Compliance: a nova onda do mercado corporativo mundial 535

Compliance: a nova onda do mercado corporativo mundial

Especialista comenta como a exigência do compliance mudou os negócios firmados entre organizações nacionais e internacionais

O mercado prevê grande expectativa de abertura da economia brasileira para os próximos anos. Recentemente, por exemplo, a União Europeia firmou acordo com o Mercosul, e a previsão é que mais de U$ 80 bilhões sejam investidos no Brasil. No entanto, para chamar a atenção de investidores, as organizações brasileiras perceberam a importância de implementar em suas estruturas corporativas um programa de integridade que possa delimitar regras éticas, incentivar a transparência e gerenciar os riscos. Esse programa é chamado de Compliance.

Renato Thé é especialista em auditoria e diretor de compliance da UGP Brasil, empresa especializada em licitações, contratos e oferta de programas de integridade. Segundo ele, a grande maioria das organizações que operam em negócios internacionais utiliza essa ferramenta de gestão como instrumento de conduta e geração de riqueza. A valorização do programa de integridade tornou-se regra no mundo corporativo. No Brasil, de acordo com um levantamento da KPMG Auditoria, realizado em 2017, das cerca de 450 empresas avaliadas, apenas 9% não possuíam programa de integridade.

Licitações internacionais e recursos estrangeiros são uma mão na roda da economia brasileira. Um dos principais agentes de investimento, por exemplo, é o BIRD, o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento. Nesse ano, a instituição investiu cerca de U$ 50 milhões no Programa Paraíba Rural Sustentável, no estado da Paraíba. Mas para garantir o investimento por parte do BIRD e de outras agência de fomento, as organizações beneficiadas precisam seguir uma série de regras e condutas éticas, denominadas Safeguards, um instrumento similar ao compliance.

Transparência nos setores público e privado

O compliance ainda não é obrigatório para definir as negociações entre organizações nacionais e internacionais, porém, já é um dos principais critérios adotados. Em relação às instituições públicas, as regras envolvendo a implementação do programa de integridade são mais claras. Como é o caso do Governo do Distrito Federal (GDF), que passou a exigir o programa em todos os órgãos diretos que fazem parte da sua estrutura. Além de exigir que empresas, ao firmar contratos públicos com o DF, possuam essa prática.

A Lei Federal Anticorrupção (Lei n° 12846/2013) é um bom exemplo de como as práticas da transparência e legalidade passaram a ser critérios para a eficiência da gestão. A Lei define que qualquer empresa estrangeira ou nacional, que ofereça serviços à Administração Pública Federal e aos estados e municípios, necessite apresentar ações que visem a transparência das operações.

De acordo com Renato Thé, as razões que explicam o compliance estar “na moda” são diversas. Ele destaca que o gerenciamento de crises econômicas e de problemas de fraudes nas empresas tornou-se mais relevante para os gestores. “Dadas as crises econômicas e problemas de fraudes, baixa produtividade, redução de margem de lucro, estratégias de negócios, dentre outros pontos, o compliance tornou-se uma alternativa bastante satisfatória por ofertar a junção de três eixos temáticos: a auditoria interna, o gerenciamento de risco e a governança corporativa”, explica o especialista.

Ele aponta ainda que as organizações internacionais exigem segurança na hora de negociar, e o programa de integridade é um dos critérios. “Os investidores internacionais são profissionais, não entram em negócios onde o risco não possa ser calculado. Como um dos eixos em compliance é justamente o gerenciamento de risco, os negócios somente são fechados tendo a prática como ponto determinante. Diria que sem esse instrumento não há negócio”, diz Renato Thé.

O diretor de compliance destaca o papel de organizações econômicas como o Bacen (Banco Central do Brasil) e a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que já empregam essa prática como regra para diversos negócios. “Não há dúvidas que essas entidades utilizam de mecanismos de controle interno, gerenciamento de risco e de governança corporativa para atuarem. E mais, exigem que as empresa que se relacionam com elas também os tenham a fim de garantir a transparência nas operações”, afirma.

Desafios de implementação

Para organizações que ainda não possuem ou estão em processo de implementação do programa de integridade, o especialista da UGP Brasil aconselha: “quando esse capital estrangeiro aportar no Brasil e as empresas quiserem ou tiverem de implantar programas de compliance às pressas, sofrerão. A minha sugestão é que procurem empresas que já possuem programa específico de implantação para antecipar movimentos e garantir o acesso aos investimentos que ocorrerão”.

Renato finaliza explicando os principais desafios que as instituições podem enfrentar caso não se adequem às exigências do mercado. “A maior dificuldade é convencer o empresariado brasileiro que os players internacionais trabalham de forma profissional. São exigentes e não aceitam improvisos. Assim, os riscos que podem atrapalhar, em primeiro lugar, vêm da cultura organizacional. Em seguida, a falta de profissionalismo e, por fim, as práticas procedimentais nas organizações”, afirma Renato Thé.

Além de potencializar e garantir o bom funcionamento e atuação das organizações, o compliance inova e cria uma nova identidade para a instituição. Confira algumas dicas do especialista Renato Thé, da UGP Brasil, na hora de pensar na implementação.

  • Formule o código de conduta da empresa: definir as regras que irão determinar o comportamento dos colaboradores e o bom funcionamento das operações é o primeiro passo a ser dado;
  • Crie metas e objetivos que possam estimular a redução dos riscos: o gerenciamento de riscos é um dos objetivos do compliance, e se bem planejado, o mapeamento de todas as operações da empresa pode evitar falhas;
  • Estabeleça canais de comunicação que garantam a transparência dos negócios: seja na iniciativa pública ou privada, é recomendável que a organização possua um colaborador que possa intermediar possíveis intercorrências;
  • Contrate profissionais que saibam formular o programa de integridade de acordo com o segmento da organização: o investimento neste caso é mais que necessário. Diante das exigências de seguridade do negócio, é preciso contar com a ajuda de técnicos e analistas que estejam por dentro das regras e regulamentos que envolvem o compliance.

Corretores de seguros são os convidados da live da Gente Seguradora 448

Participantes falarão sobre o seguro de automóveis

Na 15ª edição da Live da Gente Seguradora, Paulo Furst, da Belfaactus Corretora de Seguros, e Luiz Durek, da Volvo Corretora de Seguros, são os convidados da vez. A conversa será sobre o seguro de automóveis e a perspectiva da modalidade para o futuro.

A atração acontecerá na sexta-feira, 10, às 17h30 pelo perfil no Instagram da Gente Seguradora (@genteseguradora).

Bradesco Seguros: campanha “empresarial em foco” é prorrogada 1208

Com 15% de desconto em todas as coberturas para seguros empresariais novos, renovação ou endossos, a campanha promocional foi estendida até dia 09 de agosto

Em razão das dificuldades que o setor empresarial vivencia por conta da pandemia do novo coronavírus, a Bradesco Auto\RE – empresa do grupo Bradesco Seguros – prorrogou até o dia 09 de agosto a campanha promocional ‘Empresarial em Foco’, que oferece 15% de desconto em cobertura de seguros novos, renovações ou endossos para o ramo empresarial. Por meio da ação, em média, 20 setores estão sendo beneficiados com o desconto que contempla desde estabelecimentos de saúde e de ensino até fábricas de confecção e produtos alimentícios, entre outros.

“O seguro empresarial oferece soluções rápidas para os problemas corriqueiros do dia a dia e proteção ao patrimônio em situações adversas. As coberturas contemplam, desde danos causados por incêndios – envolvendo equipamentos elétricos ou causados por materiais sólidos e líquidos – até explosões, além de queda de raio, roubo, entre outros imprevistos. O seguro ainda disponibiliza assistências emergenciais gratuitas 24h por dia, como chaveiro, vigilante, vidraceiro, serviço de mão de obra elétrica e hidráulica, entre outros serviços. Em razão do sucesso da campanha e entendendo a atual situação do empresariado, resolvemos estender o período de desconto”, afirma Saint’Clair Lima, Diretor da Bradesco Auto/RE.

Abertas inscrições para a 5ª categoria do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros 1190

Inscrições das demais categorias esta abertas desde o dia 1º de julho

Estão abertas, a partir desta quinta-feira (09 de julho), as inscrições de trabalhos na categoria especial “Formação e Qualificação Profissional” da edição 2020 do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros.

Realizada em conjunto pela FENACOR e a ENS, com o apoio institucional da CNseg, esta edição terá outras quatro categorias em disputa: “Midia Impressa”, “Audiovisual” (incluindo Rádio e TV), “Webjornalismo” e “Imprensa Especializada do Mercado de Seguros”. Nessas categorias, as inscrições já estão sendo feitas desde o dia 1º de julho.

A diferença de datas é decorrente da necessidade de ajustes no sistema.

Podem ser inscritas reportagens e matérias veiculadas entre os dias 11 de novembro de 2019 e 15 de novembro de 2020.

Os jornalistas poderão inscrever suas reportagens até o dia 16 de novembro de 2020 neste endereço eletrônico:
https://www.fenacor.org.br/premiodejornalismo/Home.

Cupom do SindSeg RS oferece 20% de desconto em curso de formação de corretores 1303

Aulas são oferecidas pela Escola de Negócios e Seguros

A Escola de Negócios e Seguros está com inscrições abertas para o Curso Intensivo de Habilitação de Corretores de Seguros. O Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg RS) está com um cupom exclusivo que oferece 20% de desconto nas aulas.

“Invista em uma profissão promissora”, reforça a chamada da entidade. No formato intensivo, o aluno estará pronto para o mercado de seguros em apenas 5 meses, com aulas on-line e ao vivo para todo o Brasil.

O desconto vale para inscrições feitas até o dia 15 de julho. Se interessou? Utilize o cupom SINDSEGRS através deste link.

‘RJ da Sorte’ vai sortear carrão com R$ 100.000,00 no porta malas 961

Título da CAPEMISA Capitalização vai ter um Honda City 0km com R﹩ 100.000,00 no porta malas, além de vários prêmios em dinheiro nos outros três sorteios pelas dezenas.

Pensar que ao fim de um longo período de distanciamento social vai ser possível andar por aí com um carrão 0km e dinheiro no bolso é o sonho de consumo de muito morador do Rio de Janeiro. Sobretudo depois que a pandemia fez mais de 1 milhão de pessoas perderem seus empregos no país apenas no último mês. Por isso que o ‘RJ da Sorte’ programou para esta semana um sorteio mais que especial. No próximo domingo, dia 12 de julho, serão três sorteios pelas dezenas no valor de R﹩ 10.000,00, cada; além do prêmio principal de um Honda City 0km com R﹩ 100.000 em dinheiro no porta malas.

No ‘Cadastro da Sorte’, o título de capitalização da CAPEMISA vai sortear um Fiat Mobi 0km e mais 20 prêmios ‘Xô Aperto’ de R﹩ 1.000,00 cada, para quem cadastrar ou comprar online até 11/07 no site http://www.rjdasorte.com.br ou pelo aplicativo para celular. Tudo isso ao vivo, às 9h, na TV Band Rio, sempre comandado pelos apresentadores mais alegres das manhãs de domingo, Vivi Romanelli, Carlos Alberto e Aline Malafaia.

Compra online para facilitar a sua vida – A CAPEMISA Capitalização aproveitou o isolamento social e lançou plataforma no site do ‘RJ da Sorte’ e no APP para celulares Android para que os clientes possam adquirir o título de capitalização online, sem precisar sair à rua. Assim, além de manter o isolamento necessário para proteger a própria saúde e a de toda a comunidade, o morador do estado Rio de Janeiro ainda pode continuar a ajudar os projetos das 62 unidades da APAE Brasil no Rio e concorrer a prêmios. Para comprar, é muito fácil.

Basta acessar o site http://www.rjdasorte.com.br (versão para computadores e dispositivos móveis) ou o aplicativo ‘RJ da Sorte’ (inicialmente exclusivo para celulares Android). Ao efetivar a compra através do cartão de crédito ou boleto bancário será emitido um título digital, que terá as mesmas características de um título físico, garantindo a participação do subscritor do título normalmente em todas as categorias de premiação. Além disso, o cadastro dos títulos para concorrer a todos os sorteios será automático, gerando mais um benefício para os consumidores.

‘RJ da Sorte’ – É um título de capitalização da modalidade filantropia premiável, criado pela CAPEMISA Capitalização, com operação autorizada pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), órgão vinculado ao Ministério da Economia, que fiscaliza os títulos de capitalização de todo o Brasil. O ‘RJ da Sorte’ atende a todos os requisitos exigidos na regulamentação setorial, em especial Circulares SUSEP nº 569, 576 e 582/2018 e destina os resgates para a APAE – Brasil, para financiar projetos das 62 APAEs do Rio de Janeiro.