Onde há fome não há paz: a importância do agronegócio para o desenvolvimento humano 2897

Onde há fome não há paz: a importância do agronegócio para o desenvolvimento

Tokio Marine Seguradora promoveu evento sobre um dos setores mais importantes da economia brasileira

Com estimativas do Ministério da Agricultura de que as safras brasileiras de grãos cresçam 30% na próxima década o mercado de seguros volta os olhos para este tipo de proteção. O Seguro Rural trata-se de um aliado fundamental não apenas ao agricultor, como também ao consumidor em geral, uma vez que o impacto de prejuízos e perdas no campo diante dos preços é absorvido pelas indenizações.

José Adalberto Ferrara é presidente da Tokio Marine Seguradora
José Adalberto Ferrara é presidente da Tokio Marine Seguradora

Os desafios do agronegócio foram tema do evento Expertise Seguro Agro, promovido pela Tokio Marine Seguradora, na capital paulista. O momento contou com apresentações dos diretores da companhia e palestras da meteorologista Desirée Brandt, da Somar Meteorologia, e do agrônomo Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura, entre 2003 e 2006. “A Tokio Marine trata-se de um dos 10 maiores conglomerados de seguros do mundo, sendo a 5ª maior companhia mundial com um lucro líquido que chega ser maior até que o próprio valor do mercado segurador brasileiro como um todo”, citou José Adalberto Ferrara, presidente da Tokio Marine Seguradora, ao comemorar os 60 anos completados pela companhia no último mês. “Contamos com 2 mil colaboradores, distribuídos em 74 unidades de negócios pelo Brasil, além de 30 mil corretores de seguros e assessorias que distribuem os mais de 60 produtos disponíveis em nosso portfólio. Temos crescido acima da média de mercado, com a emissão de prêmios registrando crescimento de 200% nos últimos 7 anos”, registrou diante dos R$ 5,739 bi em prêmios emitidos nos últimos 12 meses pela empresa, um crescimento de 11,5%. 

Ferrara e os diretores da Tokio Marine destacaram a manutenção do subsídio agrícola e ambos foram enfáticos ao demonstrar o desejo em expandir a participação do segmento nos resultados da seguradora. “Nosso objetivo é apresentar nossas soluções aos nossos principais parceiros de negócios. O produto agro conta com muitos diferenciais, pois queremos atender as expectativas de um segmento muito significativo para a economia brasileira”, abordou o Diretor Executivo Comercial, Valmir Rodrigues.

Já o Diretor Executivo da companhia, Felipe Smith, disse que a “Tokio Marine seja protagonista neste segmento”. Smith ainda enumerou a relevância do agronegócio para o Produto Interno Bruto (PIB), corresponde a 21% do total. “Atualmente são 12 milhões de hectares assegurados, distribuídos em 70 culturas. Na virada de 2019 para 2020 são esperados R$ 1 bilhão em subvenção ao Seguro Rural. A área segurada cresceu 700% desde 2006, quando o programa foi implementado”, revelou ao enfatizar o crescimento de 520% do produto em 10 anos, com R$ 2 bilhões em prêmios emitidos. Para se ter uma ideia, neste nicho de seguro, foram R$ 8 milhões em prêmios emitidos pela Tokio Marine em 2018, em 2019 o valor já ultrapassou R$ 27 milhões. 

O Gerente de Produtos Agro da Tokio Marine, Joaquim Neto, ressaltou as características da proteção ofertada pela seguradora. “São coberturas adaptadas às necessidades dos clientes, incluindo coberturas de intercorrências climáticas. Uma safra ruim pode inviabilizar um produtor por até 3 anos, com o seguro ele retoma a produção em 30 dias”, afirmou ao enaltecer a pulverização das áreas cobertas, para mais de 472 municípios.

Desirée Brandt é meteorologista da Somar Meteorologia
Desirée Brandt é meteorologista da Somar Meteorologia

Desirée Brandt demonstrou a importância das previsões meteorológicas não apenas para o dimensionamento do seguro, como também para o próprio planejamento das safras. “Entre 2015 e 2016, por exemplo, tivemos o El Niño mais intenso da história. Este ano o El Niño deve deixar de acontecer no final da primavera, o que resultará em um verão neutro. A classificação disso acontece de acordo com a análise das águas superficiais e subsuperficiais do pacífico”, explicou. “No Sul as chuvas devem ficar acima da média até o começo da primavera. Se a chuva fica presa no Sul teremos seca e impactos na safra verão do Sudeste, por isso, a relevância em saber o período de chuvas para iniciar o plantio”, observou ao registrar evidências de proximidade do fenômeno La Ninã, que pode ocasionar em mais chuvas na região Nordeste e o Sul com precipitações mais irregulares nos primeiros meses de 2020.

Roberto Rodrigues foi ministro da Agricultura do Brasil entre 2003 e 2006
Roberto Rodrigues foi ministro da Agricultura do Brasil entre 2003 e 2006

“Onde houver fome não haverá paz, é o que defende a ONU”. Assim começou a fala do ex-ministro Roberto Rodrigues durante seu painel. “Não existem líderes no mundo contemporâneo, onde não há líderes não existem projetos”, comentou o especialista ao contextualizar o cenário global de expectativa de vida, mudanças climáticas e nos hábitos de consumo, além da digitalização, concentração de renda e choque das democracias. O especialista classificou a segurança alimentar como algo fundamental para o desenvolvimento sociedade. “Em 2020, um agricultor alimentará cerca de 200 pessoas. O agronegócio representa 42% das exportações brasileiras, temos uma juventude extraordinária, algo inexistente em outras partes do mundo. As mulheres, por exemplo, estão assumindo papéis muito importantes e relevantes para a sociedade”,analisou. 

Rodrigues, autor do livro “Agro é Paz”, projetou o crescimento exponencial do agronegócio no Brasil. “Temos energia tropical sustentável, terra disponível e recursos humanos qualificados. Para se ter uma ideia, nosso País possui 43.5% da energia renovável, algo muito acima da média internacional. A regulação de terras por aqui, no entanto, é inibidora da abertura de florestas, estamos vendo muito mais carne e leite e muito menos pasto”, enfatizou. “Não podemos tolerar desmatamento ilegal, assim como os agricultores não toleram”, ponderou ao citar a Lei Florestal, que prevê como o desmatamento legal pode acontecer.

Expertise Seguro Agro – Imagens:

Octavio Milliet será reeleito presidente da APTS 414

Octavio Milliet é presidente da APTS / Divulgação

Atual presidente concorre em chapa única para a gestão 2019/2021

Divulgação
Divulgação

A Associação Paulista dos Técnicos de Seguro (APTS), entidade com 36 anos de atuação voltada à disseminação do conhecimento técnico sobre seguros aos profissionais do setor, será comandada nos próximos dois anos por Octavio Milliet. A chapa liderada por ele foi a única registrada até o dia 19 de agosto, conforme prazo definido no edital de eleição. A aprovação da chapa única será realizada em Assembleia Geral, no dia 9 de setembro, e, na mesma ocasião, a eleição por aclamação.

Milliet, que no início da gestão atual, em 2017, ocupava o cargo de conselheiro, foi eleito presidente da APTS em Assembleia Geral Extraordinária realizada em fevereiro, um mês após o falecimento do então presidente Osmar Bertacini. “Temos muitos planos para a nova gestão. Pretendemos revitalizar a APTS e incrementar a área de eventos, com a realização de seminários sobre temas importantes para o setor, além de resgatar os consagrados eventos do meio-dia, como palestras e debates”, disse Milliet.

A composição da diretoria da APTS para a gestão 2019/2021 mantém nos cargos da diretoria Executiva o secretário Luiz Macoto Sakamoto e o tesoureiro Evaldir Barboza de Paula. Já o Conselho Administrativo passa a contar com dois novos integrantes: Jayme Brasil Garfinkel e Claudio Macedo Pinto. Permanecem no Conselho: Hélio Opipari Jr., José Luis S. Ferreira da Silva, Alexandre Milanese Camillo e Cesar Bertacini.

Trajetória profissional

Milliet construiu carreira de 42 anos na corretagem de seguros, ocupando posições de destaque no mercado, como as presidências da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), da Escola Nacional de Seguros (ENS), do Sindicato dos Corretores de Seguros de São Paulo (Sincor-SP) e do Codiseg (órgão que cuidava das ações de marketing do setor de seguros), além de também ter atuado como membro do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP). Atualmente, ele exerce a função de Ouvidor do Sincor-SP.

Diretoria da APTS – Gestão 2019/2021

Diretoria Executiva

Presidente: Octávio José Milliet

Secretário: Luiz Macoto Sakamoto

Tesoureiro: Evaldir Barboza de Paula

Conselho Administrativo

Efetivos: Jayme Brasil Garfinkel, Hélio Opipari Junior e José Luis S. Ferreira da Silva.

Suplentes: Alexandre M. Camillo, Claudio Macedo Pinto e Cesar Bertacini.

Chubb foi a seguradora oficial do Mice² Meeting 354

Chubb foi a seguradora oficial do Mice² Meeting

Reunião aconteceu em 19 de agosto, no WTC Events Centes

A Chubb foi a seguradora oficial do Mice² Meeting, que ofereceu 8 horas de palestras voltadas exclusivamente a profissionais que promovem eventos no Brasil. O encontro teve o objetivo de promover o aprendizado e a reciclagem dos participantes em 5 diferentes áreas de eventos: corporativos, médicos e promocionais; motivadores; técnicos, científicos e educacionais; feiras de negócios; e geração de negócios. A reunião aconteceu no dia 19 de agosto, em São Paulo, no WTC Events Center.

“Os próprios profissionais do setor de eventos se sentiram mais seguros em contar com a Chubb para proteger o encontro do qual participariam”, observa Juliana Santos, responsável pela área de seguros de Entretenimento da Chubb. Na ocasião, as apresentações transcorreram em 5 diferentes arenas de debates, onde diversos especialistas abordaram cases e, em seguida, responderam as questões do público. A conferência também estimulou a interação e a troca de ideias entre os presentes.

A apólice da Chubb garantiu aos promotores do encontro a possibilidade de indenização em caso de danos corporais e morais aos participantes, além de proteção aos profissionais envolvidos diretamente com a organização do evento, da montagem à desmontagem.

Juliana Santos lembra que, no Brasil, a Chubb é pioneira no setor de seguros de Entretenimento, que oferece coberturas para eventos, audiovisuais, proteções fotográficas e outros nichos. No mundo, a seguradora possui mais de 50 anos de experiência no segmento.

Deputado Jerônimo Goergen comenta como MP da Liberdade Econômica pode afetar mercado de seguros 889

Ele também falou sobre a retirada das associações de proteção veicular do texto

A Medida Provisória 881/2019, que dispõe sobre a liberdade econômica, visa garantir livre mercado. O relatório final ficou a cargo do deputado Jerônimo Goergen (PP/RS), que recebeu convidados nesta segunda-feira (19) na sede da Câmara de Indústria e Comércio e Serviços de Canoas (CICS) para abordar o assunto.

Ele falou com exclusividade ao programa Seguro Sem Mistério e Revista JRS como esse texto impacta pequenos e médios negócios e pode afetar o setor de seguros. “A vantagem que o mercado terá é justamente o desaparecimento da burocracia para a abertura de empresa. Claro que cumprindo todas as regras e leis, mas para abrir efetivamente terá toda a flexibilização”, comentou.

Além disso, o relator retirou as associações de proteção veicular do Projeto. “Tivemos uma discussão importante que envolvia a possibilidade de outros segmentos que não tivessem a regulamentação que as segurados tem de comercializar o seguro. Tinham emendas de deputados e senadores que possibilitavam essa atividade em outros segmentos. Eu como relator pude interpretar a insegurança que isso ia gerar ao consumidor do seguro e obviamente mantivemos o sistema como ele está”, explicou. “O debate foi importante e fortaleceu os corretores e as seguradoras. Eu espero que tenhamos cada vez mais condições de oferecer os produtos de seguro com segurança jurídica, que foi exatamente o que mantivemos na lei”, acrescentou.

As lideranças do mercado de seguros foram os responsáveis por fornecer as informações necessárias a Goergen neste sentido. “Eu preciso reconhecer o papel dos líderes do mercado nessa operação, pois eles nos trouxeram todas as informações da maneira mais adequada para que tomássemos a decisão mais acertada e não trouxesse prejuízos ao final ao consumidor de seguro”, disse.

A importância dessa matéria para os corretores de seguros ficou evidenciada pelo vice-presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), André Thozeski. “É fundamental, pois havia uma expectativa das associações de proteção veicular que com essa medida provisória de facilitação da atividade empresarial de que eles iriam aproveitar essa oportunidade para colocar a proteção veicular dentro desse Projeto de Lei. O deputado se deu conta do erro que seria isso e tirou isso”, destacou. “Precisamos entender que há uma diferença fundamental entre seguro e proteção veicular. Quando se contrata uma apólice de seguro, se paga o seguro e passa o risco do negócio para a seguradora. Quando é uma associação de proteção veicular, quem paga o risco são os próprios associados, como se fosse num condomínio. As pessoas compram proteção veicular pensando que estão comprando seguro, mas na verdade não é seguro”, complementou.

Global Tintas surge como a solução compartilhada dos insumos para reparos automotivos 1418

Nova loja está localizada em Canoas, RS

O Uber dos insumos voltados para reparação automotiva já existe. A Global Tintas inaugurou sua loja na cidade de Canoas/RS. Agora, as oficinas poderão contar com produtos de qualidade e com valores atrativos. “As oficinas automotivas dependem muito desses materiais. Assim, nós procuramos empresas da indústria para que fosse possível nos oferecer qualidade e bons preços”, comenta o executivo da Global Tintas, Sérgio Machado.

A loja, localizada na Rua Protásio Alves nº 205 – bairro Niterói, representa com exclusividade os produtos da marca Axalta. “Em seis meses de negociação já temos bons frutos dessa marca mundialmente conhecida, que conta com altíssima procura e um produto que tem um rendimento e qualidade ótimos”, destaca.

Machado conta que a projeção da empresa é de, nos próximos seis meses, abrir outras unidades em Novo Hamburgo e em Porto Alegre. “Primeiramente nós escolhemos Canoas porque temos um tomador de serviços muito forte na região e assim ficamos há cinco minutos dele. E, fora isso, é uma região estratégica, pois aqui conta com 95 oficinas num raio de 5 quilômetros”, menciona.

Além disso, o executivo, que também é gestor da BL Car Automotive Repair, explica que é necessário um grande investimento em gestão, tecnologia, sistemas e produtos que gerem produtividade quando o assunto é oficina automotivo. “Em função da experiência que adquirimos, já melhoramos muito volume de produção”, diz. Ele também lembra que estão sempre alinhados com as seguradoras, através de um atendimento ao cliente e serviço diferenciado. “Eu costumo dizer que o serviço está na ponta da linha da apólice, então se a oficina não presta um serviço de qualidade para o segurado, ele está jogando a credibilidade da seguradora fora. Por isso, nós prezamos muito por isso”, acrescenta.

A nova loja foi inaugurada este mês e contou com a presença do gerente nacional da Axalta, Eduardo Freitas, do gerente RS da Norton, Robert Dienstmann, e de colaboradores e parceiros da Global Tintas.

Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul comemora 124 anos de atuação 751

Ações que visam a promoção da cultura do seguro foram enaltecidas pelo presidente da entidade, Guacir Bueno

A noite do dia 14 de agosto foi mais do que especial em Porto Alegre (RS). O Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (Sindseg-RS) comemorou 124 anos da atuação e reuniu diversos parceiros e agentes do mercado segurador gaúcho, na sede da instituição.

O presidente do Sindseg-RS, Guacir de Llano Bueno, destacou a relevância destes parceiros que são aliados na defesa e na promoção da instituição da cultura securitária. “Também registro agradecimento às muitas diretorias que nos antecederam, homens e mulheres que proporcionaram o melhor para o crescimento e solidificação do nosso seguimento. Destaco o acolhimento e ações em conjunto com a Escola Nacional de Seguros. A educação do povo do seguro sempre foi uma preocupação do nosso Sindicato, que conta com modernas instalações”, comentou Bueno.

A figura de Miguel Junqueira Pereira também foi lembrada, por tratar-se de ilustre personagem do segmento de seguros no Brasil e da própria história do Sindseg-RS.

Confira as imagens: