SindSeg/RS recebe parceiros no Acampamento Farroupilha 1143

Piquete Portal do Rio Grande reuniu operadores

O Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (SindSeg/RS) preparou uma noite especial na terça-feira, 10. Parceiros e amigos da entidade foram recebidos no Piquete Portal do Rio Grande, no Acampamento Farroupilha em Porto Alegre.

Tradicionalmente, o maior evento alusivo à cultura tradicionalista gaúcha, que comemora a Revolução Farroupilha, reúne os operadores do mercado segurador nesta época do ano. “A nossa diretoria deliberou de este ano fazer esse encontro aqui no lugar mais genuíno da preservação das tradições culturais dos gaúchos, pois consideramos importante esse momento para acolhermos todos nossos parceiros que interagem com nosso Sindicato e que fazem acontecer o seguro aqui no nosso Estado”, destaca o presidente do SindSeg/RS, Guacir Bueno.

Confraternização dos corretores de seguros da Região Sul do RS reúne mercado 1396

Confraternização dos corretores de seguros da Região Sul do RS reúne mercado

Momento foi organizado pela delegacia local do Sincor-RS

A Delegacia da Região Sul do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS) reuniu o mercado de seguros em confraternização de final de ano. O tradicional encontro aconteceu na sexta-feira (08) na Churrascaria Lobão, em Pelotas.

A 16ª edição contou com a presença de 290 convidados, entre corretores, executivos de seguradoras, prestadores de serviços, securitários e representantes do Sincor-RS. Sob a coordenação da delegada regional, Jacqueline Carvalho, e do diretor social do Sindicato, Emilio Nunes, o evento foi descrito por ter atingido “mais uma vez, um sucesso e demonstrado a união e o potencial da classe dos corretores na região”.

“Pelo grande êxito do encontro, o Sincor-RS agradece a todos os presentes e coordenadores da festa, em especial, aos Patrocinadores Master Liberty Seguros, Caprice Auto Peças, Allianz, Porto Seguro, Tokio Marine e Ecobioma, agradecendo, também, os Apoiadores Bradesco Seguros, HDI, Icatu Seguros, Sul América e Mapfre”, destaca a nota.

Confira as imagens – Confraternização de final de ano da Delegacia da Região Sul do Sincor-RS

RS: Presidente do Sindseg palestra durante encontro do Clube da Pedrinha 911

Guacir de Llano Bueno é presidente do SindSeg-RS

“Passado, presente e futuro, um só objetivo: propagar a cultura do seguro”, é o tema da apresentação, que acontece na segunda (11)

O presidente do Sindicato das Seguradoras do Estado do Rio Grande do Sul, Guacir de Llano Bueno, será o palestrante do próximo encontro do Clube da Pedrinha em Seguros (RS). O encontro acontece na próxima segunda-feira (11), no Restaurante Casa do Marquês, na Capital Gaúcha.

Mais informações podem ser solicitadas no e-mail marketingpedrinha@gmail.com. “Sindseg/RS – Passado, presente e futuro, um só objetivo: propagar a cultura do seguro”, será o tema da apresentação do líder sindical.

Divulgação
Divulgação

Panvel abre 258 vagas para trabalho temporário no Litoral gaúcho 1708

Panvel abre 258 vagas para trabalho temporário no Litoral gaúcho

Oportunidades estão disponíveis em 13 cidades, com destaque para Capão da Canoa, Tramandaí e Xangri-lá

Com a alta do movimento registrada em suas lojas do Litoral gaúcho durante o último verão, a Panvel já se prepara para a próxima temporada. A rede acaba de abrir 258 vagas para contratação imediata nas principais praias da região. São vagas para os cargos de Assistente de Atendimento (cerca de 90% do total), Farmacêutico (5% do total) e Ajudante de Limpeza (5% do total de vagas). Há oportunidades em 13 cidades, com destaque Capão da Canoa (69 vagas), Tramandaí (33) e Xangri-lá (28).

Os interessados podem se candidatar através do site, na opção “Carreira”, onde estarão as vagas divulgadas. Interessados também podem entregar os currículos diretamente nas lojas. Atualmente, a Panvel conta com aproximadamente 5.600 colaboradores e, em relação ao mesmo período do ano passado, a rede já gerou aproximadamente 600 novos empregos.

Confira as vagas aberta no Litoral gaúcho:

Cidade Total de vagas
Tramandaí 33
Capão da Canoa 69
Capão Novo 9
Xangri-lá 28
Rainha do Mar 10
Imbé 12
Atlântida 15
Atlântida Sul 11
Pinhal 7
Torres 27
Cidreira 8
Arroio do Sal 11
Cassino 18

Entidades do seguro no RS promovem seminário sobre o comércio clandestino de autopeças 580

Entidades do seguro no RS promovem seminário sobre o comércio clandestino de autopeças

Iniciativa é da Fenacor em parceria com o Sincor-RS e a Escola de Negócios e Seguros

No dia 12 de novembro o mercado gaúcho de seguros conta com um seminário que abordará a lei que visa combater o comércio clandestino de autopeças. A ideia é promover uma discussão sobre a implementação da Lei Federal 12.977/2014 – que regula e disciplina a atividade de desmontagem de veículos automotores no Brasil. A legislação ainda não é completamente cumprida em diversas regiões do País.

O encontro acontece entre 15h e 18h, no Salão Nobre da Federasul (Largo Visconde do Cairú, 17 – 4º andar – Palácio do Comércio – Centro Histórico de Porto Alegre), e trata-se de uma parceria entre a Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), o Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio Grande do Sul (Sincor-RS) e da Escola de Negócios e Seguros (ENS). Devem participar setores ligados ao ramo de seguros, bem como representantes dos órgãos de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Comando do Policiamento Rodoviário da Brigada Militar, Policia Rodoviária Federal, Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RS) e outros.

Além disso, haverá uma palestra sobre acidentologia e vitimização no trânsito.

*Com informações de Paulo Burd, assessor de imprensa do Sincor-RS.

Os desafios das seguradoras na oferta de seguros sob demanda 826

Fernando Steler é fundador e CEO da D1 / Divulgação

Confira artigo de Fernando Steler, fundador e CEO da D1

Recentemente a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) divulgou uma inovação importante no mercado segurador. De forma surpreendente autorizou a emissão de seguros com contratos ou apólices intermitentes, representados figurativamente pelo botão “liga-desliga” da contratação. São os seguros sob demanda ou on-demand insurance.

Agora, as seguradoras, e também as Insurtechs – startups de tecnologia voltadas ao mercado segurador -, podem oferecer seguros válidos por uma fração de tempo, quer seja por meses, dias, horas ou minutos. Poderão ofertar também seguros válidos por alguma jornada, viagem ou trecho do segurado – ou mesmo por algum critério específico que a seguradora considerar ser válido, como eventos esportivos, partidas de tênis, festivais de rock, corridas de Uber, táxis, bicicletas, patinetes, temporadas na praia, no campo, escaladas em montanhas, etc.

Ao conceber a regra, o regulador foi ainda mais longe já que permitiu que, além da intermitência da contratação, o segurado possa incluir ou excluir determinadas coberturas de riscos, podendo o seguro e o serviço ser realizado de forma altamente personalizada.

Atualmente, no mercado segurador brasileiro, a grande maioria das apólices de seguros possuem vigências anuais e cláusulas padronizadas — até então, existia pouca margem para customização de prazos e coberturas, não deixando muitas oportunidades para a inovação no setor.

A Circular 592, que a SUSEP divulgou em 26 de agosto de 2019, promete trazer novos concorrentes, novos produtos, novas possibilidades de preços e, assim, ampliar o mercado segurador, já que as companhias de seguros poderão oferecer uma maior gama de produtos e serviços para os clientes.

Sandbox Regulatório

E as novidades não pararam por aí. Em 1º de outubro de 2019, a SUSEP também, em uma consulta pública, abriu uma minuta de normas com regras para participação em Projeto de Inovação – Sandbox Regulatório no Mercado de Seguros. As empresas ou startups aceitas no programa receberão uma autorização temporária da SUSEP para operar como seguradoras, podendo subscrever riscos de determinados ramos, sujeitos a algumas limitações.

O conceito de “Caixinha de Areia” é bem conhecido do mundo da inovação tecnológica: dentro dos limites estabelecidos, você pode desenhar livremente ou mesmo errar, para depois apagar e começar novamente – sendo um incentivador para os empreendedores na tomada de riscos e criação de inovação.

O objetivo da SUSEP é limitar o risco sistêmico, já que uma seguradora precisa ter capital para arcar com os sinistros na medida que eles ocorrem. Se uma seguradora falir, ela pode deixar muitos clientes desprotegidos. E a chance de uma startup desaparecer é muito alta: de cada dez empresas, seis fecham antes de completar 5 anos, de acordo com o IBGE.

MP da Liberdade Econômica e os seguros intermitentes

Outra iniciativa relevante é a aprovação da Lei n.º 13.874/19 (Medida Provisória da Liberdade Econômica) que, em conjunto com a Circular SUSEP 592, irá acelerar a criação de novos tipos de seguros ou até mesmo a customização total de novas coberturas. Agora, existe a possibilidade das seguradoras escreverem coberturas diferenciadas com maior segurança jurídica. Além de diminuir a intervenção do estado, a nova lei tratou da liberdade e da livre aceitação do contrato entre as partes, que os legisladores chamaram de “negócios jurídicos”, que possibilita menos participação do estado nos acordos de boa fé.

Os negócios jurídicos são conhecidos, por exemplo, como testamentos, contratos de compra e venda, de prestação de serviços e de aluguel, doações, apólices etc. Nesses acordos, as partes formalizam suas intenções e estabelecem as regras e as condições sob as quais os negócios deverão ser feitos.

A partir de agora, os chamados “clausulados de coberturas” das apólices de seguros poderão ser cada vez mais customizados pelas seguradoras, que poderão arriscar um pouco mais. Podemos começar a imaginar o mercado brasileiro de seguros cada vez mais próximo dos mercados mais maduros, como EUA e Europa, que possuem praticamente o dobro da penetração do PIB que temos por aqui.

*Por Fernando Steler, fundador e CEO da D1, empresa que viabiliza o processo de transformação digital para a construção de melhores jornadas de engajamento no envio de comunicações omnichannel entre corporações e suas bases de clientes. A plataforma funciona como um agregador de mensagens e um orquestrador de comunicações que não apenas otimiza custos, mas também aprimora a experiência do cliente final no processo.