Deputado Jerônimo Goergen comenta como MP da Liberdade Econômica pode afetar mercado de seguros 1513

Ele também falou sobre a retirada das associações de proteção veicular do texto

A Medida Provisória 881/2019, que dispõe sobre a liberdade econômica, visa garantir livre mercado. O relatório final ficou a cargo do deputado Jerônimo Goergen (PP/RS), que recebeu convidados nesta segunda-feira (19) na sede da Câmara de Indústria e Comércio e Serviços de Canoas (CICS) para abordar o assunto.

Ele falou com exclusividade ao programa Seguro Sem Mistério e Revista JRS como esse texto impacta pequenos e médios negócios e pode afetar o setor de seguros. “A vantagem que o mercado terá é justamente o desaparecimento da burocracia para a abertura de empresa. Claro que cumprindo todas as regras e leis, mas para abrir efetivamente terá toda a flexibilização”, comentou.

Além disso, o relator retirou as associações de proteção veicular do Projeto. “Tivemos uma discussão importante que envolvia a possibilidade de outros segmentos que não tivessem a regulamentação que as segurados tem de comercializar o seguro. Tinham emendas de deputados e senadores que possibilitavam essa atividade em outros segmentos. Eu como relator pude interpretar a insegurança que isso ia gerar ao consumidor do seguro e obviamente mantivemos o sistema como ele está”, explicou. “O debate foi importante e fortaleceu os corretores e as seguradoras. Eu espero que tenhamos cada vez mais condições de oferecer os produtos de seguro com segurança jurídica, que foi exatamente o que mantivemos na lei”, acrescentou.

As lideranças do mercado de seguros foram os responsáveis por fornecer as informações necessárias a Goergen neste sentido. “Eu preciso reconhecer o papel dos líderes do mercado nessa operação, pois eles nos trouxeram todas as informações da maneira mais adequada para que tomássemos a decisão mais acertada e não trouxesse prejuízos ao final ao consumidor de seguro”, disse.

A importância dessa matéria para os corretores de seguros ficou evidenciada pelo vice-presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS), André Thozeski. “É fundamental, pois havia uma expectativa das associações de proteção veicular que com essa medida provisória de facilitação da atividade empresarial de que eles iriam aproveitar essa oportunidade para colocar a proteção veicular dentro desse Projeto de Lei. O deputado se deu conta do erro que seria isso e tirou isso”, destacou. “Precisamos entender que há uma diferença fundamental entre seguro e proteção veicular. Quando se contrata uma apólice de seguro, se paga o seguro e passa o risco do negócio para a seguradora. Quando é uma associação de proteção veicular, quem paga o risco são os próprios associados, como se fosse num condomínio. As pessoas compram proteção veicular pensando que estão comprando seguro, mas na verdade não é seguro”, complementou.

Youse registra recorde de renovações de seguro e aumento de clientes na pandemia 758

Youse registra recorde de renovações de seguro e aumento de clientes na pandemia

Resultados positivos são atribuídos às iniciativas implementadas pela insurtech, como personalização no seguro, desconto no preço de renovação e assistências gratuitas

A Youse, plataforma de venda online de seguros da Caixa Seguradora, alcançou um recorde na taxa de renovação do seguro. O número de clientes que renovaram suas apólices entre abril e agosto foi 20 pontos percentuais acima do que no mesmo período em 2019. Mesmo diante da crise do coronavírus, a insurtech também teve alta de mais de 10% no número de clientes quando se compara agosto de 2020 com agosto de 2019.“As alternativas financeiras oferecidas para minimizar os impactos nos negócios e apoiar os consumidores foram cruciais para atingir este resultado positivo”, avalia José Luiz Machado, gerente de produtos na Youse.

Segundo dados internos, mais da metade dos clientes se beneficiaram do desconto no preço de renovação ou liberação de assistências gratuitas independentemente do contratado, durante essa pandemia. Além disso, clientes aproveitaram a possibilidade de adaptar seu seguro, recurso oferecido pela Youse, para deixar o valor mais barato neste período. “A renovação, por exemplo, foi uma ação em que geramos bons resultados e facilidade aos clientes. Reduzimos o preço para aqueles que renovassem nesse momento com 20% de desconto em média, com isso vimos as taxas de renovação aumentar mais de 20 pontos percentuais entre abril e agosto deste ano comparado ao mesmo período do ano passado”, compartilha Machado.

A possibilidade de adaptar o seguro de acordo com o momento do cliente também contribuiu para os números da Youse. A insurtech oferece autonomia na contratação do seguro. O usuário escolhe individualmente quais coberturas e assistências ele precisa e paga um valor final personalizado. Como é possível alterar a personalização durante o período de vigência do contrato, o cliente pôde revisar o que havia escolhido e alterar mediante sua necessidade. “Foi possível tornar a cobertura mais básica, sem abrir mão de serviços importantes. Um exemplo clássico é das pessoas que deixaram de usar o veículo com frequência”, comenta o especialista.

De acordo com a Youse, se o veículo não tem sido usado com frequência, o cliente pode, por exemplo, avaliar se a cobertura de colisão (perda total e parcial) e a de danos materiais são necessárias para o momento. Uma adaptação nessas coberturas pode implicar em economia de até 44%, segundo estimativas. “Medidas como essa podem ser temporárias, ajudam financeiramente no momento em questão, mas podem ser adaptadas conforme a nova rotina demandar ou o cliente quiser”, reforça.

Além disso, a Youse liberou, independentemente da contratação, as assistências guincho; psicológica, que oferece atendimento telefônico para apoio psicológico, psicoterapia e apoio social com objetivo de dar informações e encaminhamentos corretos e ajudar o cliente a resolver qualquer dificuldade; e a FarmaSeg na qual oferece descontos para a compra de medicamentos ou indicação de farmácias mais próximas.

Andréia Araújo e Marcelo Camargo abordam as mudanças no perfil dos consumidores de seguros 1841

Presidente do CVG-RS e advogado do escritório Agrifoglio Vianna participam de transmissão ao vivo, no canal do JRS no YouTube

Nesta terça-feira (22), a partir das 19h, acontece mais uma transmissão ao vivo no canal do JRS no YouTube. O tema do encontro será “Mudanças no Perfil dos Consumidores de Seguros”, que entrará em debate com a presidente do Clube de Seguros de Vida e Benefícios do Rio Grande do Sul (CVG-RS), Andréia Araújo, e o advogado do escritório Agrifoglio Vianna, Marcelo Camargo.

O bate-papo será mediado por Júlia Senna e William Anthony, apresentadores do JRS. O público pode enviar perguntas e interagir ao vivo com os participantes através do bate-papo, disponível durante a transmissão.

Justiça determina autofalência da APLUB 3114

Investimento na APLUB Capitalização contribui com APAEs

Foi apurado um déficit superior a R$ 300 milhões

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul registrou a autofalência da Associação dos Profissionais Liberais Universitários – APLUB. Sentença assinada por Giovana Farenzena, Juíza de Direito, no último dia 15 de setembro, reitera que este tipo de pedido é voltado para sociedades empresariais e seria incabível para uma associação civil. “Entretanto, após refletir um pouco sobre a questão, e tendo em vista a gravidade dos fatos à baila trazidos na exordial, convenci-me de que se impõe o acolhimento do pleito inicial”, proferiu ao acatar o pedido.

A Juíza destacou que a APLUB trata-se de uma entidade aberta de previdência complementar e que não está coberta pelo artigo 47 da Lei Complementar 109/2001, que dispõe sobre o Regime de Previdência Complementar e dá outras providências. “O art. 47 da LC 109/2001 nega a possibilidade de falência às entidades fechadas a que se refere, mas não estende a vedação sobre as entidades abertas, como é o caso da APLUB. Portanto, em nada dispondo acerca da falência de entidades abertas de previdência complementar, não vejo óbice, nesse ponto, ao pedido de autofalência veiculado. Além disso, a legislação brasileira e a jurisprudência indicam que é permitido às entidades sujeitas aos regimes de intervenção e liquidação extrajudicial falirem, como é o caso da requerente, aplicando-se remissivamente a legislação falimentar da LREF à Lei 6.024/74“.

A decisão é embasada na apuração de um déficit falimentar no valor de R$ 313.416.644,44, bem como déficit mensal médio superior a R$ 4.000.000,00. “O ativo da APLUB é incapaz de pagar sequer a metade dos credores privilegiados, não chegando a atingir os quirografários”.

O escritório Scalzilli Althaus, contratado pela APLUB durante a intervenção realizada pela Superintendência de Seguros Privados, disse que não restava outra alternativa a não ser o pedido de falência.

Foi solicitado o bloqueio dos ativos nas contas da entidade, bem como apontado o registro de ao menos 122 imóveis em cidades como Porto Alegre, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Canela, todas no Rio Grande do Sul. A APLUB chegou a contar com 30 mil associados e 6 mil beneficiários.

O processo de intervenção da Susep na APLUB acontecia desde 17 de dezembro de 2015. Em agosto de 2018, o então superintendente Joaquim Mendanha, decretou a liquidação extrajudicial da APLUB, mas uma liminar impediu o processo.

A Associação de Defesa da APLUB (ADA) afirmou que irá recorrer da decisão e estudar alternativas para evitar a falência definitiva.

Confira a sentença na íntegra.

Berkley Brasil Seguros facilita contratação do Seguro Bike 580

Berkley Brasil Seguros facilita contratação do Seguro Bike

Companhia anunciou novas condições para aquisição de coberturas

A Berkley Brasil Seguros anunciou novas condições para contratação do Seguro Bike. A empresa disse que as mudanças visam prestar cada vez mais inovação e prestação de melhores serviços para corretores e clientes.

Com isso, apólices do segmento podem ser contratadas em até 10 parcelas, sem juros, no cartão de crédito. Além disso, foi disponibilizado desconto na renovação do seguro, em seguros familiares, o Seguro Bike não tem limitação quando ao número de bikes protegidas e o segurado poderá fazer cotação, emissão e pagamento direto pelo cartão de crédito, no aplicativo Seggy.

Os contratos da Berkley Brasil Seguros oferecem proteção para danos causados à bikes convencionais e elétricas, inclusive para acessórios.

Mário Sérgio Cortella participa de transmissão da Bradesco Seguros para corretores 506

O filósofo, escritor e educador Mário Sérgio Cortella / Divulgação

Nesta sexta-feira (18), Programa Integridade contará com a participação do filósofo, escritor e educador

O Grupo Bradesco Seguros apresenta nesta sexta-feira (18), às 16h, uma live especial voltada para as equipes comerciais da companhia e corretores de seguros de todo o Brasil. O tema do bate-papo será “Ética no Relacionamento com o Cliente”. Na ocasião, a live será conduzida pelo filósofo, escritor e educador, Mário Sérgio Cortella. O Programa Integridade conta com o apoio da Unibrad – Universidade Bradesco e UniverSeg – Universo do Seguro. Para os próximos meses, está prevista uma série de conteúdos referentes ao assunto.

Para Leonardo de Freitas, Diretor da Organização de Vendas do Grupo Bradesco Seguros, o programa será mais uma oportunidade de troca e conhecimento com os parceiros de negócios. “A ética é de extrema importância para construir relacionamentos duradouros em todos os âmbitos da vida, é um aspecto indispensável para atrair, converter e fidelizar clientes. O intuito da live é gerar discussões sobre boas práticas na oferta de seguros”, afirma o executivo.

Em agosto deste ano, a Bradesco Seguros iniciou a primeira abordagem sobre o tema, em que promoveu um bate-papo entre os parceiros de negócios da seguradora e representantes da consultoria internacional LIMRA, com o tema “Digno de Confiança”.