Revista Especial: Noite memorável marca o 17º Troféu JRS 3445

Veja lista completa dos reconhecimentos e imagens exclusivas da grande festa do seguro

Uma noite mágica marcou os convidados do Troféu JRS 2019, no dia 25 de outubro. A Casa Vetro, em Porto Alegre (RS), foi o cenário de momentos inesquecíveis, em que os destaques do mercado brasileiro de seguros no último ano foram enaltecidos.

O encontro aconteceu quase dois meses após o falecimento de Jota Carvalho, fundador do JRS, e ratificou o compromisso da empresa para com o segmento de seguros. “Hoje faz 56 dias que o JRS, em seus 19 anos de existência, vive o seu momento mais desafiador. Me lembro muito bem daquele 30 de agosto. Minha mãe e diretora executiva da empresa, me disse: Vocês têm que pensar em tudo que ele gostaria que fosse feito. E vejam que sorte a nossa: o que ele gostaria, também é o que nós gostaríamos que fosse realizado”, lembrou a editora-chefe Júlia Senna durante a ocasião.

Sob a premissa de Carvalho, de que “ninguém faz nada sozinho”, a equipe reforçou que continuará cumprindo a missão de comunicar com a mesma energia do fundador. “Nesses dois meses, nós reforçamos o nosso compromisso com milhares de leitores e espectadores da Revista e do Newsletter JRS, do Portal JRS.digital e do programa Seguro Sem Mistério. Nestes 19 anos, atingimos mais de um milhão de pessoas com nossas plataformas. E continuaremos lembrando aos nossos parceiros, tanto da redação Porto Alegre quanto da redação São Paulo, a nossa missão de auxiliar na difusão
da cultura do seguro Brasil a fora e auxiliar os operadores do mercado através da produção de conteúdo”, destacou. “E não pretendemos parar por aí. Me cobrem: O ano de 2020 reserva novidades para continuarmos todos juntos no propósito de mostrar a grandeza do mercado de seguros”, acrescentou.

A décima sétima edição do encontro, tradicional pela qualidade e comparecimento efetivo do mercado, foi protegida através de apólices de seguro da Berkley Brasil Seguros e do MBM Seguro de Pessoas. Além disso, o Troféu JRS é o resultado da mobilização do mercado de seguros e, para a sua realização, o JRS contou com o importante patrocínio das seguintes empresas: Patrocinadores Ouro – Bradesco Seguros, HDI Seguros, Icatu, Mapfre, MBM Seguro de Pessoas, Omint, Previsul e SulAmérica; Patrocinadores Prata – Aspecir Previdência, União Seguradora, Caixa Seguradora Odonto, GBOEX, Grupo Life Brasil e Sancor; Patrocinadores Bronze – Berkley Brasil Seguros, EDR, Expermed, Gente Seguradora, Ikê Assistência, KSA Corretora de Seguros, Rede Lojacorr, Neo Executiva, Porto Seguro, Ramos Assessoria, Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul, Somar Clube de Seguros, Sompo, Status Consultoria, Seguros Sura, Sultec Vistorias e Velox Contact Center.

Apresentador Gugu em estado grave na UTI 5240

Apresentador Gugu em estado grave na UTI

Boletim médico deve ser divulgado nesta sexta-feira

O apresentador Augusto Liberato, 60 anos, está internado em estado grave em uma Unidade de Terapia Intensiva – em um hospital na Flórida. Gugu se machucou após uma queda de aproximadamente 4 metros em sua residência nos EUA.

A assessoria de imprensa do comunicador afirma que são “inverídicas as informações que circulam sobre uma suposta morte de Gugu Liberato”. Os familiares do contratado da Record TV, inclusive a mãe de Gugu – que tem 90 anos, foram pessoalmente conversar com os médicos em solo americano.

Um boletim médico com maiores detalhes sobre o estado de saúde de Augusto Liberato deve ser divulgado na manhã desta sexta-feira.

Carlos Eduardo Sarkovas é o novo diretor comercial da It’sSeg 1100

Carlos Eduardo Sarkovas é o novo diretor comercial da It’sSeg

Executivo tem amplo relacionamento com o mercado de segurador e acumula 18 anos de experiência

A It’sSeg, uma das maiores corretoras de seguros do país especializada em gestão de benefícios, anuncia Carlos Eduardo Sarkovas como novo diretor comercial corporativo. O executivo tem amplo relacionamento com o mercado de segurador e acumula18 anos de experiência.

“Fico muito feliz com a chegada do Cadu, que por meio da sua experiência, energia e seu comprometimento de fazer acontecer, irá nos ajudar trilhar nosso caminho de forma mais rápida, mais assertiva e segura”, diz Thomaz Menezes, presidente da companhia.

Cadu, como é conhecido no mercado, será responsável pela área de vendas de benefícios e ramos elementares corporativo, respondendo diretamente a Thomaz Menezes. “Pretendo aproveitar as oportunidades que uma empresa como a It’sSeg tem, nos seus vários segmentos de atuação. É gratificante poder fazer parte dessa empresa, que busca inovar e trazer soluções diferentes para o mercado de consultoria de benefícios”, revela. O executivo terá o desafio de contribuir com o objetivo da empresa de dobrar de tamanho nos próximos três anos.

Previdência: Sérgio Rangel analisa ambiente de transformações como oportunidades ao mercado 679

Atuário participou da última edição de 2019 do Almoço do Mercado Segurador

A última edição de 2019 do tradicional Almoço do Mercado Segurador trouxe o atuário e Consultor Sênior da Mirador Atuarial, Sérgio Rangel, para abordar o ambiente de transformação sob o qual a previdência complementar está inserida. O evento, promovido pelo Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul (Sindseg-RS), aconteceu nesta quinta-feira (21) em Porto Alegre.

De acordo com o especialista, é preciso analisar positivamente para o atual cenário. “Para quem trabalha na previdência complementar, seja ela aberta ou fechada, em qualquer uma das duas, ainda mais com a perspectiva de fusão entre a Superintendência de Seguros Privados (Susep) e a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), vemos com bons olhos a questão do horizonte em si que envolve as pessoas pensarem mais no futuro”, destacou.

No Brasil, R$ 1,8 trilhões são administrados por Fundos de Pensão e Seguradoras. “Ficou bem claro, com toda a discussão da reforma da previdência, que temos que contar cada vez menos com a participação do Estado para garantir o amanhã e enxergamos que isso realmente abre um espaço muito interessante para a previdência complementar se desenvolver aqui no Brasil”, articulou.

O momento também marcou o último Almoço promovido pelo SindSeg-RS com Guacir Bueno na presidência da entidade. Em 15 de fevereiro do próximo ano, Enio Borsatto e uma nova diretoria devem assumir  a entidade. ” Encerramos o ano agradecendo muito pelos conteúdos e contribuições que conseguimos doar nesses quatro anos de mandato, facilitando o encontro dos operadores de seguros e a divulgação da cultura do seguro, buscando de todas as formas fortalecendo o nosso segmento. Por isso agradeço muito a todos os diretores e colaboradores do nosso Sindicato, em 2019 nós trabalhamos bastante e foi profícuo o nosso desempenho”, comentou.

Todas as imagens – Almoço do Mercado Gaúcho de Seguros

Congresso dá sinal verde a nova Frente Parlamentar Mista de Segurança Contra Incêndio 734

Congresso dá sinal verde a nova Frente Parlamentar Mista de Segurança Contra Incêndio

Proteger patrimônios históricos, culturais, públicos e privados está entre as prioridades do movimento, liderado pelo deputado federal Guilherme Derrite (PP-SP)

A Frente Parlamentar Mista de Segurança Contra Incêndio (FPMSCI) continuará suas atividades na nova legislatura. O anúncio do reinício das atividades aconteceu no último dia 19, no salão nobre da Câmara dos Deputados, em Brasília. Com o retorno aos trabalhos, uma das prioridades da Frente presidida pelo deputado federal Guilherme Derrite (PP-SP) será o aprimoramento da proteção contra incêndios no Brasil, que inclui patrimônios históricos, culturais, públicos e privados. Além de atuar como vice-líder na Câmara, o parlamentar tem longa experiência na Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.

“As tragédias do Museu Nacional, do Flamengo e Hospital Badin evidenciaram fragilidades nos sistemas de proteção de incêndio de patrimônios históricos e instituições privadas. Precisamos continuar avançando com uma agenda propositiva que traga proteção concreta à sociedade”, pontua Marcelo Lima, coordenador do Conselho Consultivo da Frente e diretor geral do Instituto Sprinkler Brasil (ISB). “A presidência do Guilherme Derrite deve representar um reforço dos resultados da Frente. Estamos bastante otimistas com a chegada dele e convictos de que ele ajudará, e muito, nessa vocação que temos de buscar melhores e mais eficientes mecanismos de prevenção e combate a incêndios, e isto passa pela estruturação de um arcabouço robusto incluindo aperfeiçoamentos em políticas públicas e normas complementares à Lei Kiss”, completa.

A Frente também vislumbra frentes de ação convergentes. Pretende batalhar pela certificação de equipamentos e instalações de segurança, buscar melhorias na legislação contra incêndio, capacitação e qualificação específica para profissionais da área de segurança contra incêndio, além de aperfeiçoar e padronizar a coleta, inteligência e divulgação de dados de incêndios e causas no Brasil.

A FPMSCI foi criada em 2015 com o objetivo de ampliar a discussão e o debate junto à sociedade civil organizada sobre o problema de incêndios em todo o território nacional. Ao final de cada legislatura, os trabalhos da Frente são suspensos automaticamente. Para voltar à ativa, parlamentares da Câmara e do Senado Federal eleitos em 2018 deram seu apoio em assinaturas favoráveis à continuidade da Frente.

Empresas declaram preocupação com o risco de incêndio, mas ainda falta concretude e investimentos em planos de prevenção e contingência para enfrentar o problema

As empresas com operações no Brasil declaram atribuir alta relevância a riscos de incêndio para suas operações, mas é pequeno o número das companhias que já conta com os sistemas mais avançados de combate às chamas em suas instalações.

Os dados constam de pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos junto a empresas multinacionais e de capital nacional com mais de 250 funcionários a pedido do Instituto Sprinkler Brasil, entidade sem fins lucrativos que trabalha para disseminar a cultura de sistemas de prevenção e combate a incêndios no ambiente empresarial. Foram realizadas 300 entrevistas telefônicas com o responsável ou que participa diretamente na tomada de decisão de investimentos de sistemas prediais das empresas entre os dias 01 e 28 de maio com margem de erro de 5,7 p.p. em todas as regiões do Brasil.

Os dados do levantamento mostram que 77% das empresas declaram considerar muito importante o risco de incêndio para seus negócios e que 82% dizem ter clareza do impacto que este tipo de ocorrência pode gerar para suas operações.

A pesquisa mostra ainda que 85% das companhias dizem levar em consideração as condições de prevenção a incêndio na hora de contratar um espaço (prédio ou galpão) para abrir unidades de produção ou distribuição.

No entanto por falta de legislação adequada na época de ocupação e construção, de disponibilidade de profissionais especializados e de inteligência de dados para a tomada de decisão pública e privada o levantamento mostrou que das 300 empresas entrevistadas pelo Ipsos, apenas 36% contam com proteção ativa automática para combate às chamas, chuveirinhos automáticos (sprinklers em suas instalações.

O levantamento mostrou que apenas 14% das empresas entrevistadas dizem contar com sistema deste tipo em todas as suas unidades e 22% declararam contar com o sistema em apenas algumas unidades operacionais.

O levantamento mostrou que o uso de chuveiros automáticos é maior entre as multinacionais. 48% das empresas estrangeiras, com operações no país, ouvidas pelo levantamento, disseram tê-los em suas operações. Entre as empresas nacionais, o índice é de apenas 34%.

O porte também influi na decisão. O índice de uso de sprinklers em empresas com mais de 500 funcionários é de 45%. Entre empresas menores, com 250 a 499 funcionários, o percentual é de 28%.

Gestão

“Os dados mostram que há sensibilidade para o tema, mas as empresas não estão de fato informadas sobre as condições concretas para evitar grandes incêndios, que podem afetar a sociedade e a continuidade de suas atividades”, diz Marcelo Lima, diretor-geral do Instituto Sprinkler Brasil.

As fragilidades não estão somente nas instalações. A pesquisa mostra que a gestão das empresas ainda não absorveu integralmente o risco de incêndio em seu planejamento estratégico.   O levantamento mostrou, por exemplo, que apenas 54% das empresas entrevistadas afirmam categoricamente que contam com plano estruturado de retomada de negócios em caso de incêndio. O índice é de 51% entre as empresas de capital nacional e de 65% entre as empresas multinacionais.

O controle da cadeia de suprimentos também apresenta fragilidades. A pesquisa mostra que 57% das empresas afirmam categoricamente que solicitam planos de prevenção para seus parceiros de negócios e fornecedores de insumos. Neste caso, a prática e adotada de forma mais consistente (59%) entre as empresas de capital nacional que nas multinacionais (51%).

“A maioria das empresas não vivenciou um grande incêndio e isso torna a percepção do risco um pouco distante de seu processo decisório”, avalia Lima.

O levantamento Ipsos avaliou ainda o perfil de investimentos em sistemas de combate a incêndio nas empresas. De acordo com a pesquisa, 71% dos respondentes gastam exclusivamente o previsto em lei. Apenas 22% investem acima do exigido pelas autoridades. Entre as empresas brasileiras esse índice é de 19%. Entre as multinacionais, sujeitas a controles globais mais rígidos, 35% das empresas investem acima do que prevê a legislação brasileira de prevenção e combate a incêndio.

“O Brasil vem avançando em protocolos para este tipo de risco, mas ainda há deficiências na legislação. Isso explica o investimento maior das multinacionais, que têm que prestar contas aos controladores lá fora”, avalia Lima.

A pesquisa detectou que relatos de grandes incêndios não são suficientes para mobilizar as empresas em torno da questão.  Apenas 23% das companhias entrevistadas disseram pensar em investir ou em aumentar os recursos para sistemas de combate a incêndio após grandes ocorrências.

AMMS premia “Mulher Destaque do Ano” e “Companhia Destaque na Categoria Mulheres na Liderança” 886

AMMS premia "Mulher Destaque do Ano" e "Companhia Destaque na Categoria Mulheres na Liderança"

Confraternização acontece nesta quinta, em São Paulo

Divulgação
Divulgação

A AMMS promoverá um grande evento de confraternização nesta quinta-feira, dia 21 de novembro, a partir das 19 horas, na Villa Bisutti | Espaço 011 (Rua Alvorada, 1035 – Vila Olímpia – São Paulo – SP).

Durante o encontro, serão premiadas, pela primeira vez, a “Mulher Destaque do Ano” e a “Companhia Destaque na Categoria Mulheres na Liderança”.

O evento servirá ainda para celebrar o primeiro aniversário da AMMS e comemorar as conquistas amealhadas em 2019. A festa será uma grande oportunidade de networking, além de muita diversão com show do artista Gabriel Silva (The Voice Brasil), que cantará um repertório especial de black music em homenagem ao “Dia da Consciência Negra” (20 de novembro).

Haverá descontos para participação das associadas da AMMS e de funcionários dos patrocinadores com inscrições através do e-mail corporativo. Mais detalhes neste endereço.