113 anos e novos produtos da Previsul Seguradora são destaque na Revista JRS 9829

Confira a edição 228 da publicação na integra

A edição 228 da Revista JRS chega com destaque aos 113 anos da Previsul Seguradora, completados em agosto. Em comemoração, a companhia lançou novos produtos e marcou sua volta aos Ramos Elementares e demais soluções completas e inteligentes para mais negócios ao corretor e maior satisfação ao cliente. Outros conteúdos que foram destaque nos últimos 30 dias do setor de seguros também contemplam a publicação mensal. Excelente leitura!

Brasil sediará a Conferência Hemisférica de Seguros da Fides em 2021 748

Trata-se da 38ª edição do evento internacional

A cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para sediar a 38ª Conferência Hemisférica de Seguros da Fides, em 2021. Pela terceira vez na história da Federação Interamericana de Empresas de Seguros (Fides), fundada em 1946, o Brasil abrigará esse importante evento internacional do mercado segurador, que reunirá 3 mil participantes – entre delegações de resseguradoras e seguradoras globais.

O evento da Fides ocorre a cada dois anos e, a edição de 2019 está sendo realizada essa semana (8 a 11), em Santa Cruz, na Bolívia, onde uma delegação liderada pela CNseg representa o Brasil.

A CNseg, a Confederação das Seguradoras, ficará responsável pela organização do evento, que ocorrerá de 9 a 12 de maio de 2021, no Windsor Expor Center, na Barra da Tijuca. Um vídeo sobre a cidade do Rio, produzido pela CNseg, foi exibido aos participantes da conferência Fides 2019 na terça-feira (10), anunciando, além das belezas do Rio, a abertura imediata das inscrições para o próximo encontro Fides 2021.

Brasil sediará a Conferência Hemisférica de Seguros da Fides em 2021
Brasil sediará a Conferência Hemisférica de Seguros da Fides em 2021

O Brasil é líder em arrecadação de prêmios na América Latina e 12º lugar do ranking mundial. No ano passado, a receita do setor representou 6,5% do PIB, incluindo Saúde Suplementar, e os chamados ativos financeiros administrados pelas seguradoras, R$ 1,3 trilhão.

A primeira Conferência Hemisférica de Seguros, realizada em Nova York, em maio de 1946, foi o passo inicial para a constituição da Fides, para quem “não é possível alcançar um desenvolvimento amplo da indústria e do comércio, sem o seguro”. A Fides agrega entidades de seguros privados de 19 países das Américas, incluindo os Estados Unidos e Espanha e, entre outras atribuições, cabe-lhe cuidar da imagem institucional do seguro e do resseguro, de estimular seu desenvolvimento, de promover o intercâmbio entre os mercados regionais, realizar pesquisas e programas de educação em seguros.

Seguros avançam no mercado do luto, que já movimenta R$ 7 bilhões por ano 527

Seguros avançam no mercado do luto, que já movimenta R$ 7 bilhões por ano

Proteções já representam 5% dos R$ 350 milhões de faturamento obtido pelo Grupo Invita

O Grupo Invita está colhendo bons resultados a partir da diversificação de produtos comercializados pelas 16 organizações do conglomerado que atuam em 13 estados do Brasil como funerárias, cemitérios, crematórios e empresas de planos funerários.

Os planos oferecidos por essas empresas aos clientes, que antes se limitavam aos produtos funerários, passaram a também incluir seguros e assistências a partir de 2014. Os novos negócios, que já equivalem a 5% dos R$ 350 milhões de faturamento do Grupo, deverão representar 15% em até 4 anos. O aumento é considerado expressivo em função da alta rentabilidade da operação. Hoje, os planos das organizações atendem mais de 3,5 milhões de pessoas.

Acordo mira empresas que movimentam R$ 7 bilhões

Os seguros e assistências estão sendo garantidos pela seguradora Mongeral Aegon, com a qual o Grupo firmou em 2017 um acordo de exclusividade para comercializar as apólices no mercado brasileiro do luto. O regime de exclusividade compreende não apenas a oferta de proteções para pessoas físicas, mas também a distribuição de seguros por meio de outras empresas que atuam nesse mercado que movimenta anualmente cerca de R$ 7 bilhões, conforme números do Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (Sincep).

Nas transações com outras empresas do mercado do luto (B2B), o Grupo Invita está compartilhando o know-how que desenvolveu ao comercializar produtos que podem ser adquiridos em vida, a partir de uma estrutura originalmente concebida para oferecer soluções somente em caso de óbito. Os seguros atualmente comercializados garantem indenização em caso de morte, invalidez, doença grave, fratura nos ossos, hospitalização e outros eventos.

Conceito de Life Care

“A força da rede de empresas do Grupo Invita está propiciando a mudança do conceito de Death Care para Life Care, em que as organizações podem apoiar, cuidar e amparar as famílias em todos os momentos da vida”, salienta Gilmar de Melo Mendes, presidente do conselho de administração do Grupo. Ele conta que esse novo modelo empresarial exige uma profunda mudança de cultura, que impacta não apenas a área de vendas, mas também outros departamentos das organizações como administração, faturamento, atendimento ao cliente e, principalmente, tecnologia – “que é o principal pilar de qualquer gestão empresarial moderna”.

Conforme o executivo, o sistema Life Care dobrou o índice médio de retenção de novos clientes de planos e, ao mesmo tempo, vem proporcionando um número crescente de parcerias com outras organizações do mercado do luto. Neste ano, outros produtos de seguro serão disponibilizados, além de serviços de saúde e crédito a custos mais acessíveis em relação à média do mercado.

Composição do mercado do luto

O mercado brasileiro do luto possui aproximadamente 5.500 empresas funerárias legalizadas em funcionamento, além de mil cemitérios privados e 90 crematórios, que empregam de forma direta mais de 50 mil pessoas, segundo dados da Associação de empresas do setor funerário (Abredif), Centro de Tecnologia em Administração Funerária (CTAF) e Sindicato dos Cemitérios Particulares do Brasil (Sincep).

Os Planos de Assistência Familiar, pagos mensalmente por milhões de pessoas, atendem, principalmente os públicos C e D. Esses, inicialmente apenas garantiam o atendimento emergencial às famílias na ocasião do óbito, mas hoje também oferecem serviços como rede de descontos em clínicas, academias, escolas e universidades, chegando a também ofertar material de convalescência, seguros, capitalização, empréstimos pessoais e um amplo leque de assistências (pet, veicular, sênior, etc.).

Além disso, outros diversos negócios ajudam a movimentar esse mercado, tais como floriculturas, transportadoras, indústrias de urnas e outros.

Potencial dos negócios com Life Care

Conforme o Grupo Invita, os negócios com Life Care, ou benefícios em vida, proporcionam serviços a custos acessíveis para famílias de todas as classes sociais que, muitas vezes não possuem condições de pagar por esses serviços. O objetivo é atender um mercado carente, uma vez que o país hoje possui 140 milhões de pessoas sem seguro de vida, 35 milhões de veículos sem seguros, 170 milhões de pessoas sem seguro dental e 50 milhões de residências sem seguro contra roubo ou incêndio. Além disso, 148 milhões de brasileiros não possuem convênio médico, 60% da população de baixa renda não tem acesso a cartões de crédito e 60 milhões de pessoas sequer possuem conta em banco – o equivalente a mais da metade da população economicamente ativa . Para contribuir com o atendimento dessas necessidades, o Grupo Invita está aproveitando a capilaridade de sua rede de distribuição e a associação com empresas parceiras para alcançar as mais diversas regiões do Brasil, incluindo as áreas mais remotas.

As empresas que compõem o Grupo Invita estão estabelecidas nos estados do Piauí, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Semana do Brasil: após quatro dias, varejo digital tem faturamento 37,6% maior do que o mesmo período de 2018 956

Semana do Brasil: após quatro dias, varejo digital tem faturamento 37,6% maior do que o mesmo período de 2018

Levantamento do Compre & Confie mostra que o aumento é sutil em relação ao crescimento usual do e-commerce, na casa dos dois dígitos

A Semana do Brasil, uma tentativa de criar uma “Black Friday” brasileira, tem mostrado resultados sutis no varejo digital. Um levantamento realizado pelo Compre & Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, mostra que o faturamento dos quatro primeiros dias da data é 37,6% maior do que o mesmo período de 2018. Ao todo, a cifra é de R$ 1,1 bilhão.

O aumento vem puxado principalmente pela maior quantidade de pedidos realizados no período: 2,8 milhões de compras já foram realizadas entre os dias 06 e 10 de setembro (incremento de 42,1% em relação ao mesmo período do ano passado).

“Apesar do aumento aparentemente expressivo (próximo de 40%) nas vendas, devemos nos atentar que o e-commerce já apresenta um crescimento médio consistente de cerca de 20% em 2019, mesmo sem a data comemorativa. Além disso, o feriado prolongado na mesma data em 2018 é um fator que tem de ser observado, uma vez que colaborou para a redução das vendas pela internet no ano anterior.”, explica André Dias, diretor executivo do Compre & Confie.

Apesar de comprarem em maior volume, os brasileiros estão gastando menos em cada carrinho de compras. O tíquete médio é de R$ 403,50, queda de 3,2% em relação ao mesmo período de 2018.

Consumo em setembro

Ainda de acordo com o levantamento, o número de pedidos feitos via e-commerce é 18,1% maior do que o registrado na semana anterior ao evento.

O pico no consumo também traz resultados em faturamento. A cifra atingida é 21,2% maior do que a registrada na primeira semana do mês.

O perfil do consumidor

Nacionalmente, os homens são responsáveis pelas compras de maior tíquete médio. De acordo com o levantamento, 54,2% do faturamento da data está relacionado às compras feitas pelo público masculino, que têm tíquete médio de R$ 452,80 (enquanto as mulheres gastam, em média, R$ 357,40).

As mulheres, por outro lado, trazem a maior quantidade de pedidos realizados: 51,7% das compras realizadas são feitas por elas, enquanto os homens são responsáveis pelos demais 48,3%.

Irregularidade inviabiliza pagamento de seguro às famílias das vítimas de acidente com voo da Chapecoense 570

Irregularidade inviabiliza pagamento de seguro às famílias das vítimas de acidente com voo da Chapecoense

Clube brasileiro enfrentaria o Atlético Nacional pela decisão da Copa Sul-Americana

Documentos enviados ao Senado Federal revelam os diversos problemas operacionais da companhia aérea LaMia, responsável pelo voo que vitimou integrantes da delegação da Chapecoense, em 2016. Ao todo foram 71 mortes, entre jornalistas, membros da tripulação, jogadores e comissão técnica da equipe que enfrentaria o Atlético Nacional pela decisão da Copa Sul-Americana daquele ano. A empresa estava proibida de realizar voos fretados no espaço aéreo colombiano. Por este motivo até hoje o pagamento de seguro às famílias das vítimas não foi realizado.

Ainda em 2016, a Newsletter do JRS destacou que a LaMia tinha um patrimônio dez vezes menor que o valor estipulado pelo seguro, de acordo com a Convenção de Montreal, de 1999. O tratado determina uma indenização mínima de US$ 170 mil dólares, paga pela companhia aérea aos familiares de cada vítima em acidentes aéreos, sem contestação judicial. O capital da LaMia em outubro de 2016 era estipulado em US$ 16,5 mil, um número dez vezes menor. O capital inicial definido pela empresa é de US$ 21,5 mil, cifra que também está abaixo da indenização.

Analistas questionam como o patrimônio da LaMia estava abaixo até mesmo das tarifas cobradas pela própria empresa em cada voo, que oscilavam entre U$ 85 mil e U$ 100 mil – cinco vezes o valor do patrimônio declarado à época.

Jota Carvalho, fundador do JRS, falece em Porto Alegre (RS) 4359

Carvalho dedicou trajetória ao setor de seguros

Faleceu na madrugada desta sexta-feira (30) o fundador e presidente do JRS, Jota Carvalho, aos 66. Com uma vida dedicada ao setor de seguros, o empresário gaúcho atuou em diversas companhias seguradoras, foi professor da Escola Nacional de Seguros e fundou nos anos 2000 o Grupo JRS, com o intuito de disseminar informação sobre o setor de seguros para todo o Brasil.

“Ninguém faz nada sozinho”, era apenas uma das diversas frases que sempre fizeram de Carvalho um amigo querido e especial na vida daqueles que o conheceram.

O velório acontece no Cemitério Jardim da Paz, capela C, a partir das 11 horas. A despedida acontece ás 17 horas.

Arquivo
Arquivo
Jota Carvalho, fundador do JRS, falece em Porto Alegre (RS)
Jota Carvalho, fundador do JRS, falece em Porto Alegre (RS)
Arquivo
Arquivo
Arquivo
Arquivo
Arquivo
Arquivo
Arquivo
Arquivo