É possível vender mais para os mesmos clientes? 532

É possível vender mais para os mesmos clientes?

Confira artigo de Eduardo Tardelli, CEO da upLexis

Ter uma grande carteira de clientes ativa, sendo, a maior parte, fidelizados e recorrentes é o desejo de qualquer empresa e empresário, justificando, muitas vezes, o alto valor na aquisição do lead. Com um LTV (Life Time Value) grande, se tem um gap maior para gastar na aquisição, além de muitas vezes tornar o comprador/usuário um “advogado” da marca.

A aspiração é grande, assim como o desafio de conquistar esse patamar. A pesquisa “Vendo além da ilusão de fidelidade: é hora de investir de forma mais inteligente”, da Accenture Strategy, empresa global de consultoria de gestão, Tecnologia da informação e outsourcing, aponta que 80% dos brasileiros estão diminuindo sua fidelidade em níveis que afetam o lucro das empresas. Junto a isso, a grande maioria dos consumidores (83%) trocaram de fornecedores de um ano para outro e 36% confiam que suas expectativas sobre fidelidade de marca mudaram completamente.

É fato: o consumidor brasileiro é infiel e o adversário (a concorrência) enorme. Ao empresário, cabe buscar, diariamente, alternativas para manter o faturamento de vendas e o time ganhando. O start é ter em mente que nós, seres humanos, temos atitudes e reações distintas diante de uma oferta, com diversas objeções prontas e outras, formatadas conforme o modelo de negociação. Com isso, é preciso que as companhias entendam as linguagens da fidelidade dos seus clientes mais lucrativos e implementem a combinação ideal para garantir que elas ofereçam as experiências que impulsionam defesa, retenção e crescimento.

As estratégias, portanto, devem considerar a dúvida e as necessidades do consumidor – e trabalhar em cima delas. Para uma empresa, por exemplo, que vende produtos físicos em pontos específicos, pode ser muito mais interessante trabalhar estratégias de PDV.

Já para empresas B2B com grandes contas, inbound marketing, venda consultiva e um funil de vendas mais complexo geralmente são caminhos a se considerar. Para as que possuem modelos SAAS, os clientes aceitam bem serviços com diferenciais competitivos, personalizando atendimentos. Portanto, o time em campo – a escolha de cada player deve ter grande atenção, assim como a qualidade do que é oferecido.

Ressalto que vender dentro da base previamente conquistada é sempre mais fácil – a conquista do campo adversário costuma ser mais árdua do que o emplacamento; fora que a interação com clientes ativos para evolução dos serviços/produtos é algo que acaba gerando um ciclo em que se evolui o que é ofertado pensando no usuário, e, em resposta, o usuário vê valor nas novas soluções da empresa, continuando dentro da base, com feedbacks para melhorias. Mantê-la saudável e interessada no seu serviço é sempre benéfico.

Olhar para o cliente e ofertar o que ele precisa é ganho para todos: consumidor e empresa. Tenha isso em mente e trabalhe com o melhor do seu time, em termos de atendimento, e no desenvolvimento de produtos para que o crescimento e o placar estejam sempre a seu favor!

*Eduardo Tardelli é CEO da upLexis, empresa de software que desenvolve soluções de busca e estruturação de informações extraídas de grandes volumes de dados (Big Data) extraídos da internet e outras bases de conhecimento

Porto Alegre recebe a primeira clínica de família do Grupo Bradesco Seguros na região Sul 1009

Porto Alegre recebe a primeira clínica de família do Grupo Bradesco Seguros na região Sul

Com foco em atenção primária, a clínica Meu Doutor Novamed oferece consultas em mais de 15 especialidades médicas

O Grupo Bradesco Seguros inaugurou, em Porto Alegre, a primeira unidade da rede de clínicas Meu Doutor Novamed na região do Sul do País, oferecendo atendimento para cerca de 75,6 mil beneficiários da Bradesco Saúde e da Mediservice no Estado do Rio Grande do Sul, sendo aproximadamente 40 mil na capital gaúcha. A clínica foi criada para oferecer consultas médicas básicas e especializadas, além de procedimentos cirúrgicos ambulatoriais, exames laboratoriais e de imagem.

“Ao oferecer atendimento primário, com médico de família, as clínicas Meu Doutor Novamed contribuem para satisfazer uma demanda importante de nossos clientes: o atendimento ágil, eficaz, desburocratizado e de fácil acesso, por meio da coordenação do cuidado”, ressalta Manoel Peres, diretor do Grupo Bradesco Seguros. Segundo a OMS, esse tipo de atendimento resolve 80% das demandas por cuidados de saúde, reduz em 17% as internações e em 29% a procura por serviços de urgência e emergência.

Desde 2015, já foram realizados mais de 440 mil atendimentos nas 15 unidades em funcionamento em São Paulo (sendo 5 no modelo in company) e uma no Rio de Janeiro (modelo in company), sendo um pouco mais de 54 mil no modelo In Company. O nível de satisfação entre os segurados chega a 99%, sendo referência em atendimento primário e personalizado com médico de família, além de consultas em 14 especialidades, entre elas: Pediatria, Dermatologia, Cardiologia e Ortopedia. Outro grande avanço é o uso do prontuário eletrônico em todas as unidades da clínica, o que garante integração de dados dos pacientes, facilitando no atendimento e no diagnóstico mais eficaz. “Todas as informações do paciente ficam armazenadas para futuras consultas, oferecendo praticidade aos nossos beneficiários e informações relevantes ao nosso corpo médico”, completa Peres.

A estratégia do grupo é expandir a rede com novas unidades em diversas capitais do país, como Minas Gerais, Pernambuco, Distrito Federal e Bahia. O total de investimento previsto é de R$ 90 milhões. Na região do sul, o grupo planeja o lançamento da rede em Curitiba para 2020. A unidade de Porto Alegre fica na Avenida Ramiro Barcelos, n. 652, Bairro Floresta.

Análise: 2019 comprova resiliência do setor de seguros 1866

Análise: 2019 comprova resiliência do setor de seguros

Apesar de cenário econômico desfavorável, estudo realizado pelo Sindseg-SP e Sincor-SP aponta crescimento de dois dígitos do mercado de seguros

“O mercado de seguros brasileiro tem se mostrado resistente e flexível diante do momento econômico mais complicado do País, devendo, mais uma vez, ter crescimento real de receita neste ano”, é o que diz a última edição da Carta de Conjuntura do Setor de Seguros, produzida pelo Sindicato das Empresas de Seguros e Resseguros (Sindseg-SP) e pelo Sindicato de Empresários e Profissionais Autônomos da Corretagem e da Distribuição de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP).

Segundo o estudo, apesar do cenário desfavorável, o mercado de seguros deve fechar 2019 em alta. Um dos destaques é o segmento de pessoas, com taxas de crescimento acima de 10% ao ano.

Nos ramos típicos de seguros, como automóvel, pessoas, residencial, empresarial, etc., a variação acumulada foi de +8% em valores até outubro. Já na separação, os ramos elementares registraram faturamento de R$ 6,4 bilhões, influenciados pela queda da receita do DPVAT.

Os seguros de pessoas conseguiram registrar faturamento de R$ 3,7 bilhões até outubro deste ano. O segmento está crescendo acima de 15% nos últimos anos, superando a taxa de inflação.

Confira a Carta de Conjuntura.

30% dos brasileiros passaram a poupar mais com a Reforma da Previdência 970

30% dos brasileiros passou a poupar mais com a Reforma da Previdência

Novas regras para aposentadoria já mudaram os hábitos financeiros de um terço dos brasileiros, principalmente os mais jovens

Um terço dos brasileiros das classes A, B e C com acesso à internet já mudou os hábitos financeiros por causa das novas regras de aposentadoria, segundo pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência, encomendada pelo C6 Bank. A Reforma da Previdência foi aprovada pelo Senado em 22 de outubro de 2019, após oito meses de discussão no Congresso.

De acordo com o levantamento, após a reforma, 33% dos entrevistados passaram a guardar dinheiro com regularidade ou aumentaram a quantia que costumam poupar. Por outro lado, a pesquisa mostra que 31% das pessoas ainda não fizeram nada pensando nas novas regras de aposentadoria.

O estudo mostra que foram, principalmente, os jovens que mudaram os hábitos de poupança. Cerca de 40% dos respondentes de 16 a 24 anos passaram a poupar com regularidade ou aumentaram os investimentos para a aposentadoria.

“O estudo mostra que parte significativa dos brasileiros já entendeu que as novas regras para aposentadoria exigirão uma nova relação com o dinheiro. É o momento de cada um se organizar, planejar os gastos, investir regularmente e encontrar fontes de renda alternativas para preservar a qualidade de vida no futuro”, diz o planejador financeiro Daniel Varajão, do C6 Bank.

O levantamento também mostra que a população brasileira se considera informada sobre a Reforma da Previdência. Na pesquisa, 18% das pessoas dizem que estão muito bem informadas sobre as novas regras, 34% afirmam que estão informadas e 35% se consideram mais ou menos informadas. Apenas 2% dizem que não estão informados sobre o assunto.

O conhecimento sobre opções de investimento, entretanto, é bem menos difundido. A pesquisa mostra que as pessoas estão mais informadas sobre o investimento mais popular no país, a poupança. A pesquisa aponta ainda que 91% dos entrevistados estão muito ou mais ou menos informados sobre a poupança, mas só metade das pessoas se considera mais ou menos informada sobre fundos, previdência privada ou Bolsa de Valores. A caderneta é uma aplicação que tem perdido atratividade com a queda dos juros no país. Desde 2012, o rendimento da poupança é de 70% da Selic mais a TR (Taxa Referencial), que hoje é zero. O resultado é que, em alguns cenários,  o rendimento da nova poupança pode não ser suficiente para proteger o patrimônio do investidor das oscilações da inflação.

O estudo foi feito com 2.000 brasileiros com acesso à internet e mais de 16 anos, pertencentes às classes A, B e C, provenientes das cinco regiões do país. A coleta das respostas foi realizada entre os dias 7 e 12 de novembro. A margem de erro da sondagem é de dois pontos percentuais.

Presidente da Bradesco Seguros divulga mensagem especial a corretores 4245

Vinicius Albernaz reforçou que as propostas na mudança da legislação não impactarão a relação longeva desenvolvida entre os profissionais e o Grupo

O presidente do grupo Bradesco Seguros, Vinicius Albernaz, divulgou nesta sexta-feira (6) um vídeo destinado especialmente aos corretores. Celebrando os excelentes resultados obtidos a frente da companhia em 2019, o executivo ressaltou a importância desses profissionais no fortalecimento da relação do Grupo com os seus quase 30 milhões de clientes e destacou que as propostas de mudança na legislação, a partir da MP 905, não terão nenhum impacto na longeva parceria desenvolvida com os corretores.

“Há quase 30 anos abrimos as portas das agências do Bradesco para os corretores trabalharem conosco. Reforçamos nosso posicionamento, reafirmamos a visão da importância da venda consultiva e da relação direta entre as pessoas nesse processo. Vocês corretores são parte integrante da estrutura do maior mercado segurador da América Latina, uma posição que foi construída ao longo de décadas”, elogiou o presidente da Bradesco Seguros.

Ao final do vídeo, produzido especialmente para envio aos corretores, Vinicius aproveitou para enviar uma mensagem de fim de ano, agradecendo por toda a parceria realizada neste ano e desejando ótimas festas a todos.

“Agradecemos por tudo que conquistamos juntos neste ano de 2019, contamos mais uma vez com cada um de vocês para darmos continuidade a esta parceria vitoriosa e fazer de 2020 um ano com muitas alegrias e realizações”, finalizou Vinicius Albernaz.

Pantone anuncia Classic Blue como a cor do ano para 2020 819

Pantone anuncia Classic Blue como a cor do ano para 2020

Coral imperou em 2019

Na noite de ontem (04 de dezembro), o Instituto Pantone anunciou a cor do ano para 2020: sai o Coral, que imperou em 2019, para dar lugar ao Classic Blue. Segundo o comunicado da Pantone é “uma cor eterna e resiliente em sua elegante simplicidade”.

O azul já é sucesso em arquitetura e decoração e, com certeza, ditará tendência em 2020.