crônica liderou o número de procedimentos entre os tipos que são obrigatoriamente detalhados pelas operadoras, totalizando 2.281.463 ocorrências.

Exames: O exame mais realizado em 2018 (na lista dos que devem ser detalhados pelas operadoras) foi radiografia, com 31.823.039 ocorrências, seguido por hemoglobina glicada (13.490.622 ocorrências) e ressonância magnética (7.904.467 ocorrências). Destaca-se também o expressivo número de exames de tomografia computadorizada (7.386.876) realizados em 2018.

Tipo de internações: Dentre os diferentes tipos de internações (clínica, cirúrgica, obstétrica, pediátrica e psiquiátrica), o maior número foi cirúrgica (3.492.750 ocorrências, sendo que, dessas, 49.521 foram para bariátrica).

Causas de internações: Dentre as causas selecionadas de internações (neoplasias, diabetes mellitus, doenças do aparelho circulatório, doenças do aparelho respiratório e causas externas), o maior número foi relacionado a doenças do aparelho respiratório, com 506,6 mil ocorrências, seguido por doenças do aparelho circulatório (465.845 ocorrências).

A ANS possui outros detalhes sobre o assunto.

Reta final para participar da campanha Carga Premiada do Porto Seguro Transportes 494

Reta final para participar da campanha Carga Premiada do Porto Seguro Transportes

Corretores têm até o dia 31 deste mês para concorrer a prêmios de até R$20 mil

Os Corretores ativos e parceiros da Porto Seguro têm até o dia 31 de julho para participar da campanha Carga Premiada. A ação, realizada pelo Porto Seguro Transportes em âmbito nacional, incentiva a geração de novos negócios e premiará 12 Corretores com até R$20 mil reais em vales-viagens e IPads.

Os Corretores estão divididos em três grupos: aquaviário, terrestre e aéreo, de acordo com o volume de negócios realizados nos últimos 12 meses. Os quatro primeiros colocados de cada grupo que mais tiverem comercializado o seguro serão premiados. O grupo aéreo concorre a vale-viagem de R$ 8 a 20 mil, o grupo terrestre de R$ 5 a 15 mil e o aquaviário a IPads.

Para Rose Matos, gerente do Porto Seguro Transportes, a campanha incentiva e reforça o reconhecimento da companhia aos Corretores. “Temos um contato sempre muito próximo com eles e a campanha expressa muito bem isso todos os anos”, comenta. “Nossa dica, nessa reta final, é continuarem investindo em segmentos que contribuirão para o reaquecimento da economia, como combustíveis, têxteis, construção, equipamentos industriais e autopeças. Ainda dá tempo”, alerta.

Para participar, é preciso que os Corretores sejam ativos e parceiros da Porto Seguro, como pessoa física ou jurídica. Para mais informações da campanha, o Corretor poderá entrar em contato nos telefones: (11) 3366-3380 (Grande SP) e 0800 727 2755 (Demais localidades).