América Latina e o roubo de cargas 710

América Latina e o roubo de cargas

Confira artigo Cyro Buonavoglia, presidente do Grupo Buonny

No Brasil, é comum falarmos de roubo de cargas, infelizmente. De acordo com um levantamento das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, foram registrados mais de 22 mil ataques a motoristas em todo o país, em 2018. A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) aponta que o prejuízo para o setor produtivo com a perda de cargas e veículos chegou a cerca de R$ 2 bilhões no ano passado.

Mesmo com números alarmantes, nos tornamos referência no combate a essa modalidade de crime e, hoje, diversos países assolados por essa prática se espelham nos modelos de gerenciamento de riscos criados aqui.

Como temos atuação na América Latina, recentemente estivemos no México e pudemos entender que o roubo de cargas é um problema comum aos nossos vizinhos. Isso demonstra que ainda temos muito no que pensar para reverter essa situação e permitir a segurança para cargas e motoristas, em qualquer país latino-americano.

O México, por exemplo, é o sétimo país mais perigoso do mundo em roubo de cargas (o Brasil está em sexto lugar). Segundo estudos de seguradoras, as cargas mais visadas são alimentos, bebidas (alcoólicas ou não), materiais de construção, produtos químicos e autopeças.

Porém o que mais chocou a todos nós foi o crescimento de 120% em roubos de cargas nos últimos 10 anos e a perspectiva para mais 12%, aproximadamente, em 2019. É assustador.

A preocupação lá ainda é maior, pois embora as práticas utilizadas para combater o roubo serem similares às nossas, a tecnologia está muito longe do ideal. Eles não usam inteligência embarcada, por exemplo, e não há sinergia ou união entre os interessados em coibir o crime. Há muito o que evoluir ainda.

Na Argentina, o problema também existe e o cenário é muito parecido com o brasileiro. Por isso, especialistas em seguros destacaram que o uso da tecnologia é imperativo, além das avaliações de riscos. Mesmo assim, ainda há muito a ser feito naquele país.

A Colômbia também é um vizinho que sofre com roubos de cargas, embora usem ferramentas de gerenciamento de riscos e serviço integrados de tecnologia, ações de pronta resposta coordenadas com as polícias. Eles também criaram um comitê de iniciativa privada sobre o roubo de cargas junto ao governo, o que demonstra grande interesse em resolver essa questão o quanto antes.

O Peru apresentou franco crescimento no roubo de cargas, inclusive com muita violência envolvida. Lá, os roubos se concentram em Lima e Callao, província do principal porto do país.

Aqui no Brasil, sabemos que o Rio de Janeiro é o estado mais problemático. Por outro lado, temos comprovações, com base no trabalho que prestamos, que o gerenciamento de riscos é a ferramenta fundamental para que esse cenário se reverta. Não é um trabalho com resultados imediatos, logicamente, mas sim de melhoria contínua.

Com a experiência dos últimos anos no estado, conseguimos entender exatamente o problema e, assim, propor soluções. Os roubos, por exemplo, ocorriam (e ocorrem), principalmente, em trechos de rodovias rodeadas por comunidades controladas por criminosos.

Dados da Firjan apontaram que, em 2018, 81% dos roubos ocorrem na capital e na Baixada Fluminense; 76% foi o aumento de incidentes na região de São Gonçalo, com 17% dos roubos e, no total o prejuízo estimado foi de 607,1 milhões de reais.

No entanto, quando as ações de segurança e atuação da força pública, em conjunto com o Estado, o roubo de cargas migrou para outras comunidades.

Por isso, uma das principais medidas tomadas pelas gerenciadoras de riscos foi a proibição de entrar com veículos carregados em comunidades cariocas, uma vez que as características geográficas dificultam o acesso das forças policiais e diminuem as possibilidades de recuperação do veículo e da carga.

Outra ferramenta utilizada foi a análise de perfil profissional de todos os envolvidos nos processos logísticos. Isso porque, de acordo com investigações da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), a participação interna de funcionários das empresas ocorre em, aproximadamente, 50% dos casos.

Como as áreas mais perigosas foram mapeadas, foi possível criar cercas eletrônicas, integradas a regras de segurança das tecnologias de rastreamento. Além disso, destaco o acompanhamento técnico vigiado, ou pronta resposta, bem como o controle de chegada de veículos a cidade do Rio de Janeiro, com criação de pontos de parada com base nos horários do trânsito.

Foram criadas ainda outras soluções específicas para combater o roubo de cargas no Rio de Janeiro, o que demonstrou que a tecnologia, aliada à inteligência e estratégia de equipes especializadas, funciona aqui no Brasil e pode funcionar em todos os outros países que sofrem com o crime.

De qualquer forma, é lamentável concluir que a América Latina está contaminada pelo crime organizado e a corrupção, mas como temos exemplos tão positivos no Brasil, temos o dever de espalhar pelos quatro cantos do continente a importância do GR para nossos vizinhos.

Felizmente, a tecnologia evolui a cada dia e, atualmente, a inteligência artificial tem se mostrado eficaz e fundamental para entender cenários e, rapidamente, apontar soluções.

Por atuar nesse mercado há mais de 24 anos, posso afirmar que o gerenciamento de riscos e todas as ferramentas de prevenção são fatores que melhoram a cadeia logística e tudo o que gravita em torno dela. Entretanto, é um processo de melhoria contínua, uma vez que a tecnologia e os cenários rapidamente mudam, e que requer a união de todas as forças envolvidas no fim dessa prática, em qualquer país do mundo.

*Cyro Buonavoglia, 70 anos, com vasta experiência em comércio e indústria, formado em administração de empresas pela Faculdade Dom Pedro II, atuou nas áreas de indústria e comercio e fundou há 24 anos a Buonny Projetos e Serviços, que se transformou em um conglomerado de empresas, que busca atender com eficácia o mercado nos segmentos de logística, saúde, tecnologia e energia fotovoltaica. O executivo também fundou as entidades: GRISTEC e SINDIRISCO. Atualmente como Presidente do Grupo Buonny, sua principal meta é avançar com o crescimento das empresas que compõe o grupo, por meio de investimentos em tecnologia, que aumentam a qualidade dos serviços prestados na mitigação de riscos.

GEO promove parceiros em campanha sobre o papel da tecnologia no mês do corretor de seguros 610

GEO promove parceiros em campanha sobre o papel da tecnologia no mês do corretor de seguros

Vídeos produzidos com corretores de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul serão divulgados ao longo do mês nos canais oficiais da empresa nas redes sociais

A GEO, empresa de tecnologia e pioneira na gestão de dados e de apólices online para corretores de seguros e seguradoras, promove neste mês de outubro a campanha “O Futuro do Seguro”. Para a produção do material, foram escolhidos seis dos mais de mil corretores cadastrados em sua plataforma digital para darem depoimentos sobre o impacto da tecnologia no dia a dia das suas empresas.

Os seis vídeos, cada um focado em um corretor, serão divulgados ao longo do mês nas páginas oficiais da GEO no YouTubeFacebookInstagram e LinkedIn em comemoração ao mês do corretor de seguros.

Segundo Rossana Costa, diretora da GEO, “essa é uma maneira de reforçar o nosso relacionamento com os parceiros que nos acompanham ao longos dos 18 anos de existência da GEO. Além de ser uma oportunidade especial para compartilhar as suas histórias sobre como a inovação tecnológica resulta em sucesso nas suas operações em um momento de maior demanda por plataformas digitais”.
A campanha foi desenvolvida em parceria com a produtora EYXO e contou com relatos de representantes das corretoras Patreze e Secury de São Paulo; Exclusive e Mercato de Minas Gerais; e AR Sul e Abensur do Rio Grande do Sul.

Com atuação em especial nos segmentos de seguros para construção civil, imobiliário e de crédito, a GEO oferece os seguros DFI Sistema Financeiro – Danos Físicos ao Imóvel; Seguro Habitacional – Apólice de Mercado (MIP – Morte e Invalidez Permanente | DFI – Danos Físicos ao Imóvel) e Seguro Riscos de Engenharia e Responsabilidade Civil em seu portfólio, que conta com AXA e Zurich como seguradoras parceiras. A empresa foi pioneira na entrega de uma plataforma 100% digital para corretores de seguros no setor imobiliário e de construção civil.

Startup inova e desenvolve ferramenta de cálculos previdenciários 2717

Startup inova e desenvolve ferramenta de cálculos previdenciários

Previdenciarista conta com mais de 9 mil advogados de todo Brasil como clientes e otimiza tempo de trabalho de profissionais do setor

Realizar cálculos não é uma tarefa fácil, principalmente para quem atua como advogado previdenciário. Além de ter disposição para fazer contas, o profissional precisa estar sempre atualizado sobre a legislação, que é complexa e muda com frequência, o que dificulta o trabalho e desperdiça tempo para outras tarefas. Entretanto, alguns modelos de negócio aparecem no mercado e propõem a otimizar o tempo de quem atua no setor.

A lawtech brasileira Previdenciarista – plataforma inteligente que oferece serviços para que os advogados economizem tempo e dinheiro com rotinas previdenciárias, criou uma ferramenta que realiza cálculos em até 5 minutos. A startup conta com mais de 9 mil clientes que realizam mais de 12 mil cálculos por mês. “Basta o cliente enviar o CNIS do segurado e a plataforma organiza todos os vínculos rapidamente”, destaca o cofundador Renan Oliveira.

Renan explica que o Previdenciarista é um grande aliado do profissional do Direito e se tornou um escritório de advocacia dentro de uma plataforma. “Hoje acreditamos que o nosso maior diferencial é oferecer aos nossos clientes uma plataforma SaaS com tecnologia para inovar no Direito. Nós acreditamos que quanto menos o profissional se dedica com tarefas que podem ser resolvidas com tecnologia, mais tempo terá para atender o cliente de forma mais próxima e humana”, ressalta Renan.

Entre as principais soluções que a Previdenciarista oferece estão: cálculo previdenciário automatizado a partir do CNIS do cliente, indicação dos melhores benefícios para o segurado, relatórios de tempo e renda para cada benefício, indicação das melhores petições para o benefício pelo advogado, gestão dos clientes previdenciários, entre outros serviços. A plataforma está no ar desde 2013 e, até 2018, somou mais de 2 milhões de visitas e cerca de 10 milhões de visualizações de páginas.

Simetria Brasil chega ao Norte de Minas e Alto Paranaíba 636

Montes Claros, na Região Norte de Minas, acaba de ganhar mais uma unidade da Simetria / Foto: Fábio Marçal Oliveira

Empresa lidera mercado de comercialização de planos de saúde e odontológicos em MG

O Grupo Simetria Brasil não para de crescer. Sob a gestão dinâmica e inovadora do diretor-executivo André Beraldo de Morais, a empresa acaba de incorporar mais duas novas unidades: Simetria Montes Claros (Norte de Minas) e Simetria Patos de Minas (Região do Alto Paranaíba). A companhia é líder na comercialização de planos de saúde e odontológicos no mercado mineiro.

As operações fazem parte do plano de expansão da empresa que busca fortalecer sua atuação no segmento por meio de parcerias, incorporações e aquisições. Segundo André Beraldo, a Simetria investe em parcerias sólidas em todo o Estado, oferecendo os melhores produtos e soluções aos clientes. “Buscamos levar novas oportunidades de negócios aos empresários que vão atuar conosco”, frisa.

A gestão comercial e administrativa dos escritórios de Montes Claros e Patos de Minas será feita pelo executivo João Batista Alves Junior, fundador das unidades. Além dos produtos de saúde, também serão comercializados outros benefícios estratégicos.

GBOEX lança kit pós-venda digital para associados 620

GBOEX lança kit pós-venda digital para associados

Associado agora tem opção de receber documentos via e-mail

O GBOEX – Previdência e Seguro de Pessoas – acaba de lançar mais uma facilidade para os seus associados: o kit pós-venda digital. Agilidade e praticidade para os novos clientes e para os corretores de seguros parceiros. O associado tem agora a opção de receber todos os documentos do seu plano GBOEX por e-mail, como por exemplo, cartão do associado, certificado e carta pós-venda com as informações do plano contratado.

“O processo é automático. O novo associado contrata o serviço e logo recebe o material por e-mail. Mais fácil de consultar, além de ser uma prática mais sustentável”, explica a Superintendente de Marketing do GBOEX, Ana Maria Pinto. Importante ressaltar que esta modalidade é permitida para as formas de pagamento débito em conta e consignação.

Para o corretor, além de contar com as campanhas e ações de incentivo da empresa, quanto mais ágil for o processo das contratações, mais rápido ele tem acesso aos dados do sistema para a gestão da sua carteira e também contabiliza seus pontos nas campanhas, como a Desafio. “Nossos corretores são muito devotados à empresa e entregam o seu melhor. Temos orgulho desta parceria, por isso procuramos sempre facilitar e agilizar o seu trabalho”, comenta Ana Maria Pinto.

A empresa usa os recursos oferecidos pela tecnologia para simplificar o sistema, mas reforça continuamente a importância do atendimento personalizado de seus associados. “O GBOEX completou 106 anos este ano e está sempre aprimorando e modernizando seus processos, buscando muitas vantagens para o associado sem deixar de lado seus maiores diferenciais: a credibilidade de seus produtos e serviços e a excelência no atendimento ao associado e ao corretor”, salienta Ana Maria.

Para mais informações, entre em contato com a Unidade GBOEX mais próxima ou acesse este site.

CNseg lança glossário do seguro 1176

CNseg lança glossário do seguro

Iniciativa integra o Programa de Educação em Seguros, criado para disseminar o conhecimento e a consciência securitária

Um novo glossário do seguro, criado, desenvolvido e publicado pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), está disponível no portal da entidade, contribuindo para a ampliar a compreensão dos principais conceitos do setor e das características de seus produtos.

A iniciativa busca disseminar a cultura do seguro entre os mais variados públicos e é relevante em prol da educação em seguros, ação fundamental para empoderar o consumidor e qualificar suas escolhas. “O glossário enquadra-se entre as ações que estão sob o guarda-chuva do Programa de Educação em Seguros. São iniciativas que oferecem conteúdo para incrementar o conhecimento do consumidor, dos órgãos de defesa do consumidor e dos poderes executivo, legislativo e judiciário sobre o setor segurador”, assinala com entusiasmo o presidente da CNseg, Marcio Coriolano, ao chamar a atenção para a relevância do glossário.

A nova publicação digital objetiva contemplar todos os produtos ofertados pelos segmentos de seguros, como os de Danos e Responsabilidades, Coberturas de Pessoas, Saúde Suplementar e Capitalização. Disposto em seções, com amistosa construção gráfica, o glossário detalha as principais características de cada tipo de seguro, as suas coberturas principais e adicionais, os riscos excluídos, amplitude de capitais segurados, formas de contratação etc.

Ao mesmo tempo, a publicação responde às dúvidas mais frequentes dos consumidores, oferecendo um guia prático para auxiliar as suas escolhas. Até agora estão disponíveis sete capítulos, compreendendo os Seguros de Automóveis, Saúde Suplementar, Títulos de Capitalização, Garantia Estendida, Responsabilidade Civil, Transportes e Habitacional.