O drama do fim da profissão 1703

O drama do fim da profissão

Confira artigo de Bernard Biolchini, CEO do Grupo Pentagonal Seguros, para a Revista JRS

Este artigo trata-se de uma grande salada com ingredientes colhidos em diversos livros, de variadas áreas. Com o advento das soluções tecnológicas uma pergunta que muitas pessoas fazem é: “Quando será que as máquinas vão me substituir?”.

Todas as profissões e cargos, sem exceção, segundo alguns “gurus” em tecnologia, estão sujeitos a substituição. Teremos que ter futuramente, ainda de acordo com estes “gurus”, uma geração de empresários tecnológicos de um lado e humanos “inúteis” do outro.

Não precisaríamos de Intermediários entre o homem e as máquinas, falaremos diretamente com elas. Pilotos de avião, médicos, professores, advogados e juízes, engenheiros, vendedores , jornalistas e por aí vai.. Afinal, a máquina faz tudo melhor, não é?

A coisa não funciona bem assim…

As máquinas são essenciais e maravilhosas quando servem de apoio ao ser humano em 100% dos casos, mas quando falamos de substituição completa do ser humano  a eficácia é infinitamente menor. Precisamos exercitar um raciocínio distópico de fluxo de moeda (mercado) num cenário 100% Tech e 0% humano .

Vamos pegar a Amazon como exemplo. Em formato de check list, para simplificar a didática aqui. 1)A Amazon venderá  produtos online. 2) Venderá produtos XYZ produzidos por fábricas que não empregam mais seres humanos. 3)Sendo um grande shopping center virtual, a Amazon precisa de dinheiro, que vem dos compradores dos seus produtos, obviamente. 4) Na nossa distopia, como todos os seres humanos foram substituídos por máquinas, ninguém vai comprar nada já que ninguém tem dinheiro para comprar. 5)Se ninguém comprar nada a Amazon não existirá mais.

E aí pessoal? Como é que fica agora? Se o ser humano não tem mais utilidade, seu trabalho não tem valor. Se não tem valor, não recebe dinheiro, não é mesmo?

Será que James Cameron (Criador do Exterminador do Futuro) era, na verdade, um profeta e a Skynet vai tomar conta do planeta e exterminar seu criador, o homem, pois colocaram em seu script C++++ que, se não for máquina, elimine o alvo??? Não! Lógico que não! 

O motivo é muito simples: SOMOS SERES HUMANOS!!!

Temos necessidades de VIVENCIAR experiências.

Então vem um geek argumentar: “Ah, mas vem aí o carro autônomo!!”. E eu digo que gosto de dirigir. Ele volta dizendo: “Ah, lembra do spok? Todos serão um dia teletransportados”. E eu digo que gosto da experiência de me deslocar”. E por aí vai… 

Brincadeiras à parte, por mais que milhões de anos de evolução tenham desenvolvido nosso cérebro racional, o que nos ajuda a evoluir mais ainda, não iremos jamais abandonar áreas instintivas deste órgão, pois isto seria o auto extermínio,  a natureza não permite! 

Por exemplo, o cérebro racional não conseguirá eliminar o desejo sexual, mesmo inventando pílulas de saciedade, o sexo é uma necessidade instintiva, caso contrário a humanidade estaria fadada ao fim.

Podemos citar outros exemplos menos dramáticos, como corridas automobilísticas sem pilotos humanos, uma luta no UFC entre robôs, uma pílula que dá a mesma sensação nas papilas gustativas de quando você está apreciando o melhor dos vinhos ou até a sensação de que você acaba de fazer a viagem dos seus sonhos…

Alguém se habilita? 

O ser humano jamais vai deixar de ser HUMANO, e isto é algo muito mais profundo do que uma simples frase cheia de obviedades.

Existirá sim uma adaptação de algumas carreiras que necessariamente terão que atualizar a maneira de atuação mas uma substituição completa jamais ocorrerá.

O ser humano está preparado para gostar de vagar pelas ruas sem lojas físicas? Shoppings? Ruas que tenham apenas residências e centros de distribuição?  Afinal, para quê lojas, se todos compram tudo online?

Não preciso responder a esta pergunta. 

Finalizo então esperando ter feito com que o leitor reflita e passe a usar do bom senso todas as vezes em que os “Gurus Tech” apontem suas previsões cataclísmicas todas as vezes que entra uma startup no mercado que se torna o próximo unicórnio. Aliás, unicórnios também são seres mitológicos. Não existem.

Corretor da Região Sul: a Argo Seguros quer fazer negócios com você 1631

Companhia promoveu evento em Porto Alegre em parceria com a Inova Representação

A Argo Seguros quer fazer negócios com os corretores de seguros da Região Sul do Brasil. A companhia marcou a sua intenção estratégica em evento nesta quarta-feira (18), em Porto Alegre, em parceria com a Inova Representação.

O CEO & Presidente da Argo Seguros, Newton Queiroz, frisou que o momento é para gerar aproximação da companhia com os corretores de seguros gaúchos. “Nós já atuamos aqui na região, mas era uma atuação mais tímida e agora o nosso foco é aumentá-la e estarmos mais próximos e esse encontro é o primeiro passo para isso”, comentou. “A nossa indústria é feita por pessoas, a ideia aqui é nos aproximarmos desse grupo de corretores, começar a fazer mais negócios e explicar qual é o nosso foco”, acrescentou.

A seguradora é uma companhia multilinha, mas com grande especialização na área de transportes, estando entre os dez primeiros do Brasil e, no transporte internacional, entre os cinco maiores. “No segmento de Erros e Omissões, RC Profissional, nós somos os líderes de mercado, já alguns anos, que é um dos nossos carros-chefe; no D&O, estamos sempre entre os dez maiores”, detalhou.

Para a empresa, este ano finalizará, em prêmios, entre R$ 250 a 270 milhões. “O nosso foco é chegar no final de 2021 passando a marca dos R$ 500 milhões, o que é muito significativo para o grupo porque quando uma unidade produz mais de 100 milhões de dólares, ela se torna ainda mais relevante. Hoje em dia estamos no patamar de 70 milhões de dólares, então queremos chegar nessa marca, sempre com o combinado operacional dando lucro”, comentou. “E para isso precisamos sair da nossa zona de conforto, de São Paulo que é onde todo mundo geralmente fica, e contar com o apoio dos corretores parceiros e podermos expandir e ter uma maior penetração no que nós somos líderes e começar a vender produtos que a gente ainda não tem uma participação expressiva na região”, diagnosticou.

Na Região Sul, eficiência e facilidade de contratação são os focos da seguradora. “Nosso modelo é fazer um processo de venda muito mais interessante, fácil, eficiente e rápido para o corretor, que representa o cliente. Por isso o nosso foco é trazer essa tecnologia em produtos que hoje ainda não estamos utilizando e estamos finalizando esse processo”, afirmou. “D&O é um grande exemplo, pois hoje a maioria das seguradoras vendem 100% sob medida e hoje estamos trazendo uma ferramenta aqui para o Sul, que vai ser online, que vai facilitar os corretores para fazer a contratação”, exemplificou.

A cargo da Inova Representação, representada pela executiva Cristiane Troleze, fica a responsabilidade de desenvolver a expansão da companhia. “É uma atuação comercial, atuando como uma filial, representando todos os produtos, negócios, levando a estratégia, retomando os negócios que a Argo num passado recente já fez”, explica. De acordo com ela, o corretor buscar a Argo por ser uma seguradora reconhecida nas linhas financeiras, operando uma plataforma digital que traz autonomia.

A Inova tem a proposta de ser uma representante da companhia efetivamente, falando a língua da companhia e levando exatamente o seu tom para o corretor. “Muito embora também seja uma assessoria, ela nasceu realmente para representar a companhia no nível que ela precisa, com muito respeito e compromisso. Eu já estou no mercado há 24 anos, então muitos corretores já me conhecem e a ideia é dar continuidade ao trabalho com a bandeira da Inova”, finalizou.

Icatu amplia seu portfólio de produtos de vida individual e lança o Horizonte 7917

Stand da Icatu Seguros no 21º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros / Foto: William Anthony (JRS)

Produto conta com opções de contratação a partir de R$ 100

Atenta aos novos comportamentos de consumo quando o assunto é seguro de vida, a Icatu lança um produto que atende às principais necessidades de quem busca opções de proteção financeira. O Horizonte é combinação perfeita entre a proteção e a possibilidade de formar uma reserva para aproveitar durante a vida.

“Um dos principais diferenciais deste seguro é que o valor das parcelas é sempre o mesmo, atualizado apenas pela inflação, além da possibilidade de conjugar com coberturas temporárias para uma proteção até a conclusão dos estudos de um filho, por exemplo. Assim, fica mais fácil se planejar financeiramente”, destaca Gustavo Arruda, gerente de Desenvolvimento de Produtos de Vida da Icatu Seguros.

O produto conta com duas coberturas padrões e permite que o cliente escolha até cinco opções de adicionais, como Doenças Graves e Invalidez por Acidente, além de proteção de até R$ 5 milhões, com opções de contratação a partir de R$ 100.

“É importante desmistificar o seguro de vida. Hoje, você pode estar protegido com pouco mais de R$ 3 por dia. É mais barato do que um café, por exemplo”, ressalta Gustavo Arruda, gerente de Desenvolvimento de Produtos de Vida da Icatu Seguros.

Além disso, ele é flexível com relação às possibilidades de pagamento. É possível escolher a opção que melhor se adequa a condição financeira, com opções de 10, 20 anos ou vitalício, uma boa solução para autônomos, por exemplo, que nem sempre conseguem um planejamento constante a longo prazo.

Caso o cliente queira usar os benefícios do seguro em vida, o valor de resgate fica disponível a partir do 25° mês de vigência. Ele pode usar esse recurso para algum imprevisto financeiro seja para resgate ou ainda para quitar antecipadamente o seu seguro pela vigência que contratou. Este produto ainda possui como benefícios adicionais o Seguro Viagem e a Assistência Domiciliar para todos os clientes.

Atrativo para os clientes, o produto também traz benefícios para os corretores. “O Horizonte contará com uma ferramenta de venda específica para ele, onde será realizado todo o processo de venda, que é digital. Esse produto acompanha a grande reformulação que estamos fazendo em nossa grade para corretores, buscando opções cada vez mais alinhadas com o que seus clientes precisam”, finaliza Gustavo.

Argo Seguros lança Responsabilidade Civil Profissional para veterinários e petshops 368

Argo Seguros lança Responsabilidade Civil Profissional para veterinários e petshops

Companhia oferece soluções para 43 categorias profissionais

A Argo Seguros está lançando um produto exclusivo para quem cuida da saúde dos animais. Trata-se do seguro de Responsabilidade Civil Profissional Veterinários, que abrange – além do veterinário como pessoa física – também clínicas, laboratórios e petshops, enquanto pessoa jurídica.

O novo produto é voltado para proteger o profissional dessa área contra reclamações relacionadas a alegações de falhas no exercício da atividade. Para pessoa física, o limite de cobertura varia de R$ 30 mil a R$ 500 mil. Já para pessoa jurídica, a apólice garante indenização entre R$ 100 mil e R$ 500 mil.

Suas coberturas básicas envolvem despesas de defesa, ressarcimento, acordo e indenização, mas pode incluir também outras, de acordo com o perfil de risco do segurado, como por exemplo, danos à reputação; custos emergenciais; honorários retidos; calúnia, injúria e difamação.

“Como líderes em RC Profissional e especialistas no segmento de médicos e dentistas, já sentíamos a necessidade de um produto exclusivo para veterinários e petshops. Isso veio a atender demandas dos próprios corretores, para que desenvolvêssemos algo para esta classe tão importante de profissionais”, afirma Vanessa Oliveira, Head Consumer Lines da Argo Seguros.

Com mais essa novidade, a Argo Seguros se consolida como a principal seguradora do Brasil no segmento de RC Profissional. Atualmente, a companhia oferece produtos para 43 categorias profissionais diferentes, como dentistas, corretores de seguro, engenheiros, arquitetos, contadores, corretores de imóveis e advogados, entre outras. Reconhecida por seu diferencial tecnológico e inovação, a multinacional possui ainda posição de destaque nos ramos de Transportes, Bike e D&O.

Berkley Brasil Seguros é a seguradora oficial do Troféu JRS 2019 622

Berkley Brasil Seguros é a seguradora oficial do Troféu JRS 2019

Faltam poucos dias para a grande noite do seguro em Porto Alegre (RS)

Divulgação
Divulgação

No dia 25 de outubro, na Casa Vetro, em Porto Alegre (RS), acontece a 17ª edição do Troféu JRS. Com convites esgotados, o evento reconhece os nomes que mais destacaram-se ao longo dos últimos 12 meses. A festa do seguro na Capital Gaúcha reúne profissionais do segmento em nível nacional e consagra mais um ano de muito trabalho para o setor de seguros.

Uma das premissas da Comissão Organizadora do Troféu JRS é a segurança e o conforto dos convidados. Por isso, a Berkley Brasil Seguros é a garantidora oficial da premiação – que começa a partir das 20h30min. A cobertura contempla garantias desde a montagem, passa pela realização e, até mesmo, pela desmontagem do evento. A Berkley é especialista neste tipo de apólice.

A noite especial é promovida pelo JRS, que há quase 20 anos é especialista em notícias, entrevistas e reportagens e informações sobre esse importante nicho da economia nacional. Confira todos os detalhes sobre o 17º Troféu JRS no hotsite especial.

Lázaro Brandão, ex-presidente do Bradesco, falece aos 93 anos 539

Lázaro Brandão, ex-presidente do Bradesco, falece aos 93 anos

Executivo foi considerado um dos banqueiros mais poderosos da América Latina

O ex-presidente do Bradesco e do Conselho de Administração do banco, Lázaro de Mello Brandão, faleceu nesta quarta-feira (16), aos 93 anos. Brandão recuperava-se de uma cirurgia, no Hospital Edmundo Vasconcelos, em São Paulo.

O executivo foi considerado um dos banqueiros mais poderosos da América Latina e sucedeu o fundador do Bradesco, Amador Aguiar. Brandão deixou a presidência do conselho do Bradesco no final de 2017, quando Luiz Carlos Trabuco Cappi assumiu o posto, mas ainda atuava como presidente de empresas controladoras do Bradesco.

Brandão deixa mulher, duas filhas e um neto. O velório acontece a partir das 13h30min e vai até ás 17h, no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra. A cremação será ás 17h, no mesmo local.

*Com informações de G1.