O drama do fim da profissão 2349

O drama do fim da profissão

Confira artigo de Bernard Biolchini, CEO do Grupo Pentagonal Seguros, para a Revista JRS

Este artigo trata-se de uma grande salada com ingredientes colhidos em diversos livros, de variadas áreas. Com o advento das soluções tecnológicas uma pergunta que muitas pessoas fazem é: “Quando será que as máquinas vão me substituir?”.

Todas as profissões e cargos, sem exceção, segundo alguns “gurus” em tecnologia, estão sujeitos a substituição. Teremos que ter futuramente, ainda de acordo com estes “gurus”, uma geração de empresários tecnológicos de um lado e humanos “inúteis” do outro.

Não precisaríamos de Intermediários entre o homem e as máquinas, falaremos diretamente com elas. Pilotos de avião, médicos, professores, advogados e juízes, engenheiros, vendedores , jornalistas e por aí vai.. Afinal, a máquina faz tudo melhor, não é?

A coisa não funciona bem assim…

As máquinas são essenciais e maravilhosas quando servem de apoio ao ser humano em 100% dos casos, mas quando falamos de substituição completa do ser humano  a eficácia é infinitamente menor. Precisamos exercitar um raciocínio distópico de fluxo de moeda (mercado) num cenário 100% Tech e 0% humano .

Vamos pegar a Amazon como exemplo. Em formato de check list, para simplificar a didática aqui. 1)A Amazon venderá  produtos online. 2) Venderá produtos XYZ produzidos por fábricas que não empregam mais seres humanos. 3)Sendo um grande shopping center virtual, a Amazon precisa de dinheiro, que vem dos compradores dos seus produtos, obviamente. 4) Na nossa distopia, como todos os seres humanos foram substituídos por máquinas, ninguém vai comprar nada já que ninguém tem dinheiro para comprar. 5)Se ninguém comprar nada a Amazon não existirá mais.

E aí pessoal? Como é que fica agora? Se o ser humano não tem mais utilidade, seu trabalho não tem valor. Se não tem valor, não recebe dinheiro, não é mesmo?

Será que James Cameron (Criador do Exterminador do Futuro) era, na verdade, um profeta e a Skynet vai tomar conta do planeta e exterminar seu criador, o homem, pois colocaram em seu script C++++ que, se não for máquina, elimine o alvo??? Não! Lógico que não! 

O motivo é muito simples: SOMOS SERES HUMANOS!!!

Temos necessidades de VIVENCIAR experiências.

Então vem um geek argumentar: “Ah, mas vem aí o carro autônomo!!”. E eu digo que gosto de dirigir. Ele volta dizendo: “Ah, lembra do spok? Todos serão um dia teletransportados”. E eu digo que gosto da experiência de me deslocar”. E por aí vai… 

Brincadeiras à parte, por mais que milhões de anos de evolução tenham desenvolvido nosso cérebro racional, o que nos ajuda a evoluir mais ainda, não iremos jamais abandonar áreas instintivas deste órgão, pois isto seria o auto extermínio,  a natureza não permite! 

Por exemplo, o cérebro racional não conseguirá eliminar o desejo sexual, mesmo inventando pílulas de saciedade, o sexo é uma necessidade instintiva, caso contrário a humanidade estaria fadada ao fim.

Podemos citar outros exemplos menos dramáticos, como corridas automobilísticas sem pilotos humanos, uma luta no UFC entre robôs, uma pílula que dá a mesma sensação nas papilas gustativas de quando você está apreciando o melhor dos vinhos ou até a sensação de que você acaba de fazer a viagem dos seus sonhos…

Alguém se habilita? 

O ser humano jamais vai deixar de ser HUMANO, e isto é algo muito mais profundo do que uma simples frase cheia de obviedades.

Existirá sim uma adaptação de algumas carreiras que necessariamente terão que atualizar a maneira de atuação mas uma substituição completa jamais ocorrerá.

O ser humano está preparado para gostar de vagar pelas ruas sem lojas físicas? Shoppings? Ruas que tenham apenas residências e centros de distribuição?  Afinal, para quê lojas, se todos compram tudo online?

Não preciso responder a esta pergunta. 

Finalizo então esperando ter feito com que o leitor reflita e passe a usar do bom senso todas as vezes em que os “Gurus Tech” apontem suas previsões cataclísmicas todas as vezes que entra uma startup no mercado que se torna o próximo unicórnio. Aliás, unicórnios também são seres mitológicos. Não existem.

Carlos Rodrigo Dias da Silva é o novo superintendente matriz da Bradesco Seguros 937

Executivo estava como superintendente da Sucursal Porto Alegre

Carlos Rodrigo Dias da Silva está de mudança para São Paulo. O executivo, que é conhecido carinhosamente pelos gaúchos como Carlinhos, aceitou um novo desafio: o de assumir a função de superintendente matriz das assessorias da Bradesco Seguros

Carlinhos, que até então estava como superintendente da Sucursal Porto Alegre conta com 28 anos de Bradesco Seguros, aceitou o desafio com entusiasmo. “Mais uma vez sendo valorizado pelo meu trabalho, assumindo um novo desafio dentro da organização, saindo de Porto Alegre e indo pra matriz em São Paulo, lá em Alphaville”, comenta. “Vou ficar como superintendente matriz e ficar cuidando de uma carteira muito importante pra companhia que são as assessorias e alguns grupos que temos de corretores, que a gente tem algumas tratativas diferenciadas”, complementa.

Na Capital dos gaúchos, que é a terceira maior sucursal da Bradesco Seguros do Brasil, o executivo permaneceu por dois anos e dois meses. “A saída não é nada fácil, eu só tenho que agradecer o pessoal do Rio Grande do Sul, que me receberam muito bem. Quem tem a imagem de que o pessoal do Sul é frio, tá enganado. Porto Alegre me recebeu com um carinho gigante. As pessoas me acolheram muito bem, souberam me colocar uma tranquilidade pra eu poder fazer um bom trabalho”, destaca.

Ainda não está certo o nome de quem virá para o lugar de Carlinhos na Sucursal Porto Alegre. “Aqui temos uma responsabilidade muito grande, pois é uma sucursal que transforma realmente profissionais em executivos, e com certeza com a minha saída tem várias pessoas querendo vir pro meu lugar. Eu tenho certeza que a Companhia vai analisar e vai colocar um profissional a nível tão grande como o maior aqui de Porto Alegre, para poder dar sequência no trabalho, e realmente deixar os corretores com uma tranquilidade de continuar apostando na empresa”, finaliza.

Jornadas de Transformação da D1 miram no mercado de seguros para promover inovação e disrupção no setor 571

Palestras voltadas à transformação digital para o mercado de seguros contaram com a presença de executivos de tecnologia da HDI Seguros e Youse que compartilharam suas experiências de inovação na área de experiência do cliente

Nesta terça-feira,19, a D1- plataforma que ‌viabiliza‌ ‌o‌ ‌processo‌ ‌de‌ ‌transformação‌ ‌digital‌ ‌para‌ ‌a‌ entrega ‌de melhores‌ ‌jornadas‌ de‌ ‌engajamento‌ ‌no‌ ‌envio‌ ‌de‌ ‌comunicações‌ ‌omnichannel, realizou a segunda edição das Jornadas de Transformação, desta vez focada no mercado de seguros.

O evento foi realizado em parceria com o Distrito Fintech e teve a participação da Superintendente de Tecnologia da HDI Seguros, Fernanda Toscano e do CTO da Youse, Rodrigo Brancher, e também contou com apoio do Amigos do CX. O objetivo do encontro foi trazer experiências e insights que despertem inovação e disrupção no setor por meio da tecnologia como ferramenta para melhorar, principalmente, a experiência do cliente.

No encontro, a HDI Seguros apresentou um estudo sobre o mercado atual com base em dados da CNSeg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização) e FNSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais), que aponta que apenas 30% da frota de carros circulantes no Brasil possuem seguro auto.

Já na área de residência, apenas 15% das casas do país possuem cobertura. O déficit mostra uma oportunidade à todas as companhias e o desafio na hora de alcançar esta parcela que ainda não contratou este tipo de serviço.

Pensando nisso, a HDI passou por um um processo de profunda transformação digital que não se limitou apenas às implantações de tecnologia, mas que precisou mudar a cultura de uma companhia tradicional.

Fernanda Toscano explica que todos os projetos começam com estratégias baseadas no uso de design thinking e definição de personas, desta forma eles entram em teste antes da implantação na companhia. Outra mudança foi a simplificação do sistema de cotação pelo site da HDI, um dos pontos mais importantes para a superintendente.

“Quando cheguei na seguradora, não conseguia contratar um seguro, era difícil porque não sabia quais informações colocar para fazer uma cotação, e isso não pode ser assim. A venda de seguros necessita ser pensada para leigos, o cliente precisa ter uma experiência tão agradável como ele tem no Facebook”, afirma Fernanda que contratou os serviços da D1.

Já na Youse, plataforma de venda de seguros online da Caixa Seguradora, a experiência foi completamente diferente, porque a insurtech nasceu em um formato inovador e digital. Mesmo assim, Rodrigo Brancher apontou os pontos importantes para as empresas que desejam ser digitais e inovadoras baseado nas ações da Youse, que se denomina uma empresa nativa digital. Para ele, quando se fala em digital o foco principal são as pessoas, que são divididas em dois grupos: cliente e time.

“O cliente é o ponto de partida e esse é um dos principais valores da Youse. Mas entender o cliente como ponto de partida é uma questão que o mercado associa frequentemente apenas como foco no cliente. Porém, percebemos isso de forma um pouco diferente, porque enxergamos ele como a razão da existência da companhia”, conta Brancher.

“Por isso utilizamos o digital como um meio de acessar diretamente esse consumidor e não somos só nós que pensamos assim, se lembrarmos das empresas referências em cultura centrada no cliente, como a Amazon, por exemplo, o digital pra eles não é só uma tecnologia mais legal, mas sim uma forma de chegar até o cliente e com isso se relacionar direto com ele, permitindo a construção de uma experiência completamente diferente”, complementa.

A D1 realizará mais duas Jornadas da Transformação, uma focada no varejo e a segunda para o setor de saúde, que acontecem ainda no primeiro semestre do ano. Para o CRO da D1 e mediador do meet-up, Alexandre Bazzi, as palestras servem como estratégia de trocas de experiências que tendem a explicar o processo de transformação digital para diferentes áreas do mercado.

“A ideia não é só falar das empresas em si, mas principalmente ouvir esses profissionais para aprender como o que eles estão fazendo para realmente conseguir essa mudança dentro dessas companhias tão diferentes. Isso é uma grande inspiração para todos nós, independentemente de ser uma empresa de software, de seguros, ou uma fintech. Este encontro serve para questionarmos os processos que temos dentro das nossas próprias empresas”, finaliza Alexandre.

Tecnologia a serviço do corretor: Como as apólices digitais promovem agilidade e melhoria no dia a dia 822

Empresas oferecem recursos tecnológicos que auxiliam o trabalho dos corretores e permitem alcançar maior produtividade

A transformação digital no setor de seguros não se limita apenas às seguradoras, tanto que processos mais ágeis e eficazes também são cada vez mais experimentados dentro das corretoras. A GEO, insurtech pioneira na gestão e comercialização 100% online de seguros, busca oferecer a melhor experiência para as mais de 1000 corretoras cadastradas em seu portal.

A companhia oferece soluções para segmentos comerciais como o de construção civil, imobiliário e de crédito, montados de forma personalizada para atingir as principais demandas do mercado. Foi em busca desse tipo de apólice que a AR Sul Seguros iniciou a parceria com a GEO em 2014, com o Seguro de Risco de Engenharia. A corretora de Porto Alegre identificou rapidamente o impacto no dia a dia da operação ao contar com uma única plataforma digital para todos os processos.

“Há vinte anos nós calculávamos os seguros na mão, dependendo de engenheiros, e hoje nós temos isso na palma da mão. Hoje a gente não tem uma semana para perder com um cálculo de apólice. A GEO consegue fazer essa captação junto com a seguradora, o corretor e o parceiro na hora”, explica André Ribeiro, diretor da corretora.

Além da redução da burocracia para a cotação e a emissão das apólices, a tecnologia também transforma a relação de transparência e confiança entre corretoras e clientes. Como explica Marco Paulo Mascarenhas, da Exclusive Seguros, cadastrada no portal GEO a cerca de 10 anos, ofertando do Seguro Habitacional.

“Hoje o cliente através de um sistema tem acesso a informação, pode abrir o sinistro e analisar as informações. Isso tem nos poupado muito trabalho, e nos dá tempo para olhar outros pontos estratégicos”, resume o executivo.

A corretora, que conta com sede em Minas Gerais e filiais em São Paulo e Rio Grande do Sul, tem uma relação de 10 anos com o portal GEO em apólices de Seguro Habitacional. E considera esse relacionamento crucial no sucesso dos negócios. Segundo Marco Paulo, “essa plataforma digital faz com que a gente economize tempo, reduza os caminhos sem ter a necessidade de inventar a roda. E isso gera uma redução de custo expressiva, junto com a possibilidade de contar com uma equipe que acompanha a tendência do mercado nacional e internacional”.

No caso da GEO, todas as funcionalidades estão disponíveis para acesso dos corretores em um único portal. A plataforma digital também é responsável pelo envio de relatórios para corretores e seguradoras, além de ser capaz de importar dados sem necessidade de alteração prévia de formato por parte do parceiro, possuindo um sistema de faturamento inteligente e aderente a qualquer modelo de sistema que o cliente ou a corretora possa utilizar.

“Com nosso tempo de mercado, buscamos constantemente entender as principais necessidades de corretores, clientes e seguradoras e assim oferecer uma solução mais prática e efetiva para todos eles. Nossa intenção é de aliar tecnologia e conhecimento de seguros para facilitar o trabalho nesse setor tão importante”, resume Rossana Costa, diretora da GEO.

Argo Seguros lança o Argo Digital, seu novo ambiente virtual de negócios 718

Nova arquitetura permitirá mais agilidade no lançamento de novos produtos e serviços, além de aprimorar a experiência do usuário

A Argo Seguros acaba de lançar o Argo Digital, seu novo ambiente online para corretores, assessorias e parceiros de negócio. O novo projeto segue a mesma linha do seu antecessor, o Protector, e continuará visando facilitar a distribuição digital dos seus produtos.

As semelhanças, porém, terminam por ai. O layout da nova home é muito mais moderno que a versão anterior e novas funcionalidades foram incluídas. Ferramentas como geração de leads – que visam a captação de informações para facilitar a conquista de novos segurados através dos corretores – e o processo de cotação simplificado, que que era feito anteriormente em sete passos e agora é concluído em apenas dois e em uma única tela.

“Criamos uma nova arquitetura que nos permitirá mais agilidade no lançamento de novos produtos e serviços; e buscamos aprimorar a experiência do usuário, de forma a tornar o processo mais rápido e intuitivo. A nova home tem uma nova proposta visual, direcionada para melhorar a comunicação com nossos clientes e corretores. Em relação a produtos, oferecemos uma nova experiência de compra, além de ferramentas para o corretor criar campanhas para explorar sua base de clientes”, explica Bruno Porte, diretor de Operações e TI da Argo Seguros.

A distribuição de produtos também segue uma nova estratégia da companhia, estabelecida no começo do ano passado. Agora são duas grandes linhas de negócio: Consumer e Corporate. Na primeira estão os seguros voltados para pessoa física e pequenas empresas, como bike, E&O e Equipamentos. Justamente por isso, foram os primeiros a serem integrados na nova plataforma.

Já o Corporate é a linha de negócios que oferece seguros para empresas e também terá novas funcionalidades. Nesse pacote estão soluções para os seguros de Transportes, D&O, Property e Engenharia, além do RC Geral nas áreas de educação, lazer e reformas; e o RC Profissional. “Novos produtos e ferramentas serão introduzidas gradativamente, em um processo que deve levar mais algumas semanas. Teremos novidades para ajudar o corretor a impulsionar novos negócios e diversificar seu portfólio”, finaliza Bruno.

Previsul moderniza Portal do Corretor e Cota+ com tendências do mercado 774

Para facilitar o dia a dia do corretor, a ferramenta está com sua interface mais amigável e funcionalidades mais inteligentes

Com a proposta de ser a Seguradora Digital, a Previsul Seguradora modernizou e trouxe melhorias para o Portal do Corretor e Cota+, cotador online da Companhia. A plataforma, que é um canal exclusivo dos corretores parceiros, possibilita maior controle e acesso às informações dos segurados, como consultas, serviços, downloads de documentos e acompanhamento online do sinistro.

“O corretor de seguros é o principal parceiro da Previsul na comercialização dos produtos e o Portal é uma importante ferramenta de trabalho no seu dia a dia. Por isso, investimos em um time multidisciplinar, desde a equipe comercial, passando por profissionais de TI, Operações e Experiência do Usuário para entregar uma ferramenta ainda mais completa ao nosso parceiro. Esse movimento, associado ao investimento na ampliação de portfólio da Previsul, busca oferecer aos corretores ainda mais opções de negócios”, conta Renato Pedroso, presidente da Previsul Seguradora.

O Portal está com um novo layout mais moderno e intuitivo, acesso mais rápido às informações, segmentações mais inteligentes e novo menu de produtos da Previsul. As atualizações garantem mais autonomia aos corretores.

E não para por aí. A Previsul também realizou melhorias no Cota +, sistema que fica dentro do Portal e faz cotação online de seguros. As inovações trazem um novo mosaico, separado por categoria/ramo do produto, um novo campo de perguntas que direciona o corretor para o produto ideal e mais agilidade na finalização de cotações em aberto.

“Na Previsul, temos o cuidado e uma busca constante por entregar ao corretor soluções que facilitem a sua rotina administrativa proporcionando, assim, mais tempo para se dedicar a fechar negócios. As melhorias do Portal visam trazer mais agilidade no acesso cotidiano às informações, e o Cota+ passou por uma série de melhorias para que o processo de cotação e emissão fiquem ainda mais fáceis. Além disso, o corretor sempre pode contar com a equipe comercial para fomentação de novos negócios e com o Previsul Soluciona para atendimento de dúvidas operacionais”, explica a diretora de Negócios e Marketing, Andréia Araújo.

Com 113 anos de atuação, a Previsul é referência como seguradora Multirriscos no Brasil. Está presente em 12 estados brasileiros, com aproximadamente 30 pontos de atendimento em todo o país, que oferecem todo o suporte para o corretor, principal parceiro da Previsul.