O drama do fim da profissão 2317

O drama do fim da profissão

Confira artigo de Bernard Biolchini, CEO do Grupo Pentagonal Seguros, para a Revista JRS

Este artigo trata-se de uma grande salada com ingredientes colhidos em diversos livros, de variadas áreas. Com o advento das soluções tecnológicas uma pergunta que muitas pessoas fazem é: “Quando será que as máquinas vão me substituir?”.

Todas as profissões e cargos, sem exceção, segundo alguns “gurus” em tecnologia, estão sujeitos a substituição. Teremos que ter futuramente, ainda de acordo com estes “gurus”, uma geração de empresários tecnológicos de um lado e humanos “inúteis” do outro.

Não precisaríamos de Intermediários entre o homem e as máquinas, falaremos diretamente com elas. Pilotos de avião, médicos, professores, advogados e juízes, engenheiros, vendedores , jornalistas e por aí vai.. Afinal, a máquina faz tudo melhor, não é?

A coisa não funciona bem assim…

As máquinas são essenciais e maravilhosas quando servem de apoio ao ser humano em 100% dos casos, mas quando falamos de substituição completa do ser humano  a eficácia é infinitamente menor. Precisamos exercitar um raciocínio distópico de fluxo de moeda (mercado) num cenário 100% Tech e 0% humano .

Vamos pegar a Amazon como exemplo. Em formato de check list, para simplificar a didática aqui. 1)A Amazon venderá  produtos online. 2) Venderá produtos XYZ produzidos por fábricas que não empregam mais seres humanos. 3)Sendo um grande shopping center virtual, a Amazon precisa de dinheiro, que vem dos compradores dos seus produtos, obviamente. 4) Na nossa distopia, como todos os seres humanos foram substituídos por máquinas, ninguém vai comprar nada já que ninguém tem dinheiro para comprar. 5)Se ninguém comprar nada a Amazon não existirá mais.

E aí pessoal? Como é que fica agora? Se o ser humano não tem mais utilidade, seu trabalho não tem valor. Se não tem valor, não recebe dinheiro, não é mesmo?

Será que James Cameron (Criador do Exterminador do Futuro) era, na verdade, um profeta e a Skynet vai tomar conta do planeta e exterminar seu criador, o homem, pois colocaram em seu script C++++ que, se não for máquina, elimine o alvo??? Não! Lógico que não! 

O motivo é muito simples: SOMOS SERES HUMANOS!!!

Temos necessidades de VIVENCIAR experiências.

Então vem um geek argumentar: “Ah, mas vem aí o carro autônomo!!”. E eu digo que gosto de dirigir. Ele volta dizendo: “Ah, lembra do spok? Todos serão um dia teletransportados”. E eu digo que gosto da experiência de me deslocar”. E por aí vai… 

Brincadeiras à parte, por mais que milhões de anos de evolução tenham desenvolvido nosso cérebro racional, o que nos ajuda a evoluir mais ainda, não iremos jamais abandonar áreas instintivas deste órgão, pois isto seria o auto extermínio,  a natureza não permite! 

Por exemplo, o cérebro racional não conseguirá eliminar o desejo sexual, mesmo inventando pílulas de saciedade, o sexo é uma necessidade instintiva, caso contrário a humanidade estaria fadada ao fim.

Podemos citar outros exemplos menos dramáticos, como corridas automobilísticas sem pilotos humanos, uma luta no UFC entre robôs, uma pílula que dá a mesma sensação nas papilas gustativas de quando você está apreciando o melhor dos vinhos ou até a sensação de que você acaba de fazer a viagem dos seus sonhos…

Alguém se habilita? 

O ser humano jamais vai deixar de ser HUMANO, e isto é algo muito mais profundo do que uma simples frase cheia de obviedades.

Existirá sim uma adaptação de algumas carreiras que necessariamente terão que atualizar a maneira de atuação mas uma substituição completa jamais ocorrerá.

O ser humano está preparado para gostar de vagar pelas ruas sem lojas físicas? Shoppings? Ruas que tenham apenas residências e centros de distribuição?  Afinal, para quê lojas, se todos compram tudo online?

Não preciso responder a esta pergunta. 

Finalizo então esperando ter feito com que o leitor reflita e passe a usar do bom senso todas as vezes em que os “Gurus Tech” apontem suas previsões cataclísmicas todas as vezes que entra uma startup no mercado que se torna o próximo unicórnio. Aliás, unicórnios também são seres mitológicos. Não existem.

Icatu Seguros e Caixa Seguridade criam sociedade para distribuição de capitalização 1944

Nova empresa terá exclusividade por 20 anos na distribuição de produtos

A Icatu Seguros e a Caixa Seguridade acabam de anunciar a conclusão do acordo para a abertura de uma nova empresa, que irá atuar com exclusividade por 20 anos na distribuição de produtos de capitalização nas agências e correspondentes bancários da Caixa Econômica Federal e também na rede de lotéricas.

A Icatu terá 25% do capital total da nova companhia, enquanto a Caixa 75%. Com gestão e governança compartilhadas, a empresa será controlada pela Icatu, que vai deter 50,1% das ações ON (com direito a voto). Já a Caixa terá 49,9% das ações ON e 100% das ações preferenciais.

Com este movimento, a Icatu consolida uma sólida parceria de mais de 20 anos com a Caixa Econômica no segmento de capitalização. A seguradora irá realizar um aporte de capital de R$ 180 milhões na nova empresa, valor que será repassado à Caixa Econômica Federal como pagamento pela concessão da utilização dos canais do banco. Caberá também a Icatu prover parte dos serviços para operacionalizar a nova companhia.

“A Icatu possui um portfólio diversificado, com produtos comercializados em todas as modalidades praticadas pelas empresas de capitalização. Através da nossa expertise, poderemos oferecer uma variedade maior de produtos que atendam aos diferentes perfis de clientes da Caixa, de acordo com suas necessidades”, afirma Luciano Snel, presidente da Icatu Seguros.

Para Marcelo Oliveira, diretor de Capitalização da Icatu Seguros, o negócio representa a confiança que a empresa deposita no segmento. “Nos últimos três anos nos unimos ao Banrisul na criação da Rio Grande Capitalização, compramos as operações da Cardif Capitalização no Brasil, a carteira de capitalização da SulAmérica e aumentamos nossa participação na CaixaCap, o que amplia cada vez mais nossa posição neste mercado e na oferta de produtos e soluções sob medida”, pontua.

A Caixacap continuará comercializando os produtos de capitalização nos balcões do banco até fevereiro de 2021, data em que passa a contar o prazo de exclusividade da nova companhia.

O prazo para cumprimento das condições precedentes é janeiro de 2021. A efetivação da operação ainda está sujeita à aprovação da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Banco Central (Bacen), do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST).

Icatu e Rio Grande apoiam ações do Verão Super Seguro 4427

Companhias assinam outdoors localizados no Km 1 da Estrada do Mar

As tradicionais edições especiais de verão do programa Seguro Sem Mistério continuam em 2020, com transmissão nos canais 20 e 26 da NET Rio Grande do Sul. Outro destaque da campanha Verão Super Seguro 2020 é a efetivação de outdoors que, em mais uma temporada, reforçam a efetividade da ação. A Icatu Seguros e a Rio Grande Seguros e Previdência são apoiadoras da ação que visa salientar ainda mais a importância do seguro especialmente no verão e em todos os meses do ano.

Os dispositivos estão no Km 1 da famosa Estrada do Mar – ERS 389 – onde praticamente todos os veranistasgaúchos e catarinenses transitam na temporada de calor. Mais de 250 mil veículos passam pela via todos os finais de semana. “Contar com o apoio de duas marcas tão fortes e especiais como a Icatu e a Rio Grande deixa a nossa missão de levar a cultura do seguro para todos os públicos ainda mais nobre. Já recebemos fotos na redação de leitores e telespectadores que passaram pelos outdoors e registraram o quanto gostaram da ação”, conta a editora-chefe do JRS e apresentadora do Seguro Sem Mistério, Júlia Senna.

Além disso, no Km 4,7 da Estrada do Mar, está o terceiro painel alusivo à campanha. Autosul Locadora, Bradesco Seguros, GBOEX, HDI Seguros, Mapfre Seguros, MBM Seguro de Pessoas, Previsul Seguradora, Seguros Sura e Supermercado Avenida também apoiam a ação mais segura do litoral. A Autosul Locadora também disponibiliza o carro de reportagem do Seguro Sem Mistério.

Bradesco Seguros inicia oferta de produtos no Banco Digital Next 969

Seguradora oferecerá inicialmente o plano dental aos correntistas do banco 100% digital do Bradesco

Os correntistas do Next – banco 100% digital do Bradesco – que desejarem contratar produtos da Bradesco Seguros, agora contarão com a oferta dos produtos e serviços no aplicativo do banco. Inicialmente, será disponibilizado o Plano Dental, que pode ser consultado em uma nova área do App, chamada de “Proteção”.

Composto por uma rede credenciada de mais de 31 mil dentistas em todo o Brasil, o plano dental foi pensado para atender as necessidades dos usuários Next e oferece ampla cobertura como periodontia e endodontia (cuidados com a gengiva e tratamento de canal, respectivamente), radiologia, cirurgias, próteses, além de medidas de prevenção bucal. O produto é fruto da parceria entre a Bradesco Seguros e a OdontoPrev.

Com valor de R$45,60 por mês e possibilidade de inclusão de dependentes de qualquer idade, o produto tem como objetivo levar proteção aos quase dois milhões de correntistas ativos do Next, em sua maioria jovens, entre 18 e 34 anos, que ainda não possuem a cultura de contratar seguros. A finalidade é que os novos produtos e serviços do Grupo Bradesco Seguros sejam disponibilizados na plataforma para contratação a longo prazo.

A partir do novo canal de contratação, a Bradesco Seguros reafirma o compromisso de potencializar os produtos e serviços por meio de novas plataformas de atuação, atingindo sempre o maior número de consumidores, com diferentes faixas etárias.

A Bradesco Seguros conta com um amplo portfólio de produtos disponíveis no mobile e no Internet Banking do Banco Bradesco. Desde de 2014, a seguradora disponibiliza soluções em seguros aos correntistas do banco por meio do mobile e do Internet Banking. Na plataforma disponível nos smartphones, por exemplo, é possível contratar não só o plano dental, como também seguro viagem, residencial, acidentes pessoais, previdência privada, além de títulos de capitalização.

Grandes marcas apoiam o Verão Super Seguro 1734

Outodoors estrategicamente posicionados nas estradas do litoral gaúcho reforçam a campanha

Quem passar pela Estrada do Mar nesse verão poderá ver, no Km 47, o mais novo painel da campanha Verão Super Seguro. Autosul Locadora, Bradesco Seguros, GBOEX, HDI Seguros, Mapfre Seguros, MBM Seguro de Pessoas, Previsul Seguradora, Seguros Sura e Supermercado Avenida são apoiadores da ação mais segura do litoral. A Autosul Locadora disponibiliza também o carro de reportagem do Seguro Sem Mistério.

O Verão Super Seguro já uma tradição durante a estação mais quente do ano, com edições especiais do programa Seguro Sem Mistério, transmitidas nos canais 20 e 26 da NET Rio Grande do Sul. A Icatu Seguros e a Rio Grande Seguros e Previdência também são apoiadoras da ação que visa salientar ainda mais a importância do seguro especialmente no verão e em todos os meses do ano. Outros dispositivos podem ser vistos no Km 1 Estrada do Mar – ERS 389, onde mais de 250 mil veículos passam todos os finais de semana. Programas inéditos todos os domingo às 11h:30min! ​

Conheça a atuação do Grupo Sul Seguros no norte do Estado 1615

Joce Torella, sócia e responsável técnica da corretora, conversou sobre a trajetória da empresa

“Se me fosse possível, escreveria a palavra seguro no umbral de cada porta, na fronte de cada homem, tão convencido estou de que o seguro pode, mediante a um desembolso módico, livrar as famílias de catástrofes irreparáveis”. A frase do primeiro ministro britânico Winston Churchill, parafraseada por Joce Torella durante entrevista à JRS, resume a importância do trabalho desempenhado há 11 anos pela administradora passo-fundense, sócia corretora de seguros e responsável técnica do Grupo Sul Seguros.

O sócio do Grupo Sul Seguros, Marcus Ortiz. Divulgação

Joce encontrou na sua terra natal uma oportunidade de negócio junto ao sócio Marcus Ortiz. Ele, atualmente diretor comercial do Grupo, nasceu na Capital gaúcha e mora em Passo Fundo há mais de dez anos. Advogado de formação, Ortiz é professor do curso de Formação de Corretores da Escola de Negócios e Seguros (ENS), instituição na qual Joce qualificou-se. O advogado atuou por 28 anos no segmento de Seguros, com passagem na Bradesco Seguros, Porto Seguro, Generalli, Minas Brasil, Mapfre e Sancor.

O Grupo Sul Seguros nasceu, portanto, entre amigos que possuíam em comum uma larga experiência de mercado e uma perspectiva diferenciada: a visão do corretor e da companhia de seguros. Os objetivos dessa combinação tornaram-se inovação, parcerias, projetos a curto e longo prazo, agilidade e confiança. A missão da corretagem é trazer às pessoas a real necessidade e importância do seguro, que através dele podemos nos preparar para possíveis perdas de economias feitas por uma vida inteira. O papel é diferenciar preço, valor e importância na contratação de cada apólice e fazer que cada cliente tenha esta compreensão e visão. Por isso a perspectiva diferenciada citada anteriormente tornou-se um diferencial no trabalho conjunto de Joce e Ortiz.

Os sócios reconheceram grandes possibilidades de mercado na região de Passo Fundo, no norte do Rio Grande do Sul, uma região, segundo Joce “ainda carente de bons profissionais no segmento de seguros”. Além disso, a cidade é um polo médico e estudantil gaúcho com um forte desenvolvimento do agronegócio e do comércio, ou seja, possui amplas possibilidades no segmento. Segundo o IBGE a cidade possui o 8º maior Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.

O Grupo Sul, inclusive, explora diferentes frentes do mercado desde o seu nascimento, focando em um modelo de distribuição através de canais de parceiros. A ideia é oferecer ao cliente um amplo portfólio de produtos, visto que grande parte do mercado de venda de seguros foca majoritariamente em automóveis. O atendimento e acompanhamento jurídico aos clientes e a elaboração de propostas personalizadas de acordo com a real necessidade de cada um são diferenciais da corretora.

Atualmente a matriz da empresa está localizada em Passo Fundo e atua em toda a região norte, com dois prepostos em Porto Alegre. Segundo Joce, “nossa atuação é nacional, haja visto que um dos diferenciais da Grupo Sul é atuar de forma digital, explorando uma nova tendência de mercado, em especial das novas gerações que cada vez mais pesquisam e buscam produtos adaptados as novas tendências tecnológicas e digitais”. A responsável técnica da Grupo Sul entende que falta aos profissionais atuantes na área uma maior atenção no que se refere a empreendedorismo, é “a ideia de empreender a importância do seguro atrelado a economia do país, pois uma vez que o patrimônio esteja assegurado não haverá o desequilibro financeiro das famílias em momentos difíceis causados pelo inesperado”.

Joce resume a importância de seu trabalho ao dizer “preço são apenas números não adequados a real necessidade do cliente, valores são coberturas oferecidas adequadas a necessidade do cliente e a importância (do seguro) basta perguntar a quem já o utilizou”.