Óleo hidráulico: qual a sua importância para a indústria? 1082

Óleo hidráulico: qual a sua importância para a indústria?

Uso de maneira correta evita que desempenho de sistemas sejam afetados

Para a indústria, a principal tarefa do óleo hidráulico nas máquinas é movimentar as ferramentas e equipamentos nas linhas de produção.

Geralmente são sistemas centralizados ou individuais que levam os produtos dentro da fábrica, ou fazem com que os aparelhos funcionem.

A maioria dos óleos hidráulicos para máquinas é feito com óleos minerais, e para que cumpram o seu papel recebem uma série de aditivos, entre eles inibidores de corrosão, detergentes, antioxidantes, aditivos para suportar altas pressões, antiespumantes, e tantos outros.

O óleo hidráulico possui um alto índice de viscosidade, indicado para sistemas que exerçam um movimento constante, para que seu desempenho não seja afetado. Essa viscosidade é muito útil para o funcionamento de um cilindro hidráulico, por exemplo.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo mostrando a importância de usar o óleo hidráulico para máquinas de maneira correta. Confira!

Quais as características do óleo hidráulico para máquinas

A utilização do óleo hidráulico para máquinas fornece uma propriedade de lubrificação e proteção contra desgastes. Com isso, o óleo tem condições lubrificar as peças móveis e formar uma película.

Além disso, a viscosidade que o óleo fornece é a responsável pela resistência que a peça precisa ter ao se mover. Com essa resistência as peças móveis se tornam mais resistentes à pressão exercida pelo trabalho realizado.

Além da resistência física, o óleo para máquinas também oferece resistência térmica para as peças, que aquecem e resfriam durante o processo, assim com uma solução antioxidante, para que as peças não sofram com o passar do tempo.

Qual a importância do óleo hidráulico para máquinas correto

Por mais que a função principal do óleo hidráulico seja promover uma condição melhor para a transmissão de energia das peças, as suas atribuições vão muito além disso.

O óleo hidráulico lubrifica as peças e serve como prevenção de atritos que a médio e longo prazo, danificam as máquinas. Além disso, as saídas de ar são vedadas e as peças podem trabalhar com o máximo de sua capacidade.

Em um motor elétrico trifásico, por exemplo, o seu trabalho pode ser feito explorando o seu potencial máximo, entregando toda sua capacidade de funcionamento de maneira segura.

Por conta das variadas funções, existem diversos tipos de óleos, e os mais comuns são feitos a base de petróleo. No entanto, a sua natureza pode ser alterada de acordo com o aditivo que ele receber.

Entre esses aditivos, é possível encontrar: aditivos para suportar extrema pressão, antiespumantes,  inibidores de oxidação, inibidores de corrosão e um fator importante a ser medido que é a sua viscosidade.

Um óleo hidráulico à base de petróleo não pode ser utilizado em superfícies em chamas ou com altas temperaturas, por exemplo, e por isso a utilização do óleo correto é importante e dispensa a utilização de um sistema de combate a incêndio no próprio sistema.

Utilize o óleo hidráulico

Como vimos ao longo deste conteúdo, por ser muito utilizado na indústria, a tarefa principal do óleo hidráulico para máquinas é ajudar na movimentação dos equipamentos e ferramentas nas linhas de produção.

Existem diversos tipos de óleos, e é importante saber qual o mais adequado para que desempenhe um bom trabalho. Os óleos recebem aditivos, e entre eles estão detergentes, inibidores de corrosão, antioxidantes, aditivos para suportar altas pressões, antiespumantes e outros.

O óleo hidráulico para máquinas possui um alto índice de viscosidade, indicado para sistemas que exerçam um movimento constante, e os aditivos são relativos a cada trabalho a ser desempenhado.

Para impedir que a utilização dos óleos hidráulicos cause dano à saúde e ao meu ambiente, é importante observar as especificações técnicas documentadas pelos fabricantes.

Com isso, além de ter certeza de que o óleo utilizado é o correto, é possível melhorar o trabalho das máquinas sem levar riscos à linha de produção.

*Este artigo foi produzido pelo Soluções Industriais.

Operadores destacam potencial do agronegócio para o setor de seguros 728

Operadores destacam potencial do agronegócio para o setor de seguros

Café com Seguro da ANSP abordou Agronegócio e Seguro

No último dia 26 de novembro, a Academia Nacional de Seguros e Previdência (ANSP) realizou o Café com Seguro que colocou em pauta “Agronegócio e Seguro”. O tema tem sido discutido no âmbito da Cátedra de Agronegócio, com ênfase para os desafios do seguro: garantir conquistas, assegurar resultados e viabilizar crédito aos produtores brasileiros. O evento aconteceu no auditório do Sindicato das Seguradoras do Estado de São Paulo (Sindseg SP), na capital paulista.

A contextualização do tema foi apresentada pelo Acadêmico Jorge Eduardo de Souza, Coordenador da Cátedra de Agronegócio da ANSP, que também foi responsável pela mediação do evento. “Hoje recebemos um público que veio mostrar suas demandas e riscos e, nós da Academia, através desses feedbacks, estudaremos soluções que atendam essas demandas”, ressaltou.

A primeira palestra – “O que é hoje o agronegócio e principais demandas por seguros” – abordou o tema a partir da visão do produtor e segurado e foi apresentada por Fernando Pimentel da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG). “Abordamos uma leitura mais ampla das necessidades que existem no mercado para podermos mitigar os riscos, atrair mais financiamentos bancários e do mercado de capitais e diminuir a necessidade de financiamentos comerciais que estão imperando atualmente”, disse Fernando.

Em seguida, Daniel R. Amaral Nascimento, representando a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), colocou em pauta a visão das seguradoras: “Como as seguradoras estão vendo esse mercado e novos produtos”. Para ele, o mercado ultimamente está em franca expansão. “Desde o início da subvenção, em 2006, até o ano passado, nós crescemos de quatro para doze seguradoras e os estados atendidos foram de doze para vinte e cinco. Então o mercado vem crescendo ao longo dos anos e nesse ano, especificamente, o mercado já fez em prêmios de seguros tudo o que foi feito no ano anterior, R$ 2 bilhões”, explicou.

O terceiro painel expôs a Visão do Corretor. Representaram os profissionais o Sindicato dos Corretores de Seguros de SP (Sincor-SP) e a Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor): “Como os corretores estão vendo e se capacitando para esse mercado”, informou o palestrante David Elias Martin. ” A distribuição tem uma enorme relevância, pois é necessário fazer vendas consultivas para que a qualidade do produto atenda a necessidade. O corretor de seguros é, sem dúvidas, o distribuidor com capacidade e competência desse seguro agrícola, mas há demanda por contínua capacitação”, completou.

O Acadêmico Edmur de Almeida, diretor da ANSP, fez a saudação e o presidente da Academia, o Acadêmico João Marcelo dos Santos, foi responsável pela abertura do evento. “Hoje o público não foi necessariamente do mercado de seguros, tivemos clientes e muitas empresas compradoras de seguros e isso é sempre muito bom, pois a ANSP está, nesse sentido, realizando a missão de levar a cultura de seguros para fora do mercado de seguros”, concluiu.

A coordenação do evento foi do Acadêmico Edmur de Almeida, diretor de fóruns acadêmicos da ANSP e coordenador das comissões técnicas dos seguros de crédito, garantia e finança locatícia do Sincor-SP e da Fenacor e do Acadêmico Jorge Eduardo de Souza, coordenador da cátedra de agronegócio da ANSP.

SulAmérica é destaque em Previdência, Saúde e Benefícios em Santa Catarina 748

SulAmérica é destaque em Previdência, Saúde e Benefícios em Santa Catarina

Ao todo a companhia recebeu sete troféus durante a cerimônia

A SulAmérica foi reconhecida com sete troféus na cerimônia de premiação do Melhores do Ano 2019 – Mercado Segurador Catarinense, do Sindicato dos Corretores de Santa Catarina (Sincor-SC), no dia 28 de novembro. A companhia foi premiada na categoria “Melhor Seguradora de Previdência, Saúde e Benefícios” nas regiões Oeste, Meio Oeste, Planalto Serrano/Alto do Vale, Joinville/Planalto Norte, Vale do Itajaí, Litoral e Sul.

Participaram da cerimônia Gilson Bochernitsan, diretor Comercial da SulAmérica na região Sul, os gerentes Rodrigo Chavantes, da filial Blumenau, Gerson Crestani, da filial Joinville, Mari Fernandes, da filial Florianópolis, e demais representantes do time Comercial na região.

“O corretor de seguros é fundamental para o nosso negócio, ele é o responsável por compreender as necessidades dos clientes e levar a eles as melhores soluções. E o papel da SulAmérica nessa relação é buscar constantemente oferecer uma experiência diferenciada tanto para os nossos parceiros quanto para os nossos segurados”, disse o diretor. “A conquista desses troféus ressalta o trabalho conjunto que realizamos com os corretores em Santa Catarina para fazer a diferença na vida das pessoas”, finaliza.

A premiação conta com votação direta dos corretores e tem o objetivo de reconhecer as seguradoras e profissionais que proporcionaram o melhor suporte em produtos e serviços e que ofereceram o melhor atendimento às corretoras.

Falece Gumercindo Rocha Filho, presidente do Ibracor, aos 72 anos 5998

Falece Gumercindo Rocha Filho, presidente do Ibracor, aos 72 anos

Trata-se de um dos maiores nomes do mercado brasileiro de seguros

Faleceu na noite desta quinta-feira (05) o presidente do Instituto Brasileiro de Autorregulação do Mercado de Corretagem de Seguros, de Resseguros, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta (Ibracor), Gumercindo Rocha Filho, aos 72 anos.

A cerimônia de despedida de um dos grandes nomes do mercado de seguros acontecerá neste sábado (07), entre 8h e 12, no Cemitério da Penitência – localizado no bairro Caju, no Rio de Janeiro (RJ).

A Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor) classificou o advogado Gumercindo Rocha Filho da seguinte forma: “Sempre foi uma referência para todo o mercado, com uma extensa e primorosa folha de serviços prestados a Fenacor, aos Sincors, a ENS, em suma, a todo o mercado de seguros e, particularmente, em especial, à categoria dos Corretores de Seguros, que devem a ele algumas ações e alguns memoráveis pareceres que foram a base para relevantes conquistas no âmbito da Justiça e no Congresso Nacional”.

O comunicado, também destacou a atuação do “Doutor Gumercindo” – como era carinhosa e respeitosamente conhecido no mercado de seguros – nos últimos três anos, quando liderou o Ibracor. Gumercindo comandou todo o processo de estruturação da entidade para a autorregulação dos profissionais da corretagem de seguros. “A diretoria, funcionários, colaboradores e amigos da Fenacor externam o seu reconhecimento e a sua eterna admiração e gratidão ao querido ‘Doutor Gumercindo'”, finalizou a Federação.

A Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) emitiu um comunicado onde afirmou que “junta-se à família e à legião de amigos e admiradores de Gumercindo Rocha Filho para lastimar a irreparável perda de um dos maiores expoentes do mercado segurador brasileiro. Homem dotado do mais completo conhecimento dos seguros e de grande sabedoria e sensibilidade, Gumercindo escreveu ao longo de sua dedicada vida páginas importantes do desenvolvimento do sistema securitário. Fica a saudade e o reconhecimento àquele que merece todas as homenagens”.

A Escola de Negócios e Seguros somou-se aos que lamentaram o falecimento. “Era reconhecido e admirado não somente pela evidente sabedoria e competência profissional, mas, também, pela simplicidade e generosidade no trato com todos. Dr. Gumercindo deixa um legado inestimável para o nosso setor, de lutas e conquistas obtidas com muita dedicação e competência. E deixa também muita saudade. Neste momento tão difícil, manifestamos o nosso apoio e solidariedade aos familiares e amigos”, informou a ENS.

A Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), através do presidente Antonio Trindade, comentou que “manifesta seu profundo pesar pelo falecimento desse profissional, que ajudou a engrandecer o nosso setor”.

Mineiro de Aimorés, o executivo foi consultor e autor de diversas obras relacionadas ao mercado de seguros. O Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG) também se posicionou diante do acontecimento. “(Lamentamos) profundamente a perda desse excelente profissional, reconhecido pela seriedade e gentileza no trato com as pessoas, além de ser um grande incentivador do nosso setor. A sua liderança nos fará muita falta ainda mais neste momento de transição pelo qual passa o mercado na questão da autorregulação da classe dos corretores de seguros. Nossa solidariedade aos familiares, amigos, colaboradores e parceiros do setor. Siga em paz, querido Gumercindo!”, disse o informe.

A diretoria executiva e os conselheiros do Clube Vida em Grupo (CVG-RJ), seus associados e amigos lamentaram profundamente a morte de uma das personalidades mais marcantes e dedicadas do setor de seguros. “Externamos os nossos sentimentos aos familiares e amigos do líder de atuação firme e notória”, comentou o Clube.

A diretoria do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ) e seus associados se manifestaram através de nota. “Uma das lideranças mais notáveis do mercado de seguros se destacou por sua determinação e firmeza na defesa do desenvolvimento do setor e pelas causas dos corretores de seguros, deixando um imenso legado de contribuições e melhorias para todos”, classificou. “O CCS-RJ presta solidariedade neste momento difícil para os familiares, amigos e colaboradores desse grande profissional e líder de mercado”, encerrou.

A diretoria executiva da Aconseg-RJ e suas empresas associadas também juntaram-se às manifestações de pesar e consternação pelo falecimento do líder da Ibracor. “Grande colaborador do mercado de seguros”, adjetivou a associação. “Nossa solidariedade e sentimentos aos familiares e colegas de trabalho”, concluiu.

O JRS lamenta profundamente pelo ocorrido e presta condolências aos amigos e familiares.

Tokio Saber encerra atividades do ano com presença de Mario Sergio Cortella 855

Tokio Saber encerra atividades do ano com presença de Mario Sergio Cortella

Palestra marca última ação de engajamento de 2019 da Universidade Corporativa da Tokio Marine

A Tokio Marine, uma das maiores Seguradoras do País, recebeu nesta quinta-feira (5) o professor e filósofo Mario Sergio Cortella, um dos mais respeitados educadores do Brasil. O especialista ministrou aula sobre carreira, trabalho e liderança aos Colaboradores da Companhia, para marcar o encerramento do ciclo de atividades da Universidade Corporativa Tokio Saber neste ano.

A palestra teve como objetivo provocar e engajar os Colaboradores, que, ao longo de 2019, participaram dos mais de 164 cursos online e dos 226 temas presenciais ministrados na Universidade Tokio Saber. “A escolha do Cortella não foi casual. Trata-se de mais um incentivo para estimular nossos Colaboradores a continuar traçando um caminho de desenvolvimento e protagonismo na Companhia, visão que ele propaga e que consideramos essencial no dia a dia”, explica Juliana Zan, Superintendente de Recursos Humanos da Tokio Marine.

Reformulada em 2019, a Universidade Corporativa está dividida em escolas de negócios com diferentes focos. A Escola de Carreira e Performance, por exemplo, trabalha o autodesenvolvimento, o protagonismo, o planejamento de carreira e a produtividade dos Colaboradores. Já na Escola de Líderes, a proposta é desenvolver e fortalecer as competências de liderança nos diferentes níveis de gestão. Outro destaque é a Escola de Inovação, que deu sustentação à estratégia da Seguradora este ano. Há também a Escola de Seguros, Escola de Relacionamento e Negócios, Escola de Bem-Estar, Escola de Ética e Governança Corporativa, Escola de Engajamento e Escola do Contact Center.

Juliana adianta que, para o próximo ano, a Companhia continuará investindo em capacitação por meio da Universidade, aumentando o foco em temas como inovação e relacionamento. “Queremos incentivar nossos Colaboradores a aprimorar cada vez mais suas capacidades técnicas e comportamentais, pois é com o crescimento deles que garantimos aos nossos Clientes e Parceiros de Negócios a qualidade na entrega dos serviços prestados pela Seguradora”, completa a executiva.

Durante o ano de 2019, mais de 200 turmas de Colaboradores, totalizando 8 mil pessoas, participaram de dos cursos presenciais. Já os treinamentos on-line contaram com mais de 15 mil participações nos 164 cursos disponíveis.

Parceira da Essor, Livonius foi homenageada no evento de 95 anos do Sindseg-PR/MS 1428

Parceira da Essor, Livonius foi homenageada no evento de 95 anos do Sindseg-PR/MS

Sindicato reuniu principais lideranças regionais, nacionais, autoridades e personalidades do segmento

A Livonius, parceira da Essor Seguros, recebeu uma homenagem especial durante a cerimônia de 95 anos do Sindicato das Seguradoras do Paraná e Mato Grosso do Sul (Sindseg-PR/MS). De todas as empresas que participaram da reunião de 28 de agosto de 1924, que foi a primeira do “Comitê Misto Paranaense e Santa Catharinense de Seguros”, que deu origem ao Sindicato, a Livonius (na época, representando a Cia. Internacional de Seguros em Blumenau-SC) é a única que continua em atuação no mercado de seguros, com o mesmo nome.

Os executivos da Livonius receberam a placa comemorativa para registrar o feito das mãos da presidente em exercício do Sindseg-PR/MS, Ileana Maria Iglesias Teixeira Moura.

O presidente licenciado do Sindicato, João Gilberto Possiede, também foi lembrado e homenageado durante toda a cerimônia. Reverenciado pela presidente em exercício, por todos os líderes e autoridades presentes. Entre as quais, o Secretário de Fazenda do Estado do Paraná, René Garcia, ex-superintendente da Susep, que colocou o Governo estadual à disposição do mercado de seguros para que o setor possa empreender um “crescimento sustentável e assuma posição de destaque no cenário nacional”.