Mensagens falsas sobre banco utilizam imagem do JRS sem autorização 11565

Golpistas utilizam imagem do JRS para propagar mensagens falsas nas redes

Texto falsamente atribuído ao Banco Santander tem sido disseminado nas redes sociais

O Jornal Regional de Seguros (JRS), veículo administrado por Jornalistas Profissionais há 21 anos, comunica ao público que golpistas têm utilizado a imagem do portal https://jrs.digital/ para disseminar mensagens falsas nas redes sociais.

Diversos leitores relataram neste sábado, 16 de janeiro, que viram uma suposta matéria publicada pelo veículo com o seguinte título: “Superdigital encerra suas atividades, devido ao grande golpe sofrido na madrugada do dia 15 de janeiro de 2021“. O texto é falsamente atribuído ao Banco Santander, o que não procede.

Reprodução da mensagem disseminada nas redes sociais, que falsamente atribui reportagem ao JRS
Reprodução da mensagem disseminada nas redes sociais, que falsamente atribui reportagem ao JRS

Tal notícia jamais foi publicada pelo JRS e os administradores da empresa tomarão as medidas cabíveis a fim de identificar os responsáveis por este episódio.

Reiteramos que todas as nossas publicações seguem altíssimos critérios jornalísticos e podem ser consultadas diretamente no site https://jrs.digital/, no campo de busca. O portal do JRS ainda possui certificado de segurança SSL, ou seja, toda vez que o site é acessado, seu navegador deve apresentar o desenho de um cadeado ao lado da URL.

Se você identificar alguma mensagem falsa atribuída ao JRS comunique-nos através do e-mail redacao@jrscomunicacao.com.br.

Caixa Econômica Federal é o novo gestor do DPVAT 10233

Caixa Econômica Federal é o novo gestor do DPVAT

CNSP aprovou prêmio zero para o seguro em 2021

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) comunica que a Caixa Econômica Federal (Caixa) é o novo gestor do Seguro DPVAT e passará a receber os avisos de sinistros que tenham ocorrido a partir do dia 1º de janeiro de 2021. Os sinistros ocorridos até 31 de dezembro de 2020, independentemente da data de aviso, permanecem sob responsabilidade da Seguradora Líder do Consórcio DPVAT.

A Susep e a Caixa firmaram contrato em 15 de janeiro de 2021, conforme determinação do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), atendendo, ainda, decisão cautelar do Tribunal de Contas da União (TCU), que estabeleceu que a Susep deveria manter a operação do seguro após a extinção do consórcio de seguradoras que administrava o DPVAT.

No dia 29 de dezembro de 2020, o CNSP autorizou a Susep a contratar instituição para gerir e operacionalizar as indenizações referentes ao Seguro DPVAT. A mudança de gestão vem sendo trabalhada pela Susep e Ministério da Economia desde o final de novembro do ano passado, quando a autarquia foi formalmente comunicada da decisão das seguradoras consorciadas pela extinção do consórcio que operava o Seguro DPVAT, decidida em assembleia geral das consorciadas ocorrida em 24 de novembro de 2020.

A Caixa tem reconhecida capacidade técnica e operacional para assumir uma operação complexa como a gestão do DPVAT. A solução construída pela Susep, Ministério da Economia e CNSP visa garantir o pagamento das indenizações previstas em lei para a população brasileira em 2021.

O novo gestor iniciará imediatamente os atendimentos e disponibilizará aplicativo que viabilizará atendimento ágil e seguro para os pedidos de indenização relacionados ao DPVAT.

A Seguradora Líder do Consórcio DPVAT continua responsável pelos atendimentos para os sinistros ocorridos até 31 de dezembro de 2020, mesmo que o aviso seja feito posteriormente. Veja os canais neste endereço.

Prêmio zero

O CNSP aprovou ainda a indicação da Susep de prêmio zero para o DPVAT em 2021. Isto só foi possível porque há um excedente de recursos, pago pelos proprietários de veículos no passado, que hoje gira em torno de R$4,3 bilhões. Se não fosse realizada a devolução dos recursos os prêmios do seguro DPVAT variariam entre R$ 11,27 (DF) a R$ 86,67 (RO) para veículos de passeio e entre R$ 87,14 (SP) e R$ 696,41 (RR) para motos, dependendo do estado no qual o veículo foi licenciado.

A tabela anexa mostra a estimativa dos preços que seriam cobrados de acordo com a unidade da federação e o tipo de veículo.

Para mais informações sobre o Seguro DPVAT, acesse este endereço.

Fique atento aos roubos e furtos de celulares durante as férias 4089

Superintendente da Zurich destaca os diferenciais de estar protegido através do seguro celular

Com a pandemia, as situações de aglomerações, como baladas e shows, diminuíram. Mas para que as férias sejam um verdadeiro momento de descanso e distração, a Zurich ressalta dicas importantes para prevenção contra roubos e furtos de smartphones neste período.

O Superintendente de Underwriting Parcerias da Zurich, Carlos Eduardo da Silva, participa do Seguro Sem Mistério e destaca as funcionalidades e os diferenciais do seguro celular oferecido pela companhia. Confira a reportagem em áudio e na íntegra abaixo:

 

JRS: De acordo com a FGV, o Brasil tem 234 milhões de celulares inteligentes (smartphones) em uso. Ou seja, todo brasileiro utiliza o dispositivo. Tendo esse cenário em vista, qual a importância do seguro celular?

Carlos Eduardo da Silva: O seguro de bens de um modo geral visa proteger o patrimônio segurado contra os riscos contratados. Ao fazer um seguro para o celular, além da proteção individual há um impacto positivo na área social e econômica da sociedade. O seguro para celular se torna cada vez mais importante devido ao crescimento do número de vítimas de roubo ou furto desses aparelhos.

Se tomarmos o estado de São Paulo como exemplo, segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, aparelhos celulares foram os itens mais roubados na cidade entre janeiro e agosto de 2020: a cada 10 assaltos, em seis os ladrões subtraíram os aparelhos de suas vítimas e, seguramente, essa seja a realidade de outros estados da federação.

Hoje os celulares deixaram de ser um bem de luxo para ser um bem categorizado por alguns como essencial, em alguns casos o celular tem mais importância para a pessoa que outros bens, como notebook, tv etc, hoje em dia é comum para algumas pessoas o celular ser uma importante ferramenta de trabalho, tão eficiente quanto um notebook.

Devido à alta tecnologia e funções inseridas em um aparelho celular o preço do produto está cada vez mais relevante. De acordo com a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, que tratou justamente do roubo de celulares no país, apenas 16% dos internautas brasileiros com smartphone declaram ter seguro contra roubo ou furto do seu celular atual.

Férias geralmente são momentos para descanso e distração. Quais as dicas para estar atento contra roubos e furtos?

O roubo e furto de bens geralmente acontece quando a pessoa com má intenção percebe a oportunidade. Por isso, é importante que os proprietários dos celulares estejam mais atentos em locais com aglomerações, como shows, baladas e blocos de Carnaval, por exemplo. Em meio à pandemia, as aglomerações diminuíram, mas ainda temos situações que, mesmo assim, se enquadram, como: transporte público e ruas de comércio popular.

Vale também evitar o uso do aparelho enquanto se caminha na rua, o que geralmente traz distração e facilita os eventos indesejados.
Creio que essas são duas dicas fundamentais para evitar o roubo/furto do celular em situações cotidianas.

Como o corretor de seguros pode ofertar mais essa proteção aos seus clientes?

A pesquisa citada anteriormente aponta que somente 16% dos internautas declaram que possuem seguro celular, o que demonstra que temos uma boa oportunidade de crescimento neste seguro. Os corretores, bancos e representantes possuem um papel fundamental na conscientização do produto de seguro, veja a cada 10 roubos em São Paulo 6 tiveram o celular subtraído, ou seja, o risco existe.

Os produtos de seguro podem ser ofertados no momento da compra do celular ou depois da compra a depender da parceria e contrato com a seguradora. No quesito de custo-benefício na Zurich temos seguros para proteção de celular a partir de R$ 6,99 por mês, é claro que este valor varia de acordo com o custo do celular segurado.

Há ainda o fato de esse tipo de proteção colaborar e muito para evitar uma preocupação maior com custo de comprar um novo celular, em alguns casos até sair do planejamento financeiro do mês para quem teve o aparelho roubado ou furtado. E dependendo dos serviços contratados, o seguro celular pode ajudar também na recuperação dos arquivos pessoais.

Destaco, porém, que além do seguro de roubo e furto qualificado, que são os mais comuns, a Zurich oferece outros produtos, como Danos Acidentais e Garantia Estendida:
Danos Acidentais – Garante o reparo do aparelho segurado em casos de ocorrência de danos acidentais não cobertos pela garantia do fabricante, e cobre ainda avarias decorrentes de quedas acidentais, derramamento de líquidos e danos elétricos. Se não for possível realizar o reparo do bem, o segurado recebe um novo aparelho igual ou semelhante ao descrito na apólice.
Garantia Estendida – Oferece a extensão da garantia original de fábrica.  Se o aparelho vier com um ano de garantia de fábrica, por exemplo, o Garantia Estendida só iniciará após esse prazo. O período de validade dependerá da escolha dentre as opções disponíveis na loja em que o cliente adquirir o celular, podendo chegar a até 3 anos após a garantia de fábrica. Em caso de defeito, a Zurich garante o reparo sem qualquer custo ao cliente.  Se não for possível o reparo, a Zurich poderá definir pela troca do produto por outro igual ou similar. Em casos extremos, em que não for possível a troca, o cliente será indenizado em dinheiro, de acordo com o descrito nas condições do seguro.

Quais os diferenciais do produto da Zurich voltado a esse mercado? O que ele garante num caso de roubo ou furto?

A Zurich tem opções de seguro para pagamento anual ou mensal e com vigências acima de 12 meses, a depender do contrato. Assim como outros seguros, o de celular garante a proteção do aparelho contra os eventos previstos nas coberturas contratadas, que geralmente são:
Roubo – Caracterizado quando a pessoa sofre ameaça física verbal ou uso de força bruta; e
Furto Qualificado – Identificado quando a pessoa não sofre ameaça e só percebe quando se depara com os vestígios do crime, como uma bolsa rasgada, por exemplo.

Como disse acima, o seguro celular evita que a pessoa que sofreu o sinistro tenha maiores custos para ter o bem reposto ou reparado evitando, por exemplo, que ela saia do seu planejamento financeiro tendo em conta o custo de um aparelho celular atualmente. Geralmente, quando acontece algo com o celular, as duas maiores preocupações são: agilidade para ter o aparelho de volta (pois a imensa maioria de nós utiliza muito esse aparelho no dia a dia e até como ferramenta de trabalho) e o custo para solucionar o problema. É quando o seguro para celular se mostra como melhor alternativa, pois com uma contribuição de parte do bem segurado o celular está protegido, como eu disse antes, o custo-benefício.

Você mencionou em sua primeira pergunta os dados da FGV, segundo a qual em junho deste ano havia 234 milhões de celulares inteligentes no país. Porém, também de acordo com o estudo da entidade que nos revelou esse dado, se adicionarmos à conta notebooks e tablets, o número salta para 342 milhões de dispositivos portáteis, o que dá 1,6 dispositivo portátil por habitante.

A Zurich também dispõe de seguros para esses aparelhos, os quais, tal como o celular, são companhias cada vez mais frequentes das pessoas, tanto no trabalho quanto nos estudos e lazer.

Saúde mental nas empresas é tema de evento online e gratuito 502

Tatiana Pimenta é fundadora e CEO da Vittude / Divulgação

Realizado pela Vittude em parceria com a Careplus, o Corporate Mental Health Week aborda temas relevantes para a campanha de Janeiro Branco

Entre os dias 26 e 29 de janeiro, a Vittude, empresa referência em psicologia online e saúde emocional corporativa, e a operadora de saúde premium, Care Plus realizam o Corporate Mental Health Week. O evento reunirá líderes empresariais, executivos, psicólogos e especialistas em RH para debater a saúde mental no ambiente corporativo.

Segundo a London School of Economics and Political Sciences, as empresas brasileiras perdem mais de R$ 200 bilhões anualmente, em função do adoecimento psicológico da equipe. A urgência de discutir o tema, ainda tabu no ambiente corporativo, tem se tornado mais evidente após o início da pandemia.

“Estamos no Janeiro Branco, mês dedicado à conscientização sobre saúde mental. É um período muito importante para discutirmos o tema, bem como ampliarmos o debate sobre o olhar de cuidado dentro de organizações. A OMS incluiu, em 2019, a síndrome de Burnout na 11ª Revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID-11) como um fenômeno ocupacional. Com uma das maiores crises sanitárias da história, o debate sobre saúde mental no ambiente corporativo se tornou urgente. A pandemia trancou todo mundo dentro de casa, muitas pessoas viveram o luto, perderam membros da família por conta do Covid, e o RH das empresas ficou sobrecarregado com os novos desafios”, diz Tatiana Pimenta, fundadora e CEO da Vittude.

De acordo com um estudo realizado pela Vittude, em parceria com a Opinion Box, 47% das empresas brasileiras não adotaram nenhum procedimento sobre saúde mental para seus funcionários durante 2020, mesmo que 33% dos trabalhadores no Brasil tenham apresentado insônia, e 33% tiveram crises de ansiedade após o início da pandemia.

O evento está em sua segunda edição. Realizado presencialmente no CUBO Itaú, em janeiro de 2020, a primeira recebeu mais de 700 participantes. Desta vez, em decorrência da pandemia, o evento será 100% online e gratuito. A ABRH Brasil é apoiadora do evento e a Vetor Editora patrocina esta edição.

Alguns dos temas a serem debatidos no evento são: esgotamento emocional, tecnologia como aliada na prevenção ao suicídio, saúde negra, diversidade e inclusão e educação emocional. Entre as empresas participantes do evento estão Grupo Boticário, Raia Drogasil, SAP, Microsoft, Oracle, Careplus, RD Station e Warren, entre outras.

Serviço:

Corporate Mental Health Week;
Quando: de 26 a 29 de janeiro;
Onde: Online;
Realização: Vittude e Care Plus;
Programação e Inscrições: neste endereço.

CEO da Ituran Brasil participa ao vivo do Seguro Sem Mistério na próxima terça 654

Amit Louzon demonstra como proteger o carro durante todos os períodos do ano

O programa Seguro Sem Mistério da próxima terça-feira (19) recebe o CEO da Ituran Brasil, Amit Louzon. O especialista demonstra como ficar com o carro protegido durante todos os períodos do ano, em especial, no veraneio.

Com o comando de Júlia Senna e William Anthony, a entrevista também vai abordar um breve balanço sobre os resultados da Ituran Brasil em 2020 e quais as expectativas da empresa para o ano que acaba de começar. Será ao vivo, a partir das 17h30min, no canal do JRS no YouTube.

Desde a estreia do novo formato, no final de novembro, o Seguro Sem Mistério conquistou mais de 18 mil visualizações no YouTube. Além disso, a atração é apresentada de terça a domingo para mais de 40 municípios do Rio Grande do Sul, através do canal 520 da NET HD.

New Report

Close