JRS comemora 19 anos com notícias, entrevistas e reportagens sobre o universo do seguro! 4810

31 de julho é um dia especial para o Jornal Regional de Seguros

Neste dia 31 de julho o Jornal Regional de Seguros, que você conhece como JRS, completa 19 anos de história. Foi no ano 2000, quando Jota Carvalho, profissional com larga experiência no mercado de seguros, inaugurou um projeto audacioso. Desde então uma série de ações de uma equipe altamente qualificada, com auxílio de parceiros de negócios e também do público, promovem a cultura do seguro no Brasil.

Nossa missão sempre foi e sempre será a difusão da prevenção no Brasil. Também acreditamos que o futuro nos reserva grandes e incríveis surpresas e, por isso, apostamos na educação financeira para alavancar o desenvolvimento de nosso amado país. Outro foco é a promoção da conexão entre profissionais que são referência em um dos setores mais pujantes da economia, que cresce em ritmo acelerado, mesmo em um cenário de incertezas.

Desde o ano passado expandimos nossas operações. Líder de audiência na Região Sul do Brasil, o JRS ampliou significativamente sua participação nacional no segmento de notícias especializadas sobre economia, finanças, negócios e nosso principal assunto: o setor de seguros. Sem dúvidas, o Sudeste nos recebeu de braços abertos!

Tudo que fazemos é com muita dedicação e amor, na missão de tornar o Brasil muito mais seguro. Continue conosco 😀

ANS se posiciona contra a fila única na saúde 415

Agência não concorda com a incorporação dos leitos privados à rede pública

O Ministério da Saúde consultou a ANS sobre a possibilidade de vir a adotar no Brasil a fila única para o atendimento de doentes infectados pelo novo coronavírus. Em nota técnica preliminar, a agência se posicionou contra a incorporação dos leitos privados à rede pública.

Entre outros motivos, o documento cita possíveis prejuízos aos usuários dos planos de saúde, “risco sistêmico” ao setor e a eventual ineficácia da medida, já que a demanda por UTIs devido à epidemia pode superar a oferta.

O principal argumento é que, ao se sentirem lesados por eventualmente não disporem de leitos em plena epidemia, os usuários deixariam de pagar seus planos, comprometendo a saúde financeira das operadoras. Cerca de um quarto dos brasileiros tem planos de saúde.

Assinada pela diretoria de Desenvolvimento Setorial, a nota técnica da ANS ainda precisa de aprovação da diretoria colegiada da agência. Uma reunião marcada para esta segunda (25) para tratar do tema foi adiada.

?Em uma eventual fila única unindo os setores público e privado, pacientes que precisarem de UTI entrariam em uma lista e seriam atendidos por ordem de chegada, não importando a procedência do leito disponível.

Enquanto os leitos de UTI do SUS já estão no fim em vários estados, a rede privada ainda tem vagas em muitas cidades.

A razão disso é que, além de atender cerca de 75% dos brasileiros, o SUS tem apenas 1,4 leito de UTI, em média, para cada 10 mil habitantes. No sistema privado, são 4,9 leitos por 10 mil segurados.

A disparidade é ainda maior em estados do Norte e do Nordeste, no Rio e no Distrito Federal.

Diante disso, vários hospitais privados vêm defendendo há semanas que o Ministério da Saúde, estados e municípios se antecipem à falta de leitos na rede pública para requisitar suas unidades ainda ociosas de forma organizada.

O temor é que diante do aumento dos casos de Covid-19 e da falta de leitos, haja requisições administrativas de última hora ou uma onda de judicialização que obrigue os hospitais e repassar suas UTIs sem planejamento.

Em alguns estados e municípios, como em São Paulo, o poder público já vem alugando leitos da rede privada por cerca de R$ 2.200/dia a unidade —com mais de dois terços do valor bancados pelo SUS.

O posicionamento preliminar da ANS contrário à fila única é mais um ingrediente nessa questão, que tende a ganhar força com o rápido avanço da doença e a escassez cada vez maior de leitos de UTI.

Segundo Leonardo Barberes, diretor da Associação de Hospitais do Estado do Rio de Janeiro (Aherj), que reúne 160 unidades privadas, o tema é bastante complexo se for levado em conta, por exemplo, que 48% da população da cidade do Rio de Janeiro (e 54% da de Niterói) têm planos de saúde.

Outros dados, da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), mostram que dos 430 mil leitos de internação do país, 62% estão em instituições privadas, sendo que 52% dessa infraestrutura já é disponibilizada ao setor público mediante remuneração.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 59% das internações de alta complexidade do SUS em 2017 foram realizadas por instituições privadas.

Procurado, o Ministério da Saúde não respondeu aos questionamentos sobre quais são os planos em elaboração para a questão da fila única de leitos de UTI.

Sompo Seguros apresenta novas diretorias de produtos 400

Novidade visa atender aos planos de investimentos em soluções de serviços de fomentar oportunidades de negócios para corretores de seguros

A Sompo Seguros, como parte de sua estratégia de investimentos em soluções para incrementar a experiência do segurado e fomentar o desenvolvimento de negócios para os parceiros corretores de seguros, anunciou a nova estrutura organizacional, que entra em vigor em 1 de junho. As linhas de produtos foram reorganizadas dentro de novas Diretorias Técnicas a fim de atender aos planos de lançamentos de produtos e serviços para conquistar market share em diferentes ramos do seguro.

“A Sompo Seguros tem investido fortemente na consolidação de sua estratégia nos anos recentes, alinhada à Sompo Internacional, com o objetivo de ofertar uma gama completa de produtos e serviços aos corretores e clientes. Para atender à dinâmica do mercado brasileiro, que está mais desafiadora a cada dia, estruturamos um planejamento estratégico em que nossos diretores técnicos estarão com foco em grandes áreas de negócios. Com isso, ganhamos ainda mais agilidade no desenvolvimento de novas soluções, conseguimos identificar tendências, além de estreitar ainda mais nosso relacionamento com os parceiros corretores de seguros”, ressalta Adailton Dias, diretor Executivo de Produtos e Resseguro da Sompo Seguros.

Por meio da iniciativa, Rogério Santos, que era responsável pelo ramo Automóvel e que, entre outras iniciativas capitaneou em 2019 o lançamento do Sompo Auto, o novo seguro Automóvel da companhia; assume a Diretoria de Massificados. Ele tem como desafio reforçar ainda mais a atuação da Sompo Seguros no segmento de massificados, abrangendo os ramos Automóvel (Individual), Empresarial/Lucros Cessantes (com Limite Máximo de Garantia até R$ 50 milhões), Residencial, Condomínio, Habitacional, Penhor Rural, Benfeitorias e RD Equipamentos.

“Venho de uma experiência de relacionamento muito próximo dos corretores de seguros por também já ter atuado na área comercial. E essa característica, no segmento de massificados, é importante porque trabalhamos com as necessidades de cobertura e assistência de uma ampla parcela de consumidores. Estar no dia-a-dia do corretor vai nos ajudar a apresentar nossas ideias e captar percepções para cada iniciativa que estivermos planejando. Nossa cumplicidade com o corretor de seguros nessa nova estrutura reforça a já consolidada política de Portas Abertas da companhia”, analisa Rogério Santos, diretor de Seguros Massificados da Sompo Seguros.

Já João Carlos França de Mendonça que, entre outras iniciativas, esteve à frente do lançamento de produtos como seguros Agrícola, Habitacional, E&O e D&O na diretoria de Commercial Lines, assume a Diretoria de Corporativos. Ele fica responsável pela supervisão dos seguros corporativos, consolidando a posição de destaque da Sompo Seguros nos ramos Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Engenharia, Riscos de Petróleo, Responsabilidade Civil Geral, E&O, D&O, Garantia, Fiança Locatícia, Empresarial/Lucros Cessantes (com Limite Máximo de Garantia acima de R$ 50 milhões e negócios com resseguro facultativo), RD Compreensivo de Veículos e Agrícola.

“Contamos com um corpo técnico qualificado, experiente e multidisciplinar com conhecimento não só do segmento de seguros, mas dos setores econômicos que atendemos. Com isso, propiciamos condições para que corretores de seguros tenham mais oportunidades de negócios e os segurados tenham agilidade no atendimento, para que possam se dedicar mais tempo aos seus empreendimentos. Esse é um dos fatores que faz com que a Sompo esteja entre as empresas de melhor desempenho nos rankings em algumas de nossas linhas de produto.”, avalia João Carlos França de Mendonça, diretor de Seguros Corporativos da Sompo Seguros.

A essas duas diretorias, soma-se a Diretoria de Transporte e Frota, que continua sob comando de Adriano Yonamine; segmento em que a Sompo Seguros lançou soluções inovadoras de consultoria em gerenciamento de riscos, além de uma estrutura exclusiva de monitoramento de cargas de reconhecida eficiência. Essas iniciativas contribuíram para a Sompo Seguros alcançar a liderança do segmento de Seguro de Transportes.

Já o segmento de Pessoas também segue sob o comando da superintendente Técnica de Vida, Diana Araújo Estevão. Esse ramo é um dos que apresenta crescimento mais expressivos e a Sompo Seguros ampliou seu leque com soluções voltadas aos seguros de Vida Individual (Individual e Vida Top Mulher) e Coletivos (Empresarial e PMEs), com opções de contratação para atender diferentes realidades dos segurados. Com isso, a carteira que representava cerca de 5% do portfólio da Sompo Seguros anos atrás, atualmente alcança uma representatividade de 11%.

Oportunidade: Grupo Aspecir contrata atuário 616

Candidatos devem ser graduados em ciências atuariais

O Grupo Aspecir, empresa de origem gaúcha nos ramos de previdência privada, seguro de vida e empréstimo, oferece oportunidade profissional para a integrar sua equipe atuarial. O candidato deve ter graduação em ciências atuariais, experiência consolidada no mercado de previdência complementar aberta e domínio do pacote office.

Além disso, é desejável que possua conhecimentos em legislação do mercado segurador. A carga horária é de segunda a sexta-feira e a vaga conta com benefícios. Ficou interessado(a)? Envie seu currículo e pretensão salarial para vagas@grupoaspecir.com.br.

Últimos dias para garantir desconto em cursos da ENS 412

Alunos podem estudar em casa e têm autonomia para estabelecer o ritmo de estudo

Ainda é possível aproveitar a oportunidade para se desenvolver profissionalmente por valores acessíveis. Esta é a última semana da promoção Turbine sua Carreira, promovida pela ENS, que oferece cursos selecionados de extensão e técnicos online com 30% de desconto.

Os programas são integralmente ministrados em plataforma digital e dispõem de conteúdo atualizado e interativo. Com isso, os alunos podem estudar em casa e têm autonomia para estabelecer o ritmo de estudo mais conveniente.

São 25 cursos extensão contemplados, que abordam temas como Contabilidade Gerencial, Gestão de Resseguro, Previdência Privada, Seguros de Transportes, Marketing de Serviços, Saúde Suplementar, Gestão Organizacional e Seguros de Pessoas entre outros. O investimento é a partir de R$ 133,00, variando de acordo com o programa escolhido. Para participar é necessário ensino superior completo.

Já os 15 cursos técnicos que fazem parte da promoção oferecem conhecimentos sobre assuntos como Capitalização, Direito do Seguro, Estratégias de Comercialização, Mercado Financeiro, Responsabilidade Civil Geral, Seguro Rural e Seguros de Riscos de Engenharia. Há programas com investimento a partir de R$ 73,00 e o pré-requisito é ensino médio completo.

Os valores com desconto valem até sábado (30 de maio). Demais informações sobre a promoção podem ser consultadas no hotsite descubra.ens.edu.br/turbine, onde é possível realizar inscrições.

Edição 235 da Revista JRS destaca momento de transformação mundial 22905

Coronavírus à luz do seguro e outros destaques exclusivos estão na publicação

Especialistas reforçam a todo momento: o mundo não será o mesmo depois do novo coronavírus. Mudança de atitudes, da forma de se relacionar e a adoção de medidas de prevenção não só no âmbito pessoal, mas também no profissional, pegaram o mundo de surpresa. No mercado de seguros não foi diferente, seguradores, corretores e prestadores de serviço tiveram que se adaptar à nova realidade, mantendo toda a sua funcionalidade e atendimento à sociedade brasileira.

Estas e outras reflexões estão disponíveis na versão online da Edição 235 da Revista JRS. Uma excelente leitura!