Revista JRS Especial: A notícia que não queríamos dar 130513

Edição 229 da publicação mensal aborda trajetória de Jota Carvalho, fundador do JRS

Existem títulos óbvios e existem títulos dolorosos. O desse texto pertence a segunda categoria. Os profissionais que estão por mais tempo no mercado de seguros vão se lembrar da primeira redação, como é chamado o escritório no jornalismo, do JRS, na época Jornal Regional de Seguros. Confira essa história, além de entrevistas, reportagens e notícias selecionadas na edição 229 da Revista JRS.

Idec notifica operadoras por imposição de cloroquina 606

Idec notifica Hapvida e Prevent Senior por imposição de cloroquina

Segundo entidade, empresas são investigadas por coagir médicos e distribuir medicamentos contraindicados para usuários de planos de saúde

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), ONG de Defesa do Consumidor, notificou extrajudicialmente duas das maiores operadoras de planos de saúde do Brasil, a Hapvida e a Prevent Senior, pelo uso de cloroquina e outros medicamentos comprovadamente ineficazes contra a Covid-19. Segundo a entidade, as operadoras contrariam as recomendações de órgãos nacionais e internacionais e pressionam médicos a aplicarem o chamado “tratamento precoce”, colocando em risco a saúde e a segurança dos consumidores.

A entidade apresenta indícios de que a Hapvida estaria pressionando os médicos a prescreverem esses produtos em pelo menos quatro estados – Goiás, Pernambuco, Pará e Ceará. Neste último, a empresa recebeu uma multa de R$ 468 mil por parte do Ministério Público por impor a prescrição de cloroquina e hidroxicloroquina.

No caso da Prevent Senior, o Idec reiterou uma notificação enviada à empresa em 2020 em que pedia esclarecimentos sobre a indicação de medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da doença. Em resposta enviada em abril, a empresa afirmou respeitar o princípio da autonomia médica e colher consentimento dos usuários, mas denúncias que emergiram desde então mostram que “kits Covid” foram enviados aos consumidores antes mesmo do diagnóstico positivo para o novo coronavírus. Um inquérito civil aberto pelo Ministério Público do Estado de São Paulo investiga estas e outras práticas da operadora.

Nos documentos, o Instituto recorda que a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de órgãos internacionais como a Sociedade de Doenças Infecciosas dos Estados Unidos (IDSA), a Sociedade Europeia de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas (ESCMID) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), não recomendam o uso de medicamentos como hidroxicloroquina, azitromicina, ivermectina contra a Covid-19.

De acordo com a entidade, a saúde suplementar é um mercado de relevância pública dada a importância do serviço para a vida e a saúde do consumidor final. Por isso, defende o Idec, as empresas estão submetidas aos mesmos requisitos que recaem sobre a administração pública no que se refere ao respeito aos critérios científicos e técnicos, por um lado, e aos princípios constitucionais da precaução e prevenção, por outro.

“A adoção de protocolos de saúde que não foram baseados em normas e critérios científicos e técnicos aplicáveis à matéria, tal como estabelecidos por organizações e entidades internacional e nacionalmente reconhecidas, trazem graves impactos à vida, saúde e segurança dos consumidores brasileiros, de maneira que a prática abusiva deve ser cessada de imediato, por ofender a dignidade da pessoa humana, o seu direito à saúde e as normas de proteção e defesa do consumidor”, diz trecho das notificações.

Idec pede que a Hapvida e a Prevent Senior revejam imediatamente seus protocolos internos, interrompam o envio de medicamentos sem eficácia comprovada aos usuários, cessem a pressão sobre médicos e prestem esclarecimentos aos consumidores sobre os riscos do chamado “tratamento precoce” por todos os meios disponíveis, inclusive jornais de grande circulação do país. As empresas têm 15 dias corridos para responder à notificação.

Nota da Prevent Senior

A Prevent Senior não recomenda, enquanto operadora de saúde, o uso de nenhuma droga ou tratamento. Os médicos têm total autonomia para adotar ou prescrever terapias ou medicamentos que julguem os mais adequados para cada paciente, levando-se em conta o histórico médico individual. Este acompanhamento é facilitado porque o histórico clínico de todos os mais de 530 mil beneficiários é registrado digitalmente, o que garante segurança à conduta dos médicos. Um ponto importante: os indicadores de letalidade entre os pacientes de Covid atendidos pela Prevent estão abaixo das médias registradas tanto no País quanto no Estado de São Paulo.

Nota da Hapvida

Cada vida importa na luta contra a covid-19 e, por isso, a empresa não mede esforços na atenção à saúde de seus beneficiários.

Os médicos, e todos os profissionais que compõem as equipes têm sido um elo fundamental nesta jornada de combate ao Covid-19. A empresa reitera que respeita a soberania médica e que todos os tratamentos são de inteira autonomia do profissional, decididos em comum acordo com os pacientes.

O respeito a todos é uma premissa importante da instituição que possui canais específicos para o atendimento tanto dos beneficiários quanto dos médicos, enfermeiros e outros profissionais que constituem o quadro da companhia, em duas diferentes frentes, como o Sentinela, ouvidoria interna que busca garantir o acesso dos colaboradores à livre comunicação e expressão, com o intuito de relatarem qualquer desconforto em sua jornada. O mesmo acontece com os beneficiários que contam com um Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) com equipe treinada para receber e encaminhar qualquer eventual desconforto ocorrido junto aos médicos e unidades de atendimento.

Paralelamente, reforçamos o compromisso da operadora com a saúde de qualidade, e afirmamos que estamos apurando as exigências estabelecidas na notificação do Idec. A empresa se compromete a tomar a devidas providências, caso sejam cabíveis.

Prevent Senior esclarece que não recomenda nenhum tipo de tratamento contra Covid-19 565

Prevent Senior esclarece que não recomenda nenhum tipo de tratamento contra Covid-19

Empresa lembra que letalidade de pacientes na operadora está abaixo das médias do País

Em nota enviada à redação após manifestação do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a Prevent Senior afirma que “não recomenda, enquanto operadora de saúde, o uso de nenhuma droga ou tratamento”.

Ainda de acordo com a operadora, os médicos têm total autonomia para adotar ou prescrever terapias ou medicamentos que julguem os mais adequados para cada paciente, ao levar em conta o histórico médico individual. “Este acompanhamento é facilitado porque o histórico clínico de todos os mais de 530 mil beneficiários é registrado digitalmente, o que garante segurança à conduta dos médicos. Um ponto importante: os indicadores de letalidade entre os pacientes de Covid atendidos pela Prevent estão abaixo das médias registradas tanto no País quanto no Estado de São Paulo”, acrescenta a Prevent Senior.

Confira a nota na íntegra

A Prevent Senior não recomenda, enquanto operadora de saúde, o uso de nenhuma droga ou tratamento. Os médicos têm total autonomia para adotar ou prescrever terapias ou medicamentos que julguem os mais adequados para cada paciente, levando-se em conta o histórico médico individual. Este acompanhamento é facilitado porque o histórico clínico de todos os mais de 530 mil beneficiários é registrado digitalmente, o que garante segurança à conduta dos médicos. Um ponto importante: os indicadores de letalidade entre os pacientes de Covid atendidos pela Prevent estão abaixo das médias registradas tanto no País quanto no Estado de São Paulo.

Executivos da Fator Seguradora explicam tudo sobre Seguro Garantia Arbitral no Seguro Sem Mistério 597

Programa desta terça-feira (15) recebe a advogada Agatha Lopes e o diretor Pedro Mattosinho

O programa Seguro Sem Mistério desta terça-feira (15) recebe, a partir das 17h30min, a advogada especialista em Riscos Financeiros, Agatha Lopes, e o diretor técnico de garantia da Fator Seguradora, Pedro Mattosinho. A atração é transmitida pelo Canal do JRS no YouTube e conta com apresentação dos jornalistas Júlia Senna Carvalho e William Anthony.

Na oportunidade, os executivos explicarão todos os detalhes, potenciais e novidades trazidas pelo inédito Seguro Garantia Arbitral.

Aproveite para enviar recados e inscrever-se no Canal do JRS no YouTube para não perder nenhuma atualização sobre as novidades do ecossistema brasileiro de seguros.

O Seguro Sem Mistério ainda conta com apresentação em mais de 40 cidades do Estado do Rio Grande do Sul, através dos canais 520 e 20 da NET HD. A apresentação inédita do programa acontece aos domingos, a partir das 11h30min, com reprises de terça à sábado ao longo da programação. Consulte a grade do Canal Bah!TV para saber mais.

Cumprida primeira ordem de busca e apreensão com base na Lei Geral de Proteção de Dados 1135

Cumprida primeira ordem de busca e apreensão com base na Lei Geral de Proteção de Dados

Informação é do colunista Lauro Jardim, do Jornal O Globo

O colunista Lauro Jardim, do Jornal O Globo, informa que foi cumprida nesta quinta-feira (10) a primeira ordem judicial de busca e apreensão baseada na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). A decisão do Poder Judiciário foi tomada após suspeita da utilização indevida de dados de clientes por uma corretora de planos de saúde.

A operação, realizada na sede da empresa e na residência de uma funcionária, ocasionou na apreensão de documentos, computadores e celulares. Os proprietários devem responder a processos cíveis e criminais. Há expectativa que outras empresas na mesma situação no Rio de Janeiro e em São Paulo também sejam alvo dessas mesmas medidas.

Sicoob Credicor-SP realiza campanha especial para novas adesões 411

Sicoob Credicor-SP realiza campanha especial para novas adesões

Novas adesões em conta capital podem ser parceladas em até 10 vezes de R$ 60 até o dia 30 de junho

A Cooperativa de Crédito dos Corretores de Seguros (Sicoob Credicor-SP) está com uma campanha especial para novas adesões (investimento) em cotas até 30 de junho. O valor da adesão de R$ 600 em conta capital, com a campanha poderá ser realizado em 10 parcelas de R$ 60.

Conta capital é o valor que cada pessoa investe ao ingressar na cooperativa e abrir sua conta corrente Pessoa Física ou Pessoa Jurídica. O valor fica depositado em sua conta capital com rendimento financeiro de até 100% da Selic sobre o saldo médio anual em cotas. “Investir na aquisição de cotas-parte é garantir bons rendimentos em seu patrimônio”, afirma a gerente Geny Schimith.

“O intuito da campanha é convencer os corretores de seguros, definitivamente, que reduzam os custos bancários com as tarifas e taxas de juros aplicadas pelos bancos, além de ter participação nas sobras (lucro) da Credicor”, incentiva.

Podem aderir à Credicor/SP:

  • Corretores de seguros Pessoas Físicas;
  • Corretores de seguros Pessoas Jurídicas;
  • Cônjuges e filhos;
  • Sócios;
  • Funcionários da corretora;
  • Parentes de até 3º grau;
  • Se o cooperado tiver outro CNPJ de outro segmento, poderá também abrir conta desse outro CNPJ;
  • Seguradoras e funcionários de seguradoras;
  • Prestadores de serviços;
  • Todo ecossistema do mercado de seguros.

Taxas diferenciadas:

Divulgação
Divulgação