Compliance: a nova onda do mercado corporativo mundial 473

Compliance: a nova onda do mercado corporativo mundial

Especialista comenta como a exigência do compliance mudou os negócios firmados entre organizações nacionais e internacionais

O mercado prevê grande expectativa de abertura da economia brasileira para os próximos anos. Recentemente, por exemplo, a União Europeia firmou acordo com o Mercosul, e a previsão é que mais de U$ 80 bilhões sejam investidos no Brasil. No entanto, para chamar a atenção de investidores, as organizações brasileiras perceberam a importância de implementar em suas estruturas corporativas um programa de integridade que possa delimitar regras éticas, incentivar a transparência e gerenciar os riscos. Esse programa é chamado de Compliance.

Renato Thé é especialista em auditoria e diretor de compliance da UGP Brasil, empresa especializada em licitações, contratos e oferta de programas de integridade. Segundo ele, a grande maioria das organizações que operam em negócios internacionais utiliza essa ferramenta de gestão como instrumento de conduta e geração de riqueza. A valorização do programa de integridade tornou-se regra no mundo corporativo. No Brasil, de acordo com um levantamento da KPMG Auditoria, realizado em 2017, das cerca de 450 empresas avaliadas, apenas 9% não possuíam programa de integridade.

Licitações internacionais e recursos estrangeiros são uma mão na roda da economia brasileira. Um dos principais agentes de investimento, por exemplo, é o BIRD, o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento. Nesse ano, a instituição investiu cerca de U$ 50 milhões no Programa Paraíba Rural Sustentável, no estado da Paraíba. Mas para garantir o investimento por parte do BIRD e de outras agência de fomento, as organizações beneficiadas precisam seguir uma série de regras e condutas éticas, denominadas Safeguards, um instrumento similar ao compliance.

Transparência nos setores público e privado

O compliance ainda não é obrigatório para definir as negociações entre organizações nacionais e internacionais, porém, já é um dos principais critérios adotados. Em relação às instituições públicas, as regras envolvendo a implementação do programa de integridade são mais claras. Como é o caso do Governo do Distrito Federal (GDF), que passou a exigir o programa em todos os órgãos diretos que fazem parte da sua estrutura. Além de exigir que empresas, ao firmar contratos públicos com o DF, possuam essa prática.

A Lei Federal Anticorrupção (Lei n° 12846/2013) é um bom exemplo de como as práticas da transparência e legalidade passaram a ser critérios para a eficiência da gestão. A Lei define que qualquer empresa estrangeira ou nacional, que ofereça serviços à Administração Pública Federal e aos estados e municípios, necessite apresentar ações que visem a transparência das operações.

De acordo com Renato Thé, as razões que explicam o compliance estar “na moda” são diversas. Ele destaca que o gerenciamento de crises econômicas e de problemas de fraudes nas empresas tornou-se mais relevante para os gestores. “Dadas as crises econômicas e problemas de fraudes, baixa produtividade, redução de margem de lucro, estratégias de negócios, dentre outros pontos, o compliance tornou-se uma alternativa bastante satisfatória por ofertar a junção de três eixos temáticos: a auditoria interna, o gerenciamento de risco e a governança corporativa”, explica o especialista.

Ele aponta ainda que as organizações internacionais exigem segurança na hora de negociar, e o programa de integridade é um dos critérios. “Os investidores internacionais são profissionais, não entram em negócios onde o risco não possa ser calculado. Como um dos eixos em compliance é justamente o gerenciamento de risco, os negócios somente são fechados tendo a prática como ponto determinante. Diria que sem esse instrumento não há negócio”, diz Renato Thé.

O diretor de compliance destaca o papel de organizações econômicas como o Bacen (Banco Central do Brasil) e a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que já empregam essa prática como regra para diversos negócios. “Não há dúvidas que essas entidades utilizam de mecanismos de controle interno, gerenciamento de risco e de governança corporativa para atuarem. E mais, exigem que as empresa que se relacionam com elas também os tenham a fim de garantir a transparência nas operações”, afirma.

Desafios de implementação

Para organizações que ainda não possuem ou estão em processo de implementação do programa de integridade, o especialista da UGP Brasil aconselha: “quando esse capital estrangeiro aportar no Brasil e as empresas quiserem ou tiverem de implantar programas de compliance às pressas, sofrerão. A minha sugestão é que procurem empresas que já possuem programa específico de implantação para antecipar movimentos e garantir o acesso aos investimentos que ocorrerão”.

Renato finaliza explicando os principais desafios que as instituições podem enfrentar caso não se adequem às exigências do mercado. “A maior dificuldade é convencer o empresariado brasileiro que os players internacionais trabalham de forma profissional. São exigentes e não aceitam improvisos. Assim, os riscos que podem atrapalhar, em primeiro lugar, vêm da cultura organizacional. Em seguida, a falta de profissionalismo e, por fim, as práticas procedimentais nas organizações”, afirma Renato Thé.

Além de potencializar e garantir o bom funcionamento e atuação das organizações, o compliance inova e cria uma nova identidade para a instituição. Confira algumas dicas do especialista Renato Thé, da UGP Brasil, na hora de pensar na implementação.

  • Formule o código de conduta da empresa: definir as regras que irão determinar o comportamento dos colaboradores e o bom funcionamento das operações é o primeiro passo a ser dado;
  • Crie metas e objetivos que possam estimular a redução dos riscos: o gerenciamento de riscos é um dos objetivos do compliance, e se bem planejado, o mapeamento de todas as operações da empresa pode evitar falhas;
  • Estabeleça canais de comunicação que garantam a transparência dos negócios: seja na iniciativa pública ou privada, é recomendável que a organização possua um colaborador que possa intermediar possíveis intercorrências;
  • Contrate profissionais que saibam formular o programa de integridade de acordo com o segmento da organização: o investimento neste caso é mais que necessário. Diante das exigências de seguridade do negócio, é preciso contar com a ajuda de técnicos e analistas que estejam por dentro das regras e regulamentos que envolvem o compliance.

Clube de Vantagens Bradesco Seguros ultrapassa mais de 1 milhão de acessos 705

Programa oferece promoções e ofertas especiais em mais de 500 mil produtos de estabelecimentos conveniados e lojas online

O Clube de Vantagens Bradesco Seguros – plataforma que oferece ao segurado descontos exclusivos em diversos produtos e serviços – comemora mais uma importante marca: um milhão de acessos. Desde a sua criação, o crescimento tem se tornado exponencial, o que prova o sucesso da iniciativa.

Além da expressiva conquista, também foram apresentados novos parceiros, que vão desde moda masculina, com a Aramis Menswear e a Buckman, passando pela Case4You, de acessórios para celular, ao Hopi Hari. As marcas se juntam aos mais de 400 associados de diferentes áreas como viagens, restaurantes, farmácias, eletrônicos entre outros.

Para usufruir dos descontos nos mais de 500 mil produtos e serviços, não é preciso acumular pontos nem pagar mais nada. Basta ter um produto da Bradesco Seguros, se cadastrar no site Clube de Vantagens Bradesco Seguros. O portal também está disponível para smartphones, por meio do aplicativo do Grupo Segurador.

Novo layout do site aprimora ainda mais a experiência do usuário

Para melhorar ainda mais a percepção do segurado cadastrado, todo o site do Clube de Vantagens Bradesco Seguros foi reestruturado em 2019. Com design objetivo e funcional, é possível encontrar com mais facilidade centenas de produtos e serviços oferecidos.

Pioneiro no mercado segurador, o Clube promove descontos atrativos para os clientes da Bradesco Seguros nos grupos de Previdência, Vida, Residencial, Saúde, Dental, Capitalização e Cartão de Crédito da seguradora. No aplicativo, com o serviço de geolocalização e filtro inteligente, o cliente aproveita os benefícios em suas áreas de interesse.

Sincor-RJ realiza palestra sobre Produtos Financeiros 139

Consultor Comercial da Porto Seguro, Luiz Felipe Resende, participará do encontro

No dia 28 de janeiro, das 9 horas ao meio-dia, acontece mais um debate no auditório do sindicato, sobre Produtos Financeiros, com o Consultor Comercial da Porto Seguro, Luiz Felipe Resende. Quem vai intermediar o diálogo entre os palestrantes e os participantes, será o Diretor de Ensino do Sincor-RJ, Arley Boullosa.

Luiz Felipe Resende é especialista na área comercial, possui 20 anos de atuação no mercado segurador e atualmente o executivo atua com Produtos Financeiros na Porto Seguro. Já trabalhou nas seguradoras Icatu Seguros e SulAmérica. Possui experiência em atividades profissionais ligadas a Estratégia Empresarial, Plan ejamento Estratégico e Gestão de Riscos.

Conheça e experimente uma metodologia dinâmica de comercialização dos produtos financeiros para complementar as vendas e gerar resultados. Para participar, é só fazer a inscrição através do site www.sincor-rj.org.br. O evento é gratuito para sócios e para não-sócios R$ 50,00. O evento conta com o patrocínio da Mapfre Seguros, Bradesco Seguros e Icatu Seguros.

Kuantta Consultoria realiza curso prático Facebook e Instagram Ads 489

No curso, participantes terão a oportunidade de captar novos leads pela internet

A Kuantta Consultoria realiza um curso sobre Facebook e Instagram Ads, nos dias 18, 19 e 20 de fevereiro, das 9h15min às 11h45min. Aprenda a criar campanhas, gerar leads e aumentar as vendas na sua corretora, usando ferramentas técnicas nas redes sociais. As aulas serão ministradas por Alan Rodrigues, sócio da Kuantta Digital e terá a participação do Sócio da Moby Corretora de Seguros e Diretor de Ensino do Sincor-RJ, Arley Boullosa.

Boullosa afirma que é preciso ter praticidade nas ações, quando pensamos em transformação digital. “É muito importante ajudar os corretores de seguros de forma prática. O Curso sobre Geração de Leads no Facebook e Instagram fará isso. Não é simples e nem fácil administrar uma campanha. Para corretoras médias e grandes exige uma agência de marketing digital para realizar o trabalho, pois exige muita análise e acompanhamento de métricas, mas para um investimento limitado, o próprio corretor pode executar. Acreditamos que o curso é mais um passo que a Kuantta dá ajudando o corretor a entrar no processo de transformação digital”, explicou

Alan Rodrigues menciona que com esse curso, os participantes terão a oportunidade de captar novos leads pela internet. “A importância desse curso para os corretores é que cada inscrito terá conhecimento para construir suas próprias campanhas e gerar seus próprios leads. E com isso, não precisarão contratar serviços de terceiros, que em alguns casos, custam caro.Prestando atenção e anotando as devidas informações, estarão aprendendo todas as configurações que são de suma importância, na hora de estruturar um anúncio eficaz. Passarei todos os conhecimentos em relação aos anúncios patrocinados voltados para a venda de seguros. Não vai ser necessário esperar a geração de leads ou ficar na dúvida se aquele contato foi repassado a terceiros. Sabendo atuar com esses recursos, é possível gerar suas próprias indicações”, concluiu.

O Centro de Ensino Kuantta tem o apoio da Porto Seguro e conta com uma programação de cursos e palestras voltadas para corretores de seguros, funcionários das corretoras, executivos prestadores de serviços e seus colaboradores. Para participar e efetuar a inscrição, é só entrar em contato através do Whatsapp (21) 99137-2357.

Sustentare Seguros comemora bons resultados de 2019 1195

Corretora fechou o ano com 75.5 milhões de produção

A Sustentare Seguros cresceu na casa dos 10% em 2019, registrando 75.5 milhões de produção. Os números foram apresentados pelo CEO Rogerio Oliveira durante a 4ª Convenção da empresa, que aconteceu na sexta-feira (24) em Porto Alegre.

“Estamos continuamente expandindo e a expectativa é de continuarmos crescendo ainda mais”, comentou Oliveira. Diversos representantes de companhias de seguros se fizeram presentes no encontro promovido pela Sustentare Seguros na Casa Vetro, na zona norte da Capital gaúcha. “Isso nos mostra que somos uma corretora importante para essas empresas e, com esse elo da seguradora, todo o mercado de seguros e principalmente os clientes que estarão mais seguros”, afirmou.

A expansão da marca aconteceu nos últimos anos nos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, chegando a mais de 100 unidades. Agora, a intenção é avançar nacionalmente. “Até 2019, tínhamos foco na Região Sul e no final do ano passado definimos que a expansão agora será pelo Brasil”, contou.

Imagens: Filipe Tedesco/JRS

Clube da Bolinha RS promove tradicional confraternização de verão 1083

Município de Xangri-lá recebeu Bolinhas e suas famílias

O mais tradicional clube de executivos do mercado gaúcho de seguros reuniu suas famílias em mais um aguardado encontro de verão do Clube da Bolinha do Rio Grande do Sul. A entidade, que conta com mais de 6 décadas de atuação, teve seu encontro na praia de Xangri-lá, no Litoral Norte do Estado.

“O Clube promove encontros sempre esperados pelas famílias dos nossos integrantes e ficamos felizes em ver como todos se dão bem e aproveitam esse momento para estreitar laços de amizade, algo que vai além da relação costumeira relação profissional”, destacou o reitor Fernando Menezes, que também é diretor da Sultec Vistorias. “Gostaria de agradecer ao anfitrião Alberto Muller, por nos ceder o espaço deste encontro para essa confraternização”, se referiu ao diretor comercial da Sompo Seguros e integrante do Clube.

O momento também contou com uma homenagem por parte de alguns Bolinhas ao fundador do JRS, Jota Carvalho. “Ele sempre esteve conosco incentivando todos nossos encontros e hoje pode não estar aqui materialmente, mas com certeza está espiritualmente”, afirmou sobre o jornalista, o ex-reitor e executivo da HDI Seguros, Giovani Menger.

Imagens: Filipe Tedesco/JRS